15 de abril de 2018

Aumento de imigrantes muçulmanos faz homossexuais franceses voltarem para dentro do armário


Aumento de imigrantes muçulmanos faz homossexuais franceses voltarem para dentro do armário

Julio Severo
O site conservador liberal Breitbart noticiou hoje que “lésbicas que vivem em subúrbios franceses cheios de imigrantes são forçadas a esconder sua sexualidade e muitas são até forçadas a se mudarem se ‘saem do armário.’”
O Breitbart também disse:
Os subúrbios cheios de imigrantes se tornaram comumente conhecidos como zonas proibidas devido aos níveis elevados de crimes… e o predomínio do islamismo radical.
O Breitbart acrescentou:
Duas lésbicas no subúrbio parisiense de Val-d’Oise no início deste ano… foram atacadas fisicamente por um grupo de jovens no metrô que as chamou de “prostitutas lésbicas” e gritou outros palavrões contra elas.
Homens homossexuais também têm sido alvos de ameaças e importunações de indivíduos de áreas de imigrantes. No mês passado no subúrbio parisiense de Hauts-de-Seine dois homens relataram que uma mulher gritou contra eles num supermercado chamando-os de vários palavrões e dizendo: “Eles merecem morrer. Na Argélia [país islâmico], costumamos cortar as cabeças deles.”
Isso é só o começo. Com o crescimento do islamismo na Europa, militantes homossexuais, que fazem acusações espalhafatosas contra os cristãos, insinuando que mencionar a postura da Bíblia contra o homossexualismo equivale a atitudes assassinas contra homossexuais, vão ficar calados quando muçulmanos radicais começarem a matar homossexuais.
Com os cristãos, que não matam homossexuais, os militantes gays abusam nas acusações.
Com os muçulmanos, que matam homossexuais, os militam gays se calam de medo.
Apesar de tudo, hoje os homossexuais europeus gozam dos muçulmanos mais “respeito” do que as mulheres e meninas, que estão sendo estupradas aos milhares em toda a Europa.
Leitura recomendada:
Postar um comentário