11 de janeiro de 2019

Bolsonaro entregou governo nas mãos de olavetes, de acordo com a BBC


Bolsonaro entregou governo nas mãos de olavetes, de acordo com a BBC

Julio Severo
“A influência de Olavo na montagem do governo supera a da bancada evangélica, cujo eleitorado foi crucial na vitória de Bolsonaro, mas recebeu um único ministério (Mulher, Família e Direitos Humanos),” disse a BBC em seu serviço noticioso de língua portuguesa.
A reportagem da BBC, intitulada “Quem são os discípulos de Olavo de Carvalho que chegaram ao governo e Congresso,” não deixa dúvidas de que os adeptos do astrólogo Olavo são, de longe, a força mais controladora e dominante no governo Bolsonaro.
A BBC começou sua reportagem mencionando o entusiasmo de Josias Teófilo, que disse: “Vivi para ver um filósofo indicar mais gente para o governo do que o PMDB.” Mais que filósofo, Carvalho tem raízes tão ocultistas quanto Josias, que é adepto da teosofia. Um pouco desse espiritualismo sobressaiu no documentário produzido por ele em louvor a Carvalho, “O Jardim das Aflições.”
Embora sejam profundamente esotéricos, Josias identificou Carvalho como monarquista ao dizer para a BBC: “Quem diria que um monarquista se tornaria um dos homens mais influentes da República.”
A julgar pela alegria de Josias e Carvalho, a monarquia deve ter sido muito favorável aos esotéricos. Mas judeus e evangélicos, que viviam sob liberdade controlada e quase não tinham liberdade de expressão durante a monarquia, não têm o mesmo entusiasmo. Se pois esotéricos e bruxos guardam boas lembranças da monarquia, judeus e evangélicos nem tanto.
Contudo, a pergunta importante é: Como Bolsonaro, que foi eleito crucialmente por uma população evangélica conservadora, acabou entregando quase tudo nas mãos de um astrólogo profissional que mente pelos quatro cantos da boca ao afirmar que o cigarro não faz mal, que a Inquisição, que torturava e matava judeus, é mito, lenda e mentira e que os protestantes dos EUA — entre os quais ele adora viver como imigrante — são inventores de mentiras?
Os maiores jornais dos EUA e de Israel já confirmaram que os evangélicos deram a vitória a Bolsonaro.
Até mesmo olavetes confirmam que foram os evangélicos, não os olavetes, que foram a resistência principal que não deixou o Brasil cair no comunismo. A olavete Claudia Wild reconheceu publicamente nesta semana que “graças aos evangélicos o Brasil não se tornou um antro 100% socialista.”
O que foi que deu errado então que os evangélicos deram tudo para Bolsonaro e ele deu quase tudo para um astrólogo que disse descaradamente que “As igrejas evangélicas fizeram mais mal ao Brasil do que a esquerda inteira”?
Lendo a reportagem da BBC, a única imagem que os eleitores evangélicos de Bolsonaro poderiam ter é a imagem de um jumento com a placa “OTÁRIO” em cima da cabeça. Eu sou um desses eleitores. Fomos todos usados para que Bolsonaro fosse usado para o projeto de poder político e espiritualista do astrólogo Olavo.
A representatividade dos evangélicos, em comparação com olavetes, é quase nula no governo Bolsonaro. A única ocupação evangélica num cargo elevado no governo Bolsonaro é no Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, o qual está nas mãos da Pra. Damares Alves, que tem agido com muitíssima competência.
A BBC disse: “Há ‘olavetes’ — como ele próprio já se referiu aos seguidores — com postos no Palácio do Planalto e em três ministérios: Educação, Relações Exteriores e Economia.”
Na Câmara dos Deputados, Olavo tem cinco adeptos — presença discreta, mas que vai crescer, pois o PSL, partido de Bolsonaro, está implementando seu plano de levar em romaria seus 52 deputados eleitos aos EUA para serem doutrinados pelo astrólogo Olavo. A meta de Bolsonaro é doutrinar todos os políticos de seu partido no olavismo.
A BBC identificou os seguintes adeptos do olavismo no governo Bolsonaro:

Governo Federal

Ernesto Araújo, ministro das Relações Exteriores. Por onde ele vai, ele faz propaganda do astrólogo. No seu discurso de posse, ele elogiou o astrólogo. Você pode ler mais sobre ele neste artigo: “Política externa brasileira: do marxismo ao ocultismo.”
Filipe Martins, assessor da Presidência para Assuntos Internacionais. É considerado um dos adeptos mais fanáticos do astrólogo. Aos 31 anos, desempenha papel equivalente ao que o professor Marco Aurélio Garcia (1941-2017) tinha nos governos Lula e Dilma.
Ricardo Vélez Rodriguez, ministro da Educação. No discurso de posse, ele disse que sua gestão se inspirará em Olavo de Carvalho. Você pode ler mais sobre ele aqui: “Novo ministro da Educação: hostil ao socialismo e Trump, amistoso com Bolsonaro e Hillary.”
Carlos Nadalim, secretário de Alfabetização do Ministério da Educação (MEC). Aluno do Curso Online de Filosofia (COF) de Carvalho, Nadalim era até a nomeação coordenador pedagógico de uma mera escola infantil, Mundo do Balão Mágico, em Londrina (PR), e mantinha um blog com dicas sobre a educação infantil.
Murilo Resende Ferreira, diretor de Avaliação da Educação Básica do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) do MEC. Aluno de Carvalho desde 2009, a quem se refere como “meu grande professor.” No MEC, supervisionará a elaboração do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).
Adolfo Sachsida, secretário de Política Econômica do Ministério da Economia. Em 2016, Olavo e Sachsida gravaram um vídeo juntos.

