11 de junho de 2018

Facebook censura desenho contra violência sexual islâmica contra garotas europeias


Facebook censura desenho contra violência sexual islâmica contra garotas europeias

Julio Severo
Depois que postei horas atrás um desenho contra a violência sexual islâmica contra meninas europeias, o Facebook me deu esta mensagem:
Parece que algo que você postou não segue nossos Padrões Comunitários. No Facebook, não permitimos ofertas de serviços sexuais, solicitação de materiais sexuais, ameaças ou exibições de violência sexual, ameaças de compartilhar imagens íntimas ou qualquer conteúdo sexual envolvendo menores de idade.
Entendemos que você pode não ter conhecimento desses padrões, por isso, incentivamos você a saber mais sobre nossas políticas de exploração sexual e violência. Se você viu ou experimentou algo no Facebook que acha que é contra esses ou quaisquer um dos nossos outros padrões, informe-nos.
Obrigado pela sua compreensão e ajuda em manter o Facebook seguro e acolhedor.
Este é o desenho “ofensivo”:
Em seguida, o Facebook me disse:
Você Está Temporariamente Bloqueado de Postar
Esse bloqueio temporário durará 30 dias, e você não poderá postar no Facebook até seu término.
Você tem repetidamente postado coisas que não são permitidas no Facebook. Leia os Padrões Comunitários do Facebook para aprender quais tipos de posts não são permitidos.
Assim, minha conta de Facebook (https://www.facebook.com/julio.severo) estará bloqueada por trinta dias (em vigor a partir de 10 de junho de 2018) não porque defendi a violência sexual islâmica contra garotas europeias. Fui bloqueado porque usei um desenho denunciando a violência sexual islâmica contra garotas europeias!
Este não é o primeiro bloqueio de 30 dias do Facebook contra mim.
O mês inteiro de fevereiro de 2018 estive bloqueado porque denunciei a agenda homossexual e a invasão islâmica da Europa. Veja meu artigo: Por que o Facebook atormenta e censura os cristãos?
O Facebook também impôs um bloqueio de 30 dias contra mim em dezembro de 2017, porque mencionei o dever cristão de amar os pecadores, inclusive os homossexuais. Você pode ler meu artigo aqui: Por que o Facebook concede liberdade de expressão para radicais anticristãos e impõe censura nos cristãos?
E em junho de 2017 o Facebook impôs outro bloqueio de 30 dias contra mim porque eu estava informando sobre brasileiros que foram multados por chamarem um homossexual de “bicha.” Veja meu artigo: “Facebook, censura, palavrões, xingamentos e linguagem suja.” Nesse caso, o Facebook recuou depois que uma organização jurídica da Califórnia ameaçou processar o Facebook em meu nome. Por causa da ameaça legal, o Facebook reconheceu que suas ações foram de censura. Veja meu artigo: Facebook reconhece sua própria censura contra Julio Severo. E agora?
Talvez um dos atos mais vergonhosos do Facebook contra mim foi censurar Levítico 18:22, um famoso versículo da Bíblia que eu publiquei no meu perfil, mas o Facebook não gostou e o removeu. Veja meu artigo: Socorro! O Facebook está censurando versículos da Bíblia
Essa censura contra um versículo da Bíblia imediatamente se tornou manchete no WND (WorldNetDaily), numa reportagem intitulada “Famoso versículo da Bíblia intolerável demais para o Facebook.”
Devido a esse escândalo, o Facebook entrou em contato com o WND com esta mensagem:
“Logo que fomos notificados do problema, começamos a investigar e restauramos o conteúdo logo que pudemos identificar o erro. O conteúdo foi restaurado já que não violava nossos padrões. Informamos ao Sr. Severo acerca do restabelecimento e fizemos um pedido de desculpas pelo erro.” (Veja a reportagem traduzida do WND “Facebook finalmente responde sobre sua censura a versículo picante da Bíblia”)
No entanto, o post da Bíblia não foi restaurado e eu nunca recebi nenhum pedido de desculpas do Facebook.
Se o dono do Facebook, que é um judeu esquerdista, não se importa nem mesmo com Levítico 18:22, um famoso versículo das Escrituras judaicas, por que ele se importaria com um post que ataca a violência sexual islâmica contra garotas europeias?
O que eu fico tentando imaginar é: Como é que pode um judeu, que pertence a uma raça e religião historicamente oprimidos por muçulmanos, censurar meu esforço para denunciar a violência sexual islâmica?
No início deste ano, um judeu denunciou o Facebook por excluir Israel e incluir a Palestina. O presidente do Facebook, Mark Zuckerberg, é contra sua própria raça e cristãos evangélicos, os aliados mais importantes dos judeus?
Digam ao Sr. Zuckerberg que Julio Severo é um evangélico defensor apaixonado da Bíblia e de Israel em suas fronteiras bíblicas.
Leitura recomendada sobre censura do Facebook:
Outra leitura recomendada:
Leitura recomendada sobre a Esquerda dos EUA contra Julio Severo:

Nenhum comentário :