21 de março de 2019

Em pré-escola do Kentucky, crianças e funcionárias aterrorizadas cantam “Jesus Me Ama” enquanto um furacão arranca o teto da escola — e a sala de aula onde eles estão amontoados juntos é a única que não foi danificada


Em pré-escola do Kentucky, crianças e funcionárias aterrorizadas cantam “Jesus Me Ama” enquanto um furacão arranca o teto da escola — e a sala de aula onde eles estão amontoados juntos é a única que não foi danificada

Chiara Fiorillo
Um grupo de alunos de pré-escola se reuniu em sua sala de aula cantando “Jesus me ama” enquanto um furacão estava arrancando o telhado de sua escola no Kentucky, EUA.
O furacão, atravessando destrutivamente 8 km de terra em Paducah, danificou todos os cômodos da Igreja Batista Mount Zion, exceto aquele em que 40 crianças pré-escolares e 10 membros da equipe da igreja haviam se reunido.
Quando o furacão atingiu a região em 14 de março, as crianças da pré-escola ficaram com medo e as funcionárias ajudaram-nas cantando com elas.
As músicas incluíam “Jesus Me Ama” e “Ele tem o mundo inteiro em suas mãos.”
A igreja de 50 anos perdeu a maior parte do telhado, mas ninguém dentro do prédio ficou ferido.
Michelle Rushing, diretora da Pré-Escola Batista Mount Zion, disse que a equipe recebeu um aviso de furacão e implementou seu plano de evacuação, levando crianças e funcionárias para uma sala segura.
Depois da tempestade, funcionárias e estudantes descobriram que a pré-escola e o santuário haviam sido destruídos.
A única sala ilesa era aquela em que crianças e professoras se abrigaram.
A senhorita Rushing disse que Deus ajudou a manter todos no prédio seguro.
Sylvia Cherry, membro da igreja, disse à CBS News: “Nós simplesmente damos a Deus a glória de que ninguém foi ferido.”
O pastor sênior, Wes Conner, disse que já está trabalhando em planos para reconstruir a igreja e que cultos ainda estão sendo realizados, mas em uma parte diferente do prédio.
“A igreja não é um prédio, a igreja é o povo,” disse ele.
“Prédios podem ser reconstruídos e, francamente, Deus vai nos fazer atravessar esse período difícil.”
Imagens dramáticas do furacão que atingiu Lovelaceville na região de West Paducah foram postadas nas redes sociais.
Vários prédios na área do oeste de Kentucky foram danificados e, embora não tenham sido registrados ferimentos graves, mais de 5.300 moradores ficaram sem energia.
O público foi solicitado a evitar a área, enquanto equipes trabalhavam para limpar as linhas de energia, derrubar árvores e outros detritos.
Leitura recomendada:

20 de março de 2019

“Senhor, sustente-o. Proteje-o do mal”: Pat Robertson, da Rede de Televisão Cristã, ora pelo presidente brasileiro Bolsonaro em encontro com líderes evangélicos


“Senhor, sustente-o. Proteje-o do mal”: Pat Robertson, da Rede de Televisão Cristã, ora pelo presidente brasileiro Bolsonaro em encontro com líderes evangélicos

