2 de novembro de 2016

VINACC tenta refutar Olavo de Carvalho, com mel e algodão doce


VINACC tenta refutar Olavo de Carvalho, com mel e algodão doce

Julio Severo
Missão apologética é para todas as horas e indivíduos, ou tem seus favoritos para críticas e isenções?
Isenção é o que não parece haver quando a VINACC faz “apologética” contra Silas Malafaia e líderes neopentecostais, não os poupando de críticas apimentadas.
Mas na semana passada foi diferente. Essa instituição, que tem a intenção de unir uma maioria de palestrantes calvinistas com alguns assembleianos desatentos num ativismo antineopentecostal, buscou “criticar” teologicamente Olavo de Carvalho. Fez tal crítica com luva de pelica e algodão doce.
Embora o autor da matéria escrevesse motivado como que por uma paixão de adolescente pela “genialidade política” do Olavo, sem porém demonstrar ter um histórico de seguidor do Olavo há 30 ou 20 anos, ele diz: “Foi Olavo de Carvalho que previu anos atrás muitos problemas que aconteceram recentemente na política brasileira e no mundo.”
Como é que ele sabe que o Olavo “previu” muitos problemas e que suas “previsões” aconteceram? Ele tem acompanhado o Olavo todas essas décadas? Ele leu todas as “previsões” que o Olavo escreveu desde a década de 1980? Ele fez os cursos do Olavo naqueles tempos? Ele sabe que tipos de cursos o Olavo dava?
Se as previsões do Olavo aconteceram fielmente no Brasil e no mundo, como é que os grandes portais conservadores católicos e evangélicos americanos ainda não descobriram esse super-vidente político?
E como avaliar as “previsões” do Olavo? No caso recente do Dep. Marco Feliciano, envolvendo um suposto escândalo sexual dele com uma mocinha chamada Patrícia Lélis, Olavo fez duas declarações antagônicas. Ele disse que não se envolveria na questão e ao mesmo tempo insinuou que ele foi a um motel com ela.
Não é estratégia de astrólogo jogar em duas direções diferentes e até contrárias de modo em qualquer uma das possibilidades que ocorrer, ele possa se gabar mais tarde: “Acertei nas minhas previsões!”? Não, não estou xingando o Olavo de astrólogo. Ele tem histórico de astrólogo. Não foi um envolvimento superficial e trivial. Ele fundou a primeira escola de astrologia do Brasil. Ele tem vários livros sobre astrologia.
A VINACC não sabe que na Bíblia astrologia e política sempre andaram de mãos dadas e que na verdade a astrologia é bruxaria?
Antes de ter cursos de filosofia, Olavo já tinha cursos de astrologia. Tudo o que ele precisou fazer foi mudar a placa de “Curso de Astrologia” para “Curso de Filosofia.” A sedução e encantamento continuam os mesmos, com alunos aprendendo as dez maravilhas dos palavrões, do cigarro, da Inquisição, etc.
Em seu conservadorismo político, Olavo segue a linha do filósofo francês René Guénon, um católico que se converteu ao islamismo esotérico. Guénon fundou a Escola Perenialista ou Escola Tradicionalista, que misturava bruxaria islâmica com antimarxismo. Olavo traduziu para o português um dos livros desse bruxo. Aliás, ele ajudou a fundar no Brasil a primeira tariqa, uma espécie de centro espírita islâmico onde rola todo tipo de depravação sexual.
Essas informações não são suficientes para inflamar uma instituição apologética a alertar contra um ativismo conservador energizado pelo que a Bíblia chamaria de forças das trevas?
Falta a força e a coragem do Espírito Santo? Anos atrás, um dos palestrantes presbiterianos da VINACC me disse que há segredos graves no Olavo. Pedi que me desse mais informações, mas recuou. Precisei aprender sozinho: primeiro, o revisionismo obsessivo dele da Inquisição, que torturava e matava judeus e evangélicos. Depois, as raízes esotéricas e ocultistas de seu ativismo antimarxista.
Em sua especialidade de pesquisas apologéticas, a VINACC não tinha condições de chegar a tal conhecimento? Aliás, a VINACC não tinha condições de alcançar um conhecimento maior do que eu alcancei?
Contudo, apesar de que astrologia e política andam muito bem juntos e apesar de que um histórico de astrologia é uma sinalização importante para qualquer faro apologético, o autor da VINACC parece ter um desconhecimento total desse histórico e então confessa como tudo o que o Olavo escreve em política está basicamente certo.
Em pleno site de apologética, ele isentou Olavo do histórico de astrólogo, que está estreitamente ligado a previsões políticas. As palavras astrologia, astrólogo, ocultismo e esoterismo não aparecem uma única vez no texto da VINACC.
Embora a VINACC critique Marco Feliciano, o deputado assembleiano declarou no Congresso Nacional a mesma tolice do autor da VINACC, dizendo que as “previsões” do Olavo são certeiras há anos, conforme mostrei no meu artigo “Marco Feliciano: Olavo de Carvalho é como um verdadeiro profeta”:
“Feliciano declarou que tudo o que o Olavo disse sobre política nos últimos 20 anos aconteceu. Mas ele de fato leu tudo o que o Olavo escreveu nos últimos 20 anos? Ele leu cada livro e artigo que o Olavo escreveu nos últimos 20 anos? Se leu, como ele não conseguiu notar a vasta literatura esotérica do Olavo nesse mesmo período? Como ele não viu as aulas de astrologia e esoterismo dele? Entretanto, o que mais choca é ouvir Feliciano exaltando o Olavo como um ‘verdadeiro’ profeta. O que o Olavo era exatamente 20 anos atrás? Ele era um “verdadeiro” profeta? Não. Ele era um adepto da astrologia. Ele já foi também presidente de uma instituição de astrologia (confira aqui: https://youtu.be/-XDFh_eLgPI) e foi um dos primeiros promotores de uma espécie de espiritismo islâmico (conforme a filosofia tradicionalista ou perenialista do bruxo islâmico René Guénon). Ele chegou a ganhar um prêmio do governo da Arábia Saudita por uma biografia de Maomé que ele escreveu.”
