19 de maio de 2019

O massacre dos primeiros evangélicos nos Estados Unidos


O massacre dos primeiros evangélicos nos Estados Unidos

Craig von Buseck
Há alguns anos, aproveitei uma tarde para visitar a fortaleza espanhola em St. Augustine (Santo Agostinho), na Flórida. Sou um fã de história, então gosto de parar em locais que fazem adolescentes se queixarem. Mas hoje deixei meus filhos adolescentes no condomínio em Orlando e fiz a caminhada até a costa do Atlântico. No caminho, vi uma placa indicando o Monumento Nacional de Forte Matanzas e decidi dar uma olhada.
Sendo estudante da história americana, eu tinha ouvido falar do massacre dos colonos huguenotes franceses na Flórida, mas eu não tinha visitado os locais onde aconteceu. Ao me juntar à excursão no Forte Matanzas (que significa “matanças de porcos” em espanhol), aprendi os detalhes dessa extensão americana da luta religiosa, política e militar que resultou da Reforma protestante.
Em 1564, um grupo de evangélicos franceses conhecidos como huguenotes se estabeleceu em territórios reivindicados pelos espanhóis perto da atual cidade de Jacksonville, na Flórida, EUA. Eles construíram o Forte Caroline no rio St. John, na Flórida, na atual cidade de Jacksonville. Em 30 de junho de 1564, eles marcaram um dia de Ação de Graças e ofereceram a primeira oração evangélica na América do Norte:
“Cantamos um salmo de ação de graças a Deus, implorando a Ele que lhe agradasse continuar sua bondade costumeira para conosco.”
De acordo com o boletim informativo American Minute de Bill Federer, em 1989, o deputado federal Bennett recitou a história:
“Três pequenos navios transportando 300 franceses liderados por Rene de Laudonniere ancoraram no rio hoje conhecido como o St. Johns… Em 30 de junho de 1564, a construção de um forte em forma triangular… foi iniciada com a ajuda de um tribo local de índios timucuanos… (Forte Caroline era) o lar desse grupo de huguenotes… suas fortes motivações religiosas os inspiraram.”
Quando o rei da Espanha descobriu essa invasão no que ele considerava sua propriedade, ele enviou um exército sob o comando de Don Pedro Menéndez para expulsar os franceses e estabelecer uma colônia espanhola em La Florida. Esse foi o começo de St. Augustine.
O Serviço Nacional de Parques fornece esses detalhes do conflito:
Frotas de navios espanhóis que carregavam tesouros navegavam ao longo da costa da Flórida a caminho da Espanha e o Forte Caroline fornecia uma base perfeita para atacar os franceses. Para o católico devoto Filipe, o pior de tudo era que os colonos franceses eram huguenotes (evangélicos franceses). Apesar dos protestos de Filipe, Jean Ribault partiu da França em maio de 1565 com mais de 600 soldados e colonos para reabastecer o Forte Caroline.
O general Pedro Menéndez de Aviles, encarregado de eliminar os franceses, também partiu em maio, chegando ao rio Saint Johns em agosto com cerca de 800 pessoas, pouco depois de Ribault. Os espanhóis desembarcaram no dia 8 de setembro e estabeleceram e chamaram sua nova aldeia “Santo Agostinho” porque a terra foi avistada pela primeira vez no dia da festa de Santo Agostinho, em 28 de agosto.
Jean Ribault navegou em 10 de setembro para atacar e eliminar os espanhóis em St. Augustine, mas um furacão levou seus navios até o sul, destruindo-os na costa da Flórida.
Ao mesmo tempo, Menéndez liderou um exército para atacar o Forte Caroline. Como a maioria dos soldados estava ausente, Menéndez foi facilmente capaz de capturar a colônia francesa, matando a maioria dos homens na batalha. Ele então recebeu a informação dos índios timucuanos de que um grupo de homens brancos estava na praia a alguns quilômetros ao sul de Santo Agostinho. Ele marchou com 70 soldados até onde uma entrada havia bloqueado 127 franceses naufragados tentando voltar para o Forte Caroline.