Amber C. Strong
WASHINGTON, EUA — Mais de uma dúzia de líderes evangélicos se reuniram com o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, para uma conversa íntima sobre o futuro de seu país.
O grupo formado por pastores, CEOS e líderes comunitários orou por Bolsonaro e expressou seu objetivo comum de defender os valores tradicionais.
“Nós oramos, Senhor, para que a unção do Espírito Santo venha sobre ele (Bolsonaro),” disse Pat Robertson, fundador e presidente da Rede de Televisão Cristã.
“Para que ele tenha sabedoria. Para que ele ouça uma voz em no ouvido quando ele se virar para a direita ou para a esquerda, dizendo: ‘Este é o caminho. Ande nele,’” continuou Robertson.
“Senhor, defende-o. Proteje-o do mal. E usa-o poderosamente nos próximos anos,” ele concluiu.
No decorrer da noite, Robertson pediu cooperação conjunta entre o Brasil e a Rede de Televisão Cristã para enfrentar a crise humanitária na Venezuela.
A Operação Bênção da Rede de Televisão Cristã está atualmente formando parcerias com grupos que fornecem alimentos, assistência médica e luzes portáteis para famílias que sofrem na região.
Os líderes também elogiaram Bolsonaro por suas crenças cristãs abertas.
“Todos nós queremos as bênçãos de Deus, mas a verdade é que a bênção precisa ter o alicerce da salvação,” disse Reinhard Bonnke, evangelista de Cristo para Todas as Nações.
“Se um país está mergulhado no evangelho de Jesus Cristo, ótimo alicerce,” continuou Bonnke.
O grupo discutiu seus valores comuns, inclusive a proteção dos bebês em gestação e apoio a Israel.
Bolsonaro está agendado para visitar Israel no final de março.
Em janeiro, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse que Bolsonaro lhe disse que seguiria os passos do presidente Trump e mudaria a embaixada brasileira de Tel Aviv para Jerusalém.
O evento, patrocinado pela Rede de Televisão Cristã, aconteceu logo depois da coletiva de imprensa do líder brasileiro com o presidente Trump.
Leitura recomendada:

19 de março de 2019

Televangelista Silas Malafaia diz que é simplesmente ridículo descartar os evangélicos para creditar a vitória de Bolsonaro ao astrólogo Olavo de Carvalho


Televangelista Silas Malafaia diz que é simplesmente ridículo descartar os evangélicos para creditar a vitória de Bolsonaro ao astrólogo Olavo de Carvalho

