7 de maio de 2017

Em parceria com George Soros, governo Trump ajuda muçulmanos e socialistas e se opõe aos conservadores na Macedônia


Em parceria com George Soros, governo Trump ajuda muçulmanos e socialistas e se opõe aos conservadores na Macedônia

Milhões de americanos votaram em Donald Trump porque queriam parar a entrada em massa de imigrantes muçulmanos nos Estados Unidos, embora o programa de reassentamento de refugiados que está espalhando o islamismo nos EUA continue com força total.
O que é de espantar é que sob o presidente Donald Trump, o governo dos EUA está fazendo parceria com a Fundação Sociedade Aberta de George Soros para facilitar esforços islâmicos para derrubar os conservadores do governo da ex-república iugoslava da Macedônia.
A Macedônia está à beira de um conflito étnico entre a população macedônia eslávica local e a crescente minoria albanesa islâmica.
Os albaneses étnicos agora compõem 25 por cento da população e são a maioria dos muçulmanos do país. O conflito explodiu e virou manchetes internacionais quando manifestantes conservadores recentemente invadiram o Parlamento e atacaram os legisladores esquerdistas.
O Departamento de Estado dos EUA e a União Europeia estão exortando os conservadores a renunciarem às suas manifestações.
O conflito na Macedônia também tem raízes mais profundas, pelo fato de que a Macedônia é um campo de batalha na competição geopolítica entre Rússia e Estados Unidos e por causa dos esforços contínuos de Soros, um financista e filantropo internacional, para minar governos europeus conservadores e nacionalistas.
O governo russo está apoiando os conservadores e nacionalistas na Macedônia e acusa a União Europeia e a OTAN de minar os países eslávicos.
Enquanto isso, muitos macedônios acreditam que os esforços para minar seu país têm origem na Fundação Sociedade Aberta de Soros, a qual está financiando de forma decisiva grupos esquerdistas na Macedônia. O site “Stop Operation Soros” (Detenha a Operação Soros) traça os esforços de Soros no país, inclusive traçando os milhões de dólares sendo enviados para grupos esquerdistas no país.
O que é importante é que parte desses dólares está vindo dos americanos que pagam impostos.
A entidade Observatório Judicial recentemente entrou com um processo com base na Lei de Liberdade de Informação contra o Departamento de Estado para obter todos os registros das comunicações desse departamento com a Fundação Sociedade Aberta, assim como todos os registros de dinheiro e apoio dados pela Agência Americana de Desenvolvimento Internacional (conhecida pela sigla inglesa USAID). De acordo com o site da USAID, 4,8 milhões de dólares foram dados para a Fundação Sociedade Aberta na Macedônia entre 2012 e 2016.
O deputado federal pró-vida Christopher Smith também anunciou uma investigação na embaixada americana na Macedônia depois de alegações de que o governo dos EUA, sob Obama e agora sob Trump, está trabalhando para derrotar os conservadores nas eleições macedônias, inclusive colaborando com a rede de Soros.
A elite da mídia americana está defendendo os esforços de Soros e do governo americano na Macedônia acusando os inimigos de Soros de serem parte de um “ataque russo.”
Mesmo depois da posse do presidente Trump, a Fundação Sociedade Aberta permanece parceira da USAID, que pertence ao governo americano, e ambas continuam a trabalhar juntas em vários programas, inclusive Verbas para Apoiar Envolvimento dos Jovens, para incentivar “a participação na vida pública.”
De acordo com a aplicação, deve-se dar “prioridade” de conceder aplicações que visam “garantir envolvimento considerável de mulheres, meninas, jovens, minorias étnicas ou religiosas, a comunidade LGBT, ou outros grupos vulneráveis e marginalizados.”
O site American Spectator informa que a rede de Soros na Macedônia, apoiada por dinheiro dos EUA, também usou táticas ocidentais e treinou manifestantes para desestabilizar o governo conservador da Macedônia. Tendo realizado essa missão, o governo de Trump está agora pressionando a pequena nação cristã a entregar o controle de seu governo para uma aliança entre esquerdistas e muçulmanos.
Leo Hohmann, autor do livro “Stealth Invasion: Muslim Conquest Through Immigration and the Resettlement Jihad” (Invasão Sorrateira: Conquista Muçulmana por meio da Jihad da Imigração e Reassentamento), vê paralelos entre a conduta do governo Trump nos EUA e no exterior.
“Aqui nos EUA, os trabalhadores que pagam impostos financiam ONGs (Organizações Não-Governamentais) que lucram com a importação de imigrantes muçulmanos que são deliberadamente trazidos para mudar a cultura dos EUA e votar em esquerdistas,” disse Hohmann. “Agora, na Europa, vemos que os Estados Unidos da América, longe de se oporem aos esforços islâmicos de tomar o continente europeu, estão facilitando isso. Os EUA estão essencialmente ajudando os muçulmanos albaneses a tomar a pequena nação da Macedônia. E os trabalhadores americanos que pagam impostos estão financiando George Soros a fim de realizar isso.”
Hohmann comentou que é irônico que é o governo federal de Trump que está financiando os mesmos tipos de organizações esquerdistas que estão tentando removê-lo da presidência nos EUA.
“O presidente Trump está realmente financiando seus inimigos, e também os inimigos do Ocidente,” Hohmann disse. “A rede de Soros está ajudando a organizar os protestos contra ele nos Estados Unidos do mesmo jeito que eles estão tentando derrubar os conservadores no governo da Macedônia.”
“Ignore a questão da razão por que os governo Trump está fazendo um grande esforço para destruir a pequena nação cristã da Macedônia. Por que os republicanos no governo federal estão dando milhões de dólares para os mesmos grupos que estão tentando destruí-los? E por que eles estão dando dinheiro ao mesmo tempo em que afirmam que não podem defender as próprias fronteiras dos EUA por falta de dinheiro?”
Hohmann comentou que os EUA apoiaram os muçulmanos da Bósnia durante a presidência do presidente americano esquerdista Bill Clinton.
“Parece que, independente de quem ocupe a presidência dos EUA, os americanos veem a mesma política externa anticristã vindo do Departamento de Estado dos EUA. O que o governo americano está fazendo está deliberadamente destruindo o Ocidente.”
Enquanto isso, os protestos continuam na Macedônia, e estão pedindo nova eleição. Um manifestante nacionalista prometeu continuar a protestar nas ruas.
Traduzido e editado por Julio Severo do original em inglês do WND (WorldNetDaily): American support for Islamic takeover continues, even under Trump
Leitura recomendada:

4 comentários :

Savio Luan disse...

Confirmou o que eu já desconfiava,Trump é capacho dos globalistas, EUA está lotado deles, não tem pra onde correr.

Jorge Santos disse...

Não tem. Os verdadeiros conservadores americanos são minoria. Há uma pesquisa que indica que a maioria dos americanos nunca leu a Bíblia.

Savio Luan disse...

Culpa do liberalismo teológico culminado pelo marxismo, maçonaria e N fatores.

Marcelo Victor disse...

Eis a opinião de um cidadão comum (como nós) sobre os últimos acontecimentos relativos à IMIGRAÇÃO: https://www.youtube.com/watch?v=ziCB_dq5T1U
Pelas palavras dele, tudo indica que o infortúnio dos cristãos, a nível mundial, deverá vir por mão dos muçulmanos.