31 de dezembro de 2016

Obama abusa da Rússia, que não retribui na mesma moeda


Obama abusa da Rússia, que não retribui na mesma moeda

Julio Severo
Como um inquilino que vandaliza tudo quando é despejado, o presidente americano Barack Obama adotou várias ações ofensivas contra Israel e a Rússia recentemente, aparentemente buscando atingir o novo inquilino da Casa Branca, o presidente eleito Donald Trump, especialmente porque para Obama, Trump não teria vencido a eleição sem a assistência da Rússia.
Afligida por novos castigos do governo de Obama — o fechamento de duas grandes propriedades russas e a expulsão de 35 diplomatas russos dos EUA —, a Rússia não reagiu na mesma moeda e não expulsou 35 diplomatas americanos. Pelo contrário, o presidente russo Vladimir Putin convidou os filhos de todos os diplomatas americanos para as festas de Ano Novo e Natal do Kremlin. Na Rússia, o Natal acontece em janeiro.
O Rev. Franklin Graham, filho do evangelista Billy Graham e escolhido para orar oficialmente por Trump em sua posse, disse: “O presidente russo Vladimir Putin está lendo a Bíblia? Ele está dando a outra face? Não sei, mas acho interessante que ele não vai retaliar contra o presidente Obama cujo governo acabou de ordenar que 35 diplomatas russos deixem os EUA e que duas grandes propriedades russas nos EUA sejam fechadas.”
A resposta de Putin foi de fato elogiosa, reconhecida até por Trump, que disse: “Grande lance… Sempre soube que ele era muito inteligente!”
A ação de Trump de ficar do lado de Putin e não de Obama tem sido ofensiva para o bilionário esquerdista George Soros e outros socialistas.
Soros, que apoiou a candidatura de Hillary Clinton e outras causas esquerdistas no mundo inteiro, diz que a ascensão de Trump e sua afinidade com Putin ameaçam o modelo “democrático” defendido pela União Europeia.
Ele comentou que Putin ajudou Trump a ganhar a eleição nos EUA utilizando a mídia social para disseminar notícias falsas, e ele está agindo contra isso.
Ele disse que o líder russo está agora usando a mesma tática para avançar grupos direitistas europeus e minar governos esquerdistas em toda a UE.
Ainda que Trump pareça estar do lado de Putin, há incertezas acerca de como ele realmente agirá com a Rússia ao tomar posse em 20 de janeiro. Embora ele tenha louvado Putin como um líder forte e disse que seria ideal que os EUA e a Rússia juntassem forças contra o ISIS, republicanos belicistas, que não apoiaram Trump antes da eleição, há anos argumentam que Obama não era duro o suficiente contra a Rússia e que os EUA precisam de um presidente para aumentar a pressão sobre a Rússia.
“Nossa intenção é liderar a campanha no novo Congresso para impor sanções mais pesadas sobre a Rússia,” disseram os senadores republicanos neocons John McCain do Arizona e Lindsey Graham da Carolina do Sul.
Enfurecendo esses republicanos neocons, Trump tem louvado Putin e escolheu Rex Tillerson como secretário de Estado e o tenente-general Michael Flynn como assessor de segurança nacional. Ambos são vistos como amigos da Rússia.
Durante toda a sua campanha, Trump denunciou os neocons e prometeu combatê-los. Se ele prevalecerá ou não sobre eles será um de seus grandes testes.
Com informações do DailyMail e Associated Press.
Versão em inglês deste artigo: Obama Abuses Russia, Which Does Not Repay in Kind
Leitura recomendada:

3 comentários :

Marcelo Victor disse...

Isso nos comprova que aquele que se põe à serviço do diabo não tem outro caminho a não ser o abismo. De tal sorte que as aparentes vitórias, na vida desses infelizes, acabam custando caro no porvir, não só para a própria pessoa, mas também para os que o apoiaram.
Muito provavelmente por causa dos sodomitas, esse sujeito está fazendo todo esse estardalhaço e pondo em risco a segurança de milhares de pessoas, sem contar as vidas que já foram perdidas, pelas quais essas pobres almas darão conta no juízo.
Os americanos devem dar graças a Deus que os dias desse demônio, à frente do maior império militar de todos os tempos, estão contados, um sujeito que muito provavelmente será o pior presidente que os EUA já tiveram.
Infelizmente 20 dias é bastante tempo e muita surpresa negativa pode surgir...ainda bem que Putin não é muçulmano.

Cicero disse...

Por que o Ocidente e a Globo não elogiam a atitude de Putin hein!

Silvio Ricardo disse...

Obama, o boneco de Soros, procura deixar a relação dos EUA com o resto do mundo o pior possível antes de sair da Casa Branca, tudo pensando em ferrar Trump.