16 de maio de 2019

Antagonizando Trump? Sem convite, Bolsonaro visita o ex-presidente dos EUA George W. Bush, não um fã de Trump


Antagonizando Trump? Sem convite, Bolsonaro visita o ex-presidente dos EUA George W. Bush, não um fã de Trump

Julio Severo
George W. Bush recebeu uma visita inesperada em 15 de maio de 2019. Ao visitar Dallas, o presidente Jair Bolsonaro queria conversar com o ex-presidente dos EUA, embora nenhum convite oficial tenha sido estendido ao presidente brasileiro.
Jair Bolsonaro e George W. Bush
Os principais meios de comunicação dos EUA não fizeram nenhuma cobertura jornalística do evento. A BBC cobriu, mas apenas em sua versão em português. A BBC confirmou que Bush não convidou Bolsonaro. Apesar disso, Bush disse que por cortesia ele recebe visitas de elevadas autoridades estrangeiras.
Bush tem sido um crítico de Trump. Aliás, toda a família Bush tem sido hostil a Trump — tão hostil que até o presidente russo Vladimir Putin já defendeu Trump contra Bush.
Tal hostilidade vem do fato de que Trump condenou a Guerra do Iraque liderada por Bush e disse que Bush mentiu. Bush nunca perdoou Trump por isso, e a família Bush deixou bem claro que eles não votaram em Trump.
Por que então Bolsonaro entraria, de supetão, bem no meio de um conflito entre Bush e Trump? Bush é da ala mais neocon, que adora guerras por todo e qualquer motivo. Portanto, não é de admirar que quando o proeminente neocon John McCain morreu no ano passado, Trump não foi convidado, mas Bush e Barack Hussein Obama foram convidados de honra.
Assim, neocons adoram Bush e Obama, mas eles suspeitam de Trump. Por que então Bolsonaro quer acesso aos neoconservadores por meio de Bush? Ele quer uma nova versão da Guerra no Iraque na América do Sul?
Não só Bush teve um bom relacionamento com McCain e os neoconservadores, mas também com esquerdistas. Em 2014, Bush disse que o ex-presidente dos EUA Bill Clinton, um esquerdista, era seu irmão. Se Bush era conservador, por que chamar o Clinton pró-aborto e a pró-sodomia de irmão?
Se em uma viagem ao Brasil Trump visitasse o ex-presidente Luiz Inácio “Lula” da Silva, um esquerdista, seria uma péssima escolha, porque Lula e Bolsonaro não são amigos. Aliás, a reportagem da BBC disse que Bush tinha um relacionamento tão bom com Lula que o ex-presidente brasileiro visitou Camp David, um privilégio que os presidentes dos EUA dão a muito poucos presidentes estrangeiros. Não é de admirar, considerando que Bush tem um excelente relacionamento com os esquerdistas Obama e Clinton.
Um dos motivos do encontro com Bush foi provavelmente a assessoria fraca de Bolsonaro. É uma decisão débil tentar, mesmo que seja em grau mínimo, antagonizar Trump.
Se Bolsonaro se encontrou com Bush porque achou que não conseguiu tudo com Trump, a culpa é só dele. Logo antes de se encontrar com Trump em março, Bolsonaro deu na Embaixada do Brasil em Washington um banquete em homenagem a Steve Bannon, que Trump chamou de oportunista e expulsou da Casa Branca. A assessoria fraca de Bolsonaro não está sendo muito útil para ele.
Antagonizar Trump é um passo ruim de Bolsonaro. Tentar aproximação com neocons é outro passo ruim.
Leitura recomendada:

3 comentários :

J. SSousa disse...

Meu Deus!!!!
O cara só faz besteiras!

Marcos Zequias disse...

Bolsonaro é direitista e Bush TB, só tomar cuidado com essas amizades, já sabemos do jogo de traição envolvendo os EUA e neocons

Unknown disse...

Isso tem dedo do astrólogo...
O Bolsonaro está armando a própria forca