31 de março de 2017

Entendendo o dom de línguas


Entendendo o dom de línguas

Rev. Larry Christenson, pastor luterano americano
Falar em línguas é um dom do Espírito Santo. A Bíblia diz que falar em línguas é uma manifestação ou dom do Espírito Santo (Atos 2:4; 10:46; 19:6; 1 Coríntios 12:10). Jesus falou desse dom como um “sinal” que acompanharia aqueles que acreditam nEle (Marcos 16:17). Depois da Ascensão de Jesus, esse dom apareceu como evidência ou sinal de que uma pessoa havia sido cheia ou batizada no Espírito Santo (Atos 2:4; 10:46; 11:16; 19:6). Paulo o descreve como um dos nove charismata ou “dons” do Espírito Santo (1 Coríntios 12:10). Todos os apóstolos originais (Atos 2:4), os novos convertidos (Atos 10:46; 19:6) e São Paulo tiveram a experiência desse dom. Pode-se dizer com segurança que falar em línguas era uma experiência comum na Igreja Apostólica.
Falar em línguas é oração. Falar em línguas é falar a Deus (1 Coríntios 14:2). Portanto, é essencialmente oração. São Paulo diz que ele fazia muito uso desse dom (1 Coríntios 14:18). Aquele que fala em línguas não entende o que está dizendo; sua mente fica “sem fruto” (I Coríntios 14:14). Mas, apesar disso, é edificante orar em línguas (I Coríntios 14:4), pois o “espírito ora” (1 Coríntios 14:14), e “fala mistérios no Espírito” (1 Coríntios 14:2). Orar em línguas edifica (constrói) outros aspectos da pessoa que não sejam o entendimento. Nossa experiência tem sido que esse modo de orar tem um efeito forte nos sentimentos e atitudes profundas que a mente nem sempre controla diretamente. E parece desenvolver no cristão uma sensibilidade, maior do que ele tinha antes, para realidades espirituais.
Falar em línguas é principalmente para adoração em particular. São Paulo indica que ele gostaria que todos falassem em línguas (1 Coríntios 14:5a) — que ele mesmo falava em línguas mais do que todos (1 Coríntios 14:18) — mas que esse dom tem valor limitado no culto público: A pessoa que ora em língua seria edificada, mas os outros não receberiam nada (1 Coríntios 14:4). A menos que alguém interprete a língua, quem ora em língua é admoestado a orar em silêncio (1 Coríntios 14:28). A implicação dessas ênfases contrárias é que orar em línguas é principalmente oração pessoal, isto é, para devoções particulares. No entanto, se um intérprete estiver presente num culto público, falar em línguas não é proibido (1 Coríntios 14:39). Duas ou três expressões em línguas podem ser permitidas em determinado culto (1 Coríntios 14:27). Quem fala em línguas deve falar por vez, isto é, um de cada vez, com acompanhamento de interpretação (1 Coríntios 14:27). Um grupo de pessoas orando em línguas durante um culto público — todos juntos, gritando — não é incentivado (1 Coríntios 14:23). O propósito claro de 1 Coríntios 14 com relação ao falar em línguas é assim duplo:
a) estabelecer o valor e a bênção de orar em línguas, principalmente para adoração em particular;
b) reduzir a ênfase e disciplinar com rigor seu uso num culto público.
Falar em línguas não é um requisito para a salvação. Em parte alguma da Bíblia há a indicação de que alguma manifestação do Espírito Santo é exigida para a salvação (a menos que o “novo nascimento” seja visto como uma manifestação do Espírito Santo). A formula para a salvação é “Creia no Senhor Jesus, e você será salvo.” (Veja Atos 16:31.) Essa questão deveria ser deixada muito clara para os cristãos. Falar em línguas é uma manifestação do Espírito Santo que Cristo colocou em Sua Igreja para servir a um propósito específico, mas a salvação não depende desse dom.
Falar em línguas é um dom que não está limitado à Igreja Apostólica. Nenhuma passagem da Bíblia indica que as manifestações do Espírito Santo eram apenas para a Igreja Apostólica. Isso é doutrina puramente humana e racionalização para inventar uma explicação para a vergonha da ausência do sobrenatural na Igreja, e ao mesmo tempo ainda mostrar apego à doutrina de uma Escritura inspirada. Martinho Lutero, comentando sobre Marcos 16:17,18, diz: “Esses sinais [inclusive falar em novas línguas] devem ser interpretados como tendo aplicação para todos os cristãos individuais. Quando uma pessoa é cristã, ela tem fé, e terá também o poder de realizar esses sinais.”
Traduzido por Julio Severo do livro do Rev. Larry Christenson “Answering Your Questions About Speaking in Tongues” (Respondendo Suas Perguntas sobre Falar em Línguas), publicado originalmente em 1968 pela Bethany House Publishers, cuja filial no Brasil é a Editora Betânia. O prefácio do livro foi escrito por Corrie ten Boom.
Leitura recomendada:

7 comentários :

Luiz Henrique de Almeida Silva disse...

Complementando. Podemos falar em 4 tipos de línguas diferentes quando temos o Dom de Línguas:
VARIEDADE DE LÍNGUAS (1 Co 12.10)
1. O que é o dom de variedades de línguas?
O dom de Línguas ou de Variedade de Línguas como o nome mesmo diz, são línguas inspiradas sobrenaturalmente pelo ESPÍRITO SANTO para que, através das mesmas possamos ser edificados, para que possamos transmitir mensagens de DEUS aos homens e para que adoremos e glorifiquemos a DEUS. O que fala em língua edifica-se a si mesmo, ... 1 Coríntios 14:4a; É oração pessoal em seu quarto orar em, línguas falando com voz audível.
Observação importante - Todo crente batizado no ESPÍRITO SANTO fala em línguas e pode e deve falar nessa língua a vida toda, principalmente para orar pela sua própria edificação, mas nem todos que são batizados e falam em línguas todos os dias possuem o Dom de Línguas. A língua que falamos ao ser batizados é para nosso uso próprio e nos acompanha em toda nossa jornada de fé aqui na Terra, só findando quando formos arrebatados ou morrermos. ...falam todos em línguas (têm todos o dom de línguas - grifo nosso)? interpretam todos? 1 Coríntios 12:30b.
As línguas foram profetizadas por Isaias e trazem refrigério àqueles que as falam. - Assim por lábios gaguejantes, e por outra língua, falará a este povo. Ao qual disse: Este é o descanso, dai descanso ao cansado; e este é o refrigério; porém não quiseram ouvir. Isaías 28:11-12
Todos os crentes batizados com o ESPÍRITO SANTO podem falar em línguas espirituais, podem orar em línguas, podem ser edificados quando oram em línguas, podem intercalar sua pregações falando em línguas (com interpretação própria ou de outrem), podem cantar em línguas e até profetizar em línguas, porém nem todos recebem o Dom de Variedade de Línguas.

Quem tem o Dom de Línguas pode falar 4 tipos de línguas diferentes, pelo menos:
1- Línguas do batismo (para edificação própria - para oração só com DEUS - o crente pode falar nela a vida toda)
2- Língua para falar com estrangeiro - Língua conhecida pelo ouvinte e não pelo que a fala. Exemplo maior em Atos 2, onde os apóstolos falaram na língua dos estrangeiros.
3- Língua para Intercessão - Não são palavras expressadas, mas gemidos de intercessão (Rm 8.26).
4- Línguas para serem interpretadas - Podem ser interpretadas pelo mesmo que as fala ou por outrem. Quem ora em línguas deve orar para poder interpretá-las. Por isso, o que fala em língua, ore para que a possa interpretar. (1 Coríntios 14:13)

Luiz Henrique de Almeida Silva disse...

Continua o comentário do Pr. Henrique
2. Qual é a finalidade do dom de Variedade de Línguas?
As línguas são úteis para louvor e adoração a DEUS. "falando entre vós em salmos, hinos, e cânticos espirituais, cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração" (Efésios. 5:19, Colos. 3:16).Todo crente deve ser batizado no ESPÍRITO SANTO e deve orar em línguas todos os dias de sua vida aqui na Terra para edificação própria. O que fala em língua edifica-se a si mesmo, ... 1 Coríntios 14:4a; Mas vós, amados, edificando-vos sobre a vossa santíssima fé, orando no ESPÍRITO SANTO (Grifo nosso - orando em línguas) Judas 1:20. Quando o crente ora em línguas não entende o que está falando, mas seu espírito ligado ao ESPÍRITO SANTO entende e fica fortalecido para vencer as lutas na esfera espiritual, no campo de batalha espiritual.
ORAR BEM - Porque, se eu orar em língua desconhecida, o meu espírito ora bem.... (1 Coríntios 14:14a)
O apóstolo Paulo dava tanto valor ao falar em línguas que declara seu dom de línguas ao Coríntios: Dou graças a DEUS, que falo em línguas mais do que vós todos. 1 Coríntios 14:18.
Na igreja devemos evitar falar em línguas em voz alta para não atrapalhar as manifestações do ESPÍRITO SANTO e também para que a mensagem pregada e explicada seja ouvida por todos. Mas se falarmos e sermos interpretados ou recebermos a interpretação, então será permitido falar e até ser incentivado a falar.
Paulo diz que enquanto um irmão está sendo usado em profecias ou em dom de línguas com interpretação os outros devem estar calados ou falando em línguas bem baixinho para não atrapalharem a manifestação dos ESPÍRITO SANTO e apara que todos ouçam e para que todos sejam edificados.
Não se deve proibir falar em línguas, mas educar aqueles que falam - Portanto, irmãos, procurai com zelo o profetizar, e não proibais o falar em línguas. 1 Coríntios 14:39

Profecia De DEUS = Mensagem de DEUS para a Igreja ou para uma determinada pessoa que tem três fins:
1- Edificação = Fazer com que siga fazendo a Obra de DEUS.
2- Exortação = Fazer com que desperte e anime para fazer a Obra de DEUS.
3- Consolação = Fazer com que a tristeza não abata a pessoa, porque DEUS está presente e assistindo e ajudando em tudo.

O dom de profecia não tem elemento preditivo, ou seja, não tem a função de dizer o futuro.

Luiz Henrique de Almeida Silva disse...

Continua Comentários do Pr. Henrique
3. Atualidade do dom.
Aqueles que dizem que as línguas eram manifestações do ESPÍRITO SANTO somente para a época dos primeiros apóstolos devem assumir uma posição firme sobre isto (Esses são os Cessacionistas), pois estão afirmando que toda nossa geração está sendo usada por demônios ou usando de falsidade quando falamos em línguas.
Com certeza sabemos que eles estão equivocados, pois essas manifestações do ESPÍRITO SANTO eram comuns até mesmo entre os pais dessas denominações tradicionais que negam a atualidade dos dons do ESPÍRITO SANTO. Infelizmente posso afirmar que estão debaixo de ação de erro. São claras a manifestações do ESPÍRITO SANTO em nossos dias, basta ligar um aparelho de TV ou acessar a internet ou visitar qualquer igreja pentecostal.
Se o apóstolo Paulo diz que os dons são de utilidade para a Igreja, quem somos nós para dizermos em contrário?
Exemplo de dom de línguas no Novo Testamento - Atos 2.3, 4, 8 - E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. 4 - E todos foram cheios do ESPÍRITO SANTO e começaram a falar em outras línguas, conforme o ESPÍRITO SANTO lhes concedia que falassem. 8 Como pois os ouvimos, cada um, na nossa própria língua em que somos nascidos? (grifo nosso).
Exemplo no Antigo Testamento -
"Porém no arraial ficaram dois homens; o nome de um era Eldade, e do outro Medade; e repousou sobre eles o espírito (porquanto estavam entre os inscritos, ainda que não saíram à tenda), e profetizavam no arraial. Números 11:26
Segundo alguns eruditos em Hebraico o significado de "profetizavam" aqui neste texto pode ser "falaram em línguas desconhecidas".
Veja também Daniel 5:25-28 - Daniel leu uma mensagem escrita na parede do palácio que estava em língua desconhecida na Terra.

Luiz Henrique de Almeida Silva disse...

http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/donsdoespiritosanto.htm

DOM DE CURAS - DOM DE LÍNGUAS - VEJA VÍDEOS DO Pr. HENRIQUE
https://youtu.be/m0RvHLyAH8c
https://youtu.be/zn1FFuvfqzI
https://youtu.be/VZ52dkLko3I
https://youtu.be/GSDvvyXMWfA
https://youtu.be/919LKyKQC5A

João Silva disse...

Eu estou a quase 10 anos em uma igreja presbiteriana tradicional e em um determinado momento eu fui a um congresso interdenomonacional e fui batizado com o Espírito Santo ( evidência: falei em línguas). Dias depois, voltei para minha igreja local e como foi difícil. rsrs e tem sido até hoje.
Meu pastor chegou a usar a expressão "não existe batismo com Espírito" eu entrei em desespero. Porquê?
Porque eu provei e vi, ninguém me falou. O próprio Espírito Santo veio a mim. Eu agora não só acredito no poder de Jesus que salva e cura mas que batiza com o Espírito Santo.

David Marcal disse...

Professor, o sr. Por aqui... Glória a Deus!

Jussimar Siqueira disse...

Acredito nos dons do Espírito, e que não cessaram, mas acho que o Batismo do espírito não se refere ao simples falar em línguas.

Pois em um só corpo TODOS nós fomos batizados em um único Espírito: quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres. E a todos nós foi dado beber de um único Espírito.
1 Coríntios 12:13

No caso de alguém falar em outra língua, que não sejam mais do que dois ou quando muito três, e isto sucessivamente, e haja quem interprete.
Mas, não havendo intérprete, fique calado na igreja, falando consigo mesmo e com Deus.
1 Coríntios 14:27-28