30 de setembro de 2017

Museu com exposição onde crianças tocam homem nu é financiado pelo Itaú via Lei Rouanet


Museu com exposição onde crianças tocam homem nu é financiado pelo Itaú via Lei Rouanet

Marcelo Faria
O Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM) – local da exposição onde crianças podem tocar um homem nu – foi financiado com o dinheiro dos pagadores de impostos por meio da Lei Rouanet. O principal “incentivador” do museu no ano de 2017 – a empresa que capta os impostos estatais dos seus clientes para destinar aos projetos aprovados pelo governo – é o Banco Itaú. Além de financiador, uma de suas herdeiras do banco, Maria de Lourdes Egydio Villela – a “Milu Villela” – é presidente do MAM.
De acordo com os dados do Salic, o MAM captou em 2017 um total de R$ 6.477.359,00. Deste montante, R$ 4.000.000,00 (61,75% do total) foram destinados pelo Itaú, sendo R$ 3.500.000,00 por meio de diversas empresas (Cia Itaú Securitizadora, Itaú Administradora de Consórcios, Itaú Vida e Previdência) e R$ 500.000,00 por sócios e acionistas do banco: Alfredo Egydio Arruda Villela Filho (principal acionista do Itaú, R$ 50 mil), Helio Seibel (sócio-diretor da Duratex, controlada pelo Itaú, R$ 50 mil), Israel Vainboim (ex-executivo do Unibanco, o qual se fundiu com o Itaú em 2008, R$ 50 mil), Jean Marc Robert Nogueira Baptista Etlin (vice-presidente do Itaú BBA, R$ 50 mil), Maria de Lourdes Egydio Villela (presidente do MAM, R$ 50 mil), Paulo Egydio Setúbal (sócio e herdadeiro do Itaú, R$ 50 mil), Salo Davi Seibel (presidente do conselho da Duratex, controlada pelo Itaú, R$ 50 mil), Sérgio Ribeiro da Costa Werlang (diretor-geral do Itaú, R$ 50 mil), além da Cia E. Johnson de Participações, a qual reúne os quatro sócios do Itaú (R$ 50 mil), e da Companhia Ligna de Investimentos, a qual reúne os irmãos Seibel (R$ 50 mil).
A Lei Rouanet permite que empresas destinem o dinheiro dos pagadores de impostos – aqueles que efetivamente pagaram pelos produtos e serviços – para projetos escolhidos a dedo pelo governo. De acordo com dados do Ministério da Cultura, mais de 14 bilhões de reais dos pagadores de impostos foram destinados aos projetos escolhidos pelo governo desde que a lei foi criada.
Os apoios à extinção da Lei Rouanet continuam abertos e podem ser feitos por meio deste link.
Fonte: ILISP
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:

29 de setembro de 2017

Terroristas Islâmicos Tiram Vantagem dos Benefícios do Sistema de Bem-Estar Social da Europa


Terroristas Islâmicos Tiram Vantagem dos Benefícios do Sistema de Bem-Estar Social da Europa

