23 de abril de 2018

“Liberdade de expressão,” o supremo falso evangelho nos EUA


“Liberdade de expressão,” o supremo falso evangelho nos EUA

Julio Severo
O evangelho da “liberdade de expressão” é o grande astro em “Persecuted” (Perseguição), um filme conservador que destaca John Luther (cuja tradução é “João Lutero”), um televangelista que adora a liberdade de expressão, a Bíblia, o Evangelho… e o rosário!
John Luther
Em seus momentos mais atribulados, Luther reza com o rosário nas mãos.
A cultura gospel de liberdade de expressão produziu um televangelista católico-evangélico híbrido que defende nos Estados Unidos um conservadorismo não centrado no Evangelho, mas na liberdade de expressão. O filme reflete apenas a realidade: Por amor ao conservadorismo, os evangélicos na nação mais protestante do mundo estão sendo catolizados ao colocar ênfase em questões morais e boas obras, não no Evangelho e a salvação que Jesus Cristo oferece gratuitamente pela fé. A liberdade de expressão e um conservadorismo de boas obras estão tomando precedência sobre o Evangelho.
Ainda que a unidade conservadora, como proposta pelo filme e abundantemente mostrada na vida real, não esteja “evangelicalizando” católicos e nem mesmo produzindo católicos híbridos, o reverso está acontecendo. Enquanto os católicos não estão perdendo sua identidade católica, os evangélicos estão perdendo a deles.
Esse conservadorismo evangélico híbrido acabará se expandindo para abranger não só católicos conservadores, mas também mórmons conservadores, muçulmanos conservadores, etc. Assim, os evangélicos esquecerão sua missão principal e que almas, conservadoras ou não, estão se perdendo eternamente.
“Perseguição” é uma evidência triste da decadência evangélica americana por causa do “conservadorismo.”
A feminista pró-aborto Dorri Olds disse que “Perseguição” foi “feito em grande parte por gente que na vida real é conservadora.” Olds, que assistiu à pré-estreia, acrescenta que “foi pura propaganda da direita cristã” e que é “Um Filme Somente para Conservadores Cristãos.”
Ela escreveu sobre suas conversas com atores e produtores de “Perseguição.” Para assistir ao trailer, use este link: https://youtu.be/vurFMz8bfNY

“Boa parte de nossa cultura está erodindo,” o ator e produtor James R. Higgins disse para ela. “Não há tantos cristãos reais como costumava haver.”
Olds perguntou: “O que é um cristão real?”
Higgins respondeu: “Alguém que defenderá aquilo em que crê e não retrocederá.” Ele louvou o personagem Luther, dizendo: “Toda vez que as pessoas estão dispostas a morrer pela sua causa, eu acho que isso é realmente especial.” Conforme registrado no TheBlot, Olds acrescentou: “Sim, é isso mesmo. Vamos todos nos tornar homens-bombas!”
Ela também comentou: “Quando Higgins expressou como é importante proteger nosso direito à liberdade, perguntei se ele achava que as mulheres deveriam ter a liberdade de fazer aborto. Ele disse: ‘Ai, meu Deus. Essa é uma pergunta difícil. Isso é o que chamo de questão social.’”
Defender a liberdade e a liberdade de expressão numa sociedade cristã, como aconteceu nos EUA 200 anos atrás, produz liberdade. Em contraste, defender a liberdade e a liberdade de expressão numa nação moralmente decadente hoje produz liberdade para o aborto, sodomia e outros males.
Na definição de Higgins, conforme escreveu Olds, até os muçulmanos radicais podem ser “cristãos reais.” Mas será que tal definição é correta?
Se a feminista Olds tivesse me perguntado “O que é um cristão real?” eu teria respondido: “Um cristão real é um homem que conhece e segue Jesus Cristo. Sua paixão é pregar o Evangelho a toda criatura para lhes dar uma oportunidade de conhecerem que Jesus pode resgatar e salvar suas almas eternas do inferno eterno.”
Pregue liberdade de expressão para feministas como Olds, e elas a usarão para o aborto. Pregue o Evangelho para elas, e elas poderão ser libertas de seus pecados, inclusive do ativismo pró-aborto.
Pregar o Evangelho real, independente da liberdade de expressão, produz liberdade, aqui e para sempre.
O poder de Jesus e seu Evangelho nunca dependeram da liberdade de expressão nem de movimentos políticos de esquerda e direita.
Leitura recomendada:

2 comentários :

  1. "O poder de Jesus e seu Evangelho nunca dependeram da liberdade de expressão nem de movimentos políticos de esquerda e direita."

    Sensacional!

    ResponderExcluir
  2. O Reino de Cristo não é desse mundo (João 18:36), porque este mundo passou a ser de Satanás após o pecado de Adão e Eva (João 16:11, 1João 5:19), mas Deus há de tomar de volta este reino em breve (Apocalipse 11:15) todos conhecem o sonho da estatua de Nabuconosor, nós estamos no reino de ferro e barro, e em breve a pedra cairá, essa pedra é Jesus (leia e compare Daniel 2:44-45 e 1Pedro 2:4 ). E claro eu acredito que neste mundo, um governo conservador irá perseguir os verdadeiros cristãos, a liberdade de expressão será ameaçada, acredito que este Governo será um governo politico-religioso, e acredito também que haverá mistura de Cristianismo com espiritismo... parece que tudo está caminhando pra esse lado pois há muita polarização, principalmente no Brasil... e ai vc está preparado para essa grande tribulação?

    ResponderExcluir

Esta seção é moderada conforme opção democrática do Blogger para limitar excessos e outros tipos de interferência na interação do público com este blog. Portanto, todas as opiniões, comentários e textos estão sujeitos à avaliação do moderador. Manifestações insensatas, tolas, ridículas e desrespeitosas não são bem-vindas neste blog. Opiniões sensatas são mais que bem-vindas. Aos que querem fazer cobranças neste espaço, é imprescindível a apresentação do perfil oficial. O moderador se reserva o direito de publicar ou não comentários de questionadores anônimos, sem nenhuma identificação válida e verificável.