Câmara dos Deputados

Bia Kicis (PRP-DF), deputada federal eleita. Ela já foi aluna no Curso Online de Filosofia (COF) e se refere a Olavo como “nosso querido Mestre.” Para ela, Carvalho “é um grande Pai de muitos brasileiros.” Kicis é mestre em Reiki, uma modalidade de ocultismo tibetano, também conhecido entre evangélicos como Nova Era.
Joice Hasselmann (PSL-SP), deputada federal eleita.
Paulo Martins (PSC-PR), deputado federal eleito. É aluno de Carvalho, que ele considera “o grande responsável pelo início da reação cultural do Brasil.” Quando era comentarista do Jornal da Massa, transmitido pelo SBT no Paraná, Martins recomendou no programa o livro “O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota,” de Olavo.
Marcel van Hattem (Novo-RS), deputado federal eleito. Aluno de Carvalho.
Carla Zambelli (PSL-SP), deputada federal eleita.
Fieis a comportamentos de seguidores de seita, os adeptos do astrólogo Olavo não cansam de promovê-lo, falando no nome dele em todas as oportunidades, tal qual um muçulmano fala de Maomé.
Mas quem é de fato Olavo de Carvalho, adorado por seus adeptos como o maior filósofo do universo?

Esoterismo islâmico e astrologia

Olavo de Carvalho, hoje com 71 anos, vive auto-exilado como imigrante nos EUA desde 2005, supostamente por receber ameaças de morte do PT todas as semanas. Apesar dos grandes esforços dele, ele não conseguiu obter fama nos EUA, sendo conhecido quase que exclusivamente por grupos esotéricos americanos. Wolfgang Smith é um desses esotéricos.
Sem jamais ter se formado na universidade, Carvalho criou um Curso Online de Filosofia (COF) pelo qual, segundo ele, já passaram 12 mil alunos, alguns dos quais foram nomeados para os cargos mais importantes no governo Bolsonaro, em detrimentos dos evangélicos e outros eleitores. O COF, que cobra uma mensalidade, não dá diploma e é interminável. Há alunos “estudando” há dez anos. Nas décadas de 1970 e 1980, antes de se envolver em ativismo político, Carvalho era membro de uma tariqa (ordem mística muçulmana) e trabalhava como astrólogo profissional em São Paulo, cobrando cursos e escrevendo livros.
Hoje Carvalho se define como “católico,” assim como seu núcleo principal de olavetes — embora critique com frequência o papa Francisco, que já chamou de “lelé da cuca.”
Qualquer ocultista, desde “João de Deus” até Olavo de Carvalho, faz sucesso no Brasil, desde que tenha uma boa lábia.
Tudo isso é muito estranho no governo Bolsonaro, que se gaba de imitar Trump. Mas isso está longe da realidade. Trump expulsou da Casa Branca Steve Bannon, chamando-o de oportunista. Bannon é adepto do bruxo islâmico René Guénon, seguido e recomendado por Carvalho.
Enquanto Trump expulsou o ocultista oportunista, Bolsonaro não só mantém o seu ocultista oportunista como conselheiro, mas ainda traz os oportunistas do oportunista para inundarem seu governo.
Com informações da BBC.
Leitura recomendada sobre governo Bolsonaro:
Leitura recomendada sobre o astrólogo Olavo de Carvalho:
Leitura recomendada sobre olavetes:

3 comentários :

Alexandre Costa disse...

Embora eleito pela maioria evangélica, Bolsonaro é católico, e como católico seu DNA é idólatra, e como idólatra acredita em todas as abominações condenadas pela Bíblia, por isso nenhuma dessas nomeações que ele fez ou vier a fazer me surpreenderá.

Anônimo disse...

A parte do texto no começo com link: “Quem são os discípulos de Olavo de Carvalho que chegaram ao governo e Congresso”. Está inválido, e não abre. Somente para informar.
Ótima matéria.

Anônimo disse...

Graças a Deus não me envolvi com essa politica suja brasileira, nem com um lado nem com outro e agora tenho minha consciência livre de pesos. O que vejo desde 2018 é uma grande perseguição a igreja evangélica e seus lideres incapazes de entender a prudência e a sabedoria e envoltos no mar da politica. Que o Senhor nos ajude.