Soeren Kern
Um imã líbio que pediu a Alá que "elimine" todos os não muçulmanos, recebeu mais de US$600.000 em proventos de assistência social do governo suíço de acordo com a emissora suíça SRF.
Abu Ramadan chegou à Suíça em 1998, a quem foi concedido asilo em 2004 por alegar que o governo líbio o estava perseguindo por sua afiliação à Irmandade Muçulmana. Desde então Ramadan recebeu US$620.000 em proventos de assistência social, de acordo com a SRF.
Embora Ramadan esteja morando na Suíça há quase 20 anos, ele mal fala francês ou alemão e nunca teve um emprego fixo. Ramadan, de 64 anos, logo terá direito de receber uma pensão estadual suíça.
Ao mesmo tempo que embolsava dinheiro dos contribuintes suíços, Ramadan, conhecido salafista, pediu a introdução da Lei Islâmica (Sharia) na Suíça, urgindo os muçulmanos que evitem se integrar na sociedade suíça. Ele também ressaltou que muçulmanos que cometem crimes na Suíça não devem estar sujeitos às leis suíças. Em um sermão proferido por Ramadan recentemente em uma mesquita perto de Berna, ele assinalou:
"Oh, Alá, peço-lhe que destrua os inimigos de nossa religião, destrua os judeus, os cristãos, os hindus, os russos e os xiitas. Deus, peço que os destrua a todos e que devolva ao Islã sua antiga glória."
Adrian Amstutz, deputado federal jogou a culpa da situação no multiculturalismo suíço:
"O escândalo é tão grande que é difícil de acreditar. Aos imãs que pregam ódio contra cristãos e judeus, que criticam a depravação do Ocidente, são concedidos asilo e eles vivem confortavelmente como refugiados recebendo os proventos de assistência social. Tudo isso com a cumplicidade de autoridades covardes e incompetentes que dão carta branca aos assistentes complacentes e ingênuos do sistema de asilo e de bem-estar social".
O escândalo de Ramadan é recorrente em países da Europa, onde potencialmente milhares de jihadistas violentos e não violentos estão usando proventos de assistência social para financiar suas atividades. O guia para os jihadistas no Ocidente - "Como Sobreviver no Ocidente" - emitido pelo Estado islâmico em 2015 orienta: "se você tiver condições de reivindicar benefícios extras de um governo, reivindique!".
Na Dinamarca o Serviço de Segurança e Inteligência (PET) denunciou também que jihadistas estavam doentes demais para trabalhar, mas suficientemente saudáveis para lutar ao lado do Estado Islâmico, estavam recebendo benefícios do estado dinamarquês de aposentadoria antecipada, invalidez e doença.
Anteriormente, um documento emitido pelo Ministério do Trabalho revelou que mais de 30 jihadistas dinamarqueses continuaram recebendo proventos de assistência social, totalizando 672.000 coroas dinamarquesas (US$92.000), mesmo depois de terem se juntado ao Estado
Na Alemanha Anis Amri, tunisiano de 23 anos de idade que realizou o atentado que deixou mortos e feridos na feira natalina em Berlim, usava múltiplas identidades para receber ilegalmente proventos de assistência social. As autoridades alemãs, ao que tudo indica, sabiam da fraude, mas nada fizeram.
No cômputo geral, foi constatado que mais de 20% dos jihadistas alemães, que estão combatendo na Síria e no Iraque, recebem benefícios do sistema de bem-estar social do Estado, os jihadistas também são elegíveis a receberem benefícios, de novo, após retornarem à Alemanha.
Na Espanha Saib Lachhab, jihadista marroquino de 41 anos, residente na cidade basca de Vitoria, acumulou US$11.000 em proventos de assistência social para financiar um plano para se juntar ao Estado islâmico na Síria. A cada mês ele recebia US$750 do governo central além de US$300 do governo basco. Ele também recebia US$1.075 por mês a título de seguro desemprego.
Na Suécia, um relatório divulgado pela National Defense University constatou que 300 cidadãos suecos recebiam proventos de assistência social mesmo depois de terem deixado o país para engrossarem as fileiras do Estado islâmico na Síria e no Iraque.
Para ler o artigo completo, clique aqui.
Soeren Kern é membro sênior do Instituto Gatestone sediado em Nova Iorque.
Traduzido por Joseph Skilnik do original em inglês: Europe: Jihadists Exploit Welfare Benefits
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada:
Complô para substituir europeus por imigrantes muçulmanos

27 de setembro de 2017

Juiz conservador Roy Moore vence na eleição primária republicana para o Senado no Alabama, apesar do apoio de Trump ao rival


Juiz conservador Roy Moore vence na eleição primária republicana para o Senado no Alabama, apesar do apoio de Trump ao rival

