26 de junho de 2019

Governo Trump impondo a agenda LGBT no país da Geórgia, mas o povo resiste


Governo Trump impondo a agenda LGBT no país da Geórgia, mas o povo resiste

Julio Severo
“Durante anos, os esquerdistas sociais tentaram forçar a ideologia LGBT na República da Geórgia, um país profundamente cristão com pessoas profundamente boas, comida incrível e — o mais importante — fortes valores tradicionais. Infelizmente, a própria embaixada dos Estados Unidos tem repetidas vezes imposto a agenda LGBT e atualmente está apoiando a chamada ‘Parada do Orgulho Gay’ que foi fortemente condenada pela Igreja Ortodoxa da Geórgia,” disse Brian Brown, presidente do Congresso Mundial das Famílias e presidente da Organização Internacional para a Família.
Povo da Georgia resistindo contra parada gay apoiada oficialmente pela Embaixada dos EUA
Brown disse que 97% dos georgianos rejeitam a Parada “Orgulho” Gay. Então, por que o governo Trump está impondo uma ideologia imoral num povo que a rejeita? Uma explicação é que Trump lançou uma campanha global para legalizar a homossexualidade em todo o mundo. Então o povo georgiano está apenas sofrendo os efeitos dessa campanha.
Outra explicação é o controle populacional. Por sua natureza estéril, a homossexualidade nunca produz bebês — e sempre produz abundantes doenças. A homossexualidade é perfeita para o controle populacional.
Ainda que muitos direitistas pensem que nos EUA somente governos democratas, que são socialistas, promoveriam o controle populacional, a realidade está longe desse conceito errado. O mais importante documento de controle populacional já produzido pelo governo dos EUA foi escrito durante dois governos republicanos.
Durante os últimos dias do presidente republicano Richard Nixon e os primeiros dias do presidente republicano Gerald Ford, a CIA, o Ministério de Defesa e a USAID prepararam o mais infame documento de controle populacional já escrito por qualquer governo: NSSM 200, que significa Memorando de Estudo de Segurança Nacional 200 (do original em inglês “National Security Study Memorandum 200”), também conhecido como Relatório Kissinger, porque foi escrito sob o Secretário de Estado Henry Kissinger. Seu assunto era “Implicações do Crescimento da População Mundial para a Segurança e Interesses Externos dos EUA.”
No NSSM 200, um governo republicano, ou se você quiser, um governo conservador dos EUA, planejou com sucesso a redução populacional de várias nações, inclusive o Brasil, apenas para impedir que a população dessas nações usasse seus próprios recursos naturais, que deveriam ser disponibilizados para os EUA. Essas políticas de controle populacional, inspiradas no NSSM 200, são ativamente implementadas por essas nações hoje, que não suspeitam que tenham caído em uma armadilha.
Se um governo republicano poderia, no passado, promover o controle populacional de um modo, por que hoje governos republicanos não podem promover o controle populacional de outros modos?
A homossexualidade é uma parte inegável da agenda de controle populacional, e nenhum país do mundo promoveu mais controle populacional do que os EUA fizeram, mesmo sob governos republicanos. Aliás, um governo republicano tem a desonra de ser o autor da campanha de controle populacional mais pérfida.
Então, a única explicação para o governo Trump lançar uma campanha global para legalizar a homossexualidade no mundo inteiro, inclusive apoiando oficialmente a celebração de paradas de orgulho gay em países cujas populações cristãs rejeitam tal imoralidade e perversão, é que o atual governo republicano está seguindo o legado do NSSM 200 dos republicanos Nixon e Ford. Os republicanos, novamente, estão seguindo a velha agenda de controle populacional.
A esta altura, certamente existem alguns mais novos NSSM 200 confidenciais, modernizados e sofisticados nos cofres do governo dos EUA, e é impossível não concluir que a CIA não propôs a homossexualidade como uma forma bem-sucedida de reduzir a população mundial.
Minha experiência pró-vida diz que o governo dos EUA, sob governos republicanos e democratas, não abandonou sua antiga ambição de reduzir a população mundial para atender aos supostos interesses de segurança nacional dos EUA.
Então, nessa perspectiva, não é surpresa ver que o governo Obama desperdiçou oito anos promovendo a homossexualidade em todo o mundo.
Não é surpresa ver as embaixadas dos EUA sob Trump promovendo a homossexualidade desde 2017.
E a culminação é o governo Trump lançando sua infame campanha para legalizar a homossexualidade em todo o mundo.
O país da Geórgia está apenas sofrendo os efeitos dessa campanha.
Leitura recomendada:

2 comentários :

Cicero disse...

EUA vão colher o que estão plantando. China já é a maior economia do mundo.

Alexandre disse...

A verdade é que o Trump já está de olho em uma outra campanha, a da reeleição, por isso essa média toda com o eleitorado lgbt.