6 de novembro de 2018

“Eles tinham o poder”: Ex-sumo sacerdote satânico diz que orações cristãs o impediam de realizar o mal


“Eles tinham o poder”: Ex-sumo sacerdote satânico diz que orações cristãs o impediam de realizar o mal

Charlene Aaron
Comentário de Julio Severo: Embora o ex-satanista entrevistado neste artigo tenha apresentado uma ordem de intercessão, acredito que a melhor ordem de oração é: primeiro, orar por você mesmo, depois, sua família, igreja, local de trabalho e só então seu bairro, região e país.
John Ramirez
John Ramirez outrora adorava o diabo e fazia o mal em nome de Satanás.
Agora um pastor, ele sabe tudo sobre o lado das trevas.
Ele outrora sacrificava animais como parte de rituais satânicos e seus amigos até o chamavam de “filho de Lúcifer.”
Em seu livro “Armed and Dangerous: The Ultimate Battle Plan for Targeting and Defeating the Enemy (Armado e Perigoso: O Plano Perfeito de Batalha para Mirar e Derrotar o Inimigo), Ramirez explica por que os cristãos precisam orar com mais eficiência.
“Escrevi este livro porque queria que os cristãos soubessem que não existe apenas uma guerra espiritual de defesa, mas existe também uma ofensiva espiritual,” disse ele ao noticiário da Rede de Televisão Cristã dos EUA. “Precisamos manter o diabo em seu lugar.”
Ramirez disse que ele era mais eficaz no satanismo quando os crentes viviam sem oração.
“Eu podia ir lá e capitalizar e tomar uma posição e uma posição no mundo espiritual contra os cristãos que não estavam orando,” explicou ele. “Tomei esse território de modo que tomei posse de seu vizinho; tomei posse de seu bairro; tomei posse de sua região porque você não saturou com orações. Eu bati em você para ter tudo isso.”
Ele também contou como quando os cristãos oravam para que ele parasse com seus planos malignos.
“São esses crentes, é esse grupo de pessoas, esses intercessores que me deram uma grande derrota no espiritual,” disse ele. “Quando entrava no bairro e eles estavam em espírito juntos de mãos dadas. Eu sabia que eles estavam fisicamente de mãos dadas em uma área? Eu não sabia, mas no mundo espiritual, eles estavam de mãos dadas. E, eles tinham a capacidade de me expulsar fora do bairro. Não consegui cumprir nenhuma missão. Missão abortada, eles enfraqueceram minha missão e nenhuma missão cumprida porque eles sabiam algo: eles tinham o poder naquele bairro que eu não tinha.”
Ramirez agora encoraja os cristãos a ampliar suas orações e a serem sensíveis a orar pela nação, escolas e outras áreas.
Ele disse: “Se sei o que está acontecendo na minha vizinhança, então sei o que elevar até o altar de Deus. E acho que muitas vezes sentimos falta disso porque fomos chamados para ser intercessores entre a vida e a morte. Precisamos interceder pelo nosso bairro, nossa região, depois por nossa família, nossos entes queridos, nossos maridos, esposas, nossos locais de trabalho.”
Depois de servir ao diabo durante a maior parte de sua vida, ele diz que não trocaria nada pelo que encontrou em Cristo.
“Durante vinte e cinco anos da minha vida, eu conseguia fazer qualquer coisa com qualquer pessoa, em qualquer lugar,” disse Ramirez. “Mas considero tudo isso como perda para ganhar Cristo. Ele é meu Único. Ele é o fôlego que eu respiro. Ele caminha comigo. Posso ouvir o som da voz dele em meu ouvido.”
Traduzido por Julio Severo do original em inglês da Rede de Televisão Cristã dos EUA: 'They Had the Power': Former Satanic High Priest Says Christian Prayers Hindered Him from Carrying Out Evil
Leitura recomendada:

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Esta seção é moderada conforme opção democrática do Blogger para limitar excessos e outros tipos de interferência na interação do público com este blog. Portanto, todas as opiniões, comentários e textos estão sujeitos à avaliação do moderador. Manifestações insensatas, tolas, ridículas e desrespeitosas não são bem-vindas neste blog. Opiniões sensatas são mais que bem-vindas. Aos que querem fazer cobranças neste espaço, é imprescindível a apresentação do perfil oficial. O moderador se reserva o direito de publicar ou não comentários de questionadores anônimos, sem nenhuma identificação válida e verificável.