21 de março de 2017

Desarmamento espiritual não é ideia de Deus


Desarmamento espiritual não é ideia de Deus

Julio Severo
Defesa armada é a resposta adequada para a violência armada. E da perspectiva da segurança pessoal e familiar, o desarmamento não faz sentido, e seus defensores são burros e irresponsáveis.
No entanto, a violência física não é a única ameaça a você e sua família. Há ameaças rastejantes invisíveis das trevas espreitando do mundo espiritual. E elas são tão letais quanto as ameaças físicas.
Assim como escritores esquerdistas burros propõem desarmamento (que no final eles querem como proibição total de armas) para a sociedade, teólogos liberais e burros propõem desarmamento espiritual para a igreja: nada de dons sobrenaturais do Espirito Santo para combater e expulsar demônios.
Desarmamento secular é movido por ideologia política e desarmamento espiritual é movido por ideologia teológica.
Rapazes e moças, que foram criados até em lares cristãos conservadores, são seduzidos por forças das trevas, e suas famílias são impotentes e desarmadas para combater seus escravizadores espirituais porque foram enganadas por desarmamentistas espirituais.
Há uma guerra espiritual assolando ao redor de todos. Dons sobrenaturais são armas espirituais. Sem eles, até cristãos são presas fáceis de forças demoníacas e seus ataques.
Profecia, revelação, curas, línguas e outros dons sobrenaturais são o arsenal de Deus para sua igreja. Eles são necessários para o ministério de libertar os cativos e oprimidos. Eles são necessários contra inimigos espirituais.
Satanás tem um arsenal poderoso, disponível para feiticeiros e outros satanistas, para destruir indivíduos e famílias, e suas armas só podem ser enfrentadas com a autoridade e armas de Jesus.
Pregar o evangelho sem tal autoridade e armas é algo que Jesus nunca deixou seus apóstolos fazer, e ele prometeu essa autoridade e equipamento militar espiritual para sua igreja na sua missão no mundo inteiro, pois você nunca deveria ficar sem eles, principalmente no confronto com forças malignas.
Jesus disse para seus discípulos:
“Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a todas as pessoas. Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado. Estes sinais acompanharão os que crerem: em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal nenhum; imporão as mãos sobre os doentes, e estes ficarão curados.” (Mark 16:15-18 NIV)
Ele não prometeu desarmamento espiritual. Ele prometeu o direito de ter e portar armas espirituais no mundo inteiro! Pelo fato de que os apóstolos originais não conseguiram alcançar o mundo inteiro, essa promessa é para você e para mim!
Contudo, como os esquerdistas querem banir armas na sociedade, teólogos burros querem banir armas espirituais na igreja.
Os cristãos têm o direito de ter armas espirituais e usá-las contra as forças das trevas. Desarmamento secular é bom só para assassinos, que acham vítimas indefesas. Desarmamento espiritual é bom só para Satanás e suas forças, que acham vítimas indefesas.
O método de propaganda deles para enganar suas vítimas é semelhante. Desarmamentistas seculares usam casos bizarros de violência armada como pretexto para banir armas para todas as famílias que precisam de proteção. Desarmamentistas espirituais usam casos bizarros de manifestações espirituais como pretexto para banir armas para todas as famílias cristãs que precisam de proteção. Quer seculares ou espirituais, os desarmamentistas só pensam em sua ideologia, quer política ou teológica.
Desarmamento secular beneficia a Esquerda secular. Desarmamento espiritual beneficia a Esquerda espiritual.
Livros e artigos de teólogos burros que defendem o desarmamento espiritual são uma ameaça à segurança do povo de Deus.
Se você tem necessidades espirituais e físicas de segurança, você tem o direito de ter o que Deus disponibilizou para você, por meio de Sua Palavra e Seu Espírito, para defender você e sua família.
Uma mentalidade desarmamentista nunca foi a vontade de Deus para você. Ele quer dar poder para você e usar você como canal de Seu Espírito para trazer bênçãos para você e sua família, inclusive proteção, defesa e, quando necessário, ataque.
O primeiro passo é abrir seu coração a Jesus e Seu Espírito. Em seguida, seguindo 1 Coríntios 14:1, você precisa “buscar com dedicação os dons espirituais, principalmente o dom de profecia.” (NVI)
Essa é a oportunidade do Espírito para lhe dar poder e armar você!
Um Cristianismo livre de armas é a ideia de Satanás, até mesmo quando inspirada nas mentes de teólogos. Deixa os cristãos sem defesa e deixa Satanás sem oposição e sem ser detectado em suas atividades.
É meu entendimento como cristão conservador que cidadãos obedientes às leis devem ser plenamente respeitados em seu direito de ter e portar armas para defesa e proteção. Só um comunista se oporia a tal direito.
É meu entendimento igual como cristão conservador que cristãos obedientes à Palavra de Deus devem ser plenamente respeitados em seu direito de ter e portar armas espirituais para defesa e proteção. Só um teólogo “comunista” se oporia a tal direito e diria que Deus não concede hoje dons sobrenaturais.
Cristianismo espiritualmente armado é ideia de Deus, e funciona. Funcionou com Jesus e seus primeiros discípulos, que pregavam e demonstravam o Evangelho curando os enfermos e expulsando demônios.
Funcionará para você também.
Há uma guerra espiritual assolando. Arme-se com as armas de Deus hoje.
Defesa e ataque armado são ideias de Deus.
Versão em inglês deste artigo: Spiritual Gun Control Is Not God’s Idea
Leitura recomendada:

4 comentários :

Cicero disse...

Grande texto! hoje mais do que nunca, é mister tais armas espirituais. Desde a época de Jesus os sinais, prodígios, milagres e maravilhas são notórios no meio da Igreja militante (não nominal).

"Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente."
"Não havendo profecia(visão), o povo perece..."

Elender Góis Gallas disse...

Julio Severo, Nos tempos em que o povo de Deus precisava de orientação Deus sempre enviou seus profetas, para que o povo se arrependesse de seus pecados e voltassem a obedecê-lo. Por motivos mais do que óbvios, o dom de profecia ainda é manifestado hoje, e é melhor buscar esse dom do que o dome de línguas que os pentecostais tanto apregoam.

1 coríntios 14:1,5 procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente o de profetizar.....porque o que profetiza é maior do que o que fala em línguas.

Porém não devemos tentar a Deus como fazem certos pastores.
Exemplo?: http://www.megacurioso.com.br/religiao/101716-pastor-promete-cura-e-libertacao-a-fieis-que-tomarem-oleo-de-motor-benzido.htm

se realmente bastasse que nós crêssemos para que nenhum veneno nos atingisse porque não mandaram cristãos ungidos para chernobyl?


O fato é que essas bênçãos que Jesus prometeu se cumpriram no primeiro século da igreja perseguida, para que assim o evangelho pudesse ser pregado. Elas podem sim, a mando de Deus voltar a se cumprir, de acordo com as circunstãncias, mas não creio que seja o caso da maior parte dos países em que hoje se tem liberdade de crença/liberdade religiosa (países comunistas/islãmicos são outra história)

Julio Severo disse...

Elender, você disse: “se realmente bastasse que nós crêssemos para que nenhum veneno nos atingisse porque não mandaram cristãos ungidos para chernobyl?”

Primeiro, a população de Chernobyl foi evacuada, de modo que seria uma grande tentação contra Deus ir lá para pregar ao vento e radiação.

Segundo, só porque Deus disse que venenos e cobras não fariam mal algum, isso de forma alguma significa que os cristãos devem deliberadamente tomar veneno e pegar em cobras. Isso seria tentação contra Deus.

Já ouvi dizerem: “Se existe hoje o dom de cura, então por que há hospitais?” É uma pergunta indecente que equivale a: “Se Jesus curava, por que ele não eliminou TODAS as doenças do mundo?” Ele de fato não foi aos lugares onde havia multidões de enfermos. Ele só curava quem ouvia o Evangelho.

A incredulidade tem sempre seus poréns, questionamentos e tentações contra Deus.

Marcelo Victor disse...

A verdadeira obra de Deus é aquela que é feita nos mesmos moldes cristãos, ou seja, segundo o exemplo maior que se chama JESUS CRISTO, o qual, por ser MANSO e HUMILDE de coração, fugiu dos palácios, dos holofotes e dos shows, dizendo que o Seu reino não era deste mundo.

Todavia, ainda que tivesse a HUMILDADE como traço característico do Seu caráter, Jesus profetizou em certa ocasião: "Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai" (João 14:12).

Mediante tal verdade bíblica, vinda da boca do Mestre, um crente desavisado, ao ler artigos cessacionistas, poderia, em seu íntimo, até mesmo por em dúvida a veracidade das palavras do Mestre. Assim sendo, como resolver essa parente contradição?

Creio que a HUMILDADE seja a chave para esclarecer tal passagem e desvendar esse segredo. O verdadeiro crente (aquele que verdadeiramente nasceu de novo) possui, necessariamente, nas suas palavras e obras, a HUMILDADE como base da sua vida cristã, ao ponto de cumprir à risca o ensinamento do Mestre: "aquilo que a mão direita fizer a esquerda não deve saber”.

Aliás, essa é a grande dificuldade do homem de Deus, pois ainda que procure viver em espírito, cada qual convive dia-a-dia com um inimigo atroz, muito poderoso, que se chama NATUREZA HUMANA, a qual não tem parte com o Senhor, pois está morta pelo pecado e milita contra o espírito.

A vida do apóstolo Paulo foi um exemplo para nós, o qual, obrigatoriamente, teve que ser blindado pelo Senhor, para que não se entregasse ao espírito da vanglória, recebendo do céu um espinho na carne, de forma a reconhecer, em todos as passagens milagrosas da sua vida, que toda a glória pertence unicamente a Deus.

Nem por isso, Paulo pregou o cessacionismo, como se os dons fossem verdadeiras pragas perniciosas, das quais deveríamos fugir (assim como o "diabo foge da cruz"). Ao contrário, a Bíblia nos mostra que se houve alguém que incentivou os crentes a buscarem os dons, esse alguém se chama apóstolo Paulo, um exemplo para cada um de nós.

Ocorre que, segundo o seu exemplo, fica claro que juntamente com os dons acabam vindo também os espinhos, os quais terminam por ser altamente necessários para que o homem de Deus não se torne um alvo fácil para o diabo.

Assim sendo, particularmente, creio que existam homens e mulheres de Deus espalhados pelo mundo, os quais estão sendo usados por Deus terrivelmente para operar sinais, mas que foram escondidos pelo Senhor, a fim de serem protegidos, primeiramente de si próprios.

Os que pregam o contrário, dizendo que João 12:14 eram um discurso voltado unicamente para os apóstolos (e discípulos do primeiro século), acabam entrando numa "saia justa" e são obrigados a crer, também, que os dois versos subsequentes não se aplicam à igreja: "E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei" (João 14:13-14).

Mediante tais considerações, é indubitável que façamos a seguinte pergunta: quem está pregando pelo Espírito Santo, os cessacionistas ou os não cessacionistas?