14 de julho de 2017

Eugene Peterson, criador da Bíblia “A Mensagem,” diz que a homossexualidade não é errada — e então volta atrás


Eugene Peterson, criador da Bíblia “A Mensagem,” diz que a homossexualidade não é errada — e então volta atrás

Julio Severo
Eugene Peterson, que é mais conhecido como criador de “A Mensagem,” uma Bíblia que usa linguagem contemporânea, assumiu que apoia o “casamento” homossexual, dizendo que realizaria uma cerimônia de “casamento” de mesmo sexo se lhe pedissem.
Eugene Peterson
Peterson é amplamente admirado entre várias classes teológicas, e sua mudança foi vista como importante. Agora com 84 anos, Peterson passou décadas como pastor da Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos, a qual permite “casamento” de mesmo sexo e pastores assumidamente homossexuais. Pesquisas de opinião pública mostram uma divisão dramática entre evangélicos mais jovens e evangélicos mais velhos dos EUA sobre a questão do “casamento” gay.
Mas depois de uma tempestade de críticas, inclusive boicotes possíveis de grandes livrarias e editoras, Peterson voltou atrás e disse que nunca realizaria uma cerimônia de mesmo sexo.
COMO A TEMPESTADE COMEÇOU. Numa entrevista para Jonathan Merritt ao Religion News Service (Serviço Noticioso Religioso) em 12 de julho de 2017, o autor de mais de 30 livros descreveu como suas opiniões sobre a homossexualidade mudaram durante sua carreira pastoral.
Merritt disse da entrevista:
É um dos assuntos mais quentes nas igrejas hoje, e considerando a influência vasta de Peterson entre pastores e membros, sei que sua opinião impactaria a conversa. Embora ele tenha uma longa carreira, não consegui encontrar sua posição no assunto em textos online ou impressos. Realmente descobri que “A Mensagem,” a paráfrase popular da Bíblia feita por Peterson, não usa a palavra “homossexual” e “homossexualidade” em textos importantes. Mas isso não é prova definitiva de nada. Afinal, essas palavras nunca aparecem em nenhuma tradução inglesa da Bíblia até 1946.
Então Merritt perguntou para Peterson:
Você é presbiteriano, e sua denominação está lidando com algumas das questões mais quentes que enfrentamos como cultura. Penso de modo particular na homossexualidade e casamento de mesmo sexo. Sua opinião mudou com o passar dos anos? Qual é a sua posição sobre a moralidade de relacionamentos de mesmo sexo?
Peterson, que pastoreava uma congregação da Igreja Presbiteriana dos EUA, respondeu:
Estive em congregações, quando eu era pastor-ajudante, em que havia vários [homossexuais]… Eles simplesmente aceitavam que eram tão cristãos como todos os outros na igreja.
Um dos jovens que havia crescido sob meu pastorado, ele era professor de ensino secundário e músico. Quando ele descobriu sobre uma vaga, ele apareceu na igreja um dia, se levantou e disse: “Gostaria de me candidatar ao emprego de diretor musical aqui, e sou homossexual.” Nós não tínhamos nenhum homossexual na congregação inteira. Olha, alguns deles não eram assumidamente homossexuais. Mas eu estava tão contente com a congregação. Ninguém me fez pergunta nenhuma sobre isso. E ele era realmente um bom músico.
Eu não teria dito isso 20 anos atrás, mas agora conheço muitas pessoas que são gays e lésbicas e elas parecem ter uma vida espiritual tão boa quanto eu tenho. Penso que esse tipo de debate sobre lésbicas e gays já deveria ter terminado. As pessoas que não aprovam isso provavelmente irão para outra igreja. Então estamos em transição e acho que é uma transição para melhor, para o bem. Não penso que é algo que você possa ostentar, mas não é uma coisa de certo ou errado no que me diz respeito.
Peterson foi o pastor fundador da Igreja Presbiteriana Cristo Nosso Rei (PCUSA) em Bel Air, Maryland, onde ele serviu por 29 anos antes de se aposentar em 1991.
No final, Merritt perguntou para Peterson:
Um reforço: Se você estivesse pastoreando hoje e uma dupla gay cristã de boa fé em sua igreja lhe pedisse que realizasse sua cerimônia de casamento de mesmo sexo, é algo que você faria?
A resposta enfática de Peterson foi “Sim.”
Sua resposta contradisse a Palavra de Deus. Contradisse até sua própria versão da Bíblia, “A Mensagem,” que diz:
“Não tenham relações com um homem como se tem com uma mulher. Isso é abominável.” (Levítico 18:22 A Mensagem)