Julio Severo
Quando Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, disse que “sem Olavo, não haveria a eleição de Jair Bolsonaro,” seu comentário me chocou, e publiquei o seguinte artigo: Eduardo Bolsonaro diz que “sem Olavo, não haveria a eleição de Jair Bolsonaro”.
Silas Malafaia apoiando Jair Bolsonaro durante a eleição
Mas outra pessoa, muito mais importante do que eu, também ficou chocada: o televangelista mais proeminente do Brasil.
Em um tuíte de 18 de março de 2019, o Pr. Silas Malafaia, um televangelista pentecostal que é conhecido em todo o Brasil e outras nações, afirmou que Bolsonaro pessoalmente lhe disse várias vezes que se 80% dos evangélicos o apoiassem, ele seria eleito presidente. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, Bolsonaro conseguiu no mínimo 70% dos votos evangélicos, e foi eleito.
Malafaia, que é um peso-pesado evangélico conservador no Brasil, acrescentou:
“Vem agora seu filho, aprendiz de político, dizer que Olavo de Carvalho é o maior responsável pela vitória do pai. SIMPLESMENTE RIDÍCULO!”
A intervenção de Malafaia no Twitter dissipou a FakeNews anti-evangélica de que Olavo de Carvalho, que tem histórico de ocultismo islâmico e astrologia, foi o homem responsável pela eleição de Bolsonaro.
Diferente de Carvalho, que tem mais fama à custa de Bolsonaro como presidente, Malafaia já era internacionalmente famoso muito antes de Bolsonaro e Carvalho.
Em 2011, o jornal americano New York Times entrevistou Malafaia em uma reportagem intitulada “Líder evangélico ergue-se nas guerras culturais do Brasil.” Assim, a fama internacional de Malafaia nas guerras culturais contra o aborto e a agenda gay não é algo novo. E é por méritos próprios.
Obviamente, os evangélicos, que foram ambiciosamente cobiçados por Bolsonaro durante a eleição, estão tendo muito pouco espaço agora que o poder governamental está firmemente nas mãos dele.
Por alguma razão, depois da eleição, Bolsonaro parou de valorizar seus apoiadores evangélicos e começou a glorificar o astrólogo Olavo, que vive como imigrante auto-exilado nos EUA há 15 anos, mas nunca conseguiu alcançar fama por seus próprios méritos.
Talvez agora, com Bolsonaro fazendo propaganda gratuita para ele, ele possa alcançar alguma fama. Além disso, Steve Bannon, que havia sido expulso por Trump por vazar informações secretas, prometeu tornar Carvalho famoso nos EUA. Bannon está agora próximo de Bolsonaro, por causa de Carvalho e Eduardo.
Depois de ser demitido por Trump, Bannon criou um movimento para influenciar direitistas na Europa e na América Latina.
Bannon e Carvalho tiveram dois encontros em janeiro passado. Ambos têm o mesmo histórico: Eles foram inspirados por René Guénon, um ocultista islâmico que fundou a Escola Tradicionalista para promover o conservadorismo esotérico e combater o marxismo. Bannon, Carvalho e Guénon vieram do mesmo histórico católico.
Bannon, Carvalho e Eduardo estão fazendo todo o possível para expandir o movimento guenoniano de Bannon — às custas dos evangélicos que elegeram Bolsonaro.
O grande problema deles é que o astrólogo a quem eles atribuem à vitória de Bolsonaro não tem milhões de seguidores. Em contraste, os evangélicos representam milhões de eleitores no Brasil.
A fanpage de Facebook do astrólogo Olavo tem mais de 500 mil seguidores, praticamente o mesmo número de fãs de Walter Mercado, astrólogo porto-riquenho que ficou famoso na TV brasileira com seu bordão “Ligue Djá!” na década de 1990.
Assim, dizer que um astrólogo brasileiro foi responsável pela eleição do presidente brasileiro é a mesma coisa que dizer que um astrólogo porto-riquenho foi responsável pela eleição do presidente dos EUA.
Somente pessoas sob um poderoso feitiço veem a realidade de maneira invertida. Rasputin mantinha o czar russo sob tal feitiço. É por isso que chamo Carvalho de Rasputin de Bolsonaro. Outros o chamam de “guru de Bolsonaro.” Carvalho rejeita e chama esses nomes de FakeNews.
Agora Carvalho está na situação difícil de acusar o governo Trump de produzir FakeNews depois que a Voz da América (VOA) informou que Bolsonaro estava no domingo na embaixada brasileira em Washington com:
“Bannon e o escritor brasileiro Olavo de Carvalho, que vive nos EUA, considerado o guru ideológico de Bolsonaro.”
VOA, a maior emissora internacional dos EUA, chamou oficialmente Carvalho de “guru ideológico de Bolsonaro.” VOA pertence ao governo dos EUA e transmite as opiniões do governo dos EUA. Então a maior emissora do governo dos EUA transmitiu para o mundo inteiro que Bolsonaro encontra-se dependente de um guru.
Bolsonaro não pode se queixar de que ele foi retratado internacionalmente pelo governo dos EUA como dependente de um guru. Sua decisão de ter Bannon em um jantar exclusivo na embaixada brasileira na véspera de seu encontro com Trump foi uma bofetada na cara de Trump.
E dizer que um astrólogo, não milhões de evangélicos, foi o homem responsável pela eleição de Bolsonaro foi uma bofetada na cara dos evangélicos.
Bannon foi expulso por Trump por oportunismo. Trump disse:
“Steve finge estar em guerra com a mídia, que ele chama de partido de oposição, mas ele passava seu tempo na Casa Branca vazando informações falsas para a mídia para se fazer parecer mais importante do que ele era. Essa é a única coisa que ele faz bem.”
Tal oportunismo é uma descrição perfeita de Carvalho e de como ele e seus adeptos estão tirando vantagem dos evangélicos brasileiros “vazando informações falsas para a mídia” (“sem Olavo, não haveria a eleição de Jair Bolsonaro”) para se fazerem parecer muito mais importantes do que eles são.
Trump fez muito bem ao demitir um oportunista guenoniano: Bannon. Mas Bolsonaro está semeando problemas para si mesmo tornando-se dependente de dois oportunistas guenonianos: Bannon e Carvalho.
Leitura recomendada:

18 de março de 2019

Inimigos dentro da Igreja: pessoas influenciadas pelo ocultismo estão instigando antimarxismo estridente entre evangélicos?


