31 de janeiro de 2017

George Soros e Olavo de Carvalho, na visão de seus ex-alunos


George Soros e Olavo de Carvalho, na visão de seus ex-alunos

Julio Severo
Alguns dos ex-alunos do filósofo esotérico Olavo de Carvalho descobriram uma suposta conexão romena que o liga a entidades e indivíduos ligados ao bilionário esquerdista George Soros.
Primeira denúncia dos ex-olavetes: “Olavo e Soros em uma cama romena.”
Segunda denúncia dos ex-olavetes: “Olavo, Soros e a Conexão Romena.”
Terceira denúncia dos ex-olavetes: “Desenhando a conexão entre Olavo e Soros.”
O que faz sentido, na minha opinião, é que antes do impeachment da presidente socialista Dilma Rousseff, Carvalho louvou a revolução ucraniana como exemplo do que o próprio Brasil deveria fazer. O louvor foi feito diante do Pr. Marco Feliciano, que não questionou ou não teve condições de questionar nem o louvor nem as ideias de Carvalho.
A revolução ucraniana foi mais que uma revolução do povo. Foi a revolução de Soros, e seu troféu especial. Foi sua coroa revolucionária. Foi milionariamente financiada por Soros.
Por que Carvalho, que alega ser contra Soros, louvaria a maior revolução de Soros? Não faz sentido, no mundo lógico, mas parece fazer sentido no mundo esotérico, que vive de fachadas, disfarces e contradições estranhas.
O grupo de ex-alunos de Carvalho tem um blog que alega ter evidências de ligações de Soros com Carvalho. Não que Soros conheça Carvalho pessoalmente. Soros só conhece os homens mais importantes, sem fazer contato direto com grupos e indivíduos menores que ajudam suas revoluções.
Deve-se confiar nos ex-alunos de Carvalho ou no próprio Carvalho? O que faz um seguidor dele se tornar ex-aluno? A diferença básica entre alunos e ex-alunos de Carvalho é que os alunos se submetem bovinamente, como é típico em seitas esotéricas, a todos os ensinamentos e opiniões do “mestre.” A partir do momento em que o aluno começa a questionar, ele vira ex-olavete.
Os ex-olavetes, portanto, são questionadores que pararam sua conduta de submissão bovina. No caso dos ex-olavetes que estão expondo supostas conexões entre Soros e Carvalho, o questionamento e discordância que levaram à separação entre mestre e alunos (termo suave, pois o relacionamento entre Carvalho e seus alunos é de mestre e adeptos) não foi a Inquisição, por exemplo.
Negar a Inquisição, que é como negar o Holocausto dos judeus ou o holocausto do aborto, seria motivo mais que justo para alunos abandonarem um suposto mestre. Embora eu não fosse aluno de Carvalho, minha separação dele ocorreu por causa da questão da Inquisição. Mas não foi esse o motivo da separação dos ex-olavetes que hoje estão denunciando supostas ligações entre Soros e Carvalho. Eles continuam católicos, como o próprio Carvalho alega ser. E continuam também defendendo a negação da Inquisição, como o próprio Carvalho faz frequentemente à custa de suas vítimas judias e protestantes.
Portanto, na questão da Inquisição não tenho como apoiar nem Carvalho nem os seus ex-alunos católicos. Tenho discordância com os dois.
Mas sobre as discordâncias deles entre si, vale a pena acompanhar o textos questionadores “Olavo e Soros em uma cama romena,” “Olavo, Soros e a Conexão Romena” e “Desenhando a conexão entre Olavo e Soros.”
Um olavete é um ser incapaz de pensar e raciocinar. Ele vive para louvar um mestre. Um ex-olavete é alguém expulso da seita esotérica porque conseguiu questionar e não conseguiu louvar o mestre em tudo.
Por que Carvalho, que diz ser contra o neocon Soros, louva a maior revolução desse bilionário esquerdista?
Ele é um esotérico, que disfarça muito bem suas intenções reais.
Embora garanta que não é neocon, suas atitudes garantem exatamente o contrário.
Entendendo o que é neoconservadorismo (neocon), dá para enxergar a própria raiz do louvor apaixonado de Carvalho à revolução do neocon Soros na Ucrânia.
Talvez um neocon original, como se vê nos EUA, só se envolva em política. Por isso, lhe falte contradições. Mas ao possivelmente primeiro neocon do Brasil não poderia faltar contradições, que são parte integrante do caráter esotérico.
Ele só não é o primeiro imigrante neocon esotérico nos EUA porque Trevor Loudon parece já lhe ter passado a perna.
E por falar em neocons esotéricos, Carvalho e Loudon se louvam mutuamente.
Leitura recomendada:

Um comentário :

Jorge Santos disse...

Júlio, o Diogo Mainardi, Reinaldo Azevedo e o pessoal do manhattan conexion parece que joga no mesmo time. Ou não?