“Eles fingem saber tudo, mas são ignorantes sobre a vida. Trocaram a glória de Deus, que sustenta o mundo, por imagens baratas vendidas na feira. Então Deus se pronunciou: ‘Se é isso que vocês querem, é o que terão.’ Não demorou muito para que fossem viver num chiqueiro, enlameados, sujos por dentro e por fora. Tudo porque trocaram o Deus verdadeiro por um deus falso e passaram a adorar o deus que fizeram no. lugar do Deus que os fez — o Deus a quem bendizemos e que nos abençoa. Loucura total! Então aconteceu o pior. Como se recusaram conhecer Deus, logo perderam a noção do que significa ser humano: mulheres não sabiam mais ser mulheres, homens não sabiam mais ser homens. Sexualmente confusos, abusaram um do outro e se degradaram, mulheres com mulheres, homens com homens — pura libertinagem, pois de modo algum isso pode ser amor. Mas eles pagaram caro por isso, e como pagaram: são vazios de Deus e do amor divino, perversos infelizes e sem amor humano.” (Romanos 1:22-27 A Mensagem)
Essas duas passagens de “A Mensagem” são claras: sexo entre homens é abominável. E só pessoas sexualmente confusas abusam um do outro e se degradam, mulheres com mulheres, homens com homens — por pura libertinagem.
É difícil entender como Peterson podia trair essas posturas sólidas sobre o pecado homossexual.
COMO PETERSON VOLTOU ATRÁS. Depois da tempestade de críticas, numa declaração ao jornal The Washington Post em 13 de julho de 2017, ele disse:
Recentemente, um jornalista me perguntou se minhas opiniões pessoais sobre a homossexualidade e casamento de mesmo sexo mudaram com o passar dos anos. Presumo que ele me fez essa pergunta por causa da minha carreira passada como pastor na Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos, a qual recentemente legitimou a homossexualidade e começou a permitir que seus pastores realizassem cerimônias de casamento de mesmo sexo. Tendo me aposentado do pastorado mais de 25 anos atrás, reconheci ao jornalista que “não tenho tido muita experiência com isso.”
Para esclarecer, defendo uma visão bíblica de casamento: um homem e uma mulher. Defendo uma visão bíblica de tudo.
Ele foi claro em sua retratação.
No entanto, considerando que o mundo evangélico está discutindo sua entrevista polêmica e a retratação, vamos examinar como “A Mensagem” foi vaga numa passagem bíblica clássica contra o pecado homossexual:
“Não percebem que esse não é o caminho de se viver? Os injustos, que não se preocupam com Deus, não farão parte de seu Reino. Quem usa e abusa das pessoas, do sexo, da terra e de tudo que nela existe não se qualifica como cidadão do Reino de Deus. Estou falando de libertinagem heterossexual, devassidão homossexual, idolatria, ganância e vícios destruidores.” (1 Coríntios 6:9-10 A Mensagem)
A versão original americana em inglês não tem este trecho: “Estou falando de libertinagem heterossexual, devassidão homossexual, idolatria, ganância e vícios destruidores.
Talvez pelo fato de que a versão em inglês dessa passagem de “A Mensagem” seja tão ambígua os produtores da versão brasileira a tornaram longa.
No entanto, mesmo nesse caso, há problemas. A devassidão homossexual (orgia de homens com homens) é pecado assim como a libertinagem heterossexual (orgia de homens com mulheres) é pecado. Então se o casamento entre um homem e uma mulher (sem libertinagem e devassidão) não é pecado, por que (seguindo a lógica dessa passagem brasileira ambígua mais longa) o “casamento” entre um homem e outro homem (sem libertinagem e devassidão) deveria ser pecado?
A versão em inglês condena abusos sexuais vagos, e a versão brasileira tenta corrigir a condenação vaga acrescentando uma condenação que atinge a libertinagem e a devassidão, não a homossexualidade. Enquanto versões sérias da Bíblia condenam diretamente a homossexualidade — independente se está envolvida com libertinagem e devassidão — “A Mensagem,” em inglês e português, deixa de certo modo a porta aberta para a homossexualidade não envolvida com libertinagem e devassidão.
A versão em inglês deixou problemas que a versão brasileira não conseguiu resolver e esclarecer. Em vez disso, criou ambiguidades e problemas maiores. O sexo entre homem e mulher é pecado só quando envolvido com libertinagem e devassidão. Será que o sexo homossexual é semelhantemente pecado só quando envolvido com libertinagem e devassidão? “A Mensagem” americana e brasileira não respondeu a essa pergunta e essa ambiguidade está de acordo com a entrevista malfadada de Peterson.
Contudo, outras versões da Bíblia são muito mais claras:
“Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem homossexuais passivos ou ativos, nem ladrões, nem avarentos, nem alcoólatras, nem caluniadores, nem trapaceiros herdarão o Reino de Deus.” (1 Coríntios 6:9-10 NVI)
“Não sabeis que os injustos não herdarão o Reino de Deus? Não vos deixem enganar: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem os que se entregam a práticas homossexuais de qualquer espécie, nem ladrões, nem avarentos, nem viciados em álcool ou outras drogas, nem caluniadores, nem estelionatários herdarão o Reino de Deus.” (1 Coríntios 6:9-10 KJA)
A entrevista de Peterson ao Religion News Service, exatamente como a Igreja Presbiteriana dos EUA está fazendo, seguiu “ilusões demoníacas,” conforme alertado por sua própria “A Mensagem”:
“O Espírito deixa claro que, à medida que o tempo passa, alguns desistirão da fé para seguir ilusões demoníacas ensinadas por profissionais da mentira.” (1 Timóteo 4:1 A Mensagem)
Outras versões da Bíblia dizem:
“O Espírito diz claramente que nos últimos tempos alguns abandonarão a fé e seguirão espíritos enganadores e doutrinas de demônios.” (1 Timóteo 4:1 NVI)
“O Espírito Santo afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns se desviarão da fé e darão ouvidos a espíritos enganadores e à doutrina de demônios.” (1 Timóteo 4:1 KJA)
Só o Espírito Santo pode prevalecer contra “ilusões demoníacas, “espíritos enganadores” e “doutrina de demônios.”
A mesma Bíblia que alerta que nos últimos dias haveria uma explosão de apostasia também informa sobre um derramamento poderoso do Espírito Santo — uma “explosão” do Espírito Santo e seus dons sobrenaturais.
“‘Nos últimos dias, diz o Senhor, que derramarei do meu Espírito sobre todos os povos, os seus filhos e as suas filhas profetizarão, os jovens terão visões, os velhos terão sonhos. Sobre os meus servos e as minhas servas derramarei do meu Espírito naqueles dias, e eles profetizarão.” (Atos 2:17-18 A Mensagem)
A Igreja Presbiteriana dos EUA é um ambiente tão liberal que até um pentecostal ou presbiteriano renovado poderia cair na armadilha de suas posturas liberais sobre a homossexualidade. Muitas vezes o melhor conselho para cristãos em tal ambiente é deixar a Babilônia ou enfrentar decadência espiritual e apostasia. Permanecer é correr o risco de contaminação espiritual séria.
Talvez esse seja o caso de Peterson.
Uma igreja guiada por Cristo é um lugar em que os cristãos são capacitados pelo Espírito Santo para pregar o Evangelho para pecadores homossexuais, curar suas feridas e enfermidades e expulsar seus demônios. Mas a Igreja Presbiteriana dos EUA está cheia de ilusões demoníacas, “espíritos enganadores” e “doutrina de demônios” com relação ao pecado homossexual e outros pecados. As pessoas que estão abertas ou cheias do Espírito Santo e seus dons sobrenaturais deveriam, para sua própria sobrevivência, deixar esse ambiente de apostasia tão logo seja possível.
É só uma pena que Peterson não tenha deixado a Babilônia a tempo.
Sobre Trump, Peterson disse para Merritt: “Penso que estamos numa situação ruim. Realmente penso. Donald Trump é, no que me diz respeito, inimigo.”
Não que Trump seja inimigo da agenda homossexual. Seu Departamento de Estado tem demonstrado ser pró-sodomia e os EUA sob Trump continuam engrandecendo a sodomia. Mas ao que tudo indica, a entrevista de Peterson mostrou desgosto que o governo de Trump não seja tão venenosamente pró-sodomia quanto era o governo de Obama. Peterson se tornou um liberal empedernido “discreto”?
A Igreja Presbiteriana dos EUA, a qual é a maior denominação presbiteriana dos EUA, em seu liberalismo produziu tais sentimentos e ambiguidades em Eugene Peterson?
Peterson explicou sua queixa acerca de Trump, dizendo: “Ele não tem valores morais. Ele não tem nenhuma integridade.” O que Peterson esperava? Trump é membro de uma congregação da Igreja Presbiteriana dos EUA. Mas pelo menos ele tem estado aberto para orações de cristãos cheios do Espírito Santo.
Se não tivesse acontecido nenhuma tempestade de críticas, Peterson teria voltado atrás? O que acontecerá quando não houver tempestades de críticas conservadoras?
É só uma pena que Peterson não tenha deixado a Babilônia a tempo.
Com informações do Religion News Service, Charisma News e The Washington Post.
Leitura recomendada:

5 comentários :

Jorge Santos disse...

A melhor versão é da Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil, a Almeida Corrigida e Fiel (ACF). E em inglês a King James Version antiga. E sugiro ainda a Bíblia Literal do irmão Hélio de João Pessoa. E tomara que a retratação dele seja sincera.

Julio Severo disse...

A melhor versão de Bíblia em português é a King James Atualizada. Para os jovens, recomendo a Bíblia na Linguagem de Hoje. Muitos jovens ficam desanimados de ler a Bíblia por causa dos muitos arcaísmos e entraves linguísticos de versões muito antigas. Os idosos, que já estão acostumados com versões arcaicas, leem porque gostam. Mas os jovens não. Se você tem adolescentes e crianças que gostam de ler, compre para eles a Bíblia na Linguagem de Hoje. Já lidei com casos em que pais reclamaram para mim que os filhos não gostavam de ler a Bíblia. Recomendei comprar a Bíblia na Linguagem de Hoje e — adivinhem! — os adolescentes começaram a ler a Bíblia com interesse.

Dom Rafael disse...

Poxa, a NVI pra mim, se não a melhor, é uma das melhores! inclusive é cheia de notas de rodapé, com as variações das traduções. excelente! e sempre quando eu vejo e/ ouço outras passagens, vejo que a NVI acertou em cheio, apenas atualizando a linguagem. para quem não quer abandonar o "ide por todo o mundo, e pregai o evangelho" mas, ao mesmo tempo, deseja uma versão atual, eu recomendo a Nova Tradução na Linguagem de hoje pois, ao mesmo tempo em que eles mantém um certo lirismo e fidelidade escrita, eles também atualizaram muitas passagens, que antes de lê-la eu não conseguia entender (lia a almeida antiga)! e olhe que eu tenho uma Bíblia de estudo de genebra aqui e, sempre ou quase sempre quando eu comparo as duas, a nvi se mostra PERFEITA! paz. e reforço o que o irmão julio falou: para pregar, evangelizar e para pessoas novas e não-cristãs, deem a nova tradução na linguagem de hoje (que eu também pretendo le-la, assim que tiver dinheiro, rs, pois eu já li a almeida umas 2 vezes, a nvi agora tá sendo acho que a 2ª, e me falta a ntlh)! ninguém mais no brasil fala vós, ide, brado, foi ter com et cetera; infelizmente, MATARAM o nosso portugues. a gente tem de falar A LÍNGUA DO POVO! duvido muito que jesus falasse uma língua toda pomposa pois, até onde eu sei, o grego usado no novo testamento ERA O GREGO COMUM, o koiné, e não o lírico. paz.

Thel Araújo disse...

Essa instituição chamada Presbiteriana é uma vergonha, eu me recuso a chamá-la de igreja, porque não é, nunca foi e nunca será. Por que vocês estão estupefatos com a posição desse "pastor"? Isso nunca foi um pastor.

Emerson disse...

1 tessalonicenses 4:3-9, pendo que fala sobre isto também, se afastar da prostituição e se santificar, assim com do amor fraternal que não requer retoques...
Se me engono, asseito elucidações..