21 de janeiro de 2017

Relatório secreto de espionagem da CIA de 1983 revelou que os EUA deveriam incentivar Saddam Hussein a atacar a Síria para garantir oleoduto americano de petróleo do Mar Mediterrâneo até Golfo Persa


Relatório secreto de espionagem da CIA de 1983 revelou que os EUA deveriam incentivar Saddam Hussein a atacar a Síria para garantir oleoduto americano de petróleo do Mar Mediterrâneo até Golfo Persa

Thomas Burrows
Comentário de Julio Severo: Petróleo, petróleo, petróleo. É tudo petróleo! Recente reportagem do DailyMail, disponível abaixo, revela que a grande razão para as interferências militares dos EUA no Oriente Médio é simplesmente o interesse comercial de construir um oleoduto para conduzir o petróleo desde os países do Golfo Pérsico até o Mar Mediterrâneo. O “obstáculo” Iraque foi eliminado pelo presidente George W. Bush, que tem um histórico de poderoso empresário de indústria petrolífera. O “obstáculo” Síria ainda não foi eliminado. Meu questionamento é: Como os EUA, a nação cristã mais poderosa do mundo, conseguiu fomentar tantas guerras no Oriente Médio que acabaram trazendo imenso derramamento de sangue cristão por causa de petróleo? Haverá, com certeza, um lugar especial no inferno para quem valorizou o petróleo acima dos milhares de vítimas cristãs que pagaram inocentemente o preço dessa ganância maldita. Não gostamos de ver uma potência pagã se levantando para matar e destruir. Mas pior, para Deus, é uma potência cristã agindo como uma potência pagã. Eis a reportagem:
Graham Fuller
Os Estados Unidos instigaram Saddam Hussein a atacar a Síria de Hafez al-Assad por causa do fechamento do oleoduto de petróleo do Iraque, revelou um relatório de espionagem dos EUA de 1983.
Um relatório, escrito pelo ex-oficial sênior da CIA Graham Fuller, disse que os EUA deveriam na época considerar “instigar o Iraque a provocar guerra com a Síria.”
Com o fechamento do oleoduto, o sr. Fuller disse que a Síria tinha uma “chave de braço” nos interesses dos EUA no Líbano e no Golfo Persa.
Sendo esse o caso, ele disse que os EUA deveriam “agravar fortemente as pressões contra Assad” a partir de três países que fazem fronteira com a Síria e que são hostis à Síria — Iraque, Israel e Turquia.
Enfrentando “três frentes de guerra,” Assad provavelmente seria forçado a abandonar seu fechamento do oleoduto, o relatório afirmou.
O relatório acrescentou que se os EUA quisessem “reinar na Síria” precisavam fazer isso mostrando “força de verdade” e frisou a necessidade de desferir um “golpe forte” no prestígio da Síria.
Leitura recomendada:
Postar um comentário