25 de novembro de 2017

Igreja Luterana da Suécia muda liturgia e tratamento para Deus é “pai e mãe”


Igreja Luterana da Suécia muda liturgia e tratamento para Deus é “pai e mãe”

Objetivo de se abandonar os pronomes 'Senhor' e 'Ele' é para ser mais inclusivo

Jarbas Aragão
A Igreja Nacional da Suécia, de confissão luterana, aprovou uma nova redação no seu “Manual da Igreja”, que estabelece como serão feitos cultos, batismos, casamentos e funerais. O livro aborda questões como linguagem, liturgia, teologia e música sendo, portanto, fundamental para as atividades eclesiásticas.
Na primeira grande alteração desde 1986, a nova versão já causa controvérsia, pois ficou decidido que as referências masculinas a Deus — chamado tradicionalmente pelos pronomes “Ele” e “Senhor” — serão descartados em detrimento de uma linguagem mais “inclusiva”.
Apesar das pesadas críticas de organizações como a Academia Real da Suécia, e de muitos líderes cristãos mais tradicionais dentro da igreja luterana, os pastores e bispos são instruídos pelo Manual a referir-se a Deus de “uma maneira neutra”. Ou seja, Deus deve ser chamado tanto de “Mãe” quanto de “Pai” nas orações.
De acordo com as diretrizes do manual, elas podem se iniciar assim: “Deus, Santíssima Trindade, Pai e Mãe, Filho, Irmã e Irmão, e Espírito, nosso salva-vidas e inspirador, nos conduza à sua riqueza de sabedoria e conhecimento”.
Sofia Camnerin, vice-presidente da Ecumênica da Suécia, defendeu que essa “linguagem inclusiva” na igreja “é baseada em uma consciência sobre os diferentes tipos de discriminação e desigualdade em nossa sociedade”. Para ela, “chamar Deus de ‘Senhor’ apenas consolida as hierarquias [de gênero] e a subordinação das mulheres no contexto patriarcal branco ocidental”.
Camnerin justifica que “Os teólogos da libertação, juntamente com os teólogos feministas e pós-coloniais, têm sido cruciais para identificar como as hierarquias de legitimação levam à violência e à subordinação”.

E a Trindade?

Por outro lado, a pastora Helena Edlund expressou sua preocupação com as novas diretrizes linguísticas. “O risco é que não percebemos as pequenas mudanças que, gradualmente ao longo do tempo, resultam em mudanças drásticas que nunca teríamos aceitado se elas fossem colocadas logo de cara”.
Ela diz que era impossível alguns anos atrás as pessoas fazerem orações na igreja chamando a Deus de “mãe”, mas essa proposta do manual oficial da igreja torna isso desejável.
Opinando sobre a aprovação da nova linguagem litúrgica, o pastor Mikael Löwegren, líder da igreja em Småland Ljungby, disse que essa decisão significa que a Igreja Nacional da Suécia “deixou de existir como uma comunidade espiritual coerente”.
Sob o disfarce da ‘diversidade’, nossa sociedade está sendo dividida em diferentes grupos”, afirmou. Para ele, a recomendação que Deus seja apresentado de uma forma neutra em termos de gênero, “leva a Igreja para muito longe da sua fundação”. Afinal, lembra o pastor, “a doutrina mais básica do cristianismo sustenta que existe um Deus trino — Pai, Filho e Espírito Santo”.

Influência da sociedade

A questão de uma linguagem neutra e inclusiva reflete na Igreja algo que vem sendo debatida na sociedade. Conforme reportou recentemente a rede CNN, há um forte movimento na Suécia para se usar nas escolas o pronome neutro “hen” para todos os alunos, independentemente do seu sexo.
“Hen” é um novo pronome, que seria um meio-termo entre “han” (ele) e “hon” (ela). Ele é utilizado para fazer referência a uma pessoa sem revelar seu gênero, seja porque é desconhecido, porque a pessoa é transgênero ou porque quem fala ou escreve considera supérfluo referir-se ao gênero. Com informações de Breitbart
Fonte: GospelPrime
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:
Governo sueco toma criança de família que educa em casa

4 comentários :

  1. Jesus é homem, subiu ao céu com seu corpo humano ressurreto sem pecado, como usar um pronome neutro se Jesus é Deus? De todas as igrejas da Europa essa consegue ser a pior.

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente o liberalismo está consumindo o protestantismo histórico.

    Mas Deus sempre mantem um povo fiel. Igreja conservadoras dentro da família luterana tem se mantido fiel.

    Por exemplo, no EUA a Sínodo da Igreja Luterana Missouri, com mais de 6000 igrejas, e no Brasil a IELB, em torno de 2000 igrejas... e a nível mundial há uma federação Luterana conservadora, com mais de 36 denominações luteranas.

    Mais onformações aqui: https://ilc-online.org/

    Deus abençoe a todos.

    ResponderExcluir
  3. EM BREVE, NUM CONSENSO, ELES CHEGARÃO NA BÍBLIA (A GRAÇA), AFIRMANDO QUE ELA É PRECONCEITUOSA E CONTÉM A PALAVRA DE DEUS (NÃO É A PALAVRA DE DEUS), CONTENDO, PORTANTO, OPINIÕES MACHISTAS, CULTURAIS, REGIONAIS E TEMPORAIS DO APÓSTOLO PAULO.

    ResponderExcluir
  4. Não vai demorar muito para a Igreja Luterana declarar que servem a uma "deusa", "divindade" similar àquela cultuada pelos celtas.
    O curioso é que essas abominações vindas da direção dessa igreja não encontra oposição dos fiéis, parecendo que eles aprovam todas essas imundícies que vêm da alta cúpula.

    ResponderExcluir

Esta seção é moderada conforme opção democrática do Blogger para limitar excessos e outros tipos de interferência na interação do público com este blog. Portanto, todas as opiniões, comentários e textos estão sujeitos à avaliação do moderador. Manifestações insensatas, tolas, ridículas e desrespeitosas não são bem-vindas neste blog. Opiniões sensatas são mais que bem-vindas. Aos que querem fazer cobranças neste espaço, é imprescindível a apresentação do perfil oficial. O moderador se reserva o direito de publicar ou não comentários de questionadores anônimos, sem nenhuma identificação válida e verificável.