21 de maio de 2018

O casamento real do príncipe Harry e Meghan Markle foi um exemplo cristão?


O casamento real do príncipe Harry e Meghan Markle foi um exemplo cristão?

Julio Severo
Enquanto toda a mídia de esquerda e de direita mostrou um notável consenso e união em seus louvores ao casamento real do príncipe Harry e Meghan Markle, houve um ponto que mereceu atenção especial e preocupação. Um dos pastores protestantes, o bispo Michael Curry, escolhido por Harry e Meghan para oficiar seu casamento, é um conhecido defensor da agenda homossexual.
Curry, o primeiro negro americano a presidir a Igreja Episcopal, é um batalhador do “casamento” gay.
No entanto, a defesa da homossexualidade não é um problema exclusivo de Curry. Harry e Meghan também adotam a mesma defesa.
Numa reportagem intitulada “Meghan Markle e o príncipe Harry: questões LGBT são ‘direitos humanos básicos,’” o site Hollywood Reporter disse: “O príncipe Harry e Meghan Markle estão colocando os direitos LGBT na vanguarda de sua agenda real.”
O site homossexual Pink News disse que “o casal real continuará a promover orgulhosamente as questões LGBT.”
No entanto, sem o feminismo, a homossexualidade não pode avançar, e o feminismo é exatamente o território de Meghan.
De acordo com o site esquerdista Vanities, Meghan tem um histórico de ativismo com a ONU Mulheres, a organização mais pró-aborto dentro da ONU. Num discurso na ONU em 2015, ela mencionou que seu ativismo começou quando ela viu um anúncio da Procter & Gamble que retratava mulheres no trabalho dentro do lar. Ela escreveu cartas para a escritora feminista Gloria Allred e para a então primeira-dama Hillary Clinton reclamando. Depois da pressão feminista, a P & G mudou o anúncio.
O feminismo destrói o papel das mulheres no casamento, impedindo-as de serem esposas e mães saudáveis, e a homossexualidade destrói o papel dos homens, impedindo-os de serem maridos e pais.
A homossexualidade é essencialmente contra o casamento e a família.
Deus criou o homem e a mulher para se unir em casamento e ter filhos. Ou você apoia o casamento ou apoia a homossexualidade. Você não pode apoiar ambos ao mesmo tempo, pois ambos são mutuamente antagônicos. Um é normal e ordenado por Deus e o outro é anormal e odiado por Deus.
Deus chama a união sexual entre um homem e uma mulher dentro do casamento de bênção. Mas Ele chama a união sexual entre um homem e outro homem de repugnante e detestável, de acordo com sua Palavra, que ordena:
“Não te deitarás com um homem como se deita com uma mulher. Isso é abominável!” (Levítico 18:22 King James Atualizada)
No casamento, o homem é o líder e o chamado de Deus para a esposa é ser submissa ao marido. Meghan é uma feminista conhecida. Além disso, ela é uma mulher divorciada. As tradições reais britânicas não permitiam que seus homens reais se casassem com mulheres divorciadas. Tradições reais estão sendo quebradas.
Isso de modo algum desculpa Harry e seu comportamento sexual anterior, que não era tão casto quanto sua suposta confissão cristã requer.
O casamento real foi uma espécie de esquema para quebrar antigas tradições reais. Um casamento preso pelo ativismo homossexual e feminista, inclusive com divórcio e irresponsabilidade sexual, não é um casamento real como Deus tencionou. É uma aliança ideológica com a intenção a trazer uma mensagem e um modelo para a população. Pretende quebrar seus valores mais conservadores.
Poderia ser também uma mensagem sútil para os naturais brancos britânicos se misturarem em casamento com imigrantes não-brancos, que são coincidentemente em grande parte muçulmanos?
Enquanto a realeza britânica está brincando com o Cristianismo, o casamento, a família e os valores, o islamismo está avançando no Reino Unido. Londres está agora sob controle islâmico.
O Reino Unido esqueceu o que Winston Churchill disse:
“Quão terríveis são as maldições que o maometismo [islamismo] coloca em seus devotos! Além da fúria fanática, que é tão perigosa no homem quanto a raiva num cão, há essa apatia fatalista e medonha.”
O Reino Unido, que resistiu com sucesso ao nazismo, está sendo derrotado pelo feminismo, pela homossexualidade e pelo islamismo, promovidos frequentemente por sua própria realeza.
Nos velhos tempos, o povo britânico costumava dizer: “Deus salve a rainha!” Realmente! Que Deus salve a ela e sua família de seus próprios esforços para quebrar seus velhos valores conservadores. E enquanto eles não são salvos, que Deus salve os bons britânicos de sua rainha, sua família real e seu ativismo.
Leitura recomendada:

6 comentários :

Suzana Pequeno disse...

Que matéria mais babaca e preconceituosa! Até o papa já emitiu opinião favorável a casamento de divorciados e união de homossexuais. Jesus disse: "amai-vos uns aos outros como eu vos amei". Portanto, ao invés de apontar e julgar as diferenças alheias, apenas pratiquem o ensinamento do Mestre!

Ddde Aaa disse...

Suzana Pequeno, pode me passar a informação de que o Papa Francisco tem "opinião favorável a casamento de divorciados e união de homossexuais"?

Por mais que Francisco seja esquisito, eu particularmente não vi ele falar nada favorável a união de homossexuais.

Q disse...

Feminista sem vergonha.

Peri Richard disse...

Mas é uma revolucionariazinha mequetrefe mesmo!
E quem disse que o vocábulo Amor que Cristo utilizou na citação sem referência, tenha a ver com o sentido empregado ao qual você possa querer ter utilizado?
Tsk, tsk, tsk, tsk!
E a pessoa ainda não tem lastro e quer utilizar a Bíblia para tentar convalidar as torpezas que ela defenfe, com supostas sutilezas!
Melhor tentar em outra frequesia, pois a Bíblia não comporta e nem está sujeita a tentativas revolucionárias, do tipo Alinskynianas, de subversão.

Marcelo Victor disse...

Os valores estão invertidos, pois Deus enviou a operação do erro, por causa da incredulidade e dureza dos corações, entregando o homem às suas próprias concupiscências.

O que os Estados Unidos, por exemplo, estão fazendo para os preguiçosos? O governo faz exatamente o contrário do que orienta a Palavra de Deus: (1) Conforta, dá honra, dá ouvidos e alimenta os preguiçosos (Pv 19:10; Pv 26:1,8; Pv 26:4 e Pv 13-16). Se você os alimentar, você sustenta a preguiça deles (Pv 20:4; IITs 3:10).

Qual é o resultado? A presunção arrogante de direitos, um aumento diário de tais sanguessugas, e as despesas explosivas com aqueles que trabalhariam se fosse cortada a comida (Pv 16:26)!

Raramente tantos fizeram tão pouco e exigiram tão mais. Raramente tão poucos trabalharam tanto, para pagar tanto mais, para receberem tão pouco. Raramente um governo puniu tão severamente os trabalhadores com a taxação e a inflação e recompensou os preguiçosos tão generosamente por subsídios e bem estar social.

A preguiça agora atravessa as linhas raciais, etárias e sexuais. Distinções culturais e nacionais são menos óbvias (Tt 1:12). Estudantes exigem que o governo pague seus estudos, ao mesmo tempo faltam pagar as prestações de generosos empréstimos estudantis. Eles discutem e brigam por seus direitos, mas nunca consideram as suas responsabilidades. A preguiça mata a consciência, o caráter, a comunidade e o bom senso.

Flávio da Vitória disse...

Se planejam avançar pautas esquerdosas é uma União anticristo na verdade