23 de junho de 2019

Noventa e dois por cento dos ativistas esquerdistas vivem com seus pais e um em cada três está desempregado, de acordo com estudo de manifestantes de Berlim, Alemanha


Noventa e dois por cento dos ativistas esquerdistas vivem com seus pais e um em cada três está desempregado, de acordo com estudo de manifestantes de Berlim, Alemanha

Dave Burke para o MAILONLINE
A vasta maioria dos manifestantes esquerdistas presos por suspeita de crimes politicamente motivados em Berlim, Alemanha, são jovens que moram com os pais, de acordo com uma reportagem recente.
As estatísticas, publicadas no jornal Bild, revelaram que 873 suspeitos foram investigados pelas autoridades entre 2003 e 2013.
Desses, 84% eram homens e 72% tinham entre 18 e 29 anos.
Mais da metade das detenções foram feitas nos distritos de Friedrichshain, Kreuzberg e Mitte em Berlim, principalmente durante as manifestações.
Um terço deles estava desempregado e 92% ainda moram com os pais.
As estatísticas publicadas no jornal de Berlim dizem que dos crimes cometidos contra pessoas, em quatro de cada cinco casos, as vítimas eram policiais.
Em 15% desses casos, as vítimas eram ativistas de direita.
As novas estatísticas foram divulgadas pelo Departamento Federal de Proteção da Constituição (BfV).
Entre 2009 e 2013, afirma a reportagem do Bild, assassinos esquerdistas tentaram cometer 11 assassinatos.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês do jornal britânico Daily Mail: 92% of left-wing activists live with their parents and one in three is unemployed, study of Berlin protesters finds
Leitura recomendada:

2 comentários :

Alexandre disse...

Cambada de mamãezados, mente vazia oficina do diabo, tá explicado o nascimento do esquerdismo.

Elias disse...

Nenhuma novidade! Os partidos de esquerda sempre utilizam desempregados, pois pessoas desesperadas tendem a não se importarem com o conteúdo maligno que vão propagar.
Veja o movimento dos "sem nada" aqui no Brasil, pessoas ignorantes, sem emprego, sendo exploradas por uma coxinha e 50 Reais.