10 de fevereiro de 2019

Papa Francisco e líder islâmico sunita assinam pacto que nos imporá a religião mundial


Papa Francisco e líder islâmico sunita assinam pacto que nos imporá a religião mundial

Michael Snyder
Um pacto histórico inter-religioso foi assinado no Oriente Médio na segunda-feira, e a grande mídia nos Estados Unidos tem estado quase completamente em silêncio sobre isso. O xeique Ahmed al-Tayeb é considerado o líder mais importante do islamismo sunita, e chegou à cerimônia de assinatura em Abu Dhabi com o papa Francisco “de mãos dadas em um símbolo de fraternidade inter-religiosa.” Mas isso não foi apenas uma cerimônia para católicos e muçulmanos. Segundo uma fonte de notícias britânica, a assinatura desse pacto foi feita “diante de uma audiência global de líderes religiosos do cristianismo, islamismo, judaísmo e outras religiões”:
O papa e o grande imame de al-Azhar assinaram uma declaração histórica de fraternidade, pedindo a paz entre nações, religiões e raças, diante de uma audiência global de líderes religiosos do cristianismo, islamismo, judaísmo e outras religiões.
O papa Francisco, líder dos católicos do mundo, e o xeique Ahmed al-Tayeb, diretor da mais prestigiada instituição de ensino do islamismo sunita, chegaram à cerimônia em Abu Dhabi de mãos dadas em um símbolo de fraternidade inter-religiosa.
Em outras palavras, houve um esforço conjunto para garantir que todas as religiões do mundo estivessem representadas nesse encontro.
De acordo com o site oficial do Vaticano, uma enorme quantidade de preparação foi investida na elaboração desse documento, e incentiva os crentes de todas as religiões a “apertar as mãos, abraçar uns aos outros, beijar uns aos outros e até rezar” uns com os outros:
O documento, assinado pelo papa Francisco e pelo grande imame de al-Azhar, Ahmed el-Tayeb, foi preparado “com muita reflexão e rezas,” disse o papa. O único grande perigo neste momento, continuou ele, é a “destruição, guerra, ódio entre nós.”
“Se nós crentes não formos capazes de apertar as mãos, nos abraçarmos, nos beijarmos e até rezarmos, nossa fé será derrotada,” disse ele. O papa explicou que o documento “nasce da fé em Deus, que é o Pai de todos e o Pai da paz; condena toda a destruição, todo o terrorismo, desde o primeiro terrorismo da história, o de Caim.”
Há muita linguagem sobre a paz nesse documento, mas faz muito do que de apenas defender a paz.
Repetidas vezes, a palavra “Deus” é usada para identificar simultaneamente Alá e o Deus do cristianismo. Aqui está apenas um exemplo…
Nós, que acreditamos em Deus e no encontro final com Ele e Seu julgamento, com base em nossa responsabilidade religiosa e moral, e através deste Documento, convocamos a nós mesmos, os líderes mundiais, bem como os arquitetos da política internacional e da economia mundial, para trabalhar tenazmente para disseminar a cultura da tolerância e da convivência pacífica; intervir na primeira oportunidade para parar o derramamento de sangue inocente e pôr fim às guerras, conflitos, decadência ambiental e ao declínio moral e cultural que o mundo está experimentando atualmente.
Além disso, o documento também declara corajosamente que “a diversidade de religiões” que vemos no mundo foi “desejada por Deus”:
A liberdade é um direito de toda pessoa: cada indivíduo desfruta da liberdade de crença, pensamento, expressão e ação. O pluralismo e a diversidade de religiões, cor, sexo, raça e linguagem são determinados por Deus em Sua sabedoria, através da qual Ele criou os seres humanos. Essa sabedoria divina é a fonte da qual deriva o direito à liberdade de crença e a liberdade de ser diferente. Portanto, o fato de as pessoas serem obrigadas a aderir a uma determinada religião ou cultura deve ser rejeitado, assim como a imposição de um modo de vida cultural que os outros não aceitam;
Em essência, isso é dizer que é a vontade de Deus que existam centenas de religiões diferentes no mundo e que elas sejam todas aceitáveis aos olhos dEle.
Sabemos que a elite quer uma religião mundial, mas ver os clérigos mais importantes, tanto do catolicismo quanto do islamismo, fazer um esforço público tão dramático para isso é absolutamente impressionante.
Você pode encontrar o texto completo do pacto que eles assinaram no site oficial do Vaticano, neste link.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês da revista Charisma: Pope Francis, Leading Imam Sign Covenant Pushing Us Toward One-World Religion
Leitura recomendada sobre Papa Francisco:
Leitura recomendada sobre islamismo:
Leitura recomendada sobre islamismo sunita:

11 comentários :

Marcelo Victor disse...

ESSA É PRA TODOS AQUELES QUE DUVIDAM QUE A BÍBLIA É A PALAVRA DE DEUS, E, COMO TAL, A MAIS PURA VERDADE.

Geordano disse...

Quando vos afirmarem: “Paz e segurança!”, eis que repentina destruição se precipitará sobre eles, assim como “as dores de parto” tomam uma mulher grávida, e de forma alguma encontrarão escape. Revestir-se de Cristo e vigiar

Junior Melo disse...

Algum católico de sã consciÊncia e de coração aberto a JEsus duvida ainda que o papado é o regime de onde sairá o falso profeta que se aliará ao anti -cristo? Como alguém póde conciliar o Evangelho de Jesus com esse tipo d e religião mentirosa?

Leony disse...

David Wilkerson relata no livro "A Visão" que uma espécie de religião mundial seria criada. Júlio, sei que não tem muito haver com a postagem, mas muitos tem chamado a monstra Dâmares de mentirosa quando ela disse que havia uma cartilha pró pedofilia vinda da Holanda. Sei que aqui no teu blog tem uma reportagem falando sobre isso. Se vc tiver acesso a ela, envia o link do teu artigo.

Pastor Raimundo (Igreja do Evangelho Quadrangular) disse...

A todos os leitores e comentaristas deste abençoado blog

Amados irmãos e irmãs,

Em relação ao anticristo, eu diria o seguinte: sabemos que não vai demorar muito para que o anticristo seja revelado ao mundo, já que isto está previsto na Palavra de Deus e, portanto, será inevitável. É como disse o apóstolo Paulo:

"Pois o ministério da injustiça já opera; há somente um que ainda resiste, até que do meio seja tirado; E então será revelado o iníquo, o qual o Senhor desfará com o assopro de Sua boca, e aniquilará pelo resplendor de Sua vinda; A esse cuja vinda é conforme a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais e prodígios de mentira; E com todo engano da injustiça para aqueles que perecem, pois não receberam o amor da verdade para que se salvassem. E é por isso que Deus lhes mandará a operação do erro, para que acreditem na mentira; Para que sejam julgados todos aqueles que não creram na verdade, antes sentiram prazer na iniqüidade" (2 Tessalonicenses 2:7–12)

A tendência natural das coisas é que o mal reine de forma absoluta até a volta de Jesus, até porque, como a própria Bíblia diz, "o mundo jaz no maligno" (1 João 5:19). Logo, a nossa obrigação, como cristãos, é resistir ao pecado e continuar a pregar as verdades da Palavra de Deus enquanto ainda podemos (ou enquanto ainda dispomos de uma relativa liberdade para protestarmos contra as obras das trevas e suas leis). Porém, quando elas, através da NOM (Nova Ordem Mundial), assumirem o controle total do pouco de liberdade que ainda nos resta, será suicídio tentar enfrentá-las de igual para igual. Em outras palavras: quando a NOM for imposta, aquele que tentar se manifestar contra ela será perseguido e morto!

E mais: dizer não ao governo mundial que será imposto num futuro não muito distante é assinar a própria sentença de morte. Sabemos que este mesmo governo perseguirá e matará todos os cristãos que encontrar pela frente. Por que isso? Porque a perseguição aos cristãos (e a conseqüente morte deles) já está prevista na Palavra de Deus, e, portanto, será inevitável. A Palavra de Deus tem que se cumprir. Deus não é homem para que minta, e nem tampouco filho do homem para que Se arrependa (Números 23:19). O que Deus determinou na Sua Palavra nunca voltará atrás. O próprio Deus disse com todas as letras:

"Assim será a Minha palavra que sair da Minha boca: ela não voltará vazia para Mim; antes fará o que Me apraz, e prosperará naquilo para que a enviei" (Isaías 55:11)

Nas épocas do Império Romano e da Inquisição, milhões de cristãos foram perseguidos e mortos de todas as formas possíveis. E hoje não é diferente: a perseguição aos cristãos ainda continua (e de forma até mais cruel). Para que maior prova disso do que a perseguição aos cristãos que se recusam a obedecer ao "politicamente correto" do governo e dos homossexuais? Isso sem contar as perseguições e mortes de muitos cristãos em países islâmicos e muçulmanos (e em outros onde a Bíblia é proibida)!

Diante disso, não temos escolha: ou assumimos de vez um compromisso sério com a obediência total e irrestrita à Palavra de Deus (mesmo colocando a nossa própria vida em risco), ou seremos obrigados a aceitar a submissão ao anticristo para sobreviver.

Portanto, ainda que tenhamos que morrer por amor a Jesus e à verdade da Sua Palavra, temos que deixar bem claro a tudo e a todos que pertencemos somente a Jesus (e que nada nem ninguém jamais vai nos separar Dele). Novamente o apóstolo Paulo se manifesta:

"Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, a angústia, a perseguição, a fome, a nudez, o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor a Ti, somos entregues à morte todos os dias; Fomos considerados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores por Aquele que nos amou" (Romanos 8:35–37)

Que estas palavras façam com que todos permaneçam fiéis ao Senhor Jesus (e à Sua Palavra) até a morte (ou até a volta Dele).

Terezinha disse...

Sim, sou católica. O último papa vai ser um papa negro, ou seja do mal, vai vir como ovelha em pele de lobo. O anti Cristo já esta as portas do Vaticano. Mas não quero crer que seja o Papa Francisco..Que Deus nos guarde.


Anônimo disse...

MARATANA!!!!

Unknown disse...

Sou Membro de uma Igreja Batista e como conhecedor da verdade não posso afirmar tal coisa. Pelo contrário acredito até que possa sair do nosso convívio, não duvido que seja um pastor. O que sei é que, a influência dele será grande não se estendendo somente a igreja católica.

Unknown disse...

Anti-Cristo é todo aquele que se opõe a Cristo e se coloca no lugar dele. O livro de Daniel fala sobre aquele que "perdoa pecado e fala palavras de blasfêmia" e tb diz "que perseguirá os remanescentes". Não há relato na historia da humanidade outra pessoa que fez tal coisa e ainda faz, O SISTEMA PAPAL. Em Apocalipse fala que seu reinado será restaurado (politicamente), e o atual papa esta se fortalecendo e unindo os países e religiões para implementar seu reinado.

Anônimo disse...

E a pergunta que não quer calar...Quanto tempo resta até que a igreja seja removida da terra? Quem estuda e conhece as Escrituras como elas devem ser lidas(texto dentro de seu contexto e observando a verdade por trás das figuras de linguagem), sabe muito bem o quanto estamos por um triz..Mas enquanto o momento glorioso do encontro do Nosso único e Amado Senhor nos ares não chega; vamos pregando o amor de Cristo e o amor do Pai em pô-lo na cruz em nosso lugar e em nosso favor...para que todo aquele que nele crê não pereça mas tenha a vida eterna. Jo 3:16
Glorifiquem a Cristo com a sua vida no meio dos incrédulos, dentro de casa, fora dela, na igreja. Espelhe Jesus submetendo sua vontade ao Espírito de Deus, Ele auxiliará o teu espírito nesta luta interna contra o pecado.

Nathalia disse...

Julio se você puder fala sobre a teoria do pós tribulacionismo que a maioria dos calvinistas reformados defendem.