6 de junho de 2018

Sete sinais de que seu pastor está pregando heresia


Sete sinais de que seu pastor está pregando heresia

Joseph Mattera
Não muito tempo atrás, foi noticiado que o proeminente pastor protestante Michael A. Walrond Jr., da Igreja Batista Coríntia de 10.000 membros no Harlem, em Nova Iorque, EUA, agora defende uma crença pluralista de que há muitos caminhos para Deus e para a salvação.
Entre outras coisas, “‘As pessoas tomam muitos caminhos para Deus,” argumentou ele, observando que ele pessoalmente celebra os caminhos que outros tomam ao encontrá-Lo — mesmo que esse caminho não envolva fé em Jesus,” informa o Christian Post.
O mesmo artigo diz:
“Em 2008, um estudo do Centro de Pesquisa Pew revelou que mais da metade de todos os cristãos americanos acreditam que pelo menos algumas religiões não-cristãs podem levar à salvação. Quase uma década depois, um novo estudo mostrou que mesmo entre os grupos cristãos mais tradicionais, minorias significativas também estão rejeitando Deus conforme está descrito na Bíblia.”
É claro que essa tendência de queda do Cristianismo bíblico deveria alarmar todo verdadeiro seguidor de Cristo! O fato de que muitos dos tão chamados seminários cristãos acabaram se desviando de sua fidelidade original às Escrituras e evoluindo para propagar uma forma de universalismo (a crença de que Jesus salvou todos os humanos na cruz, independentemente de acreditarem nEle ou não) e do pluralismo (de que existem muitos caminhos para Deus, não apenas através de Jesus) começando desde os primórdios das escolas de teologia de Harvard e Yale (para apaziguar e acomodar o clima e a cultura intelectuais predominantes) é uma das causas principais dessa podridão crescente nas principais igrejas tradicionais.
A boa notícia — de acordo com a mesma pesquisa do Pew relatada acima — é que mais de 90% das igrejas historicamente negras e evangélicas ainda acreditam no Deus da Bíblia. No entanto, há sinais preocupantes de que muitos jovens pastores evangélicos estão se inclinando para o pluralismo, à medida que mais e mais instituições teológicas em que eles estudam capitulam diante de uma forma de universalismo.
Se um pastor ou igreja realmente faz uma declaração forte ou não (tenho certeza de que Michael Walrond vem insinuando suas tendências pluralistas por anos antes de sua recente abertura pública nessa direção) não é o objetivo deste artigo tanto quanto é ajudar um crente a discernir se o seu pastor e/ou igreja está descendo esse declive escorregadio herético. (Já que Jesus disse que Ele é o único caminho para o Pai, como citado em João 14:6, as apostas são altas, e a importância deste assunto não pode deixar de ser reforçada.)
Os seguintes são sete sinais de que seu pastor defende uma forma de pluralismo ou universalismo, que é herético:

1. Ele ensina que existem muitos caminhos para Deus e para a salvação.

Embora eu acredite que é verdade que pode haver vertentes da verdade na maioria das principais religiões como o islamismo, o judaísmo, o hinduísmo, o budismo e afins — em si e por si mesmos, não há graça suficiente para a vida eterna se a pessoa não tiver fé somente em Cristo para a salvação. Dito isto, se o seu pastor alguma vez disser algo como “Todas as religiões são iguais” e ou “Dá para encontrar Deus em todas as religiões” ou “todas as religiões têm um pouco da verdade” sem especificar sua declaração e ou mostrar certeza de que ele segue dita declaração deixando claro que somente a fé em Jesus é suficiente para a salvação, meu conselho é que você se sente com seu pastor e exija uma explicação mais clara antes de continuar a frequentar essa igreja.
Embora seja verdade que todos os caminhos levam a Deus (veja Rom. 11:36), nem todos os caminhos levam à salvação e à vida eterna.

2. Ele só ensina sobre o amor de Deus.

Eu suspeitaria de qualquer pastor que nunca prega que as pessoas precisam se arrepender, abandonar o pecado ou enfrentar as consequências divinas (não estou dizendo para pregar sobre o fogo do inferno toda semana, mas todo o conselho de Deus tem que ser pregado durante o ano inteiro.). As Escrituras ensinam claramente que há uma penalidade severa pelo pecado não arrependido (Romanos 6:23).

3. Ele ensina que todas as religiões são iguais.

Qualquer pastor que faz parecer que todas as religiões são iguais ou devem ser igualmente respeitadas deveria ficar sob suspeita, na minha opinião. Embora devamos respeitar todas as pessoas, independentemente de suas crenças religiosas, não é o mesmo que tratar todas as religiões como iguais.
As ideologias religiosas do ateísmo comunista, do islamismo radical, do nazismo, da Ku Klux Klan e similares não são tão nobres quanto outras religiões como o judaísmo e não podem sequer comparar-se com o caminho de Jesus e Seus apóstolos, conforme ensinado no Novo Testamento.

4. Ele ensina que todas as pessoas acabarão indo para o céu.

Qualquer pastor que ensine “reconciliação final” já começou a trazer sua congregação para a esfera do gênero teológico do pluralismo e do universalismo.

5. A igreja não assume postura moral sobre questões culturais graves.

Qualquer pastor que apenas prega mensagens encorajadoras e positivas e nunca aplica o padrão ético bíblico às questões polêmicas de nossa época, como aborto, identidade sexual, casamento bíblico e gênero, pode estar a poucos passos de defender o pluralismo. A razão por que digo isso é porque o evangelho de apaziguamento deles é historicamente a razão fundamental por que muitos líderes e institutos cristãos acabaram indo em direção ao pluralismo.

6. A Bíblia não é honrada como a mais alta autoridade para a fé e a vida.

Qualquer pastor que tencione que outras obras de literatura e/ou escritos ou livros religiosos, filosóficos ou científicos são iguais ou superiores às Escrituras muito provavelmente é um pluralista ou universalista. Pense duas vezes antes de se comprometer com uma igreja que emprega tal pastor.

7. As pregações têm base emocional e não se baseiam na Bíblia.

Se um pastor raramente prega mensagens biblicamente corretas de um texto das Escrituras e simplesmente confia na habilidade oratória ou retórica, que excita a emoção, mas não consegue alimentar a alma de forma holística, então a igreja tem areia como base (Mt 7: 24-27).
Tal pregador tem uma igreja emocionalmente viva que não tem discernimento bíblico (Hb 5: 12-14), o que pode facilmente levar os membros ao caminho do pluralismo ou universalismo, se o pastor assim desejar.
Finalmente, Jesus advertiu Seus seguidores sobre seguirem falsos profetas (Mateus 7:15), assim como o apóstolo Pedro quando previu que surgiriam falsos mestres que introduzirão secretamente heresias destrutivas, e que muitos os seguirão. Por causa deles o caminho da verdade será difamado (2 Pe 2:1, 2).
Que o sincero seguidor de Cristo estude as Escrituras e seja mais moldado pela Palavra de Deus do que pelas palavras de qualquer homem sem Jesus Cristo.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês da revista Charisma: 7 Signs Your Pastor Is Preaching Heresy
Leitura recomendada sobre pastores problemáticos:

Nenhum comentário :