23 de março de 2017

Paul Washer debochou da experiência sobrenatural do Apóstolo Paulo?


Paul Washer debochou da experiência sobrenatural do Apóstolo Paulo?

Julio Severo
O evangelista calvinista Paul Washer sofreu um ataque cardíaco dias atrás e, em seu estado crítico numa cama de hospital, mandou um recado no seu Twitter:
“Se faz você se sentir melhor, não fui ao terceiro céu.”
Paul Washer
Momento de ataque cardíaco não é hora de piadas, nem contra quem sofreu o ataque e muito menos de quem sofreu.
Quem apenas observa a vítima não pode debochar, pois todos igualmente são vulneráveis à morte.
Quem sofre um ataque cardíaco não pode se dar ao luxo de brincar com as coisas de Deus.
Terceiro céu foi uma experiência sobrenatural que o Apóstolo Paulo teve, em que ele parece ter morrido e tido visões celestiais, conforme descrito em 2 Coríntios 12.
É comum calvinistas cessacionistas debocharem de seguidores de Jesus que têm experiências sobrenaturais hoje. Mas brincar com experiências sobrenaturais dos apóstolos é ato mais sério.
Se eu estivesse no lugar do Washer, numa cama de hospital em estado crítico, nem de longe eu brincaria com as coisas de Deus. Eu tremeria só de pensar nisso.
Washer disse:
“Se faz você se sentir melhor, não fui ao terceiro céu.”
Ele demonstra convicção de que o público dele só vai se sentir melhor se ele tiver uma experiência de morte normal sem nenhuma experiência sobrenatural. Ora, nas questões envolvendo morte, quem tem o controle absoluto é Deus. Se Ele escolher fazer com um homem ou mulher hoje o que Ele fez com o Apóstolo Paulo, toda a glória seja dada a Ele.
Mas por que o público de Washer se sentiria melhor se ele não tivesse experiências sobrenaturais na morte? Eles são cessacionistas? Eles são descrentes? Eles não gostam de visitações de Deus? Eles são do tipo que passa a vida inteira rejeitando as intervenções de Deus e na morte querem manter fidelidade às suas descrenças por amor a uma teologia carnal?
O Apóstolo Paulo não escolheu ter uma experiência de terceiro céu e outras experiências sobrenaturais. Quem decide isso é só Deus. Por que evitar tal experiência faria alguém se sentir melhor? Tenho certeza de que Satanás não se sentiu melhor com a experiência de Paulo.
Fico sem entender a brincadeira de mau-gosto do evangelista calvinista Paul Washer.
Fico também sem entender certas omissões dele.
Ouvi algumas pregações dele, onde ele especificamente condenou o que chamam de Teologia da Prosperidade. Mas, depois de fazer muitas buscas, não encontrei uma única condenação dele à Teologia da Missão Integral (TMI).
A Teologia da Prosperidade não ameaça os calvinistas, que a rejeitam totalmente. A única teologia que ameaça os calvinistas é a TMI, que é a versão protestante da Teologia da Libertação. Isto é, é uma teologia de alma marxista. Sobre esse assunto, tenho um e-book em português, inglês e espanhol. Para mais informações, acesse este link: http://bit.ly/141G7JH
Alguns poderiam argumentar que Washer não condena a TMI porque ele é americano e nunca ouviu falar disso.
Tal argumento dificilmente se sustentaria, pois Washer foi missionário no Peru durante dez anos. O Peru é um dos países latino-americanos em que as igrejas calvinistas foram mais marcadas pela TMI. Portanto, dez anos no Peru foi tempo mais que suficiente para ele ver, ouvir e sentir a TMI em toda a sua desgraça —a menos que ele não tivesse achado que aquilo era desgraça.
Considerando que as igrejas calvinistas do Brasil foram grandemente afetadas pela TMI, era de esperar que todas as visitas de Washer ao Brasil incluíssem condenações específicas à TMI. Não algumas condenações, porém muitas. Mas isso nunca aconteceu…
Um pregador calvinista palestrar em reuniões calvinistas do Brasil sem tratar especificamente da TMI é como um especialista médico atender um paciente de câncer e, em vez de lidar diretamente com o câncer, tratar de um resfriado. Tratar do resfriado é importante, mas lidar com o câncer é vital.
Se Washer não pretende tratar do câncer da TMI entre calvinistas, por que vir ao Brasil?
Por outro lado, se ele pisar no calo principal dos calvinistas brasileiros, a TMI, vão querer convidá-lo de novo ao Brasil? É fácil ele vir ao Brasil e, em vez de atacar o principal problema do quintal calvinista, atacar o problema do quintal dos outros.
Eu bem que gostaria que Washer tivesse uma experiência de terceiro céu. Ele voltaria menos descrente, menos debochador e mais focado nas prioridades de Deus com relação aos graves problemas dos calvinistas brasileiros, que precisam de muita ajuda. Mas se nem um calvinista como Washer tem disposição de falar contra o câncer da TMI, quem o fará?
Meu desejo sincero é que ele se recupere do ataque cardíaco e ganhe consciência da importante responsabilidade que ele tem de priorizar, em seus alertas aos calvinistas brasileiros, a ameaça da TMI. Só um milagre pode realizar isso, e eu creio em milagres.
Leitura recomendada:

26 comentários :

Jorge Santos disse...

Muito infeliz a declaração de Washer. Aliás Deus fez um milagre: o Estado dele era crítico.

Eliseu Antonio Gomes disse...

Vamos levar em conta a debilidade física do momento em que houve a postagem? Acho que é o melhor esperar que Washer esteja confirmadamente restabelecido para que se faça aprofundamento deste assunto.

Natannael Mesquita disse...

Vamos deixar que Deus julgue suas palavras e atos. Vamos continuar orando pela a recuperação dele.
Cursos Bíblicos Online

Lenilson Marcos disse...

E AONDE ESTA ESCRITO QUE JESUS TEVE TREZE APÓSTOLOS??? ESTE CENTURIÃO ROMANO SE DISSE APOSTOLO SEM O SER, E PROIBIU A MULHER AO HOMEM, E AS MULHERES DE SE CASAREM CONFORME MANDA A LEI CRESCEI-VOS E MULTIPLICAI-VOS , ELE FOI O VERDADEIRO AUTOR DA VIDA MONÁSTICA, QUE DEUS NÃO VOS PRESCREVEU. SEU FIM FOI A FORCA. VIDA MONÁSTICA É AQUELA EM QUE PESSOAS SE FECHAM EM CONVENTOS, COMO FREIRAS , QUE NÃO SE CASAM E PADRES IDEM. CONTRARIANDO ASSIM ALEI DE DEUS QUE DIZ QUE TODO HOMEM DEVE SE CASAR COM UMA MULHER E COM ELA FORMAR UMA FAMÍLIA!

Nena Rocha disse...

Não conheço Washer mas, lamento que se refira a Paulo desta maneira. Paulo foi escolhido por Deus para evangelizar os gentios, dos quais Washer faz parte. Infelizmente Washer tem mais a ver com Tomé. Porém, bem-aventurados os que não viram mas creram!!!

Marcelo Victor disse...

Acho interessante quando alguns supostos moralistas vêm a público, tomados por um espírito de corporativismo (que supera até mesmo o sentimento cristão), proferindo um discurso falacioso da seguinte maneira: "deixemos que Deus o julgue".

Peço a Deus que me livre desse espírito contrário, que nos induz a nos conformarmos com o erro e com posturas diabólicas, pois Paulo, por exemplo, quando viu que Pedro tornara-se hipócrita e fazia política com as coisas santas, subiu a Jerusalém e o peitou na sua cara, com o desejo de que ele se arrependesse desse pecado e parasse de perverter o evangelho de Cristo.

Para desmontar esse espírito de acobertamento, Paulo amou mais a Cristo do que a sua própria reputação diante dos apóstolos (as colunas) e não o fez secretamente, mas diante das câmaras da época, registrando, para ensino da igreja, num pequeno livro que se tornou conhecido somente no MUNDO TODO, e EM TODAS AS GERAÇÕES.

Paremos de ser hipócritas e de acobertarmos o erro dos "queridinhos da mamãe", querendo defender esta ou aquela denominação religiosa, pois não é isso que a Bíblia nos ensina; quem o fizer estará pisando no sangue imaculado que não foi vertido por causa de partidos políticos, mas para salvar os que amam a Deus sobre todas as coisas.

"Melhor é a repreensão aberta do que o amor encoberto" (Pv 27:5).

Julio Severo disse...

Há diferença entre crítica destrutiva e crítica construtiva. Note que todos os amigos calvinistas do Washer no Brasil não têm pudores de chamar Silas Malafaia de “herege.” Isso é muito pesado, né? Isso é crítica destrutiva. Eles fazem isso o tempo todo. Não chamei Washer de herege. Fiz uma crítica educada, apontando, inclusive, que ele, que critica a Teologia da Prosperidade do quintal dos outros, é OMISSO quanto a um grave liberalismo teológico no meio calvinista brasileiro onde ele tem vez e voz: a TEOLOGIA DA MISSÃO INTEGRAL. Essa é a minha crítica. Aqueles que acusam insanamente Silas Malafaia de “herege” fazem críticas destrutivas e anticristã e não têm moral nenhuma para condenar minha crítica construtiva nem razão para se sentirem melindrados.

Douglas Araújo disse...

Júlio ... pelo amor de Deus, cara.

Você só sabe procurar pelo em ovo. E tudo pra você tem a ver com a TMI. TUDO.

Não sou amigo da TMI, também acho destrutivo e que deve ser criticada. Mas tudo pra você é TMI.

"Nicodemus fala mal de palavrão" (Ah, mas e a TMI?)
"Paul Washer faz brincadeira com terceiro céu" (Ah, mas e a TMI?)
"Caio Fábio etc" (Ah, mas e a TMI?)
"Éd Rene etc" (Ah, mas e a TMI?)
"Paulo Junior critica Malafaia" (Ah, mas e a TMI?)
"Teologia da prosperidade é atacada" (Ah, mas e a TMI?)

Cansa. A TMI tá quase morta no Brasil, não se ouve mais falar em Ariovaldo Ramos, e você só sabe falar de TMI cara... E contra calvinistas.

E de verdade, o Washer fez uma brincadeira com o nome dele ser Paulo, ele ter passado pela experiência de quase-morte e a questão do terceiro céu do Apóstolo Paulo.

Não vejo o que tão de ruim, de deboche, tão grande pecado, blasfêmia foi essa dele do jeito que você diz.

"Ele demonstra convicção etc, etc, etc" NÂO CARA! ELE FEZ UMA BRINCADEIRA! BRINCADEIRA.

Será que a gente pode levar a sério o que deve ser levado e brincar com o que deve ser brincado?

Você tem uma baita exposição, use ela pra algo útil. Quer atacar a TMI? Beleza. Calvinismo? Ok.

Mas usar tudo como argumento pra ir contra TMI? Enche.

Obs.: Fui meio duro, mas desculpe-me se tô falando besteira, é apenas minha visão, visitando seu blog.

Att, Douglas Araújo.

Julio Severo disse...

Olá, Douglas! Você disse: “A TMI tá quase morta no Brasil.” Não, não está. Você tem, evidentemente, pouco conhecimento do assunto e ao alegar que vejo TMI em tudo, você prova seu total desconhecimento, pois em cada uma das questões que você citou a TMI está envolvida e apresentei evidência do envolvimento, ao passo que você não apresentou nenhuma evidência em contrário.

Sobre você interpretar o comentário do Washer como brincadeira, você tem sorte de eu não ser um calvinista cessacionista. Se eu fosse, já colocaria imediatamente a etiqueta de “herege” no Washer. Esses calvinistas cessacionistas têm esse hábito maluco de colar etiqueta de “herege” em tudo. Portanto, minha crítica foi inteiramente proporcional e educada.

Acho que é muito perigoso tratar um mero homem como acima de críticas. Washer não está acima de críticas. E agora que ele já fez várias críticas a Teologia da Prosperidade, é mais que justo uma cobrança para ele criticar a teologia que mais afeta o quintal dele: a Teologia da Missão Integral.

Por que ficar tão incomodado? Por que achar que a TMI está quase morta? Você então quer dizer que Washer e outros calvinistas estão desculpados de não criticar a TMI porque ela está quase morrendo?

Eu bem que queria que seu sonho fosse realidade.

Falta muita coisa para você aprender sobre os perigos da TMI!

Delmir Monteiro disse...

<Sr Julio,
1° Paul Washer não é cessacionista. Ele conta ter tido experiências com Deus marcantes em sua vida que até mesmo os calvinistas o criticam. Veja alguns testemunhos dele:
https://www.youtube.com/watch?v=pYDPAs9HHD8
https://www.youtube.com/watch?v=FPrkQcSlyf8
https://www.youtube.com/watch?v=7ezgqRt_JDY
https://www.youtube.com/watch?v=dtkF0PhdzY4
https://www.youtube.com/watch?v=-rqMPGpWdg8
https://www.youtube.com/watch?v=tI8ajoO83NM

É desapontador ver um homem com tanto a dizer a respeito de Paul Washer sem ao menos saber disso!

2° Ele disse essa frase para que as pessoas parem de espiritualizá-lo. As pessoas o tem em grande estima e ele não gosta disso.

Vocês são lentos na interpretação e espiritualizam mais que os "fãs" dele.

Saulo Falcão disse...

Caro Júlio,
Acredito que o Delmir Monteiro sintetizou muito bem a coisa.
Paul Washer não é um homem de brincar com questões desse tipo.
Tenho assistido muito dos vídeos dele e brincar não faz muito o seu estilo.
Acho que não vimos o irmão Paul falar de TMI por dois motivos:
1) Porque ele talvez não conheça (apesar de suas vindas ao Brasil)
2) Por causa de seu foco ministerial
E, eu ilustro esse segundo ponto com um exemplo: já vi um artigo seu, Júlio, onde você cita o teólogo americano Vincent Cheung. Cheung tem um foco ministerial apologético. Paul Washer tem um foco ministerial no evangelho em si (tanto que o chamam de “o pregador de um sermão só”, por pregar muito em Romanos 3). Salvo engano, a Teologia da Prosperidade não nasceu aqui (me corrija se estiver errado) e tem causado seus estragos no meio evangélico por lá. Acrescente-se a isso a possibilidade de Washer não ser um conhecedor da TMI e chegaremos a algo que ajude a explicar a ausência da abordagem dele à TMI, que é “nossa”.
Concordo que falta contundência de calvinistas proeminentes, no Brasil, em condenar a TMI, como o fazem com a Teologia da Prosperidade. Acho que isso se deve ao fato de que, aqui no Brasil, frequentam o “mesmo quintal”.
De resto, admiro seu trabalho.
Um grande abraço. Graça e paz.

Julio Severo disse...

Saulo, você parece ter lido apenas o título sem ter lido o restante do artigo, que explica que é muito difícil o Washer não conhecer a TMI, sendo que ele foi missionário durante dez anos no Peru, onde a TMI é forte nas igrejas calvinistas.

Mas suponhamos que ele nunca tivesse ouvido falar em TMI e só tivesse experiência com teologias americanas. Pois bem, nos EUA a TMI é Social Gospel, ou Evangelho Social.

As grandes denominações calvinistas americanas estão caindo em liberalismo teológico provocado pelo Social Gospel há mais de 100 anos. Os resultados dessa teologia nessas igrejas é: apoio ao aborto, ao “casamento” gay, etc. A PCUSA, a maior denominação presbiteriana dos EUA e do mundo, caiu em todos esses pecados graças ao Social Gospel.

Sim, nos EUA existe a Teologia da Prosperidade, que não é responsável por nenhuma dessas apostasias nas igrejas calvinistas americanas, que rejeitam totalmente essa teologia neopentecostal.

Assim, considerando o fato de que o Social Gospel, cujo conteúdo é muitíssimo parecido com a TMI, é o maior problema das igrejas calvinistas americanas, era de esperar que Washer tocasse no assunto dessa teologia que está destruindo as igrejas calvinistas americanas.

Supondo que o Washer nunca tenha ouvido falar de TMI ANTES DE SUA PRIMEIRA VISITA AO BRASIL, era de supor que os calvinistas com quem ele se encontrou tinham a obrigação de informá-lo sobre a TMI.

Tudo aí está errado, de ambas as partes, pois todos os que receberam Washer no Brasil conheciam a TMI. Ele, como calvinista americano, COM CERTEZA conhece o Social Gospel e, como ele foi missionário americano no Peru, impossível ele não ter conhecido a TMI, que está presente no Peru há 40 anos.

Saulo Falcão disse...

Júlio, grato por dispensar tempo em me responder.

Fabio Aquino disse...

Nao se deve "brincar" com as coisas de Deus em hipótese alguma, autor.

Jonathas Toffanello Viana disse...

Essa sua conclusão foi magistral e expõe bem o que ocorre com muitos. Veem o que querem ver e se extasiam de suas interpretações distorcidas.

LIBERTO DE TODO OS VICIOS disse...

me fale uma denominação aqui no Brasil, que esta isenta do liberalismo teologico?

LIBERTO DE TODO OS VICIOS disse...

acho que voce se precipitou neste julgamento. ja vi pastores renomados e teologos brincarem com coisas piores em cima do pulpito...qual é a intenção destas frases?

mario kamps disse...

Nao acredito que washer tenha debochado de nada do que voces two falando, apenas fez um comentario Para descontrair a situaçao, digo isso POR conta do testemunho do Paul washer na igreja de cristo, suas pregaçoes Sao extremamente cheias de poder do Espirito Santo.

Fabio Macedo disse...

Silas retirou Cristo do centro do evangelho e colocou a prosperidade! TMI é por Cristo no centro da experiência Cristã!

Marcelo Victor disse...

Perdoem a minha desatenção, mas, no meu comentário, onde se lê "câmaras", leia-se "câmeras".
Deus vos abençoe!

Jack Wonder disse...

Sou Batista, não sou cessacionista e não vejo como unanimidade no Brasil Batista, mas devemos respeitar a posição de todos inclusive os dogmas da denominação a qual se faz parte. Com respeito a Washer, brincar com om que diz a escritura seria total idiotice para um homem de sua envergadura espiritual, portanto não interpreto nada de negativo em seu comentário digno de uma "repreensão divina". Washer é um exemplo de que a Palavra é a base para tudo e se um homem que não fala a glossolalia é uma referência mundial é sinal que Deus usa quem ele quer independente de suas convicções doutrinárias que não tenham cunho salvífico. Exageros existem entre pentecostais e conservadores, e se Deus não tivesse misericórdia "Ai de nós". David Wilkerson não aprovava as convicções teológicas Benny Hinn, prova que nem os pentecostais se entendem. Vamos pregar mais à humanidade perdida no pecado que teremos mais lucros do quê entrar em "discussões tolas".

Leony disse...

Julio e a todos, por favor, leiam e vejam os videos.

Sobre Paul Washer não levar em conta o sobrenatural de Deus da mesma forma que aqueles que se julgam pentecostais, vejam este video < https://www.youtube.com/watch?v=SkdAK1NCbDE > a partir dos 35:19 até o final. Depois assistam a este aqui < https://www.youtube.com/watch?v=SpfnFqj6RG0 > que é a continuação do relato que é interrompido no finalzinho do primeiro vídeo.

Sinceramente: estas discussões (entre cessacionistas e pentecostais) refletem apenas a falta de objetividade/direção da Igreja atual, que perdeu o foco em Jesus e nos perdidos e substituiu pelo ataque de uns aos outros. Vejam se em regiões onde há uma maior perseguição há tempo para vãs discussões (2 Tim 2:14) como estas.

Falta a Igreja atual ser mais parecida com Jesus em tudo. Digo ser parecido com Jesus porque tanto os ditos "pentecostais" como ditos "reformados", ambos tem uma mania de colocar homens/doutrinas de homens como referências de conduta e espiritualidade ao invés de Jesus.

Pentecostais erram quando FOCAM em experiências pessoais de si e dos outros para formular doutrinas que não refletem o caráter de Cristo. Reformados erram quando FOCAM mais sobre os ícones do passado do que de Jesus.

Marcelo Victor disse...

Com toda essa bagunça, em nome de Jesus Cristo, a igreja verdadeira, pelo que tudo indica, terminará por se reunir em casa, exatamente como a igreja primitiva, sem estrelas, sem ídolos, sem gurus e sem teologias humanas.

A história nos mostra que todos os ajuntamentos religiosos, via de regra, ainda que comecem bem, centrados em Cristo, terminam por se desviar do alvo, dando lugar a práticas anticristãs, facilmente observadas nas chamadas igrejas cristãs de hoje, tais como: nepotismo, ocultismo, misticismo, imperialismo, etc.

O exemplo maior está no próprio grupo de apóstolos, onde um dos doze começou bem e deu lugar ao diabo, metendo a mão do dinheiro da obra de Deus. Logo em seguida, algo diabólico voltou a se repetir com Ananias e Safira, os quais, querendo parecer justos diante de todos, mentiram aos apóstolos.

Em grupos reduzidos de pessoas, o risco é menor e o controle é maior, em todos os aspectos, inclusive com relação à doutrina revelada pelo Espírito Santo.

Flaviano Filho disse...

Eu não creio que Paul Washer seria tão leviano.
Provavelmente, ele estava indiretamente se referindo à experiência de Don Piper, que após sofrer um terrível acidente de carro, morreu e esteve no céu durante 90 minutos. E um pastor , amigo dele, orou pedindo a Deus que o ressuscitasse.
veja

https://www.youtube.com/watch?v=f-Glnxvds6s

Henrique disse...

Bom dia! Peço atenção ao comentário de Delmir Monteiro, postado em 24 de março. Ele lembra que Paul conta ter tido experiências marcantes com Deus em sua vida que até mesmo os calvinistas o criticam. É verdade.
Todavia, se Paul errou em sua postagem, espero que Deus o alerte. E que o irmão Paul se conserte. Todos nós erramos. Temos que nos arrepender de nossas falhas e pecados constantemente. Somos imperfeitos. Mas, a graça de Deus nos basta.
Vamos orar mais. Precisamos ter mais fome e sede de Deus!
Acompanhe e ore ao ouvir a mensagem disponível a seguir:
https://www.youtube.com/watch?v=lqFRat3y_6k&t=531s

Mauricio Neris disse...

Não costumo comentar em post como esses. Não conheço Paul Washer apesar de já assistir varias pregações dele. Mas o que percebo é que em suas ministrações ele só se preocupa em exaltar o nome de Jesus e falar contra o pecado é o quanto temos que nos tornar cristão de verdade enquanto outros só falam de ficarmos ricos nesta terra, então quem está errado, quem está realmente se aproximando dá palavra. Então falo diretamente ao autor desta publicação, menos doutrina a e mais palavra de Deus que é o que o mundo está precisando.