Inimigos dentro da Igreja: pessoas influenciadas pelo ocultismo estão instigando antimarxismo estridente entre evangélicos?

Laços ocultistas e ativismo antimarxista entre os cristãos

Julio Severo
O marxismo é satânico, uma realidade que nenhum cristão que realmente ama a Bíblia e Jesus Cristo duvida. Assim, uma bandeira antimarxista atrai especialmente os evangélicos hoje para a ação conservadora nas guerras culturais.
Muitos concluiriam que somente Deus usaria tal bandeira, de modo que, sempre que é usada, os cristãos conservadores ouvem o chamado para combater o marxismo. Mas nem sempre é assim. Satanás também usa essa bandeira para suas próprias conveniências.
Enquanto esquerdistas e direitistas debatem acaloradamente se Hitler era um esquerdista ou um direitista, em seu livro “A Cruz de Hitler: Como a Cruz de Cristo foi usada para promover a agenda nazista” (Moody Press, 1995), Erwin Lutzer argumenta que Hitler era um homem eminentemente ocultista que era nominalmente católico. Ele também destaca o componente antimarxista na mensagem de Hitler.
Lutzer disse:
“Muitos padres e pastores foram enganados. O Padre Falkan, um padre paroquial católico, disse: Devo confessar que fiquei contente de ver os nazistas chegarem ao poder, pois naquela época senti que Hitler como católico era um homem temente a Deus que poderia combater o comunismo em prol da Igreja Católica… o antissemitismo dos nazistas assim como o antimarxismo deles apelavam para a Igreja Católica.’”
Você também pode ler meu artigo: O antimarxismo estridente de Hitler.
Portanto, nem sempre o antimarxismo tem uma base cristã. Às vezes pode ter uma base duvidosa escondendo um fundo ocultista. E o que a Bíblia diz sobre coisas duvidosas? “Abstende-vos de toda a aparência do mal.” (1 Tessalonicenses 5:22 João Ferreira de Almeida Revista e Corrigida)
Trevor Loudon, um proeminente antimarxista, produziu, em parceria com uma igreja evangélica, o filme “Enemies Within the Church” (Inimigos dentro da Igreja) para alertar os líderes e igrejas cristãs. O problema, a meu ver, é que seu passado, experiência e vínculos não são cristãos, ou cristãos apenas na aparência. O próprio Loudon disse: “Tenho estudado a FAZ de 1976 a 1982, 1986/7 e de 1999 até hoje. Estou adorando meus estudos imensamente no momento e planejo continuar indefinidamente.”
A Filosofia Aplicada Zênite (ZAP) é uma combinação de cientologia, misticismo oriental e as ideias da Sociedade Americana John Birch. O resultado dessa combinação é esoterismo anticomunista. A Sociedade John Birch não parece representar risco, mas definitivamente a cientologia e o misticismo oriental são um risco espiritual, na perspectiva cristã.
Levo o ocultismo muito a sério. Aliás, não vejo o ocultismo como menos ameaçador do que o marxismo, porque a Palavra de Deus leva o ocultismo muito a sério. E como esse termo implica, o ocultismo frequentemente tem realidades obscuras, escondidas e malignas. As pessoas muitas vezes podem ter uma aparência católica e algumas vezes uma aparência evangélica, mas elas têm um envolvimento ocultista, uma influência ocultista.
Um método comum de Loudon é mostrar que se determinado indivíduo exposto por ele tem ligações com marxistas, então ele também é marxista. Segundo ele, como fator incriminador, os laços de uma pessoa são uma evidência de sua real natureza. Concordo com ele. Se isso pode ser aplicado ao marxismo, por que não também ao ocultismo?
Usando a mesma metodologia de Loudon, não posso identificar que os próprios laços dele com ocultistas são uma evidência de sua natureza ocultista?
É fascinante que, em vez de reconhecer que ele estava envolvido na Z.A.P., Loudon disse que ele está “estudando-a” — por muitos anos. Ele participou de reuniões da ZAP com Ian Brackenbury Channell, conhecido como O Mago da Nova Zelândia.
Outro ocultista que diz que “estudou” o ocultismo é Olavo Carvalho, quando seu histórico mostra muito claramente que ele fundou escolas de astrologia e deu aulas de astrologia por anos no Brasil e tem vários livros sobre astrologia, alquimia e ocultismo em português. Eles obviamente pensam que o uso de “estudo” é mais agradável do que envolvimento. Por isso, ambos empregam o método de tratar o “envolvimento” com a palavra inocente “estudo.” Aliás, Loudon está ligado a Carvalho através do Instituto Interamericano (IIA), onde ele é membro. Eles estão “estudando” juntos?
Embora Carvalho, que tem sido um imigrante brasileiro autoexilado nos EUA por 15 anos, diga que fundou o IIA, o verdadeiro fundador é John Haskins, um ex-calvinista que abandonou (e tem atacado) todas as igrejas evangélicas por considerá-las “apóstatas.”
Se há confusão sobre quem fundou o IIA, há muito mais confusão sobre a verdadeira ideologia de Carvalho. Se os americanos pudessem ler português, veriam Carvalho dizendo claramente que ele não é um brasileiro conservador, de direita e de esquerda. Mais confusão do que isso só Hitler, que é acusado simultaneamente de ser um direitista e esquerdista. A realidade é que os ocultistas vivem e falam em estado de confusão e provocam confusão e caos.
Estou muito admirado que Loudon, que é capaz de pesquisar e encontrar qualquer detalhe obscuro de marxistas e suas opiniões em inglês e outras línguas, tenha sido completamente incapaz de pesquisar e encontrar os detalhes sórdidos de Carvalho em português.
Carvalho disse famosamente em setembro de 2018: “As igrejas evangélicas fizeram mais mal ao Brasil do que a esquerda inteira” — insinuando que as igrejas evangélicas precisam ser combatidas muito mais do que o marxismo é combatido. Ele também expressou vários outros comentários antievangélicos. Ele tem insultado os evangélicos, apesar de que eles são a principal força conservadora por trás da vitória de Bolsonaro no Brasil, e eles estão começando a expressar críticas porque o governo Bolsonaro lhes tem dado muito pouco espaço.
“Inimigos Dentro” deixaram os evangélicos obter a vitória para Bolsonaro e, em seguida, usaram e surfaram na onda da vitória evangélica conservadora para se proclamarem como “salvadores.”
E o que o Loudon tem feito por Carvalho? O site da Loudon tem mais de 1.000 menções de Carvalho, conforme registrado pelo Google. Seus laços não estão falando; estão gritando.
Se Loudon consegue juntar os pontos entre dois homens por causa de seus laços marxistas comuns, por que não posso juntar os pontos por causa dos laços entre Loudon e Carvalho? Se ele é tão cuidadoso com os laços dos marxistas que ele expõe, por que ele é tão descuidado com seus próprios laços?
Mesmo que Carvalho pudesse apontar seus adeptos protestantes como evidência de que ele não é antievangélico, os socialistas fazem a mesma coisa. Aliás, embora o Partido dos Trabalhadores seja um partido socialista brasileiro que em suas posturas pró-aborto e pró-homossexualismo é anticristão, eles também apontam para seus muitos apoiadores católicos e poucos apoiadores protestantes como evidência de que eles não são anticatólicos e antiprotestantes. Ariovaldo Ramos, ex-presidente da filial brasileira da Visão Mundial, é o mais proeminente defensor protestante do Partido dos Trabalhadores.
Em ambos os casos — Carvalho e Partido dos Trabalhadores —, os seus adeptos protestantes são evidência de que existem “Inimigos dentro da Igreja.”
Então Carvalho, que luta contra o marxismo, também luta contra o protestantismo. E Loudon está ligado a ele. É esse o tipo de aparência do mal da qual Deus nos orienta a se abster?
Jesus também nos ensinou a “vigiar e orar.” Vigiar é observar atentamente a fim de verificar se há perigos, ou aparências do mal, ou “Inimigos dentro da Igreja.”
Só orar não é suficiente. É necessário também observar e verificar bem de perto o que você está vendo.
Antes de produzir “Inimigos dentro da Igreja,” Loudon produziu o filme “Inimigos Dentro,” que também deu destaque para… Carvalho. Por sua vez, Carvalho disse que Loudon é “de longe, o maior conhecedor mundial da hegemonia comunista.”
Um “estudante” do ocultismo elogiando outro “estudante” do ocultismo. Ocultistas sempre elogiam ocultistas. E Loudon não é o único “estudante” do ocultismo que elogiou Carvalho. Wolfgang Smith e Steve Bannon também o elogiaram. Bannon é hoje persona no grata no governo dos EUA depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, o expulsou da Casa Branca, chamando-o de oportunista e divulgador de informações confidenciais.
Ao chamar Bannon, um conservador guenoniano, de oportunista, Trump definiu muito bem os conservadores guenonianos, inclusive Carvalho, que se retrata como o homem por trás da atual onda conservadora no Brasil, quando a realidade aponta para os evangélicos e seu tradicional conservadorismo. Aliás, ele treina seus adeptos para vê-lo como um “salvador” contra o marxismo.
Bannon, Smith e Carvalho têm o mesmo histórico: Eles foram inspirados por René Guénon, um ocultista islâmico que fundou a Escola Tradicionalista para promover o conservadorismo esotérico e combater o marxismo. Quando é que eles vão dizer que Guénon também “estudava” o ocultismo? Bannon, Smith, Carvalho e Guénon vieram do mesmo histórico católico.
Eu chamo sua influência de “Inimigos Dentro da Igreja” ou aparência do mal.
Eu chamo as ligações de Loudon com Carvalho e seu histórico ocultista “Inimigos Dentro da Igreja” ou aparência do mal.
Mas há uma diferença. Enquanto os esquerdistas entre os cristãos são honestos sobre suas inclinações esquerdistas, os ocultistas entre os cristãos nunca admitem aos cristãos que eles estão envolvidos em ocultismo. Eles sempre conseguem encontrar uma desculpa elegante. “Estudo” é apenas um dos muitos subterfúgios. Se os marxistas entre os cristãos são “Inimigos Dentro da Igreja,” o que são os ocultistas entre os cristãos? Inimigos Secretos Dentro da Igreja? Não são eles piores que os marxistas porque escondem sua natureza ocultista e usam o antimarxismo para se apresentarem como melhores que os marxistas?
Como pode uma igreja evangélica fazer uma parceria com um homem com um envolvimento e histórico ocultista para produzir o filme “Inimigos Dentro da Igreja” para alertar os cristãos enquanto eles estão, ao mesmo tempo, ignorando “Inimigos Dentro da Igreja” em seus laços ocultistas?
Como pode uma igreja evangélica fazer uma parceria com um homem com um envolvimento e histórico ocultista sem proclamar o Evangelho do Reino de Deus para ele e expulsar seus demônios?
Como pode uma igreja evangélica fazer uma parceria com um homem com ligações com um imigrante brasileiro que critica o protestantismo e os evangélicos?
Carvalho é desconhecido nos EUA, mas suas opiniões antiprotestantes são muito conhecidas no Brasil, inclusive sua afirmação: “O Protestantismo nasceu do ódio e da sêde de sangue. Sua inspiração cristã é ZERO.”
