14 de dezembro de 2017

Patheos ataca Julio Severo por mencionar origem islâmica da Estátua da Liberdade


Patheos ataca Julio Severo por mencionar origem islâmica da Estátua da Liberdade

Julio Severo
Em seu artigo no Patheos “Wingnut: Statue of Liberty a ‘Pagan Curse’ on America” (Doido: Estátua da Liberdade É uma “Maldição Pagã” sobre os EUA) o autor ateu Ed Brayton disse:
“Exatamente quando você achava que os doidos não poderiam ficar mais ridículos, eles dão um jeito de superar seu próprio recorde mundial por disparate total. Julio Severo, um blogueiro brasileiro, escreve — como seria de esperar — no BarbWire que a Estátua da Liberdade é um símbolo pagão que tem amaldiçoado os EUA. Porque o islamismo isso e aquilo.”
Então ele acrescentou que a Estátua da Liberdade não tem “absolutamente nada a ver com o islamismo,” como resposta direta ao meu artigo no BarbWire “Statue of Liberty, a Pagan-Islamic Curse on America?” (cuja versão em português é: “Estátua da Liberdade, uma maldição pagã-islâmica sobre os EUA?”)
Patheos e Brayton conseguiram desmentir meu artigo no BarbWire? De forma alguma.
* Um artigo intitulado “A Estátua da Liberdade Era Originalmente uma Mulher Muçulmana” do Instituto Smithsoniano diz exatamente o contrário de Patheos e Brayton. O Instituto Smithsoniano é um grupo de museus e centros de pesquisas administrados pelo governo dos Estados Unidos.
* Há também um artigo do jornal DailyBeast intitulado “A Estátua da Liberdade Nasceu Muçulmana.”
Isso é suficiente? Estamos ouvindo o ateu Ed Brayton chamando o Instituto Smithsoniano e o DailyBeast de “doidos”?
Parece que Brayton não gosta de usar o Google para pesquisar em busca de respostas muito básicas. Esse problema é generalizado entre esquerdistas. Eles não gostam de respostas. Mas eles gostam de causar confusão. O site “Socialista Obstinado” me criticou pela mesma razão de Brayton.
Brayton encerrou seus ataques dizendo:
“Pessoas muitas vezes me perguntam por que escrevo sobre essa gente e suas ideias bizarras. A resposta, pensaríamos, deveria ser óbvia: Porque há muitas pessoas no mundo que realmente acreditam nessas coisas. Milhões e milhões delas. Elas influenciam eleições. Elas dirigem órgãos governamentais. Elas ocupam direção de universidades e projetam currículos de homeschoolilng. Suas ideias são divulgadas em sites como BarbWire, cujo dono é um cara que era assistente do reitor da Faculdade de Direito da Universidade Liberty, que tem influência imensa na Direita evangélica. Precisamos jogar luz nessa ideologia insana, em vez de ignorá-la.”
O artigo anticonservador de Brayton foi publicado no Patheos, um site que contém uma salada infernal de escritores religiosos e não-religiosos. A primeira vez que vi Patheos achei que eram ateus, pois vi escritores ateus entre seus colunistas. Aliás, Patheos é mencionado no artigo “Observatório da Direita, da entidade esquerdista americana People for the American Way, coloca Julio Severo na lista negra” por sua crítica à minha opinião sobre demônios.
Sou o único cristão conservador atacado por Patheos? De forma alguma.
No artigo “Mulheres Cristãs Reunidas em Washington Marcharão contra o Feminismo e o Aborto,” Patheos criticou as mulheres cristãs que protestariam contra o feminismo e o aborto. A autora da crítica é a ateia Sarahbeth Caplin.
No artigo “Prezado Conservador Cristão: Uma Carta Aberta de uma Ex-Evangélica,” uma “cristã” progressista do Patheos que abandonou o evangelicalismo exorta leitores evangélicos a abandonar o evangelicalismo e o conservadorismo. Ela terá muita dificuldade em sua missão, pois nenhum evangélico conservador verdadeiro leria Patheos.
Os ateus não são os únicos escritores em Patheos, que tem também os seguintes colunistas:
* Brian McLaren, um pastor protestante progressista que apoia o “casamento” gay.
* Qasim Rashid, um escritor muçulmano.
* Brad Hirschfield, um escritor judeu esquerdista.
* Vivianne Crowley, alta sacerdotisa da Wicca (religião de bruxaria).
* Bristol Palin, filha da ex-candidata presidencial dos EUA Sarah Palin.
* Frank Schaeffer, “cristão” progressista que é o filho do falecido teólogo e escritor reformado conservador Francis Schaeffer. Frank se tornou um ativista esquerdista pró-aborto e pró-sodomia e hoje ele ataca todas as posturas conservadoras de seu pai.
Patheos tem muitos outros escritores “cristãos” progressistas, ateus, muçulmanos, pagãos e espíritas. Se você não é conservador, você é bem-vindo em Patheos! Não é um lugar para verdadeiros seguidores de Jesus Cristo.
Entretanto, é o lugar perfeito para doidos esquerdistas como Ed Brayton, que me chamou de “doido” porque progressistas, socialistas e esquerdistas têm um hábito terrível de acusar suas vítimas do que eles são.
Três anos atrás, Brayton usou o mesmo xingamento contra mim. Ele também rotulou o astro do cinema Chuck Norris de “retardado” porque Norris disse que se Obama fosse eleito em 2012, o socialismo dele levaria os EUA a mil anos de escuridão.
Ao repetir “doido” para si mesmo ele espera convencer sua mente ateísta de que sou o que ele é.
Contudo, ele se engana tanto nesse esforço quanto na ideia de que a Estátua da Liberdade não tem nenhuma origem islâmica.
No que depender de doidos “cristãos” progressistas, ateus, muçulmanos, pagãos e espíritas, a Babilônia religiosa anticristã de Patheos abençoará um ídolo pagão-islâmico em Nova Iorque que está amaldiçoando os Estados Unidos
Leitura recomendada:
Leitura recomendada sobre a Esquerda dos EUA contra Julio Severo:

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Esta seção é moderada conforme opção democrática do Blogger para limitar excessos e outros tipos de interferência na interação do público com este blog. Portanto, todas as opiniões, comentários e textos estão sujeitos à avaliação do moderador. Manifestações insensatas, tolas, ridículas e desrespeitosas não são bem-vindas neste blog. Opiniões sensatas são mais que bem-vindas. Aos que querem fazer cobranças neste espaço, é imprescindível a apresentação do perfil oficial. O moderador se reserva o direito de publicar ou não comentários de questionadores anônimos, sem nenhuma identificação válida e verificável.