8 de outubro de 2017

Grupos esquerdistas americanos planejam desfigurar os monumentos de Cristóvão Colombo no Dia do Descobrimento da América


Grupos esquerdistas americanos planejam desfigurar os monumentos de Cristóvão Colombo no Dia do Descobrimento da América

Julio Severo
De acordo com notícia do WND (WorldNetDay), anarquistas esquerdistas violentos anunciaram uma campanha nacional nos Estados Unidos para desfigurar as estátuas de Cristóvão Colombo no dia 12 de outubro.
Estátua destruída de Cristóvão Colombo nos EUA
Esses esquerdistas se autointitulam de Antifa, abreviação de antifascistas, embora suas ações violentas sejam essencialmente fascistas.
Cinco estátuas de Cristóvão Colombo já foram vandalizadas na Cidade de Nova Iorque em semanas recentes, de acordo com o Observatório da Extrema Esquerda. Num caso no mês passado, vândalos desfiguraram uma estátua colossal de Colombo no Central Park, deixando tinta vermelha cor de sangue nas mãos da estátua, e rabiscaram: “O ódio não será tolerado” e “Mais Coisas Vão Vir” no pedestal dela.
O que está vindo parece ser uma campanha coordenada para destruir monumentos em todas as partes dos Estados Unidos no Dia do Descobrimento da América.
Grupos esquerdistas e negros nos EUA veem Cristóvão Colombo, que era um navegante italiano de origem judaica, como opressor contra as minorias indígenas. Tudo isso porque Colombo era branco.

Colombo queria salvar um povo oprimido

Muito longe de oprimir alguém, Colombo queria salvar os judeus, que eram oprimidos e tratados como “marranos” — que significa porcos em espanhol. Seu esforço para descobrir novas terras, redundando no descobrimento da América, era encontrar um lugar seguro para os judeus.
Até certo ponto e de forma espetacular, Colombo teve êxito. Os Estados Unidos, que são a maior nação protestante do mundo, se tornaram o maior refúgio de judeus que o mundo já viu. E o nome de marca dos EUA é: AMÉRICA. A América se tornou o país que fez a maior campanha de conscientização contra os horrores da Inquisição que o mundo já viu.
Contudo, anarquistas esquerdistas querem perverter a imagem e missão de Colombo, que era salvar o povo judeu oprimido. Esses anarquistas são os verdadeiros opressores que, 500 anos atrás, estariam de braços dados com os ladrões e assassinos da Inquisição.
De acordo com reportagem do DailyMail:
Existem provas convincentes de que Cristóvão Colombo era um judeu secreto que escondia sua verdadeira fé judaica para sobreviver à Inquisição espanhola.
Os historiadores acreditam que o real motivo por trás dessa expedição histórica era a de encontrar uma nova pátria para os judeus que estavam sendo perseguidos e expulsos da Espanha.
A Inquisição espanhola torturou dezenas de milhares de marranos, que eram obrigados a denunciar outros nomes, incluindo amigos e parentes.
Os marranos que tinham suas vidas secretas expostas eram exibidos ao público, amarrados em estacas e queimados vivos enquanto a Coroa e a Igreja Católica repartiam entre si suas terras e posses.
Acredita-se que Colombo era um marrano, e que manter em segredo a sua herança judaica era crucial para sua sobrevivência.
Com informações do WND e DailyMail.
Leitura recomendada:

Um comentário :

Labaredas de Fogo disse...

Podemos ver a Mão de Deus guiando Colombo!