Por “Inimigos Dentro da Igreja” vejo o marxismo e o ocultismo infiltrados na Igreja. Tenho lutado contra ambos há anos. Combato suas ideologias marxistas e ocultistas, mas estou sempre aberto para ajudá-los, porque Jesus Cristo tem capacitado cada cristão a expulsar demônios de pessoas, até mesmo de pessoas que têm uma aparência cristã, mas estão envolvidas (“estudando”) ocultismo ou marxismo.
Qualquer contato entre um cristão e um ocultista deve ser uma oportunidade para a libertação do ocultista oprimido, não para o ocultista usar a igreja para suas atividades.
Os cristãos devem ser espiritualmente inteligentes em seus contatos com os ocultistas, mas alguns são negligentes. Há mais de 24 anos, uma família presbiteriana me convidou para uma reunião. Todos eles, cerca de 7 pessoas, haviam nascido na Igreja Presbiteriana. Conversei com eles sobre o que Jesus poderia fazer por eles através do Espírito Santo e, conforme fui guiado espiritualmente, expliquei sobre o perigo de ir a lugares espíritas.
Há lugares espiritas com grandes auditórios no Brasil que são usados para os médiuns espíritas canalizarem seus espíritos durante suas reuniões religiosas e também para eventos sociais, como um palestrante espirita tratando dos males do abuso de drogas. Não há nada de errado em convidar as pessoas ao redor da cidade para ouvir uma palestra contra as drogas. Mas o lugar é um lugar de demônios.
Eu disse justamente isso aos presbiterianos reunidos para me ouvir: Um lugar espírita é um lugar de demônios. Eles disseram que rejeitavam os médiuns e as crenças espíritas, mas acrescentaram que ir às reuniões sociais deles contra as drogas não representava nenhum risco espiritual.
Então eu os desafiei: “Vamos dar ao Senhor a oportunidade de mostrar o que está oculto. Vamos orar e Ele vai mostrar.” Em seguida, pedi que fechassem os olhos e orassem. Em minha oração audível, convidei o Espírito Santo a tornar real a Sua presença. Muito rápido, alguns deles começaram a passar mal e vomitar. Eles disseram que estavam sentindo uma presença ruim dentro deles.
Expliquei que a “presença ruim” dentro deles não era obviamente o Senhor. Foi o que eles receberam quando foram ao lugar espírita, que ninguém que vai a esses lugares sai sem receber algo dentro. Eu disse que o Espírito Santo revelou o que estava oculto: Influência demoníaca. Eles entenderam. Eu lhes disse para nunca ir a tais lugares, exceto para pregar o Evangelho, e eu continuei a expulsar as influências demoníacas deles.
Loudon, Carvalho e Bannon precisam de libertação. O ocultismo não é apenas um interesse intelectual que você pode escolher e sair imediatamente. Os espíritos nunca deixam o indivíduo envolvido, por interesse ou não, no ocultismo. O ocultismo não é meramente uma filosofia, é um envolvimento demoníaco. Com libertação, eles deixarão de enganar a si mesmos e aos outros ao não reconhecerem que o que estão fazendo não é apenas “estudo,” é um envolvimento demoníaco.
É impossível tocar em fogo sem ser queimado. É impossível entrar no fogo sem ser gravemente queimado. Loudon entrou no fogo. Os demônios não o deixarão até que sejam expulsos adequadamente e até que ele receba um discipulado apropriado.
Jesus passou muito tempo pregando o Evangelho, curando os doentes e expulsando os demônios. Você já imaginou que quando Jesus estava expulsando demônios, conforme registrado no Novo Testamento, Ele não estava fazendo isso para o povo pagão, mas para o povo judeu que participava das reuniões semanais de leitura da Bíblia? Havia muitos pagãos que adoravam demônios no tempo de Jesus, mas Ele não expulsou demônios deles. Ele expulsou demônios de pessoas que ouviam a Bíblia toda semana — mas, certamente, estavam envolvidas (“estudando”) em algumas coisas sérias!
