13 de dezembro de 2018

Rússia isolada e o Policial do Mundo


Rússia isolada e o Policial do Mundo

Julio Severo
Em sua campanha presidencial de 2016, o então candidato Donald Trump indicou várias vezes sua intenção de parceria com a Rússia, especialmente contra o terrorismo islâmico. Tal intenção encorajou os russos e enfureceu os ativistas anti-russos.
Por causa da enorme pressão dos neocons, a quem Trump se opunha, a parceria sonhada e esperada nunca aconteceu.
Em 2016, Trump foi um bom visionário. A Rússia havia sido isolada pelo presidente dos EUA, Barack Hussein Obama, supostamente por anexar a Crimeia, da Ucrânia, que foi russa por 800 anos. No entanto, mesmo antes da anexação, Obama, seu governo e a grande mídia dos EUA zombavam da Rússia por sua lei que proíbe a propaganda homossexual para crianças e adolescentes.
O Dr. Scott Lively explicou que as pesadas sanções impostas por Obama à Rússia foram causadas por um Obama pró-sodomia contra uma Rússia antissodomia, e a anexação da Crimeia foi apenas uma desculpa. Obama até convocou a União Européia socialista para impor pesadas sanções. Tais sanções isolaram a Rússia e aleijaram sua economia.
Era altamente esperado que Trump, cumprindo seus próprios desejos em 2016, iria quebrar a repressão socialista de Obama e da UE contra a Rússia. Mas ele tem sido incapaz de prevalecer sobre os neoconservadores. Na verdade, Trump tem feito exatamente o que a vigarista Hillary Clinton prometeu fazer: apoiar o regime ucraniano que, por golpe de Estado, foi imposto por Obama, George Soros, Hillary e John McCain.
Embora, geograficamente, seja a maior nação do mundo, a Rússia tem um exército fraco, em comparação com os EUA e a Europa, e não tem para onde correr. Os EUA têm cerca de 800 bases militares em 148 países — e o mundo tem apenas 196 países.
Portanto, mais da metade das nações do mundo estão sob o controle dos EUA. Esse é um enorme poder supranacional, que George Washington e outros Fundadores da América nunca buscaram ou sonharam, embora os maçons americanos sempre tivessem buscado e sonhado com a América como um império estabelecendo a Nova Ordem Mundial. Seus sonhos foram cumpridos.
Isolada, a Rússia está “fazendo contato com outros países como parte do esforço do governo russo de mostrar que não está isolado,” disse o ex-embaixador dos EUA na Ucrânia, Steven Pifer.
Devido aos esforços russos para reagir à interferência de Obama, Soros e os neocons na Ucrânia em 2014, os EUA e a UE isolaram a Rússia por meio de sanções.
Pifer acredita que a Rússia está desenvolvendo potenciais parcerias econômicas e militares com outras nações isoladas como resposta ao seu atual isolamento internacional.
Uma dessas possíveis parcerias econômicas e militares é com a Venezuela, cujo petróleo tem sido cobiçado por americanos, russos e outros. Aliás, os EUA têm sido um dos principais compradores do petróleo venezuelano.
Embora eu possa, como evangélico conservador, apoiar a lei russa contra a doutrinação homossexual de crianças e adolescentes, não posso de forma alguma apoiar o envolvimento russo na Venezuela, porque o povo venezuelano está sofrendo muito com o socialismo, que foi escolhido por uma nação 96 por cento católica e onde a Igreja Católica é tradicionalmente apoiadora da Teologia da Libertação.
Os russos poderiam usar como desculpa para tal envolvimento o fato de estarem isolados, mas não há desculpa para isso, de uma perspectiva cristã.
Entretanto, se a Rússia, que está isolada, não tem desculpa, o mesmo acontece com os EUA, que não estão isolados, mas mantêm a Arábia Saudita em uma parceria privilegiada enquanto os sauditas bombardeiam escolas e hospitais no Iêmen, já tendo matado mais de 80.000 crianças.