Com um francês capturado como tradutor, Menéndez descreveu como o Forte Caroline foi capturado e pediu aos franceses que se rendessem. Rumores ao contrário, ele não fez promessas de poupá-los. Tendo perdido a maior parte de sua comida e armas no naufrágio, eles se renderam. No entanto, quando Menéndez exigiu que abandonassem a fé evangélica e aceitassem o catolicismo, eles se recusaram. Cento e onze franceses foram mortos. Apenas dezesseis foram poupados — alguns que professavam ser católicos, alguns marinheiros bretões impressionados e quatro artesãos necessários em Santo Agostinho.
Duas semanas depois, a sequência de eventos foi repetida. Mais sobreviventes franceses apareceram na enseada, inclusive Jean Ribault. Em 12 de outubro, Ribault e seus homens se renderam e sofreram o mesmo destino ao novamente se recusarem a abandoar sua fé evangélica. Desta vez 134 foram mortos. A partir desse momento, a entrada foi chamada Matanzas — que significa “matanças de porcos” em espanhol.
O boletim da Oração do Capitólio apresentou recentemente uma história sobre o aniversário do massacre dos huguenotes franceses:
“Embora tenham morrido como mártires 444 anos atrás, o sacrifício dos huguenotes franceses na Flórida ainda permanece na eternidade, e o preço foi pago nos céus por nossa liberdade nos EUA, aqui na terra. Louvado seja Deus… Eles não amaram suas vidas até a morte.” (Ap 12:11)
O boletim explica que um mural no edifício do Congresso dos Estados Unidos revela essa parte da história da Flórida e fornece um mapa representando as três cidades mais antigas de nossa nação:
“Um local de interesse frequentemente negligenciado no edifício do Congresso dos EUA é um mapa histórico que é mostrado no teto do Corredor de Cox na ala da Câmara do Edifício do Capitólio. Intitulado ‘Forte Santo Agostinho,’ esse mural fica no teto do corredor, e mostra as datas da fundação das três primeiras cidades nos EUA: Santo Agostinho (1565), Jamestown (1607) e Plymouth (1620). "
“Os conquistadores espanhóis fundaram Santo Agostinho, Flórida, em 8 de setembro de 1565, enquanto obedeciam à ordem do rei Filipe II da Espanha, para ‘exterminar’ o ‘problema francês’ na terra que a Espanha havia reivindicado.”
“Mais tarde, os espanhóis construíram o Castillo de San Marcos — uma fortaleza de aparência assustadora, projetada para servir como um sinal para todos os outros que esta terra pertencia à Espanha! O Castillo de San Marcos, que levou 30 anos para ser construído, também é mostrado neste mapa.”
“St. Augustine (Santo Agostinho), Flórida, é a cidade mais antiga dos EUA hoje, tendo sido fundada por europeus que residem lá desde então.”
Esses são locais históricos significativos e belos e, junto com o Forte Caroline, em Jacksonville, e o Forte Matanzas, ao sul de St. Augustine, na costa do Atlântico, merecem uma visita.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês da Rede de Televisão Cristã dos EUA: 444 Years: The Massacre of the Huguenot Christians in America
Leitura recomendada:

Um comentário :

Robert Hatfield disse...

Isso serve só pra mostrar como os espanhóis são religiosamente tolerantes, como na inquisição espanhola, e isso aconteceu aqui no Brasil também com a França antártica os hoguenotes foram massacrados pelos portugueses, e Portugal também jogou pessoas de outras religiões também na fogueira com a inquisição portuguesa mas isso fica como lição para os evangélicos na América não abandonar aquilo que eles lutaram para ter, liberdade religiosa muito bom saber sobre essa história do primeiro massacre de Evangélicos na América. Na cidade ou perto de Jacksonville. Serve de exemplo para não ser repetir.