29 de novembro de 2017

Indústrias de cigarros nos EUA deverão divulgar anúncios em jornais e na televisão corrigindo anos de mentiras sobre os “benefícios” do fumo


Indústrias de cigarros nos EUA deverão divulgar anúncios em jornais e na televisão corrigindo anos de mentiras sobre os “benefícios” do fumo

Mary Kekatos
Indústrias de cigarros nos EUA receberam ordens de divulgar anúncios em jornais e na televisão para corrigir mentiras que elas contaram durante o curso do século XX.
As “declarações de correção” são parte de uma sentença judicial de 2006 em que um tribunal dos EUA constatou que os fabricantes de cigarros conspiraram para enganar o público americano acerca dos prejuízos do fumo e cigarros.
O tribunal ordenou que os anúncios fossem pagos pelas indústrias de cigarros Lorillard Inc, Philip Morris USA, RJ Reynolds Tobacco Company e Altria Group.
De acordo com a ordem, os anúncios serão feitos em mais de 50 jornais e nas maiores redes de televisão. As indústrias devem também comprar anúncios de página inteira na primeira seção de cada jornal de domingo, e 260 anúncios de televisão serão feitos durante um ano.
Em 2015, essas indústrias gastaram $8,9 bilhões de dólares em anúncios e promoção de cigarros e tabaco sem fumaça.
As indústrias receberam primeiramente ordens de apresentar anúncios em 2006 pela juíza regional Gladys Kessler, que constatou que as indústrias de cigarros haviam causado “um número descomunal de mortes por ano, uma quantidade imensurável de sofrimento humano e perda econômica e um peso profundo em nosso sistema médico nacional.”
Verificou-se que muitas dessas mortes ocorreram por causa de campanhas publicitárias prejudiciais tais como indústrias que tentaram usar “apoio de médicos” para incentivar os consumidores a comprar seus produtos.
A Camel começou uma campanha publicitária na década de 1940 alegando que os médicos preferem produtos da Camel, e Lucky Strike deu a entender que “20.679 médicos” disseram que os cigarros Luckies eram menos prejudiciais à garganta dos consumidores do que outros cigarros.
No início da década de 1930, Lucky Strike também comercializou seus cigarros para mulheres como um inibidor de apetite com o slogan: “Pegue um Lucky em vez de um doce.”
De acordo com os CDCs, a agência sanitária dos EUA, mais de 16 milhões de americanos estão vivendo com uma doença causada pelo fumo. O cigarro é responsável por mais de 480.000 mortes por ano nos EUA.
Leitura recomendada:

3 comentários :

  1. O pior é que a maioria dos fumantes sabe as consequências de seu vício, eu considero isso uma forma de suicídio.

    ResponderExcluir
  2. Fumar é legalmente permitido, mas é letal. A homossexualidade também.

    ResponderExcluir
  3. O QUE ME CAUSA ESTRANHEZA É A INDUSTRIA DE BEBIDAS ALCOÓLICAS CORREREM LIVRES E SOLTAS, APESAR DE SEREM CAUSADORAS DE MALES COMO ACIDENTES DE TRÂNSITOS, BRIGAS EM BARES, BRIGAS DOMESTICAS E ENFERMIDADES CAUSADAS PELO ÁLCOOL. NA VERDADE A INDUSTRIA DA BEBIDA OCUPARAM O LUGAR DO TABACO NAS PUBLICIDADES TROCARAM UM MAL POR OUTRO.

    ResponderExcluir

Esta seção é moderada conforme opção democrática do Blogger para limitar excessos e outros tipos de interferência na interação do público com este blog. Portanto, todas as opiniões, comentários e textos estão sujeitos à avaliação do moderador. Manifestações insensatas, tolas, ridículas e desrespeitosas não são bem-vindas neste blog. Opiniões sensatas são mais que bem-vindas. Aos que querem fazer cobranças neste espaço, é imprescindível a apresentação do perfil oficial. O moderador se reserva o direito de publicar ou não comentários de questionadores anônimos, sem nenhuma identificação válida e verificável.