Há uma tragédia humanitária na Venezuela, por causa do socialismo. E há uma tragédia humanitária maior no Iêmen, por causa dos sauditas e das armas dos EUA. Aliás, a guerra saudita no Iêmen é considerada a maior tragédia humanitária do mundo.
Ainda que alguns ativistas de direita conjecturem que uma parceria entre a Venezuela e a Rússia é uma conspiração comunista, quando até mesmo Trump nunca chamou a Rússia moderna de “comunista,” isso não é sobre capitalismo e comunismo. Não é sobre ideologia. É apenas sobre ganância por petróleo, exatamente como a parceria entre os EUA e a Arábia Saudita é apenas sobre ganância por petróleo. O petróleo é a alma da insanidade política em nossa época. Está também por trás de muitas guerras sangrentas.
Em 2016, Trump acusou a vigarista Hillary e Obama, auxiliados pelos sauditas, de criar o ISIS, que estuprou e matou milhares de cristãos. Aliás, o ISIS foi a principal máquina de genocídio contra os cristãos nos últimos anos. Trump tem sido incapaz de castigar a Arábia Saudita, Obama e Hillary por essa criação criminosa.
O papel dos EUA como Policial do Mundo tem sido desastroso para os cristãos no mundo. No rastro de invasões e interferências militares dos EUA, há derramamento de sangue cristão, e o Iraque, a Síria, a Líbia e o Afeganistão são tristes exemplos.
Obama e outros presidentes de esquerda dos EUA usaram o governo dos EUA e seu poder como um mau Policial do Mundo. Outros Obamas e esquerdistas piores chegarão à presidência dos EUA. Assim, o mau Policial do Mundo estará sempre visitando o mundo, isolando nações e criando máquinas de matar como o ISIS.
Um relacionamento com a Arábia Saudita é muito pior do que um relacionamento com a Venezuela. Mesmo assim, os EUA e a Rússia estão errados em suas relações, com isolamento ou não.
Se a Rússia não estivesse isolada, teria relacionamentos melhores? Então, por que os EUA, que não estão isolados, não têm relacionamentos melhores?
A Rússia deveria deixar toda a interferência na Venezuela por petróleo, e os EUA deveriam deixar toda interferência na Crimeia e na Ucrânia, que é o berço da civilização e do Cristianismo russo.
Não é saudável manter a Rússia isolada apenas porque Obama, Soros e os neocons decidiram dessa forma anos atrás. Trump deveria quebrar essa repressão injusta, exatamente como ele queria fazer em 2016.
Não é também saudável ser Policial do Mundo. Os EUA têm um sistema governamental praticamente rotativo. O socialista Obama governou os EUA e o mundo por 8 anos, impondo, por lei, diplomacia e propaganda, a homossexualidade. O Departamento de Estado de Trump está mantendo essa má obra de Obama, assim como Trump está mantendo e aumentando sobre a Rússia as mesmas sanções que Obama impôs. Isso não é saudável e vai contra o que George Washington queria para os EUA.
É muito difícil apoiar as medidas conservadoras de Trump enquanto ele apoia a ditadura islâmica da Arábia Saudita. É também muito difícil apoiar as medidas conservadoras de Putin enquanto ele apoia a Venezuela de Maduro. É uma decisão em que você deve rejeitar tudo ou apoiá-los parcialmente. Eu escolho a última opção. Escolho apoiar apenas as medidas conservadoras deles, não suas insanidades políticas.
Nicolas Maduro, o ditador comunista na Venezuela, deveria ser derrubado. A Arábia Saudita, principal patrocinadora do terrorismo islâmico no mundo, deveria ter uma mudança completa de regime, mas como isso pode ser feito se a Arábia Saudita é protegida por bases militares americanas? Como isso pode ser feito se a Arábia Saudita é o principal comprador de armas dos EUA?
