4 de março de 2019

Pais muçulmanos furiosos tiram filhos de escola britânica porque seus filhos estão sofrendo lavagem cerebral em relação a direitos gays e, fenomenalmente, o governo britânico não pune os pais


Pais muçulmanos furiosos tiram filhos de escola britânica porque seus filhos estão sofrendo lavagem cerebral em relação a direitos gays e, fenomenalmente, o governo britânico não pune os pais

Julio Severo
Estima-se que 600 crianças muçulmanas foram retiradas de uma escola britânica em protesto contra lições sobre homossexualidade e igualdade de gênero.
Os alunos, com idade entre 4 e 11 anos, estão sendo mantidos em casa para não ir à Escola Comunitária Parkfield, em Birmingham, Inglaterra, como protesto contra um programa escolar que ensina estilos de vida LGBT para crianças.
A Escola Comunitária Parkfield tem 750 alunos e 98% deles são de origem islâmica. As crianças envolvidas no êxodo em massa representam cerca de 80% da escola.
O ponto interessante não é o êxodo, mas que os pais muçulmanos não estão sendo punidos pelo governo. Quando pais cristãos tentam protestar contra a doutrinação homossexual de seus filhos, eles são rapidamente ameaçados por autoridades governamentais e, quanto mais eles se queixam, mais eles são ameaçados. No caso dos muçulmanos, eles estão reclamando e ameaçando cada vez mais as autoridades escolares.
Eles estão reclamando que a escola está minando os direitos dos pais e promovendo agressivamente a homossexualidade.
Alguns manifestantes muçulmanos disseram preferir deixar o Reino Unido a permitir que seus filhos continuem frequentando a Escola Comunitária Parkfield.
Alguns protestos tinham cartazes dizendo: “Educação, não doutrinação.”
Uma criança carregava um cartaz manuscrito que dizia: “Deixe as crianças serem crianças.”
A Inglaterra, que tem um forte histórico cristão, chegou a um ponto em que os muçulmanos têm muito mais voz e liberdade para protestar do que os cristãos.
A ira dos pais muçulmanos está sendo dirigida ao vice-diretor da escola, Andrew Moffat, que está por trás das lições homossexuais. Moffat é um ativista homossexual casado com outro homem homossexual. Atualmente, ele está sendo indicado para o prêmio de “Melhor Professor do Mundo.”
Um pai muçulmano na escola, cuja filha de seis anos frequenta a escola, disse que sua esposa quer deixar o país ao invés de deixar a filha frequentar as aulas.
Manifestantes disseram que o islamismo não aceita a homossexualidade, e a polícia, militantes homossexuais e autoridades governamentais não estão acusando os pais muçulmanos de “homofobia.”
Moffat disse que tentou se encontrar com os pais muçulmanos, mas desistiu quando eles se tornaram agressivos. Ele descreveu que está recebendo ameaças de pais online. Ele disse à BBC: “Estou me sentindo muito ameaçado.”
Se os cristãos tivessem protestado contra a doutrinação homossexual de Moffat, eles teriam sido ameaçados por autoridades governamentais. Se eles tivessem ameaçado o homossexual Moffat, eles teriam sido presos! Mas na Inglaterra moderna, os muçulmanos ficam impunes por atos em que os cristãos nunca ficam impunes.
Por que os pais cristãos também não retiram seus filhos das escolas britânicas por causa de doutrinação homossexual? Porque eles temem que o governo britânico vá tirar os filhos deles.
Os cristãos são hoje cidadãos de segunda categoria, enquanto os imigrantes muçulmanos são cidadãos de primeira classe na Inglaterra.
O governo da primeira-ministra britânica Theresa May se gaba de ser “conservador.” Mas você deveria chamá-lo de governo neocon, porque ele age duramente contra qualquer coisa que seja russa, mas permite que ativistas homossexuais e invasores muçulmanos praticamente governem na Inglaterra. Quando crianças inglesas não estão sendo psicologicamente estupradas por aulas de doutrinação homossexual, elas estão sendo estupradas fisicamente por invasores islâmicos que chamam as meninas inglesas de “lixo branco.”
O governo “conservador” de May não faz nada para proteger as meninas britânicas, talvez porque também as veja como “lixo branco.” E também não protege as crianças da doutrinação homossexual, talvez porque veja todas as crianças britânicas como “lixo.”
É muito estranho que o governo “conservador” de May rejeite tudo o que seja russo numa época em que a Rússia proibiu totalmente a propaganda homossexual para crianças e adolescentes e nunca deixa os muçulmanos terem mais voz do que os cristãos e nunca deixa os muçulmanos tratarem as meninas russas como “lixo branco.”
Com informações do DailyMail.
Leitura recomendada sobre a Inglaterra:

5 comentários :

Glau Palmira disse...

Tem que ensinar mesmo nas escolas. Ninguém tá ensinando ser gay, tá ensinando o respeito!!!

Unknown disse...

Que venham bastante muçulmanos pro Brasil, quem sabe fazem o que os falso cristãos daqui não fazem, que é enfiar esses militantes no seu devido lugar.

O Sousa da Ponte - João Melo de Sousa disse...

Se não aceitam os valores europeus o melhor que tem a fazer é ir mesmo embora. Eu até compreendo que para alguém educado no Islão radical tenha problemas em aceitar a liberdade religiosa, a integração de outras formas de sexualidade ou tudo o que constitui a sociedade europeia.
Se não o pode aceitar pode sempre partir.
Duvido que o faça.
Com todos os defeitos, e são muitos, a Europa é o melhor lugar para viver.

Acabarão por se secularizar.

Vai demorar algum tempo.

Boroc disse...

Claro que eles não vão perseguir e punir os pais muçulmanos. Eles são ameaçadores. O governo tem medo que cometam mais atos terroristas.

Henrique disse...

Por que os cristãos não têm essa mesma postura firme dos islâmicos? De quem (ou de quê) os cristãos têm medo?

O verdadeiro cristão defende os princípios morais, é um combatente incansável contra o pecado, coloca até a própria vida em perigo para defender o que é certo, e é capaz até de morrer por amor a Jesus e à verdade da Sua Palavra. O verdadeiro cristão adota o lema dos antigos mártires da fé cristã: "Antes morrer do que pecar".

Os homossexuais não estão brincando. Enquanto estamos inertes, eles estão nos atacando diariamente de todas as formas (e sem a mínima piedade)! Eles não vão sossegar enquanto não tirarem do caminho qualquer um que seja um obstáculo aos seus planos!

Será que, depois deste alerta, muitos cristãos ainda vão continuar dormindo? Será que muitos só vão despertar quando não tiver mais jeito?

Eu diria mais: pior do que ser um cristão fraco (sem forças) é ser covarde (desistir de lutar). Se um cristão luta por um ideal que acredita, ele tem que ir até o fim (não importam as adversidades que irá enfrentar). É como diz a Bíblia:

"O justo viverá pela sua fé, e, se ele retroceder, a minha alma não se alegra nele. Nós, porém, não somos daqueles que se retiram para a condenação, mas dos que acreditam para a preservação da alma" (Hebreus 10:38–39).

Igreja, está na hora de acordar! Pastores, líderes, pregadores, está na hora de sair do seu comodismo e ir à luta! Não podemos mais ficar de braços cruzados, vendo o mal se alastrar ao nosso redor e não reagir! Ninguém pense que a resposta virá do Céu se cada um não fizer a sua parte! É hora de agir já!

Se não tomarmos uma atitude agora (e não protestarmos de maneira firme e forte contra as manobras dos homossexuais e de seus comparsas), depois poderá ser tarde demais! E aí ninguém vai poder dizer que houve falta de aviso!

Que estas palavras sirvam de alerta para muitos que se dizem cristãos (e que ainda estão acomodados na luta contra o pecado)!

"Pecar por omissão, quando se deveria protestar, transforma homens em covardes" (Abraham Lincoln)

"Para que o mal triunfe, basta que os homens de bem não façam nada" (Edmund Burke)

"O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons" (Martin Luther King)

"Não se opor ao erro é aprová-lo, não defender a verdade é negá-la" (Tomás de Aquino)

"É melhor morrer como defensor da verdade do que viver como escravo da mentira" (provérbio hindu)