5 de junho de 2017

PSC, indo do astrólogo à umbandista, jorra água doce e salgada


PSC, indo do astrólogo à umbandista, jorra água doce e salgada

Julio Severo
“Somos abertos a todos aqueles que querem o melhor para o país. Podem ser gays, feministas, pessoas de outros partidos, espíritas. Não temos restrições,” afirmou Leandro Bomfim, presidente da Juventude do PSC de Guarulhos, em reportagem da Folha de S. Paulo.
Um dos candidatos diversificados do PSC é a umbandista Maurima Geraldo Nunes, de 50 anos, mais conhecida como “Nega Furacão.” Não se deveria estranhar a presença dela num partido supostamente evangélico, pois o deputado Jair Bolsonaro (RJ), que é do PSC, numa palestra no ano passado usou exatamente os pais-de-santo como exemplos de vítimas de perseguição religiosa na Cuba comunista.
O exemplo de Bolsonaro foi desmentido pelo jornalista americano J. Lee Grady, que disse já em 2006: “O tipo de comunismo de Fidel é uma estranha mistura de ideologia marxista e feitiçaria caribenha. Em Cuba muitos sabem que ele consulta bruxos da Santeria — uma religião que os escravos africanos importaram para Cuba e se misturou com práticas católicas. Fidel ergueu estátuas e santuários honrando Santeria na entrada de muitas vilas na nação de 11 milhões de pessoas.”
A Santeria é uma religião afro como o vodu e o candomblé. Fidel era então adepto das religiões afros. Se a intenção de Bolsonaro foi trazer umbandistas para o PSC, ele conseguiu.
O PSC (Partido Social Cristão) ficou conhecido no Brasil por seus deputados-pastores e a defesa de agendas conservadoras, mas as contradições são muitas.
Outra postura antagônica ao Evangelho dentro do PSC foi o pastor Marco Feliciano (SP) elogiando o astrólogo Olavo de Carvalho como um “verdadeiro profeta,” sendo que o elogiado xinga abertamente a religião evangélica.
Semana passada, Victorio Galli, que é pastor assembleiano e deputado do PSC, deu um puxão de orelha no governo federal por sua atitude contra o Estado de Israel, mas ele mesmo acabou mostrando que precisa também de um puxão de orelha ao fazer propaganda, na sexta-feira passada, de Carvalho, que disse:
“O Protestantismo nasceu do ódio e da sêde de sangue. Sua inspiração cristã é ZERO.”
“Repito: nunca existiu uma entidade chamada ‘Inquisição’ e muito menos ‘Santa Inquisição.’”
“A credulidade com que tantos evanjegues ouvem pastores semi-analfabetos, drogados, ladrões e putanheiros é a oitava maravilha do mundo.”
São declarações fortes. Muitos evangélicos foram à página de Facebook do deputado Victorio Galli para alertá-lo, mas em vez de dar atenção ao público evangélico, de quem ele depende para se eleger, ele se colocou ao lado do astrólogo, acusando os próprios evangélicos de difamadores, apagando seus comentários e bloqueando-os.
O que a Bíblia diz que seja útil para Galli e seu partido, que misturam a defesa de Cristianismo com outras coisas?
“Por acaso pode a mesma fonte jorrar água doce e água amarga?” (Tiago 3:11 BLH)
Dá para, da mesma fonte ou partido cristão, jorrar água doce (apoio a Israel) e água amarga (apoio a uma umbandista e a um astrólogo antievangélico e pró-Inquisição)?
Só mesmo de uma fonte oportunista.
Que vergonha, senhor deputado!!!! Várias pessoas tentaram alertá-lo que o astrólogo que você louvou no Congresso é um notório difamador do protestantismo e dos protestantes e você, em vez de escolher ficar do lado das vítimas, reforça seu apoio ao agressor. Você apagou todos os comentários de alerta. Já que você, como pastor, não acredita nos seus próprios irmãos em Cristo, veja o que um dos ex-alunos do astrólogo diz sobre ele: https://youtu.be/_suLdFqZlSI
Talvez Galli esteja esperando sua vez de receber uma indireta obscena do astrólogo, igualmente dizendo que ele foi a um motel com uma mocinha.
Se fica mal uma umbandista no PSC, fica bem um pastor assembleiano elogiar um astrólogo xingador de evangélicos?
Se a porta está aberta para um astrólogo, é óbvio que a umbandista é muito bem-vinda.
Leitura recomendada:

5 comentários :

Flávio da Vitória disse...

O PSC só entrou na onda conservadora pra conseguir eleitores, nunca foi conservador, ainda teremos de esperar até termos um parrifo cristão conservador de verdade

Jorge Santos disse...

Eu possivelmente votarei em Bolsonaro no primeiro turno, por falta de opção. O Brasil nunca teve e nunca terá candidatos e partidos verdadeiramente conservadores.

luciano betim disse...

Em relação aos pastores, penso que o ideal seria que não deixassem o pastorado para se envolver com políticos. Ou se cado viessem se tornar políticos, que pedissem licença do pastorado e não utilizassem o termo "pastor" durante a gestão. Que fossem exemplo na moral e ética, sem apelos ao "titulo" pastoral.

Palavras de Paulo:

"Suporte comigo os sofrimentos, como bom soldado de Cristo Jesus.Nenhum soldado se deixa envolver pelos negócios da vida civil, já que deseja agradar aquele que o alistou". (2 Timóteo 2:3,4-NVI)

Deus abençoe a todos!

Jorge Santos disse...

Um pastor verdadeiro não pode ser político. É um dom de Deus e não pode ser abandonado.

Flávio da Vitória disse...

Partido*