23 de setembro de 2017

Terapia para indivíduos buscando saída da conduta homossexual é aprovada no Brasil e mídia enganosamente alega que tribunal decidiu que homossexualidade é doença


Terapia para indivíduos buscando saída da conduta homossexual é aprovada no Brasil e mídia enganosamente alega que tribunal decidiu que homossexualidade é doença

Julio Severo
Um juiz brasileiro deu decisão de que os psicólogos são livres para ajudar indivíduos buscando saída da conduta homossexual.
Ainda que a decisão do juiz não diga que a homossexualidade é uma “doença” e que existe cura médica, a mídia americana, que tem recusado publicar a decisão dele, tem usado exatamente tais termos não existentes no texto.
A decisão do juiz Waldemar Claudio de Carvalho, da cidade de Brasília, anulou uma resolução de 1999 do Conselho Federal de Psicologia que proibia os psicólogos de tratarem a condição homossexual de seus clientes.
A resolução draconiana de 1999 diz:
Estabelece normas de atuação para os psicólogos em relação à questão da Orientação Sexual.
CONSIDERANDO que a homossexualidade não constitui doença, nem distúrbio e nem perversão;
CONSIDERANDO que a Psicologia pode e deve contribuir com seu conhecimento para o esclarecimento sobre as questões da sexualidade, permitindo a superação de preconceitos e discriminações;
RESOLVE:
Art. 2° - Os psicólogos deverão contribuir, com seu conhecimento, para uma reflexão sobre o preconceito e o desaparecimento de discriminações e estigmatizações contra aqueles que apresentam comportamentos ou práticas homoeróticas.
Art. 3° - os psicólogos não exercerão qualquer ação que favoreça a patologização de comportamentos ou práticas homoeróticas, nem adotarão ação coercitiva tendente a orientar homossexuais para tratamentos não solicitados.
Parágrafo único - Os psicólogos não colaborarão com eventos e serviços que proponham tratamento e cura das homossexualidades.
Art. 4° - Os psicólogos não se pronunciarão, nem participarão de pronunciamentos públicos, nos meios de comunicação de massa, de modo a reforçar os preconceitos sociais existentes em relação aos homossexuais como portadores de qualquer desordem psíquica.
Os psicólogos são proibidos de expressar até suas opiniões sobre uma esperança para indivíduos buscando saída da conduta homossexual.
Contudo, eles não são proibidos de colaborar com eventos comunistas. Rogério Giannini, o presidente do Conselho Federal de Psicologia, participou do “I Foro Internacional de Psicología, Violencia y Operaciones Psicológicas” na Venezuela de 11 a 15 de junho, 2017, cujo propósito expresso foi “abordar o tema da violência que setores da direita têm pretendido instaurar no país.”
Rogério Giannini  e Nicolás Maduro
O próprio ditador comunista Nicolás Maduro estava presente no evento. Giannini não viu problema em dar seu apoio ao congresso comunista de psicologia para combater grupos direitistas. E seu Conselho Federal de Psicologia não viu problema em pagar-lhe milhares de reais para ajudá-lo a viajar e participar do evento comunista.
A mídia internacional, principalmente a mídia dos EUA, não condenou a participação de Giannini no evento comunista. Mas quando o Giannini de mentalidade comunista expressou sua opinião contra a liminar do juiz permitindo que psicólogos tratem indivíduos buscando saída da conduta homossexual, a mídia internacional o louvou e o citou como dizendo: “Impossível curar o que não é doença,” acrescentando: “Não é um debate sério, acadêmico, é um debate ligado a posições religiosas ou conservadoras.”
Contrário às alegações de Giannini, a liminar do juiz não defende nenhuma “cura gay.”
Além disso, o Giannini de mentalidade comunista tratou o debate que discorde de suas opiniões comunistas como “não sérios, não acadêmicos” — que é uma mentalidade típica de comunistas. Ele também tratou as posições cristãs e conservadoras como posturas de cidadãos de segunda classe, como se só comunistas fossem acadêmicos de verdade e tivessem monopólio no debate acadêmico.
As opiniões de extrema esquerda de Giannini deveriam ser condenadas por toda a mídia dos EUA.
O que a liminar do juiz diz?
Ela “determina ao Conselho Federal de Psicologia que não a interprete de modo a impedir os psicólogos de promoverem estudos ou atendimento profissional, de forma reservada, pertinente à (re) orientação sexual, garantindo-lhes, assim, a plena liberdade científica acerca da matéria, sem qualquer censura ou necessidade de licença prévia por parte do C.F.P.”
Plena liberdade de oferecer atendimento profissional sem censura. É demais? Obviamente, não. Mas tal liberdade provoca pesadelos em indivíduos de mentalidade comunista, os quais prefeririam viajar para a Venezuela para dar seu apoio a um governo “perfeito” que não oferece plena liberdade e, em vez disso, oferece censura plena.
A liminar se tornou possível porque o juiz Waldemar Claudio de Carvalho aprovou um recurso movido por Rozangela Justino, uma evangélica e psicóloga que foi proibida de exercer sua profissão depois de oferecer terapia para indivíduos buscando saída da conduta homossexual.
A psicologia não é uma ciência. É uma das esferas mais subjetivas do estudo humano. Todo indivíduo, quer psicólogo ou não, tem opiniões afetadas por suas próprias preferências ideológicas, quer políticas ou religiosas. Indivíduos da extrema esquerda e indivíduos que praticam bruxaria são muito abertos à homossexualidade e muito hostis ao Cristianismo.
Se um indivíduo busca assistência médica para uma perna quebrada, todo médico que o atender o diagnosticará com uma perna quebrada, independente das preferências ideológicas de médico e paciente. Isso é ciência.
Entretanto, psicólogos como Giannini diagnosticam cristãos e conservadores como incompetentes para o debate, pois suas opiniões pessoais são afetadas pela ideologia de extrema esquerda. Psicólogos com um histórico político de socialismo e com um histórico religioso de bruxaria sempre se oporão aos cristãos e apoiarão a homossexualidade. Eles declarariam Maduro plenamente competente para um debate. Isso não é ciência. É puro subjetivismo.
De forma semelhante, psicólogos conservadores e cristãos têm o mesmo direito de diagnosticar psicólogos de mentalidade comunista como incompetentes para um debate.
Pontos positivos na liminar do juiz:
* Concede plena liberdade de oferecer atendimento profissional.
* Condena a censura.
Ponto negativo:
* Concorda com a postura da Organização Mundial de Saúde de que a “homossexualidade é uma variante natural da sexualidade humana.”
Diferente da postura subjetiva do Conselho Federal de Psicologia, presidido por Rogério Giannini de mentalidade comunista, que diz que “a homossexualidade não constitui doença, nem distúrbio e nem perversão,” a postura cristã, baseada na Bíblia, é que a homossexualidade é uma perversão que causa doenças e distúrbios. A realidade é suficiente para provar isso e desmentir teorias comunistas.
No conflito de opiniões subjetivas opostas, o Conselho Federal de Psicologia tem permitido o envolvimento comunista de seus psicólogos, inclusive pagando suas viagens para eventos comunistas, mas tem proibido o envolvimento cristão de seus psicólogos.
Nesse tratamento injusto, a mídia tem ficado do lado de comunistas para atacar psicólogos cristãos e conservadores no Brasil.
Até o Facebook assumiu uma postura contra a liminar do juiz, ficando do lado dos comunistas e chamando o homossexualismo de “amor.” O Facebook disse em sua página oficial no Brasil:
“No Facebook, acreditamos na igualdade. Acreditamos também que o amor não precisa de cura.”
O Facebook tratou a homossexualidade como uma jaula sem saída, com uma propaganda mentirosa chamando a perversão homossexual de “amor.” De fato, não existe cura para a perversão. Só libertação.
Indivíduos de mentalidade comunista estão indignados com a liminar do juiz. Eles estão irados que alguém esteja tentando ajudar as pessoas a sair da jaula.
Com razão, Silas Malafaia, um televangelista proeminente e pastor das Assembleias de Deus no Brasil, disse num vídeo que “não é o terapeuta, mas o paciente quem decide o que quer.” Ele também disse que o terapeuta não pode ser proibido de atender um paciente que busca ajuda. Malafaia tem diplomata de psicologia.
Se o Conselho Federal de Psicologia ficar se portando como a Venezuela comunista e se Giannini ficar se portando como Maduro, os psicólogos cristãos terão de deixar essa ditadura para ajudar os homossexuais que buscam ajuda na igreja. Por milhares de anos, quando não existia psicologia, a igreja cristã ajudava a libertar pessoas do pecado homossexual. Até mesmo o Apóstolo Paulo conta de indivíduos que foram libertos da prisão homossexual pelo poder do Espírito Santo. Ele disse:
“Não sabeis que os injustos não herdarão o Reino de Deus? Não vos deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem os que se entregam a práticas homossexuais de qualquer espécie, nem ladrões, nem avarentos, nem viciados em álcool ou outras drogas, nem caluniadores, nem estelionatários herdarão o Reino de Deus. ASSIM FOSTES ALGUNS DE VÓS. Contudo, vós fostes lavados, santificados e justificados em o Nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito Santo do nosso Deus!” (1 Coríntios 6:9-11 King James Atualizada)
Homens que estavam envolvidos na conduta homossexual no passado e se arrependeram dela ao aceitarem Jesus foram “lavados, santificados e justificados em o Nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito Santo.” Nada de envolvimento com psicologia.
Até mesmo hoje, cristãos cheios do Espírito Santo sem nenhum diploma na esfera subjetiva da psicologia têm ajudado homossexuais, ladrões, adúlteros, mentirosos, estelionatários, etc.
A psicologia de estilo venezuelano é insuficiente para impedir indivíduos de buscar e achar ajuda em igrejas que fazem o que Jesus fazia: pregar o Evangelho, curar os enfermos e expulsar demônios.
O Cristianismo real cheio do Espírito não tem tido nenhuma necessidade da psicologia por dois mil anos para ajudar indivíduos oprimidos pela homossexualidade. Mas essa não é a questão com relação aos psicólogos cristãos e suas instituições. A questão é liberdade e censura.
Indivíduos de mentalidade comunista são extremamente tendenciosos, anticristãos, contra a liberdade plena e, obviamente, defensores da censura. Se os cristãos não podem ser psicólogos, por que um indivíduo de mentalidade comunista pode presidir uma instituição de psicologia?
Com informações do DailyMail, BBC, The Huffington Post, ILISP e governo venezuelano.
Leitura recomendada:

3 comentários :

Jorge Santos disse...

O problema é o foco. Não se deve defender e nem criticar a resolução e nem a decisão judicial. O correto é defender que homossexualismo não é doença. É pecado. E só.

Cicero disse...

Isto não passa de uma grande discriminação, preconceito e intolerância do CFP aos que desejam livremente voltar a ser héteros, ou seja, como vieram ao mundo!

Maria Alice Abad Vendramini disse...

Excelente artigo. É triste ver como as pessoas não lêem antes de formarem uma opinião e assim se tornam massa de manobra.