23 de abril de 2019

Bolsonaro diz que críticas de Olavo de Carvalho não contribuem para o avanço do governo e, concordando com General Mourão, Silas Malafaia diz que Olavo deveria se limitar à função de astrólogo


Bolsonaro diz que críticas de Olavo de Carvalho não contribuem para o avanço do governo e, concordando com General Mourão, Silas Malafaia diz que Olavo deveria se limitar à função de astrólogo

Julio Severo
Depois de meses de total silêncio diante dos xingamentos de Olavo de Carvalho aos militares, o presidente Jair Bolsonaro resolveu agir, repreendendo seu próprio guru — designação internacionalmente aceita, inclusive por parte da Voz da América, a emissora do governo americano, a qual chama Carvalho de guru de Bolsonaro por sua dependência para com ele.
A repreensão inédita de Bolsonaro ocorreu com o caos resultante depois que um vídeo de Carvalho insultando os militares foi compartilhado na própria conta de YouTube de Bolsonaro no sábado. No domingo, o vídeo, que provocou mal-estar entre os militares pelo conteúdo claramente antipatriótico, foi deletado da conta de Bolsonaro.
O texto oficial de Bolsonaro, depois de vários elogios a Carvalho, destaca que “suas recentes declarações contra integrantes dos poderes da República não contribuem para a unicidade de esforços e consequente atingimento de objetivos propostos em nosso projeto de governo.”
Provavelmente descontente que os militares até agora não tenham se prostrado a ele nem se deixado embruxar, Carvalho os tem xingado e acusado de tudo, desde destruir o conservadorismo no Brasil até ajudar comunistas. Enquanto eles não concordarem com os olavetes, que entoam enfadonhamente Olavo como “salvador” e “Olavo tem razão,” ele não descansará em seus xingamentos contra eles.
Falando sobre o vídeo ofensivamente antipatriótico, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou: “Acho que ele deve se limitar, ele, Olavo de Carvalho, à função que ele desempenha bem, que é de astrólogo. Pode continuar a prever as coisas aí.”
Apesar de ter feito várias críticas a Mourão, o televangelista Silas Malafaia concordou com ele nesse ponto específico. Malafaia disse no Twitter:
“NISSO MOURÃO ESTÁ CORRETÍSSIMO! Olavo de Carvalho deveria se ater a função de astrólogo. O resto… só Deus para suportar. OLAVETES! Fiquem livres para usar robôs e outros apetrechos para caluniar e difamar. Para vocês, só kkkkkkk.”
Contudo, o astrólogo se enfurece não só quando os militares não se submetem a seus xingamentos sistemáticos. Ele também parece não gostar da designação “astrólogo,” que faz parte inegável de seu histórico profissional. Aliás, ele só ficou inicialmente famoso no Brasil pela sua ocupação de astrólogo. Mas sua evidente repulsa é tão grande que recentemente, em seu longo embate com os evangélicos, ele inventou o argumento de que Lutero e outros reformadores protestantes criam em astrologia muito mais do que ele crê.
Agora que Mourão e Malafaia estão de acordo em que Carvalho deve se limitar à ocupação de astrólogo, não se sabe se o olavete Marco Feliciano, que fez um pedido de impeachment de Mourão para agradar ao astrólogo, incluirá nesse pedido a casassão de Malafaia por chamar o astrólogo de astrólogo.
Embora reconhecidamente Carvalho seja o Rasputin de Bolsonaro, parece que a resistência dos evangélicos e militares aos mandos e desmandos dele no governo está fazendo com que Bolsonaro comece a quebrar um pouco seu silêncio diante da chuvarada de xingamentos e insultos do astrólogo aos eleitores de Bolsonaro que não prestam submissão a um Rasputin que não foi eleito por ninguém e que não tem força para eleger um presidente da República.
O fato é que se com apenas pouco mais de 500 mil seguidores no Facebook, o astrólogo se gaba de poder eleger um presidente, então Paulo Coelho, que tem mais de 30 milhões de seguidores no Facebook, poderia facilmente se gabar de poder eleger o presidente dos Estados Unidos e algumas outras nações.
Convencer que 500 mil seguidores de Facebook são suficientes para eleger um presidente é uma propaganda falsa a que nenhum brasileiro honesto se aventuraria. Mas para a lábia de um astrólogo, que convence qualquer trouxa de qualquer coisa, toda ideia fantasiosa é possível.
Tal fantasia astrológica de fato não contribui para o avanço do Brasil. Mas qual é o ocultista que não provoca confusão e caos no governo quando lhe dão ouvidos?
Por serem um impedimento contra fantasias astrológicas, evangélicos e militares sofrem xingamentos do astrólogo. Os militares, de que ajudaram os comunistas. Os evangélicos, de que fizeram mais mal ao Brasil do que a esquerda inteira. Esse é o preço difamatório que pagam por não glorificarem um astrólogo narcisista, mitomaníaco, megalomaníaco e fanfarrão, que tal qual um comunista acusa suas vítimas de fazer aquilo que ele está fazendo: caos e confusão.
Com informações de O Globo e G1.
Leitura recomendada:

2 comentários :

Thel disse...

Mas o General Mourão já mostra sinais de que não é de confiança mesmo. Todo cuidado é pouco com ele.

J. SSousa disse...

Parece que o presidente já começa ver o qto esse bruxo vai complicar a vida dele. Agora tem que frear os taradinhos dos filhos.
Qto a Mourão é outra complicaçåo.
No fim da história o presidente só vai poder contar mesmo com os evangélicos e parcela dos católicos.
O quadro atual é sinistro. De um lado os fanáticos seguidores do bruxo. Do outro a Maçonaria. Só muita oração p salvar nação.