8 de fevereiro de 2019

Holocausto? Que holocausto? diz site egípcio


Holocausto? Que holocausto? diz site egípcio

Desde o início da ocupação alemã em 1944, judeus e ciganos (Roma) foram deportados para o campo de concentração de Auschwitz-Birkenau.
Holocausto? Que holocausto?
Essa é a atitude do colunista egípcio Wasim ‘Afifi, que alega que a mídia inflou o Holocausto por causa de uma conspiração de propaganda da Rússia para enegrecer as imagens da Alemanha e do Ocidente, que queriam estabelecer um Estado para os judeus na Palestina, informa o Centro de Pesquisa de Mídia do Oriente Médio.
Auschwitz, segundo Afifi, não era um campo de concentração, mas uma fábrica de fazer pesticidas. E os crematórios eram para queimar os corpos das vítimas de tifo.
Escrevendo para o portal de notícias egípcio Elmwatin.com, ele disse que a visão de mundo sobre Auschwitz veio da propaganda da Rússia, que controlava o campo e fabricou provas falsas depois da guerra.
O colunista egípcio afirmou que a alegação de que os nazistas mataram 6 milhões de judeus não faz sentido.
“Os historiadores apontam que, em 1938, havia 16,5 milhões de judeus no mundo, e que uma década depois, isto é, em 1948, havia 18,5 milhões de judeus no mundo,” escreveu ele.
“Supondo-se, por uma questão de argumento, que seis milhões de judeus foram aniquilados durante a Segunda Guerra Mundial, é inconcebível que os 10 milhões restantes tenham se reproduzido a uma taxa que se tornaria 18 milhões uma década depois. Isso é contrário às leis da estatística e ao crescimento da população humana [taxa].”
Ele insistiu em que não há documentos oficiais que provam que os nazistas tinham uma política de exterminar os judeus. O plano alemão, segundo ele, era criar uma pátria judaica em Madagascar, mas “dificuldades técnicas” os levaram a usar os judeus como trabalhadores.
As fotografias históricas de internos dos campos de concentração com costelas salientes de fome? Eram simplesmente esforços dos alemães para “mostrar a extensão da fome e do tifo na Alemanha nos últimos anos da guerra,” afirmou Afifi.
Ele disse que, junto com a União Soviética, o Ocidente era “parceiro nessa conspiração,” promovendo a ideia de estabelecer o Estado de Israel como a pátria dos judeus.
No entanto, o site History.com aponta que os próprios nazistas documentaram sua “Solução Final” para os judeus.
“A partir do final de 1941, os alemães começaram os transportes em massa dos guetos na Polônia para os campos de concentração, começando com as pessoas consideradas como as menos úteis: os doentes, velhos e fracos e os muito jovens. Os primeiros assassinatos por gás em massa começaram no campo de Belzec, perto de Lublin, em 17 de março de 1942. Mais cinco centros de extermínio em massa foram construídos em campos na Polônia ocupada, inclusive Chelmno, Sobibor, Treblinka, Majdanek e o maior de todos, Auschwitz-Birkenau. De 1942 a 1945, os judeus foram deportados para os campos de toda a Europa, inclusive territórios controlados pelos alemães, bem como os países aliados da Alemanha. As deportações mais pesadas ocorreram durante o verão e o outono de 1942, quando mais de 300.000 pessoas foram deportadas apenas do gueto de Varsóvia,” disse a History.com.
“Embora os nazistas tentassem manter a operação dos campos em segredo, a escala do assassinato tornou isso praticamente impossível.”
Auschwitz, explicou, era na verdade uma “operação industrial em larga escala” que se concentrou em assassinar “mais de dois milhões de pessoas.”
“Até 12.000 judeus eram mortos todos os dias.”
Traduzido por Julio Severo do original em inglês do WND (WorldNetDaily): Holocaust? What Holocaust? says Egyptian website
Leitura recomendada:

Nenhum comentário :