Julio Severo
O juiz cristão conservador Roy Moore venceu o segundo turno da eleição primária republicana na terça-feira, derrotando um candidato à reeleição apoiado pelo Presidente Donald Trump.
Numa virada que provavelmente vai chacoalhar a elite do Partido Republicano, Moore derrotou o senador Luther Strange e ficou com a indicação oficial do Partido Republicano pela vaga anteriormente mantida por Jeff Sessions, ministro da Justiça dos EUA. Moore enfrentará o democrata Doug Jones numa eleição especial em 12 de dezembro.
Em toda a campanha, Moore argumentou que a eleição era uma oportunidade de enviar uma mensagem à “elite do governo dos EUA,” a qual gastou aproximadamente 9 milhões de dólares tentando assegurar a indicação de Strange.
Moore foi duas vezes eleito presidente do Supremo Tribunal do Alabama e duas vezes removido dessas funções por suas posturas cristãs conservadoras. Em 2003, ele foi removido do cargo porque ele recusou a ordem de um juiz federal para remover um monumento dos Dez Mandamentos do salão do tribunal. No ano passado, ele foi permanentemente suspenso porque se opôs ao “casamento” gay.
A vitória de Moore reverberará em todo o Partido Republicano na batalha entre as alas populistas e a elite do partido.
Trump, que realizou um comício que virou manchete no Alabama na semana passada, apoiou Strange com um tuíte enviado antes do início da votação na terça-feira de manhã no Alabama: “Luther Strange está disparando nas pesquisas de opinião no Alabama desde meu apoio. Termine o que você começou — vote no ‘Grande Luther.’” Trump tuitou apoio a ele em muitas ocasiões.
Na noite de segunda-feira, Mike Pence, vice-presidente dos EUA, falou com várias centenas de apoiadores de Strange em Birmingham, louvando Strange.
Trump e Pence cometeram o erro de apoiar o rival de Moore. Mas os evangélicos, que elegeram Trump, não seguiram o erro dele.
Moore, impulsionado pelos evangélicos e suas orações, consolidou o apoio de vários grupos anti-elite.
“O governo inteiro dos Estados Unidos está observando para ver o que acontece no Alabama,” Moore disse num comício de segunda-feira de noite no sul do Alabama com a presença de Steve Bannon, diretor do Breitbart; Nigel Farage, idealizador do Brexit; e Phil Robertson, do seriado de TV “Duck Dynasty.”
Bannon disse à multidão que a eleição era uma oportunidade de enviar uma mensagem para as “elites do governo dos EUA” que “acham que vocês são um bando de idiotas.”
Ainda que os eleitores conservadores americanos estejam elegendo republicanos para derrotar democratas e suas políticas socialistas, os republicanos eleitos não estão cumprindo as promessas conservadoras de suas campanhas. Eleitores conservadores estão tão desgostosos que estão processando o Partido Republicano.
“Apesar de que os eleitores deram aos republicanos a maioria na Câmara dos Deputados, no Senado e agora controle da presidência dos EUA, quase todas as promessas feitas aos eleitores nos sete anos passados foram quebradas no Senado dos EUA,” disse Tony Perkins, presidente da Ação do Conselho de Pesquisa da Família.
“O juiz Moore foi eleito porque ele guarda suas promessas e ele defenderá nossa Constituição,” acrescentou Perkins.
Moore é uma esperança poderosa porque diferente dos republicanos que quebram suas promessas conservadoras, ele assume uma postura a favor dos valores cristãos mesmo quando isso significa perder seu emprego. Ele não faz concessões.
Ainda que Trump tenha sido eleito em grande parte pelos evangélicos para “drenar o pântano,” a decisão dele de apoiar o rival de Moore ajudaria a encher o pântano.
Entretanto, os evangélicos conservadores mostraram que estão de olho e que continuarão apoiando cristãos conservadores, independente se Trump os apoia ou não.
Querendo ou não, agora Trump terá de apoiar Moore, depois da enorme vitória do juiz cristão ajudada pelos eleitores evangélicos.
Pedi a meus apoiadores no Brasil que orassem por Moore, e Deus graciosamente ouviu nossas orações. Ele é muito necessário em Washington, para representar um testemunho cristão conservador fiel.
O juiz cristão conservador Roy Moore enfrentou esquerdistas poderosos, que atacaram a ele e seus apoiadores cristãos conservadores, inclusive a mim — e ele ganhou. Ele sofreu oposição de Trump e Pence, e ganhou. Com evangélicos o apoiando e orando por ele, ele verá vitórias maiores.
Que Deus abençoe os EUA. Que Deus abençoe Moore. Que Deus abençoe os EUA por meio de Moore. E que Deus conceda para Moore vitória na eleição final em dezembro próximo.
Com informações da Associated Press e do Conselho de Pesquisa da Família.
Leitura recomendada:

25 de setembro de 2017

Observatório da Direita difama juiz cristão conservador Roy Moore e seus apoiadores


Observatório da Direita difama juiz cristão conservador Roy Moore e seus apoiadores

Julio Severo
O Observatório da Direita disse em 21 de setembro de 2017 que investigou “Roy Moore, o presidente suspenso do Supremo Tribunal do Alabama que é o candidato favorito na eleição para o Senado dos EUA, e descobrimos muitos ativistas nacionalistas cristãos de extrema direita que veem Moore como sua melhor esperança para decretar sua visão teocrática em nível nacional [nos Estados Unidos].”
O Observatório da Direita disse que “notou que Moore havia postado uma lista longa de apoiadores no site de sua campanha — e parece que nenhum ativista é radical demais para Moore se gabar de suas conexões com eles.”
Entre os apoiadores de Moore acusados pelo Observatório da Direita estão:
* Peter LaBarbera, diretor da entidade Americanos pela Verdade sobre a Homossexualidade.
* Mat Staver, presidente da entidade jurídica Liberty Counsel e advogado de Moore.
* Brian Brown, cuja Organização Nacional do Casamento recentemente apoiou Moore.
* Tim Wildmon, da Associação da Família Americana.
* Matt Barber, fundador do BarbWire.
* Ann Coulter, autora de numerosos livros conservadores.
* James Dobson, fundador de Focus on the Family.
* Chuck Norris, superastro de ação no cinema e TV.
* Julio Severo, escritor do site BarbWire, a quem o Observatório da Direita diz que uma vez ele pediu para que houvesse uma expulsão de demônios na Casa Branca depois que um índio americano dando palestra numa reunião comunitária bissexual a infestou de “espíritos homossexuais.”
A lista completa de nomes que foram colocados na lista negra do Observatório da Direita está aqui. (A difamação do Observatório da Direita foi reproduzida no site ateísta Brewminate em seu artigo “O Elenco Doido de Apoio de Roy Moore.”)
Não só todos esses nomes estão na lista negra do Observatório da Direita, mas eles têm um lugar especial nessa lista negra. Meu lugar está aqui.
Não estou triste que um grupo esquerdista poderoso dos EUA tenha me colocado na lista negra. Eu estaria triste se eles me elogiassem.
Quem é o Observatório da Direita, o acusador?
Escrevendo no portal evangélico conservador americano BarbWire (onde também sou um colunista), Rob Pue do portal Wisconsin Christian News disse que é a “meta declarada” do Observatório da Direita “perseguir e espalhar informações falsas acerca de… organizações cristãs pró-família.”
De acordo com o WND, um dos maiores sites conservadores do mundo, People for the American Way (PFAW) é “uma organização socialista ateísta que, por meio de publicações como seu ‘Right Wing Watch’ [Observatório da Direita] se dedica à destruição dos conservadores em geral.”
De acordo com seu site, o Observatório da Direita tem uma missão especial de atacar conservadores que se opõem à agenda gay, ao aborto e à ideologia muçulmana.
Entretanto, Citizens for Trump (Cidadãos a Favor de Trump), uma organização conservadora que apoia as posturas conservadoras de Trump, tem apoiado o juiz Roy Moore e seus apoiadores, inclusive a mim e outros nomes que estão na lista negra do Observatório da Direita por causa de nosso apoio a Moore. Para ver meu nome e os nomes de outros conservadores americanos apoiando Moore no site de Citizens for Trump, clique aqui.
Quem é Roy Moore?
Ele é inflexível e publicamente um cristão evangélico. Ele foi juiz do Supremo Tribunal do Alabama. Ele é um conservador famoso por sua defesa dos Dez Mandamentos e casamento tradicional, defesa que tem enfurecido a esquerda. Ele lutou muito para impedir o Alabama de ser forçado a aceitar o “casamento” gay.
No ano passado, Moore compartilhou, em seu Facebook, meu artigo conservador contra a propaganda homossexual.
Tive a honra de ser convidado para acrescentar meu nome como apoiador do Juiz Roy Moore, e com alegria faço isso, por causa de suas qualidades conservadoras e cristãs extraordinárias. É tão difícil encontrar candidatos cristãos conservadores e quando você acha um, você não pode se dar ao luxo de perder a oportunidade de apoiá-lo, mesmo quando a esquerda ataca você por isso.
Leitura recomendada sobre Roy Moore:
Leitura recomendada sobre o Observatório da Direita:
Leitura recomendada sobre outros esquerdistas dos EUA contra Julio Severo:

23 de setembro de 2017

Terapia para indivíduos buscando saída da conduta homossexual é aprovada no Brasil e mídia enganosamente alega que tribunal decidiu que homossexualidade é doença


Terapia para indivíduos buscando saída da conduta homossexual é aprovada no Brasil e mídia enganosamente alega que tribunal decidiu que homossexualidade é doença

Julio Severo
Um juiz brasileiro deu decisão de que os psicólogos são livres para ajudar indivíduos buscando saída da conduta homossexual.
Ainda que a decisão do juiz não diga que a homossexualidade é uma “doença” e que existe cura médica, a mídia americana, que tem recusado publicar a decisão dele, tem usado exatamente tais termos não existentes no texto.
A decisão do juiz Waldemar Claudio de Carvalho, da cidade de Brasília, anulou uma resolução de 1999 do Conselho Federal de Psicologia que proibia os psicólogos de tratarem a condição homossexual de seus clientes.
A resolução draconiana de 1999 diz:
Estabelece normas de atuação para os psicólogos em relação à questão da Orientação Sexual.
CONSIDERANDO que a homossexualidade não constitui doença, nem distúrbio e nem perversão;
CONSIDERANDO que a Psicologia pode e deve contribuir com seu conhecimento para o esclarecimento sobre as questões da sexualidade, permitindo a superação de preconceitos e discriminações;
RESOLVE:
Art. 2° - Os psicólogos deverão contribuir, com seu conhecimento, para uma reflexão sobre o preconceito e o desaparecimento de discriminações e estigmatizações contra aqueles que apresentam comportamentos ou práticas homoeróticas.
Art. 3° - os psicólogos não exercerão qualquer ação que favoreça a patologização de comportamentos ou práticas homoeróticas, nem adotarão ação coercitiva tendente a orientar homossexuais para tratamentos não solicitados.
Parágrafo único - Os psicólogos não colaborarão com eventos e serviços que proponham tratamento e cura das homossexualidades.
Art. 4° - Os psicólogos não se pronunciarão, nem participarão de pronunciamentos públicos, nos meios de comunicação de massa, de modo a reforçar os preconceitos sociais existentes em relação aos homossexuais como portadores de qualquer desordem psíquica.
Os psicólogos são proibidos de expressar até suas opiniões sobre uma esperança para indivíduos buscando saída da conduta homossexual.
Contudo, eles não são proibidos de colaborar com eventos comunistas. Rogério Giannini, o presidente do Conselho Federal de Psicologia, participou do “I Foro Internacional de Psicología, Violencia y Operaciones Psicológicas” na Venezuela de 11 a 15 de junho, 2017, cujo propósito expresso foi “abordar o tema da violência que setores da direita têm pretendido instaurar no país.”
Rogério Giannini  e Nicolás Maduro
O próprio ditador comunista Nicolás Maduro estava presente no evento. Giannini não viu problema em dar seu apoio ao congresso comunista de psicologia para combater grupos direitistas. E seu Conselho Federal de Psicologia não viu problema em pagar-lhe milhares de reais para ajudá-lo a viajar e participar do evento comunista.
A mídia internacional, principalmente a mídia dos EUA, não condenou a participação de Giannini no evento comunista. Mas quando o Giannini de mentalidade comunista expressou sua opinião contra a liminar do juiz permitindo que psicólogos tratem indivíduos buscando saída da conduta homossexual, a mídia internacional o louvou e o citou como dizendo: “Impossível curar o que não é doença,” acrescentando: “Não é um debate sério, acadêmico, é um debate ligado a posições religiosas ou conservadoras.”
Contrário às alegações de Giannini, a liminar do juiz não defende nenhuma “cura gay.”
Além disso, o Giannini de mentalidade comunista tratou o debate que discorde de suas opiniões comunistas como “não sérios, não acadêmicos” — que é uma mentalidade típica de comunistas. Ele também tratou as posições cristãs e conservadoras como posturas de cidadãos de segunda classe, como se só comunistas fossem acadêmicos de verdade e tivessem monopólio no debate acadêmico.
As opiniões de extrema esquerda de Giannini deveriam ser condenadas por toda a mídia dos EUA.
O que a liminar do juiz diz?
Ela “determina ao Conselho Federal de Psicologia que não a interprete de modo a impedir os psicólogos de promoverem estudos ou atendimento profissional, de forma reservada, pertinente à (re) orientação sexual, garantindo-lhes, assim, a plena liberdade científica acerca da matéria, sem qualquer censura ou necessidade de licença prévia por parte do C.F.P.”
Plena liberdade de oferecer atendimento profissional sem censura. É demais? Obviamente, não. Mas tal liberdade provoca pesadelos em indivíduos de mentalidade comunista, os quais prefeririam viajar para a Venezuela para dar seu apoio a um governo “perfeito” que não oferece plena liberdade e, em vez disso, oferece censura plena.
A liminar se tornou possível porque o juiz Waldemar Claudio de Carvalho aprovou um recurso movido por Rozangela Justino, uma evangélica e psicóloga que foi proibida de exercer sua profissão depois de oferecer terapia para indivíduos buscando saída da conduta homossexual.
A psicologia não é uma ciência. É uma das esferas mais subjetivas do estudo humano. Todo indivíduo, quer psicólogo ou não, tem opiniões afetadas por suas próprias preferências ideológicas, quer políticas ou religiosas. Indivíduos da extrema esquerda e indivíduos que praticam bruxaria são muito abertos à homossexualidade e muito hostis ao Cristianismo.
Se um indivíduo busca assistência médica para uma perna quebrada, todo médico que o atender o diagnosticará com uma perna quebrada, independente das preferências ideológicas de médico e paciente. Isso é ciência.
Entretanto, psicólogos como Giannini diagnosticam cristãos e conservadores como incompetentes para o debate, pois suas opiniões pessoais são afetadas pela ideologia de extrema esquerda. Psicólogos com um histórico político de socialismo e com um histórico religioso de bruxaria sempre se oporão aos cristãos e apoiarão a homossexualidade. Eles declarariam Maduro plenamente competente para um debate. Isso não é ciência. É puro subjetivismo.
De forma semelhante, psicólogos conservadores e cristãos têm o mesmo direito de diagnosticar psicólogos de mentalidade comunista como incompetentes para um debate.
Pontos positivos na liminar do juiz:
* Concede plena liberdade de oferecer atendimento profissional.
* Condena a censura.
Ponto negativo:
* Concorda com a postura da Organização Mundial de Saúde de que a “homossexualidade é uma variante natural da sexualidade humana.”
Diferente da postura subjetiva do Conselho Federal de Psicologia, presidido por Rogério Giannini de mentalidade comunista, que diz que “a homossexualidade não constitui doença, nem distúrbio e nem perversão,” a postura cristã, baseada na Bíblia, é que a homossexualidade é uma perversão que causa doenças e distúrbios. A realidade é suficiente para provar isso e desmentir teorias comunistas.
No conflito de opiniões subjetivas opostas, o Conselho Federal de Psicologia tem permitido o envolvimento comunista de seus psicólogos, inclusive pagando suas viagens para eventos comunistas, mas tem proibido o envolvimento cristão de seus psicólogos.
Nesse tratamento injusto, a mídia tem ficado do lado de comunistas para atacar psicólogos cristãos e conservadores no Brasil.
Até o Facebook assumiu uma postura contra a liminar do juiz, ficando do lado dos comunistas e chamando o homossexualismo de “amor.” O Facebook disse em sua página oficial no Brasil:
“No Facebook, acreditamos na igualdade. Acreditamos também que o amor não precisa de cura.”
O Facebook tratou a homossexualidade como uma jaula sem saída, com uma propaganda mentirosa chamando a perversão homossexual de “amor.” De fato, não existe cura para a perversão. Só libertação.
Indivíduos de mentalidade comunista estão indignados com a liminar do juiz. Eles estão irados que alguém esteja tentando ajudar as pessoas a sair da jaula.
Com razão, Silas Malafaia, um televangelista proeminente e pastor das Assembleias de Deus no Brasil, disse num vídeo que “não é o terapeuta, mas o paciente quem decide o que quer.” Ele também disse que o terapeuta não pode ser proibido de atender um paciente que busca ajuda. Malafaia tem diplomata de psicologia.
Se o Conselho Federal de Psicologia ficar se portando como a Venezuela comunista e se Giannini ficar se portando como Maduro, os psicólogos cristãos terão de deixar essa ditadura para ajudar os homossexuais que buscam ajuda na igreja. Por milhares de anos, quando não existia psicologia, a igreja cristã ajudava a libertar pessoas do pecado homossexual. Até mesmo o Apóstolo Paulo conta de indivíduos que foram libertos da prisão homossexual pelo poder do Espírito Santo. Ele disse:
“Não sabeis que os injustos não herdarão o Reino de Deus? Não vos deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem os que se entregam a práticas homossexuais de qualquer espécie, nem ladrões, nem avarentos, nem viciados em álcool ou outras drogas, nem caluniadores, nem estelionatários herdarão o Reino de Deus. ASSIM FOSTES ALGUNS DE VÓS. Contudo, vós fostes lavados, santificados e justificados em o Nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito Santo do nosso Deus!” (1 Coríntios 6:9-11 King James Atualizada)
Homens que estavam envolvidos na conduta homossexual no passado e se arrependeram dela ao aceitarem Jesus foram “lavados, santificados e justificados em o Nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito Santo.” Nada de envolvimento com psicologia.
Até mesmo hoje, cristãos cheios do Espírito Santo sem nenhum diploma na esfera subjetiva da psicologia têm ajudado homossexuais, ladrões, adúlteros, mentirosos, estelionatários, etc.
A psicologia de estilo venezuelano é insuficiente para impedir indivíduos de buscar e achar ajuda em igrejas que fazem o que Jesus fazia: pregar o Evangelho, curar os enfermos e expulsar demônios.
O Cristianismo real cheio do Espírito não tem tido nenhuma necessidade da psicologia por dois mil anos para ajudar indivíduos oprimidos pela homossexualidade. Mas essa não é a questão com relação aos psicólogos cristãos e suas instituições. A questão é liberdade e censura.
Indivíduos de mentalidade comunista são extremamente tendenciosos, anticristãos, contra a liberdade plena e, obviamente, defensores da censura. Se os cristãos não podem ser psicólogos, por que um indivíduo de mentalidade comunista pode presidir uma instituição de psicologia?
Com informações do DailyMail, BBC, The Huffington Post, ILISP e governo venezuelano.
Leitura recomendada:

20 de setembro de 2017

Cristãos conservadores apoiam Roy Moore para o Senado dos EUA


Cristãos conservadores apoiam Roy Moore para o Senado dos EUA

Julio Severo
O Alabama, um dos estados mais conservadores dos EUA, realizará uma eleição especial para o Senado dos Estados Unidos em 12 de dezembro de 2017, a qual decidirá seu curso conservador.
Cristãos conservadores famosos estão, numa lista de apoio, apoiando Roy Moore, que é inflexível e publicamente cristão e foi juiz do Supremo Tribunal do Alabama. Ele é um conservador famoso por sua defesa dos Dez Mandamentos e casamento tradicional, defesa que tem enfurecido a esquerda. Ele lutou muito para impedir o Alabama de ser forçado a aceitar o “casamento” gay.
A lista de apoio a Moore inclui o líder cristão famoso, que foi assessor de quatro presidentes dos EUA, Dr. James Dobson, e o campeão de artes marciais e superastro do cinema Chuck Norris.
“É meu prazer estar entre os muitos conservadores sólidos que estão apoiando a candidatura do Juiz Roy Moore para o Senado dos Estados Unidos,” disse Dobson, fundador da entidade Focus on the Family. “Conheço o Juiz Moore há mais de 25 anos, e sei que ele é um homem de caráter e integridade comprovada. Muitas vezes peço a Deus que levante homens e mulheres de fé que governarão a nação com sabedoria bíblica. Creio que o Juiz Moore é tal homem para esta época.”
Dobson disse que como “cidadão particular, tenho a honra de apoiar Roy Moore para o Senado dos Estados Unidos, e oro para que a eleição dele seja o início de uma nova geração de líderes que retornarão esta nação aos princípios constitucionais sobre os quais ela foi fundada.”
Em seu apoio, Chuck Norris disse de Moore: “Ele é duro, testado e tem uma força de caráter de aço. A elite do governo dos EUA sabe que não poderá contar com ele, mas os eleitores do Alabama podem.”
Norris disse que Moore “nunca recuou de defender o que é certo, e é exatamente isso o que ele fará no Senado dos EUA.”
“É por isso que a elite do governo dos EUA está gastando milhões tentando derrotar o Juiz Moore,” ele disse.
“O Alabama precisa do Juiz Moore ali fazendo o que ele sempre fez: lutando para proteger nossos direitos constitucionais à vida, à liberdade religiosa e à liberdade de proteger a nós e as nossas famílias. E ele sempre colocará princípios acima da política,” disse Norris numa declaração divulgada pela campanha de Moore.
Outros nomes na lista de apoio são: Mike Huckabee, ex-governador do Arkansas; Sean Hannity, apresentador do programa The Sean Hannity Show; Brian Brown, presidente da Organização Nacional em Defesa do Casamento; Sarah Palin, ex-candidata a vice-presidente dos EUA pelo Partido Republicano e ex-governadora do Alaska; Steve Bannon, ex-diretor da campanha de Trump em 2016, ex-diretor de estratégia do Presidente Trump; Matt Barber, fundador e editor-chefe do BarbWire.com; Julio Severo, autor do livro Prophetic Prayers; e muitos outros nomes.
Sim, tive também a honra de ser convidado para acrescentar meu nome como apoiador do Juiz Roy Moore, e com alegria faço isso, por causa de suas qualidades conservadoras e cristãs extraordinárias. É tão difícil encontrar candidatos cristãos conservadores e quando você acha um, você não pode se dar ao luxo de perder a oportunidade de apoiá-lo.
No ano passado, Moore compartilhou, em seu Facebook, meu artigo conservador contra a propaganda homossexual.
Para ver a lista completa de apoio a Moore, clique neste link.
Moore foi eleito presidente do Supremo Tribunal do Alabama, então foi removido por um tribunal federal depois que ele instalou um monumento dos Dez Mandamentos no prédio judicial. Ele então foi reeleito para a mesma posição, mas removido como consequência de uma campanha politicamente motivada por oponentes esquerdistas de sua defesa do casamento tradicional e sua oposição ao “casamento” gay.
Ele seria uma voz conservadora poderosa no Senado dos EUA, já que ele não é conhecido por fazer concessões às suas convicções. Ele argumenta que os EUA precisam voltar aos valores da Bíblia, declara que o islamismo é perigoso, acredita que a homossexualidade não deve ser bem-vinda nas forças armadas e sustenta que o casamento é a união de um homem e uma mulher.
Charisma, o maior site pentecostal do mundo, disse: “O Juiz Roy Moore é o candidato mais importante, um cristão que crê na Bíblia e um originalista constitucional que vive os valores de suas campanhas e não se deixará intimidar ou comprar pela elite do governo dos EUA. Exortamos a todos os nossos amigos conservadores populistas no Alabama a se unirem e apoiarem Roy Moore, e a todos os nossos leitores em todas as partes dos Estados Unidos a apoiar a campanha dele.”
O site conservador Breitbart, dirigido por Steve Bannon, ex-diretor de estratégias da Casa Branca, tem feito a eleição de Moore prioridade.
Contudo, o presidente Trump escolheu apoiar um oponente de Moore, Luther Strange, que é apoiado pela elite do governo americano.
Com informações do WND (WorldNetDaily), Charisma News, Roy Moore e Business Insider.
Leitura recomendada: