15 de junho de 2019

Recusa de financiar com dinheiro de impostos Olavo de Carvalho e sites e blogs olavistas teria derrubado general de seu cargo de ministro


Recusa de financiar com dinheiro de impostos Olavo de Carvalho e sites e blogs olavistas teria derrubado general de seu cargo de ministro

General Santos Cruz era contra o financiamento de sites e blogs olavistas e chegou a bloquear elevada soma de dinheiro governamental para Olavo de Carvalho

Julio Severo
Fontes militares, de acordo com o site informativo A Republica, que fazem parte do governo Bolsonaro afirmam que o general Carlos Alberto Santos Cruz acabou perdendo seu cargo de ministro na Secretaria de Governo por causa pressão cada vez maior de Carlos Bolsonaro, que busca aumentar a influência de olavistas no governo.
De acordo com essas fontes, na primeira reunião de Cruz com Fábio Wajngarten, secretário de Comunicação da Presidência (Secom), foi apresentado ao ministro o projeto de pagar 320 mil reais por mês a Olavo de Carvalho para que ele tivesse um programa de TV veiculado na EBC, TV Escola e em plataformas digitais do governo. Além disso, Wajgarten, que é ligado a Carlos Bolsonaro, propôs a Cruz colocar um olavista em cada uma das secretarias de comunicação dos ministérios. Cruz rejeitou a ideia.
A ideia foi reapresentada uma segunda vez. O valor passou de 400 mil. Cruz novamente rechaçou a ideia.
A oposição de Cruz às ideias do homem ligado a Carlos Bolsonaro aumentou o confronto com Carvalho, conhecido como “Rasputin de Bolsonaro,” culminando na sua queda.
Cruz também se opôs ao financiamento de blogs e sites olavistas. “Fábio quer promover esses blogueiros e sites, distribuir recursos, e Santos Cruz era contra. O embate ficou forte e somou-se a outras discordâncias. A convivência estava muito difícil,” disse uma das fontes.
“O racha final foi pelo controle da comunicação e principalmente pela intenção de uma ala do bolsonarismo liderada por Carlos de financiar meios ideologicamente identificados com o governo,” concluiu a fonte.
A ala do bolsonarismo liderada por Carlos Bolsonaro, que vinha pressionando o General Santos Cruz, é olavista.
O general vinha sendo xingando por adeptos de Olavo de Carvalho depois que o guru deles disparou seus xingamentos aos militares do governo. Enquanto Jair Bolsonaro permanecia calado e neutro, sem defender seus ministros militares contra os palavrões de Rasputin, seu filho Carlos, um olavista roxo, tuitava apoio total ao Rasputin, ajudando na disseminação das contentas, fofocas, intrigas e confusões dele.
O general atacado por Rasputin e seu bando chegou a pedir pessoalmente ajuda ao presidente contra a perseguição olavista que vinha sofrendo nas redes sociais, oferecendo colocar seu cargo de ministro à disposição de Jair Bolsonaro. A resposta de Bolsonaro para tentar acalmar seu Rasputin e sua matilha foi conceder a Carvalho a condecoração máxima do governo brasileiro. De nada adiantou. Carvalho continuou xingando os militares.
Nos tempos dos governos Lula e Dilma, havia também financiamento a sites e blogs esquerdistas, mas eu cumpria meu papel de escritor evangélico conservador denunciando as perversidades desses dois governos, tendo o sustento de mim e minha família inteiramente bancado por apoiadores individuais, sem nenhum centavo governamental.
Era uma luta desigual e injusta. Eu, com o bolso praticamente vazio, enfrentava, junto com outros escritores conservadores, a matilha de sites e blogs esquerdistas que tinham muito dinheiro de uma única fonte: meu bolso e o bolso de cada leitor — através de impostos.
Sei como é então enfrentar blogs e sites bancados pelo governo. Pegar agora de novo dinheiro de impostos — que é pegar dinheiro do povo — para bancar Carvalho e seus seguidores em sites e blogs é imitar os governos esquerdistas. Tanto num caso quanto no outro o dinheiro para financiar tudo vem do nosso bolso.
Ainda que sites e blogs olavistas não sejam, pelo menos, abortistas, há problemas que um verdadeiro conservador não pode e não deve ignorar. Esses canais defendem a Inquisição, que historicamente torturou e matou judeus e protestantes, como se tivesse sido vítima das “mentiras” de historiadores judeus e protestantes. Isso é uma das maiores loucuras já vistas, equiparável à loucura de defender clínicas de aborto.
Outra aberração de sites e blogs olavistas é a idolatria escancarada ao Rasputin, como se ele fosse um gênio infalível. Aliás, há vários assessores de Bolsonaro, escolhidos imprudentemente por ele mesmo, que veem Rasputin como um semideus e um deles chegou a dizer que “Olavo é um verdadeiro profeta.”
Se Bolsonaro, seus filhos e seus ministros quiserem financiar esses sites e blogs com dinheiro de seus próprios salários mensais, não vejo problema. Todos são livres para fazer o que quiserem. Mas não é certo nem justo pegar dinheiro de impostos para fazer isso, pois dinheiro de imposto sai do meu bolso e do bolso de muitos outros conservadores que não concordam com o fanatismo olavista.
Se o governo Bolsonaro me investigar, vai passar vergonha e humilhação internacional, pois não há governos nem instituições entre meus apoiadores financeiros. Vai descobrir que sou um escritor conservador que vive pela fé em Jesus Cristo.
Viver pela fé é muito mais desafiador do que viver recebendo, às escondidas, dinheiro de governos e ideólogos poderosos, mas é mais gratificante, porque sou independente, sem conflito de interesses (o famoso “rabo preso”), sem ligações com governos.
Se fizerem uma CPI para investigar se meu blog já recebeu dinheiro de impostos, não vão encontrar nenhum financiamento governamental. Mas dá para dizer a mesma coisa sobre o Rasputin e os blogs e sites olavistas, que criticam ferozmente a esquerda, mas a imitam na boca cheia de palavrões e ganância de bolsos vorazes por dinheiro do bolso dos outros através de impostos?
Com informações de A Republica, Gazeta do Povo, O Globo e O Antagonista.
Leitura recomendada sobre o governo Bolsonaro:

2 comentários :

Anônimo disse...

Sim, certamente foi isto, sua reportagem está correta. Na verdade toda atuação da rede de YouTubers olavistas para a mobilização da manifestação do dia 26 do mês passado, teve por único objetivo grana, grana do governo. São os YouTubers Chapa Branca.

ChaukeStephanFilho disse...

Google é um Goolag: gostei dessa. É isso mesmo!

A diferença é que no "gulag" propriamente dito as pessoas eram forçadas a ficar dentro, enquanto na Google elas são obrigadas a ficar fora, banidas que são para o exílio do ciberespaço.

Esse é um efeito da ditadura diversitária, da repressão em nome da correção política.

Haveremos de destruir o alteritarismo, ou seja, a subjugação do auto pelo alter.