As reuniões judaicas eram radicalmente conservadoras e tradicionalistas. Nenhum deles apoiaria o aborto e a homossexualidade. Nunca.
Se a mera presença nominal em reuniões de Bíblia, as quais são cheias de Bíblia, mas não do Espírito Santo, pode abrir você para demônios, adivinhe o que acontece quando você se envolve (“estuda”) no ZAP ou em outras reuniões ocultistas!
Mero compromisso religioso não é suficiente para manter os demônios longe ou fora. É necessário estar cheio da Palavra de Deus e do Espírito Santo.
Essa é a razão pela qual recomendo o livro “Power Evangelism.” de John Wimber, publicado por HarperCollins, para ajudar os cristãos a compreender realidades espirituais profundas e capacitá-los a ajudar as pessoas oprimidas.
O ocultismo, que a Bíblia chama de feitiçaria, é pior do que o marxismo. Se você for a uma reunião marxista, você não se torna um marxista. Mas se você for a apenas uma reunião ocultista, você nunca sairá sem um ou mais demônios e sua influência. E se você faz isso há anos, como é o caso de Loudon, definitivamente existem demônios.
Os cristãos não devem santificar indivíduos e movimentos ocultistas só porque lutam contra o marxismo. O Rev. Moon e sua seita lutavam contra o marxismo e tinham laços estreitos com o Partido Republicano e os conservadores dos EUA. Mas eles causaram grande destruição espiritual e psicológica em inúmeras famílias. Eles levaram as pessoas ao inferno.
Nessa perspectiva, há “Inimigos Dentro de Loudon” e há “Inimigos Dentro de Bannon” e há “Inimigos Dentro de Carvalho” e há “Inimigos Dentro da Seita do Rev. Moon” e através deles e suas atividades “conservadoras” nas igrejas, há “Inimigos Dentro da Igreja.”
Se uma igreja quiser lutar contra o marxismo sem vigiar e orar, ela ignorará as aparências do mal e não expulsará os demônios de pessoas com um passado ocultista. Ela até permitirá que essas pessoas a conduzam ao ativismo antimarxista. Não é isso também “Inimigos Dentro da Igreja”?
Ocultistas e pessoas com laços ocultistas têm, por causa da luta antimarxista, sido tratados com muita delicadeza entre os evangélicos conservadores. Acabei de ver um amigo elogiando Trevor Loudon. Ele faz um trabalho surpreendente contra a Coalizão pelo Evangelho, expondo seu flerte com a agenda gay. Mas, por amor ao conservadorismo, ele é incapaz de ver flertes evangélicos com ocultistas ou pessoas com laços ocultistas.
Entendo a preocupação dele sobre o flerte evangélico com a agenda gay. Essa é a razão pela qual escrevi um artigo intitulado “Ed Shaw, Coalizão pelo Evangelho (Gospel Coalition) e sentimentos homossexuais: o que eles dizem e o que Jesus disse,” sobre a Coalizão pelo Evangelho. E também entendo os perigos de flertar com ocultistas e pessoas com laços ocultistas. Essa é a razão pela qual eu escrevi este artigo.
Expulsar demônios, dentro e fora das igrejas, é tão importante quanto proclamar o Evangelho do Reino de Deus. Aliás, isso é tão importante que Jesus passava o tempo apenas fazendo isso. Pregar o Evangelho sem expulsar demônios não é o Evangelho de forma alguma.
Os marxistas precisam desse ministério. E os antimarxistas com histórico ocultista também precisam dele.
Afinal, Jesus veio para salvar marxistas e antimarxistas. E ele veio para salvar esquerdistas e direitistas, quer eles tenham um histórico cristão ou ocultista.
“Inimigos dentro da Igreja” não têm chance de enganar os cristãos quando os cristãos estão em comunhão com o Espírito Santo e Sua Palavra, pregando o Evangelho do Reino de Deus, curando os doentes e expulsando os demônios.
Leitura recomendada: