18 de junho de 2018

Mídia e políticos americanos se unem e pressionam por mais guerra


Mídia e políticos americanos se unem e pressionam por mais guerra

William Murray
Os Estados Unidos estão envolvidos em algum estado de guerra quase continuamente desde a Segunda Guerra Mundial. Algumas guerras foram importantes, como na Coréia e no Vietnã, e resultaram na perda de dezenas de milhares de militares americanos. Outras guerras, como em Granada e no Panamá, foram mais como ações policiais. As ações aéreas em uma dúzia de nações como Paquistão, Iêmen, Somália, Líbia e Síria não são consideradas pela maioria como um estado de guerra, embora realmente sejam. Os EUA têm forças militares terrestres na Síria hoje e estabeleceram bases lá — isso é um estado de guerra.
Contudo, depois de lutar até chegar a um impasse na Coréia, perdendo no Vietnã e não realizando nada na Líbia, Iraque e Síria além de destruir a infraestrutura dessas nações e criar um terreno fértil para grupos terroristas sunitas, os generais americanos agora têm um alto nível de confiança. Essa confiança excessiva — juntamente com o apoio dos neoconservadores no Congresso — pode levar a uma guerra devastadora contra a Rússia, a China ou ambos. E essas guerras podem facilmente levar ao uso de armas nucleares, porque tais guerras não podem ser vencidas no solo, apesar das incríveis vantagens tecnológicas das forças militares americanas.
A Rússia parece uma presa fácil para a elite militar americana. A Rússia tem uma população menos da metade da população dos Estados Unidos e um exército de apenas 270.000 soldados ativos. A Rússia tem apenas 1.046 aviões com capacidade de combate contra mais de 5.000 aviões de guerra americanos. Em conjunto com a OTAN, a vantagem americana no poderio aéreo é de cerca de 18 contra 1. A Rússia não teria escolha a não ser depender das suas capacidades nucleares para poder reagir a qualquer ação grande da OTAN.
Com o único impedimento sendo o poderio nuclear da Rússia, o Pentágono anunciou em 18 de janeiro planos para um arsenal nuclear “atualizado” que incluiria mísseis de cruzeiro nucleares com base no mar. Apesar das limitações no recrutamento de um exército profissional (voluntários pagos em vez de recrutas), a elite militar americana considera os Estados Unidos capazes de combater a Rússia na Europa e a China na Ásia ao mesmo tempo.
Oficialmente, mais de 200.000 militares americanos estão em bases no exterior. Esse número não inclui fornecedores militares, muitos dos quais são do tipo armado “Blackwater” pagos pelo Departamento de Defesa, CIA e outras agências. Os números oficiais são difíceis de conseguir, mas no Afeganistão sob o governo Obama, havia três fornecedores na zona de guerra para cada membro das forças armadas dos EUA. Aliás, durante o governo Obama, mais fornecedores militares morreram em ação no Afeganistão do que os militares.
Existem 800 bases militares americanas em nações estrangeiras, e o Pentágono afirma ter soldados ativos em 177 nações.
O poderio e o número absoluto de homens e máquinas disponíveis dão aos generais e políticos americanos a suprema confiança da vitória, apesar de não terem realizado nada além de um estado de caos no Afeganistão, Oriente Médio e Norte da África desde 2002, depois de gastar quase US$ 3 trilhões.
Lamentavelmente, os políticos americanos estão prontos e dispostos a investir dinheiro para ir à guerra. O orçamento militar oficial para o ano fiscal de 2017 foi de US$ 611 bilhões, mais do que a China, a Rússia, a Arábia Saudita, a Índia, a França, o Reino Unido, o Japão e a Alemanha juntos. O orçamento militar russo de 2017, incluindo a guerra na Síria, foi de US$ 70 bilhões e o da China foi de US$ 215 bilhões. O orçamento de 2018 dos EUA, mais do que o presidente Trump solicitou, é de mais de US$ 700 bilhões — uma impressionante proporção de 10 contra 1 da Rússia.
A retórica está sempre em alta. Um artigo publicado na edição de 18 de janeiro do jornal Wall Street Journal argumentou que “a política dos EUA deveria ser acabar com a República Islâmica (do Irã) antes de seu aniversário de 40 anos.” O editorial oficial do Wall Street Journal, no mesmo dia, pedia o aumento dos gastos militares. Um editor de opinião da Fox News, na mesma semana, pediu um bloqueio naval da Coreia do Norte, “projetado para lentamente sufocar a nação recalcitrante à submissão.”
Um artigo do jornal Washington Post escrito pelo senador Ted Cruz, do Texas, afirmou que era “hora de tomar a iniciativa, apavorar Kim Jong-un e estabelecer as condições nos termos americanos.” O secretário de Estado Tillerson disse inúmeras vezes que uma guerra com a Coreia está ficando “mais provável.”
É além de inacreditável que generais e políticos americanos acreditariam que a China permitirá um bloqueio naval ou um ataque militar contra uma nação com a qual compartilha uma fronteira. O presidente Trump promovendo uma guerra comercial com a China está um passo longe demais; uma guerra real com a China é de cerca de 100 passos longe demais, a menos que o povo americano esteja disposto a aceitar a volta do alistamento militar obrigatório e a contagem de baixas em centenas de milhares ou talvez milhões.
Em janeiro de 2018, tanto os líderes democratas quanto os republicanos estavam pressionando para que houvesse um confronto com a Coréia do Norte, Irã, Rússia e China. Os políticos e generais estão blefando? O que acontece se os generais russos, chineses, iranianos e norte-coreanos não acharem que as ameaças são vazias?
Declarações públicas que comparam o presidente Vladimir Putin a Adolf Hitler, cujas ações causaram a morte de talvez 50 milhões de pessoas, são totalmente insanas, mas mostram como, na realidade, a mídia e os políticos americanos apoiam a mentalidade de tempo de guerra. Até mesmo meios de comunicação anti-guerra como o Washington Post e a CNN agora trazem a retórica anti-russa a um nível não visto desde as caracterizações do Gen. Tojo do Japão durante a Segunda Guerra Mundial.
Muito desse barulho político é lixo, porém ajuda na compra de maiores orçamentos militares que trazem empregos na indústria militar para quase todos os estados nos EUA. Mas aumenta também a chance de guerra.
A Rússia não vai invadir nem a Islândia nem a Suécia, mas ficará feliz em vender mais petróleo a essas nações; a Coreia do Norte não vai bombardear o Japão; o Irã não é uma ameaça existencial para nações nucleares armadas, como os Estados Unidos e Israel; a China não tem interesses territoriais, exceto o petróleo sob o Mar do Sul da China. No entanto, a guerra está se tornando cada vez mais provável com uma ou talvez todas essas nações, a menos que o tom e a gritaria de guerra da mídia e dos políticos dos EUA possam ser reduzidos.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês do WND (WorldNetDaily): Media & politicians unite, push for more war
Outros artigos de William Murray:

17 de junho de 2018

Como receber revelações que transformam vidas


Como receber revelações que transformam vidas

Mark Virkler
A meditação é simplesmente eu estudando mais? A meditação é algo da Nova Era ou uma técnica oriental? A resposta a ambas as perguntas é não!
A meditação bíblica é “o Espírito de Deus utilizando todas as faculdades do meu coração e mente, produzindo revelação que introduz transformação.”
Meditação é buscar atentamente a revelação de Deus, resultando em Deus se revelando a você.
É a glória de Deus esconder um assunto. É a glória dos reis procurar saber um assunto (Provérbios 25:2). Somos encorajados a orar para que os olhos de nossos corações sejam iluminados, para que possamos saber (Efésios 1:17-18).

Versículos com “Meditar” ou “Meditação” da Bíblia Novo Padrão Americano

1.      Isaque saiu para meditar no campo quase ao anoitecer (Gn 24:63).
2.      Este livro da lei não se desviará de sua boca, mas você deve meditar nele dia e noite, para que você possa ter o cuidado de agir de acordo com tudo o que está escrito nele; pois então você fará o seu caminho próspero e então você terá sucesso (Josué 1: 8).
3.      Trema e não peque; medite em seu coração em sua cama e fique quieto. Selá (Sl 4: 4).
4.      Uma coisa pedi ao SENHOR, e a buscarei: que possa morar na casa do SENHOR todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do SENHOR e meditar no Seu santuário (Sal. 27: 4). ).
5.      A minha boca falará sabedoria, e a meditação do meu coração será compreensiva (Sl 49: 3).
6.      Quando me lembro de Ti na minha cama, medito em Ti nas vigílias da noite (Salmos 63: 6).
7.      Recordarei minha música à noite; Meditarei com meu coração e meu espírito ponderará (Sl 77: 6).
8.      Meditarei em todo o Teu trabalho e meditarei nas Tuas obras (Sl. 77:12).
9.      Que as palavras da minha boca e a meditação do meu coração sejam aceitáveis aos Teus olhos, ó Senhor, minha rocha e meu Redentor (Sl. 19:14).
10.  Que minha meditação seja agradável a Ele; quanto a mim, me alegrarei no Senhor (Sl 104: 34).
11.  Meditarei nos Teus preceitos e considerarei os Teus caminhos (Sl 119: 15).
12.  Faz-me entender o caminho dos Teus preceitos, por isso meditarei nas Tuas maravilhas (Sl 119: 27).
13.  E levantarei as mãos aos Teus mandamentos, que amo; E meditarei nos Teus estatutos (Sl 119: 48).
14.  Que os arrogantes sejam envergonhados, pois me subvertem com uma mentira; Mas eu meditarei em Teus preceitos (Sl 119: 78).
15.  Oh, como amo a Tua lei! É minha meditação o dia todo (Sl 119: 97).
16.  Tenho mais discernimento do que todos os meus mestres, pois os Teus testemunhos são a minha meditação (Sl 119: 99).
17.  Meus olhos antecipam as vigílias da noite, para que eu possa meditar na Tua palavra (Sl 119: 148).
18.  Recordo os dias do passado; Medito em todos os Teus feitos; Medito no trabalho das Tuas mãos (Sl 143: 5).
19.  No glorioso esplendor da Tua majestade e nas Tuas obras maravilhosas, meditarei (Sl 145: 5).

Quatro pilares fundamentais da meditação

Os quatro pilares fundamentais da meditação são: 1) uma atividade contínua, 2) o Espírito de Deus utilizando todas as faculdades do coração e mente, 3) resulta em revelação e 4) revelação que traz transformação.
1.      A meditação é uma atividade contínua. Meditamos em todos os lugares: na cama, no campo, no templo e enquanto trabalhamos. Nós meditamos o tempo todo: dia, tarde e noite. Meditação é o nosso estilo de vida (Filipenses 4:8). Meditamos em Deus e nas coisas que são dEle: Seu esplendor, Sua Majestade, Sua beleza, Sua Bíblia, Seus preceitos, Seus estatutos e Seus caminhos, Suas obras (como Sua criação, o mundo) e Suas atividades (as coisas Ele faz). Nós não meditamos no mal, na maldade ou nas obras de Satanás.
2.      A meditação envolve o Espírito de Deus utilizando todas as faculdades do coração e da mente. A meditação é o Espírito de Deus em nossos corações guiando cada faculdade em ambos os hemisférios do nosso cérebro. Nós nos aquietamos, usando música e/ou música instrumental e/ou nos vendo presentes com Ele (Atos 2:25) e cantamos, oramos, buscamos e perguntamos (inclusive levando nossas reclamações a Deus para receber Seu conselho). Nós falamos, conversamos, falamos baixinho, nos comunicamos, balbuciamos (provavelmente falamos em línguas), bradamos (ao inimigo e quando a revelação chega), choramos (nos arrependemos de nossos pecados), pensamos profundamente, consideramos, ponderamos, imaginamos e estudamos (estudar é bom quando estamos concentrados nesses outros aspectos da meditação). Sentimos a habitação do Espírito Santo clamando pela intimidade com o Pai (Gálatas 4: 6).
3.      A meditação resulta em revelação. Nós nos aquietamos em adoração e oração, pedindo por revelação (Ef 1:17,18), enquanto fixamos nossos olhos no Senhor (Atos 2:25), que revela a verdade aos nossos corações. Nós nos sintonizamos com pensamentos, visões, emoções e poder que fluem do Espírito Santo dentro de nós (João 7:37-39). Sentimos nossos corações ardendo com revelações quando Ele nos abre as Escrituras (Lucas 24:15-32). Sua palavra falada é poderosa (Isaías 55:11; João 6:63).
4.      Revelação traz transformação! Revelação ardente cria a verdade viva em nossos corações. Dizemos: “Sim, Senhor” a essas revelações, concordando com o que vemos Jesus fazendo e falando. Isso traz como resultado transformação em nós enquanto olhamos para Jesus em ação (2Co 3:18; 4:17-18).
Esses momentos de transformação podem ocorrer continuamente se meditarmos diariamente. Então, meditaremos diariamente para que nos tornemos a expressão radiante de Jesus e façamos nosso caminho próspero (2Co 3:18, 4:18; Hebreus 12:2; Josué 1:8).

Um processo de meditação de 7 passos que resulta em revelação

1.      Escreva: Eu copio o versículo à mão em um pedaço de papel ou cartão (Deuteronômio 17:18) e guardo-o para meditar, memorizar e falar baixinho durante o dia inteiro ou durante dias. Eu também registro esse versículo em meu diário de meditação (que pode ser escrito, digitado ou gravado verbalmente).
2.      Aquiete-se: Eu fico quieto na presença de Deus, amando-O através de música suave (2 Reis 3:15,16) e/ou orando em línguas (1 Coríntios 14:15), colocando um sorriso no rosto e imaginando Jesus comigo (Atos 2:25). Eu me sintonizo com os pensamentos, imagens e emoções que fluem dEle (João 7:37-39).
3.      Razão: Eu raciocino junto com Deus (Is 1:18), significando que o Espírito guia o meu processo de raciocínio: “Senhor, o que Tu queres me mostrar sobre qualquer uma das seguintes coisas: o contexto de um versículo, as definições de hebraico e grego das palavras-chave no versículo ou quaisquer entendimentos culturais?”
4.      Fale e Imagine: Eu reflito nas Escrituras, falando para mim mesmo suavemente várias vezes, até poder dizer com meus olhos fechados. Quando repito as Escrituras, permito-me vê-la com os olhos do meu coração. Eu noto que a imagem está em minha mente enquanto repito as Escrituras.
5.      Sinta o coração de Deus: Ao ver a foto acima, eu pergunto: “Senhor, o que este versículo da Bíblia revela sobre Teu coração para mim?” Sinto o coração dEle e anoto no meu diário.
6.      Ouça a Rhema de Deus: Eu me coloco na imagem desse versículo da Bíblia em minha mente. Eu pergunto: “Senhor, o que Tu estás falando comigo através deste versículo da Bíblia?” Sintonizo pensamentos e imagens que fluem (voz e visão de Deus), e registro esse diálogo em meu diário de mão dupla.
7.      Aja: Aceito esta revelação, arrependendo-me de qualquer pecado que seja oposto a ela e bradando contra qualquer obstáculo que esteja no caminho de sua implementação. Eu então a proclamo e ajo de acordo com ela.
Nossos corações ardem enquanto Ele caminha conosco, abrindo as Escrituras para nós (Lucas 24:32).
Somos transformados quando olhamos e vemos o que Jesus está fazendo (2Co 3:18).
O Espírito Santo guia o processo acima, levando a mais ou menos ênfase em qualquer um dos vários passos, de acordo com o desejo de Deus para o momento presente e as necessidades pessoais que temos. Então, permanecemos dependentes dEle em tudo isso.
Por exemplo, eu posso precisar de mais ou menos tempo para me acalmar em Sua presença ou mais ou menos tempo no “raciocínio” dirigido pelo Espírito, ou mais ou menos tempo em falar isso, ou sentir o coração de Deus nisso, ou anotar minha comunicação de duas vias, ou bradar para o inimigo tirar suas mentiras da minha cabeça e suas mãos do meu ser. Então permito que o fluxo do Espírito Santo me guie através dos passos desse processo de meditação.

Uma dúzia de erros a evitar ao meditar

1.      Acomodar-se com a atitude ocidental do “estudo” que é geralmente definido pelo homem controlando uma faculdade dentro de sua mente, enquanto a meditação bíblica é um processo muito mais completo e é definida como o Espírito Santo controlando todas as faculdades do coração e mente.
2.      Ter medo da palavra “meditação,” embora seja uma palavra usada muitas vezes nas Escrituras.
3.      Olhar para os falsos deuses do ego ou um Deus da Nova Era, em vez de fixar meus olhos em Jesus e pedir ao Espírito Santo para guiar as meditações do meu coração.
4.      Pensar que o processo de meditação ensinado nas Escrituras se relaciona apenas com a Bíblia e não com todas as obras e criação de Deus.
8.      Meditar em Satanás e suas obras ou na maldade da humanidade e suas obras. Em vez disso, medite apenas em Deus e em Suas obras, o que resulta em nos manter cheios de fé, esperança e amor.
5.      Não saber definir claramente a voz e a visão de Deus, que são reconhecidas como pensamentos e imagens que fluem. Não saber que posso ampliar essa revelação registrando em meu diário o fluxo que está chegando (como ensinado em detalhes no livro 4 Keys to Hearing God's Voice).
6.      Pensar que o objetivo da meditação é alcançar a quietude, ao invés de perceber que passamos pela nossa quietude para a revelação e poder do Senhor. O objetivo é se conectar com o Deus Todo-Poderoso.
7.      Expressar orgulho ao tentar provar que a minha posição é correta, ao invés de expressar mansidão, que é ter disposição para mudar de ideia, não importa o custo.
8.      Não estar disposto a explorar em profundidade todas as Escrituras em todos os aspectos de um tópico, mas procurar apenas versículos que sustentem minha posição preconcebida.
9.      Tomar a atitude do acusador, que é a de Satanás, ao invés da atitude do consolador, que é do Espírito Santo, e assim it contra as pessoas (ou o ego), ao invés de ficar ao lado delas.
10.  Fazer da meditação algo mais difícil do que uma criança pode fazer.
11.  Fazer da meditação um processo mecânico de sete passos rígidos, em vez de uma abordagem flexível guiada pelo Espírito Santo.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês da revista Charisma: How to Receive Life-Changing Revelation
Leitura recomendada:

16 de junho de 2018

Trump enfrenta revolta após dar saudação militar a general norte-coreano


Trump enfrenta revolta após dar saudação militar a general norte-coreano

Rebecca Morin
Comentário de Julio Severo: Peguei esta reportagem conforme foi compartilhada por alguns conservadores americanos, que reconheceram que houve duplo padrão com relação à saudação militar de Trump a um general comunista. Se Obama tivesse feito isso, todos os conservadores estariam condenando. O fato é que tal atitude é errada, seja vindo de quem quer que seja, de Obama ou de Trump. Mas casos assim ajudam a distinguir entre o conservador raso e idólatra e o conservador por princípios. O conservador idólatra segue a moda do momento. O conservador de princípios, como já diz o nome, segue princípios conservadores, independente da moda. Leia a reportagem traduzida por mim do site americano Politico:
Trump dá saudação militar a general comunista norte-coreano
Donald Trump enfrentou um pouco de fúria na quinta-feira depois que ele foi contra as normas presidenciais ao dar saudação militar a um general norte-coreano.
“Não estou tentando ser injustificável ou injusto, mas saudar um general de uma força militar inimiga não é até certo ponto algo muito importante?” tuitou o senador Brian Schatz (D-Hawaii).
O canal de notícias estatal da Coreia do Norte foi o primeiro a transmitir um vídeo de 42 minutos da reunião de Trump nesta semana com Kim Jong Un. Em um clipe compartilhado pela BBC, Trump é visto se encontrando com várias autoridades norte-coreanas, inclusive um general militar norte-coreano.
O general primeiro saúda Trump, ao que o presidente devolve a saudação, antes de lhe apertar mão. Kim é visto sorrindo no fundo.
“Para surpresa de ninguém, a Coréia do Norte usou nosso presidente para sua campanha de propaganda,” tuitou o senador Chris Van Hollen (D-Md.), Chamando de “asqueroso” ver a saudação depois que Trump havia acabado de atacar aliados tradicionais dos EUA dias antes por causa de disputas comerciais em uma reunião do G-7.
A secretária de imprensa da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, defendeu a atitude na quinta-feira à tarde, chamando-a de “uma cortesia comum,” acrescentando que “quando uma autoridade militar de outro governo saúda… você devolve isso.”
Contudo, especialistas militares e de inteligência comentaram nesta quinta-feira que os presidentes dos EUA normalmente não saúdam oficiais militares de nações inimigas. Os governos dos EUA e da Coreia do Norte não têm relações diplomáticas formais, e a Coréia do Norte ainda está tecnicamente em guerra com a Coreia do Sul, um importante aliado dos EUA.
O major aposentado Paul Eaton, em uma declaração para o grupo de defesa de direitos de  veteranos VoteVets.org, chamou a saudação de Trump de “totalmente imprópria.”
O governo Trump precisa falar com a Coréia do Norte, disse ele, “para evitar uma guerra desastrosa. Mas eles não fizeram por merecer a saudação militar de um presidente americano.”
“Há um protocolo para as saudações militares,” tuitou Mieke Eoyang, um ex-funcionário do Congresso dos EUA com enfoque em serviços de Inteligência, que agora está com o centro de pesquisas de centro-esquerda Third Way. “Elas são dadas a militares estrangeiros amigos. Mas, com a DPRK, ainda estamos em estado de guerra; portanto, uma saudação é imprópria,” acrescentou ele, referindo-se ao nome preferido de Pyongyang para a Coréia do Norte, a República Popular Democrática da Coréia.
Ativistas de direitos humanos — e o governo dos EUA — também admoestaram o regime norte-coreano por seu longo histórico de deter e punir milhares de pessoas em campos de prisioneiros.
Eaton disse em sua declaração que Pyongyang era responsável por “um regime de terror, assassinato e horror indescritível contra seu próprio povo.”
Ainda assim, alguns especialistas conservadores rapidamente vieram à defesa de Trump.
Jack Posobiec, um proeminente promotor de Trump no Twitter, tuitou fotos do presidente Barack Obama fazendo sinal de positivo para as forças armadas cubanas e “dando um aperto de mão de irmão” ao então presidente venezuelano Hugo Chávez.
De fato, os conservadores criticaram Obama várias vezes no início de sua presidência quando ele se curvou diante de dois líderes estrangeiros.
Primeiro, Obama enfrentou uma consequência negativa em 2009 depois de se curvar diante do imperador Akihito durante sua primeira visita ao Japão. Os conservadores disseram que a atitude dele mostrava fraqueza dos EUA no cenário mundial.
Obama também foi criticado no final daquele ano por se prostrar diante do rei Abdullah, da Arábia Saudita.
Trump em 2012 tuitou sobre a interação de Obama com Abdullah: “Nós ainda queremos um presidente que se curve aos sauditas e deixe a OPEP nos enganar?”
Na quinta-feira, muitos da esquerda apontaram esses incidentes como evidência de que Obama enfrentou um duplo padrão, e que os conservadores são hipócritas por defenderem a saudação militar de Trump.
No entanto, Ned Price, funcionário da Casa Branca da era Obama e analista da CIA que deixou o trabalho do governo logo após a posse de Trump, argumentou que essas situações não deveriam ser comparadas. Um presidente deve sempre conhecer o protocolo adequado ao interagir com oficiais militares estrangeiros, disse ele.
“Podemos ficar indignados porque Trump deu uma saudação militar a um general norte-coreano sem invocar o argumento ‘se Obama fez,’” escreveu Price no Twitter. “Eis a verdade: nem Obama nem qualquer outro presidente americano teria feito isso. Como tantas outras coisas hoje, é exclusivamente típico de Trump e repugnante.”
Traduzido por Julio Severo do original em inglês do site americano Politico: Trump faces backlash after saluting North Korean general
Leitura recomendada:

15 de junho de 2018

Fumar cigarros torna você mais fraco: danifica diretamente os músculos ao limitar o fluxo de oxigênio e nutrientes através do corpo, constata o estudo


Fumar cigarros torna você mais fraco: danifica diretamente os músculos ao limitar o fluxo de oxigênio e nutrientes através do corpo, constata o estudo

Mary Kekatos
Fumar cigarros danifica os músculos do seu corpo, revelou um novo estudo.
A fumaça reduz diretamente o número de vasos sanguíneos nos músculos das pernas e limita a quantidade de oxigênio e nutrientes que eles podem receber.
Estudos anteriores demonstraram que o tabagismo torna os músculos mais fracos porque os pulmões ficam inflamados pelo uso do cigarro, restringindo sua capacidade de se exercitar e realizar atividades.
No entanto, esse estudo, conduzido por pesquisadores da Califórnia, Brasil e Japão, é o primeiro a mostrar o impacto direto do tabagismo nos músculos.
Pesquisas anteriores mostraram que a fumaça do cigarro estreita as artérias do corpo, reduzindo tanto o fluxo de sangue para o coração quanto a capacidade pulmonar — fazendo com que você se esforce com mais dificuldade durante a atividade física.
Isso limita sua capacidade de realizar certos exercícios e capacidade de aumentar seus músculos.
Entretanto, os pesquisadores agora podem mostrar como o efeito é muito maior do que pensávamos.
Para esse estudo, a equipe expôs camundongos à fumaça de cigarros de tabaco por oito semanas, seja por inalação ou injetando em ratos uma solução borbulhada de fumaça.
No estudo, a equipe encontrou uma diminuição de 34 por cento na relação fibra capilar-muscular dos músculos da panturrilha em camundongos expostos à fumaça.
Os capilares são os menores vasos sanguíneos do corpo. Uma alta relação entre capilar e fibra permite que o sangue permeie mais completamente o tecido muscular.
Contudo, o estudo mostra que, como os vasos sanguíneos foram diminuídos, a taxa de fluxo sanguíneo para os músculos foi reduzida — privando-os de oxigênio e nutrientes.
E quando os músculos são privados dessas duas substâncias para usar energia, eles ficam enfraquecidos e incapazes de realizar uma grande quantidade de atividade física.
Isso é um fator de risco para muitas doenças a longo prazo, inclusive doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) e diabetes.
A resistência à fadiga também diminuiu em até 43% nesses ratos, o que significa que os músculos se sentem mais rapidamente fracos, doloridos e cansados.
Embora os pesquisadores tenham constatado que os danos musculares nas pernas são os mais pronunciados, eles não conseguiram identificar exatamente qual componente químico da fumaça do cigarro era responsável.
Eles apontam que os cigarros contêm aproximadamente 4.000 componentes químicos, muitos dos quais são cancerígenos prejudiciais.
“É de vital importância que mostremos às pessoas que o uso de cigarros de tabaco tem consequências danosas em todo o corpo, inclusive grandes grupos musculares necessários para a vida diária,” disse Ellen Breen, cientista pesquisadora associada da Universidade da Califórnia, em San Diego.
“Precisamos desenvolver estratégias para deter os danos desencadeados pelos componentes prejudiciais da fumaça do cigarro.”
Essa pesquisa particularmente vital veio imediatamente depois de um estudo recente que revelou que os exercícios para as pernas aumentam a produção de células da massa cinzenta no cérebro.
Esse estudo, realizado na Universidade de Milão, revelou que o exercício de levar peso aumenta a produção de células neuronais saudáveis, essenciais para o cérebro e sistema nervoso.
Reduzir o exercício físico torna difícil para o corpo produzir novas células nervosas, que são alguns dos blocos de construção que nos permitem lidar com o estresse e se adaptar ao desafio em nossas vidas.
Como as pernas contêm os maiores músculos do corpo, elas são de particular importância para a capacidade muscular e mais importantes do que outros para estimular a atividade cerebral.
Leitura recomendada: