9 de abril de 2019

Por desconhecer o exemplo de Daniel, que foi exaltado por Deus acima dos conselheiros sábios do governo da Babilônia, Marco Feliciano exalta astrólogo Olavo de Carvalho e coloca-o acima dele, como seu professor e mestre


Por desconhecer o exemplo de Daniel, que foi exaltado por Deus acima dos conselheiros sábios do governo da Babilônia, Marco Feliciano exalta astrólogo Olavo de Carvalho e coloca-o acima dele, como seu professor e mestre

Julio Severo
Depois que o astrólogo Olavo de Carvalho o chamou de burro, Feliciano tem buscado estudar, guiado pela linha de doutrinação ideológica do astrólogo, assuntos aparentemente ligados à filosofia e política. O problema é que se Feliciano mal conhece a Bíblia, de que lhe adiantará adquirir profundo conhecimento terreno que ele é incapaz de avaliar e filtrar?
Anos atrás, para alertar o povo de Deus, postei no meu blog uma foto de Magno Malta dando todo apoio à petista Dilma Rousseff. É com esse mesmo propósito que posto a foto de Feliciano com o astrólogo Olavo.
A foto foi tirada da romaria de Feliciano à casa do astrólogo em 8 de abril de 2019. Há milhares de excelentes conservadores evangélicos nos Estados Unidos, inclusive Franklin Graham, Scott Lively, Peter LaBarbera, Mike Heath e outros, cujo conservadorismo tem alicerces na Bíblia. Mas Feliciano fez a longa romaria do Brasil aos EUA para prestar honra a um homem cujo conservadorismo guenoniano tem como alicerce suas experiências esotéricas que abrangem desde o ocultista islâmico René Guénon até a astrologia política.
Se Feliciano lesse e estudasse mais a Bíblia, ele entenderia que astrólogos sempre viviam junto aos reis, dando-lhes conselhos sobre política e futuro. Eram palpiteiros políticos auxiliados por demônios.
O Dicionário de Termos Teológicos Latinos e Gregos diz: “Os egípcios foram os primeiros a introduzir a astrologia entre os homens. Semelhantemente também os caldeus.”
Os caldeus eram os antigos habitantes da Babilônia. Entre eles, havia os astrólogos, que eram conselheiros governamentais.
Quando Daniel estava na Babilônia, a Bíblia diz, em Daniel capítulo 2, que Deus o exaltou como chefe dos astrólogos, não porque ele fosse astrólogo ou simpatizante de astrologia. Mas pelo fato de que os astrólogos eram os conselheiros e assessores do governo da Babilônia, Deus elevou Daniel acima de todos eles, como o maior, o mais sábio e o mais confiável conselheiro do rei.
Parece que Marco Feliciano desconhece que o governo da Babilônia tinha astrólogos que eram valorizados como grandes conselheiros e homens muito sábios. Ele parece também desconhecer que Deus exaltou Daniel acima de todos esses conselheiros. Ele desconhece porque não lê nem estuda a Bíblia profundamente.
A Bíblia diz:
“Em seguida, o rei colocou Daniel como alta autoridade do reino e lhe deu também muitos presentes de valor. Ele pôs Daniel como governador da província da Babilônia e o fez chefe de todos os sábios do país.” (Daniel 2:48 NTLH)
Esses sábios eram os astrólogos, feiticeiros e ocultistas.
Um cenário em que há a presença de Deus destaca que, diante de astrólogos, o homem exaltado é o homem que serve a Deus. Mas no cenário em que está um “sábio” de formação profundamente astrológica e um pastor, mas quem saí exaltado é o astrólogo, a conclusão é bem simples: Há falta da presença de Deus.
A própria foto em que Feliciano aparece com o astrólogo revela um pastor que se parece realmente com um aluno e inferior diante da imagem de um mestre superior a ele.
Se na época de Daniel houvesse fotos dele com astrólogos, a imagem traria Daniel como exaltado e superior a eles. O que está acontecendo com Feliciano espiritualmente que ele está abaixo de um homem que no governo da Babilônia seria considerado “sábio” e “conselheiro de rei,” mas que diante de Deus não é nada mais do que um homem oprimido por uma falsa sabedoria, pomposamente intitulada de filosofia, alicerçada na astrologia e outras espécies de ocultismo?
Se Olavo de Carvalho pudesse voltar no tempo e viver nos dias do rei Nabucodonosor, ele estaria entre os conselheiros governamentais. Ele seria um “sábio” e um astrólogo. Mas se Feliciano voltasse àquele tempo, como ele poderia ocupar o lugar de Daniel se ele se sente tão bem com a sabedoria alicerçada na astrologia? O que ele faria se ele não se importa que a falsa sabedoria esteja exaltada acima dele?
Se Daniel vivesse no nosso tempo, ele seria exaltado acima de todos os conselheiros de Bolsonaro — inclusive o astrólogo Olavo. Se Bolsonaro colocou Carvalho para se sentar ao seu lado, ele colocaria Daniel nessa posição importante depois de ver que a sabedoria de Daniel, alicerçada no conhecimento verdadeiro de Deus, está acima do conhecimento de Carvalho.
O Dicionário de Termos Teológicos Latinos e Gregos também diz que o Egito tinha seus astrólogos. José foi exaltado acima deles e Moisés também foi exaltado acima deles. É um conhecimento que Feliciano não tem simplesmente porque ele não estuda a Bíblia.
Toda vez que há no mesmo cenário servos de Deus e astrólogos considerados sábios conselheiros governamentais, quem sai exaltado não são os que servem à astrologia satânica. É sempre os servos de Deus.
Se Daniel fosse olavete, ele não seria exaltado acima dos astrólogos. Ele chamaria esses astrólogos de “sábios,” “professores,” “mestres” e os honraria entre os políticos. Feliciano fez exatamente isso. Ele honrou o astrólogo Olavo no Congresso Nacional em Brasília.
Deus nunca honraria Daniel se ele honrasse os astrólogos de sua época. Deus o honrou porque ele nunca se rebaixou ao ponto de se colocar como discípulo de um mestre-astrólogo. Daniel fez a diferença diante dos mais sábios porque a sabedoria que ele tinha não tinha nada a ver com astrologia e ocultismo. Era totalmente dedicada a Deus.
Um pastor sério teria envolvimento com Olavo de Carvalho só para levar a ele o Evangelho de Jesus Cristo que liberta de todo ocultismo. Mas não é esse tipo de envolvimento que o pastor Marco Feliciano tem com Olavo. É na condição de professor-discípulo. Olavo, como professor-astrólogo e palpiteiro político. Feliciano, como pastor embruxado.
Feliciano precisa estudar a vida de Daniel na Bíblia, para entender a diferença entre a sabedoria verdadeira, alicerçada no conhecimento de Deus, e a sabedoria falsa, alicerçada na astrologia política e ocultismo.
Usando o método dos comunistas que acusam os outros do que eles fazem, Carvalho prefere dizer que outros, inclusive líderes evangélicos, creem mais em astrologia do que ele. Recentemente ele disse que os reformadores, inclusive Lutero, criam na astrologia mais do que ele.
 Se os astrólogos do governo da Babilônia se tornaram sábios sem Deus, por que um servo de Deus não pode ficar mais sábio com Deus? Pode sim. Daniel se tornou mais sábio do que eles.
Se Olavo de Carvalho se tornou sábio estudando e praticando astrologia e ocultismo, por que um servo de Deus não pode ficar mais sábio? Pode sim. Isso pode acontecer com qualquer servo de Deus com coração de Daniel. Não aconteceu com Feliciano porque ele escolheu se submeter à falsa sabedoria.
“Tenham cuidado para que ninguém os escravize a filosofias vãs e enganosas, que se fundamentam nas tradições humanas e nos princípios elementares deste mundo, e não em Cristo.” (Colossenses 2:8 NVI)
A foto de Magno Malta com Dilma é hoje motivo de vergonha para ele e para os evangélicos. A foto de Feliciano com o astrólogo Olavo, notório xingador de evangélicos e exaltador da Inquisição, pode não ser motivo de vergonha para ele hoje, mas é motivo de vergonha para os evangélicos. Um dia, será vergonha também para Feliciano.
Não estou contra Feliciano, mas contra seus envolvimentos errados. Em 2013, quando todas as esquerdas se uniram contra ele, eu o defendi. Quando até mesmo a maioria dos evangélicos se colocou contra ele, eu o defendi. Eu o defendi das esquerdas e de evangélicos afetados pela mentalidade esquerdista. Você pode conferir tudo nesta entrevista exclusiva que ele deu a mim na época: Julio Severo entrevista Dep. Marco Feliciano: Como uma oposição gayzista colossal catapultou o nome dele à fama, tornando-o o político evangélico mais proeminente do Brasil.
Hoje, tenho de assistir enquanto Feliciano vê o astrólogo Olavo xingando os evangélicos, e até incitando a Polícia Federal contra mim por delito de opinião, enquanto ele exalta o ameaçador, claramente afetado por uma mentalidade olavética.
Se até mesmo Donald Trump, que é um evangélico nominal que não parece crer em dons de revelação, viu o oportunismo de Steve Bannon, que é tão ocultista e guenoniano quanto o Olavo, e o expulsou da Casa Branca, como é que Feliciano não vê nada do astrólogo e ainda se coloca abaixo dele?
Se pastores se calarem com relação ao esoterismo fascista de Carvalho, Deus usará as pedras para clamar. Mas se eles o exaltarem, Deus poderá permitir que eles tropecem e caiam por causa de suas próprias tolices.
Feliciano tratando o astrólogo Olavo como “mestre” acima de si é um testemunho galacticamente distante do testemunho de Daniel sendo exaltado por Deus acima dos astrólogos conselheiros do governo da Babilônia.
Leitura recomendada sobre Marco Feliciano:
Leitura recomendada evangélicos, marxismo e vitória de Bolsonaro:
Leitura recomendada sobre o astrólogo Olavo de Carvalho:
Leitura recomendada sobre olavetes:

2 comentários :

Flávio disse...

Daqui 8 anos se não abrirem os olhos agora, essas pessoas como Feliciano estarão todos arrependidos. Pelo caminho atual imagino o psl como uma futura extrema direita, pt oposto

Anônimo disse...

Será que esse "pastor" desconhece a ordem bíblica: "Maldito o homem que confia no homem?"