Ao apoiar a Arábia Saudita, Trump e seu governo são cúmplices dos crimes sauditas. Ao apoiar Nicolas Maduro, Putin e seu governo são cúmplices de seus crimes.
Não apoio isolamento para os EUA e a Rússia, apesar de apoiar isolamento para a Arábia Saudita e a Coreia do Norte. O isolamento de Obama contra a Rússia está provocando hoje muitas consequências.
Minha perspectiva é espiritual e evangélica. Anos atrás conheci o profeta americano Chuck Pierce no Brasil. Ele disse que se o Brasil se aproximasse mais de Israel, Deus iria dar a unção ao Brasil. Então ele teve uma visão sobre o que aconteceria se o Brasil começasse a se desenvolver e desse os primeiros passos para se tornar uma potência mundial: Ele viu o governo dos EUA cercando e sufocando o Brasil economica e militarmente. Ele viu os EUA cheios de inveja. Ele viu os EUA totalmente determinados a impedir a ascensão econômica do Brasil.
O que o Brasil faria se fosse isolado pelos EUA, que hoje tem cerca de 800 bases militares em 148 países? Sob as sanções dos EUA, o Brasil buscaria uma parceria com o Zimbábue e o Burundi?
Enquanto os EUA não isolados usam a Ucrânia para provocar a Rússia e a Rússia isolada usa a Venezuela para provocar os EUA, pessoas inocentes estão sofrendo.
A China é hoje a maior nação comunista do mundo e os EUA não têm trabalhado para isolar a China. Alguns presidentes de direita dos EUA, como George H.W. Bush, até ignoram os enormes crimes comunistas chineses. Desde Nixon (direitista), os EUA vêm dando à China comunista um status econômico privilegiado. Por que isolar a Rússia que deixou o comunismo há quase 30 anos? Por que esse antagonismo feroz?
Os EUA, como um império maçônico, estão em guerra contra a América que foi fundada por uma população 98% evangélica. Estão em guerra também, desde Obama, contra a Rússia e seu conservadorismo, isolando-a e aleijando sua economia.
Como Trump pode usar os EUA como um bom Policial do Mundo se ele está sob a opressão dos neocons? Como Trump pode ter sua parceria sonhada com a Rússia se ele está sob a opressão de neocons, que são anti-russos? Como a Rússia pode se mover como uma nação sob uma opressão neoconservadora imposta originalmente por Obama, a vigarista Hillary e os neocons?
Só Deus pode ajudar uma nação isolada. E somente Deus pode lidar com os EUA por isolar nações para atender aos interesses de Obama, Soros e os neocons.
Que Deus livre Trump da opressão dos neocons e o use para afastar os EUA da ambição maçônica de tornar da América o Policial do Mundo, um império e motor da Nova Ordem Mundial. Que Deus use Trump para tornar a América grande novamente como uma nação cristã e abençoada que lê a Bíblia, exatamente como era a América em sua fundação.
Com informações da revista NewsWeek.
Versão em inglês deste artigo: Isolated Russia and the World’s Policeman
Leitura recomendada:

2 comentários :

Marcos Zequias disse...

Eu espero que o governo Bolsonaro seja abençoado por Deus, o mesmo prometeu manter estreita relação com Israel, e o próprio primeiro ministro Israelense Benjamin Netanyahu, disse que iria comparecer na posse de Bolsonaro, será que veremos agora os EUA com inveja do Brasil ? Bom no governo Trump não sei, mas imaginem se Hillary Clinton fosse a presidente Americana ? Vixe, teriamte problema.

Timoteo Sanches disse...

Bolsonaro ja voltou atras com Israel e agora tambem esta apoiando indiretamente a agenda gay, a idolatria evangelica por Bolsonaro no pais esta passando dos limites, ele não passa de um maçon a serviço da NOM, aos poucos as coisas virão a tona, sei que este comentario não será postado, por que pode parecer que sou de esquerda, mas não é verdade, sigo aquele cujo REINO não é deste mundo!