15 de junho de 2018

Fumar cigarros torna você mais fraco: danifica diretamente os músculos ao limitar o fluxo de oxigênio e nutrientes através do corpo, constata o estudo


Fumar cigarros torna você mais fraco: danifica diretamente os músculos ao limitar o fluxo de oxigênio e nutrientes através do corpo, constata o estudo

Mary Kekatos
Fumar cigarros danifica os músculos do seu corpo, revelou um novo estudo.
A fumaça reduz diretamente o número de vasos sanguíneos nos músculos das pernas e limita a quantidade de oxigênio e nutrientes que eles podem receber.
Estudos anteriores demonstraram que o tabagismo torna os músculos mais fracos porque os pulmões ficam inflamados pelo uso do cigarro, restringindo sua capacidade de se exercitar e realizar atividades.
No entanto, esse estudo, conduzido por pesquisadores da Califórnia, Brasil e Japão, é o primeiro a mostrar o impacto direto do tabagismo nos músculos.
Pesquisas anteriores mostraram que a fumaça do cigarro estreita as artérias do corpo, reduzindo tanto o fluxo de sangue para o coração quanto a capacidade pulmonar — fazendo com que você se esforce com mais dificuldade durante a atividade física.
Isso limita sua capacidade de realizar certos exercícios e capacidade de aumentar seus músculos.
Entretanto, os pesquisadores agora podem mostrar como o efeito é muito maior do que pensávamos.
Para esse estudo, a equipe expôs camundongos à fumaça de cigarros de tabaco por oito semanas, seja por inalação ou injetando em ratos uma solução borbulhada de fumaça.
No estudo, a equipe encontrou uma diminuição de 34 por cento na relação fibra capilar-muscular dos músculos da panturrilha em camundongos expostos à fumaça.
Os capilares são os menores vasos sanguíneos do corpo. Uma alta relação entre capilar e fibra permite que o sangue permeie mais completamente o tecido muscular.
Contudo, o estudo mostra que, como os vasos sanguíneos foram diminuídos, a taxa de fluxo sanguíneo para os músculos foi reduzida — privando-os de oxigênio e nutrientes.
E quando os músculos são privados dessas duas substâncias para usar energia, eles ficam enfraquecidos e incapazes de realizar uma grande quantidade de atividade física.
Isso é um fator de risco para muitas doenças a longo prazo, inclusive doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e diabetes.
A resistência à fadiga também diminuiu em até 43% nesses ratos, o que significa que os músculos se sentem mais rapidamente fracos, doloridos e cansados.
Embora os pesquisadores tenham constatado que os danos musculares nas pernas são os mais pronunciados, eles não conseguiram identificar exatamente qual componente químico da fumaça do cigarro era responsável.
Eles apontam que os cigarros contêm aproximadamente 4.000 componentes químicos, muitos dos quais são cancerígenos prejudiciais.
“É de vital importância que mostremos às pessoas que o uso de cigarros de tabaco tem consequências danosas em todo o corpo, inclusive grandes grupos musculares necessários para a vida diária,” disse Ellen Breen, cientista pesquisadora associada da Universidade da Califórnia, em San Diego.
“Precisamos desenvolver estratégias para deter os danos desencadeados pelos componentes prejudiciais da fumaça do cigarro.”
Essa pesquisa particularmente vital veio imediatamente depois de um estudo recente que revelou que os exercícios para as pernas aumentam a produção de células da massa cinzenta no cérebro.
Esse estudo, realizado na Universidade de Milão, revelou que o exercício de levar peso aumenta a produção de células neuronais saudáveis, essenciais para o cérebro e sistema nervoso.
Reduzir o exercício físico torna difícil para o corpo produzir novas células nervosas, que são alguns dos blocos de construção que nos permitem lidar com o estresse e se adaptar ao desafio em nossas vidas.
Como as pernas contêm os maiores músculos do corpo, elas são de particular importância para a capacidade muscular e mais importantes do que outros para estimular a atividade cerebral.
Leitura recomendada:

Nenhum comentário :