14 de abril de 2018

Apoiadores de Trump condenam decisão de lançar ataques aéreos na Síria


Apoiadores de Trump condenam decisão de lançar ataques aéreos na Síria

Jacqueline Thomsen
Proeminentes apoiadores do Presidente Trump estão expressando ceticismo com sua decisão de lançar ataques aéreos contra a Síria, condenando essa ação como excessivamente agressiva e desnecessária.
Tucker Carlson e Laura Ingraham, apresentadores da Fox News, o canal noticioso mais conservador dos EUA, questionaram a decisão de Trump na sexta-feira de lançar ataques em retaliação por um ataque de armas químicas que os EUA atribuíram ao governo sírio.
Carlson comentou que o ataque contradiz a mensagem do presidente Trump durante sua campanha de 2016, e Ingraham disse que ela crê que intervenções em outros países podem ser arriscadas, conforme mostra a Guerra do Iraque, de acordo com o jornal Daily Beast.
Michael Savage, um proeminente escritor conservador e apresentador de programa de rádio, tuitou que “triste, promotores de guerras sequestraram os EUA” depois da notícia do ataque.
Alex Jones, do Infowars, chorou enquanto falava contra a ação militar de Trump.
“Se ele tivesse sido um patife desde o início, não seria tão ruim,” Jones disse de Trump. “Fizemos tantos sacrifícios e agora ele faz m**da em cima de nós. Isso tudo me enoja.”
A escritora conservadora Ann Coulter também compartilhou sua oposição ao ataque, retuitando uma série de outras figuras conservadoras ou da extrema direita que condenaram o ataque e citando as próprias mensagens passadas de Trump contra ações militares na Síria.
E figuras da extrema direita como Mike Cernovich e Laura Loomer xingaram Trump pelo ataque militar contra a Síria.
Trump anunciou na sexta-feira que ele havia ordenado “ataques de precisão” contra a Síria por causa de um aparente ataque de armas químicas por parte das forças do líder Bashar Assad. Os ataques miraram áreas ligadas ao programa de armas químicas da Síria.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês do The Hill: Trump supporters slam decision to launch strikes against Syria
Leitura recomendada:
Postar um comentário