A VINACC critica Feliciano, mas acabou incorrendo no mesmo problema dele: culto à personalidade, não diferente de idolatria. No caso da VINACC foi pior, pois uma instituição apologética jamais deveria isentar ou ocultar o forte histórico esotérico do Olavo envolvendo muitas previsões e astrologia. É redundância pura, em termos bíblicos, chamar um astrólogo de astrólogo político, pois nos tempos da Bíblia, o astrólogo fazia previsões políticas o tempo inteiro.
O autor da VINACC foi tão desatento e carente de discernimento espiritual que em vez de captar as contaminações e influências esotéricas e ocultistas do Olavo, ele só conseguiu notar o catolicismo, que é apenas o verniz religioso dele. O autor disse: “Olavo vem produzindo uma geração de alunos sob a bandeira de um catolicismo radical que parecem militantes do romanismo.”
Embora o Olavo use a bandeira do catolicismo e esteja convertendo muitos evangélicos ao catolicismo (algo que não parece provocar nenhuma preocupação na missão apologética VINACC), suas técnicas, inclusive de sedução, são ocultistas e já foram usadas por outros ativistas políticos no passado. Deixam os seguidores encantados com o mestre — não muito diferente do que aconteceu com o autor da VINACC, que chama Olavo o tempo inteiro de “professor.” Só olavetes chamam Olavo o tempo inteiro de professor ou mestre.
O autor da VINACC diz: “Reconhecemos seu valor e sua genialidade apimentada com humor, e sabedoria em muitos aspectos. Enquanto estiver produzindo bons livros vou ler cada um deles!”
Tudo o que o Olavo escrever em assuntos não teológicos, o olavete da VINACC promete devorar!
Mas o que ele chama de “genialidade apimentada com humor” são os palavrões. O autor da VINACC é pastor de uma Igreja Batista e adepto do Sola Scriptura. Em religião, ele é Sola Scriptura, mas em política ele prefere o Solo Olavus.
Chamar palavrões de natureza absolutamente imunda de “genialidade apimentada com humor” não é atitude de cristão, e muito menos de pastor!
Mesmo que a boca do professor do autor da VINACC fosse limpa, isso não limpa de forma algumas os outros problemas. Em julho, Olavo disse que “eliminar da consciência popular mitos como a Inquisição” é infinitamente mais importante do que tirar Dilma. E em setembro ele declarou que os evangélicos opostos à Inquisição são piores do que os comunistas.
Olavo mesclou perfeitamente seu suposto ativismo antimarxista com uma politicagem que torna a postura evangélica contra a Inquisição e seus horrores pior do que o comunismo, de modo que a conclusão óbvia é: se é necessária uma cruzada olaviana contra o comunismo, cedo ou tarde a guilhotina olaviana alcançará os evangélicos anti-Inquisição.
O autor da VINACC, que parece gostar do combate ao marxismo, não cita nenhum evangélico proeminente nessa luta no Brasil, mas menciona Augustus Nicodemus como autoridade e referência suprema, o mesmo Nicodemus que “luta” contra a Teologia da Missão Integral com a mesma energia com a qual o PSDB luta contra o PT. Isto é, é uma luta antimarxista numa banheira quente com muito conforto e muitas bolinhas de sabão.
Nicodemus é hoje, em influência e prestígio, a principal estrela da VINACC.
Quando foi chanceler da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Nicodemus não usou sua conhecida mão de ferro para limpar sua instituição confessional calvinista de professores homossexualistas, abortistas e marxistas.
Resumindo: o texto da VINACC é de um pastor olavete da VINACC chorando a discordância teológica com seu professor. O texto dele está aqui.
O título do texto é “Olavo de Carvalho nem sempre tem razão.” Mas essa é a versão olavete. Para ler meu artigo com o mesmo título, escrito um ano atrás, acesse este link. Minha versão é a versão não olavete.
Antes que o Solo Olavus comece a virar brasão com o Sola Scriptura em algumas igrejas “reformadas,” deixe-me dar um conselho: As ideias e escritos políticos do Olavo podem e devem ser questionados, especialmente por sua natureza neocon. Mas se o autor da VINACC e outros apologetas “reformados” semelhantes não têm conhecimento suficiente sobre questões políticas neocons, eles deveriam bovinamente dizer que quem tem mais conhecimento está automaticamente certo? Mais conhecimento não é sinônimo de conhecimento certo e não é evidência de que quem o tem sabe usá-lo.
Se no meio católico o Olavo está quase virando um ídolo com direito de ficar ao lado da Aparecida, entre “reformados” (calvinistas) como o autor da VINACC ele está praticamente ganhando o direito de ficar ao lado do Sola Scriptura, pelo menos em assuntos de infalibilidade política e geopolítica neocon. É a primeira no mundo que uma visão de mundo neocon ganha altares católicos e “reformados” sagrados!
Para o autor da VINACC, só existem duas fontes políticas confiáveis no conservadorismo político brasileiro: Olavo e Augustus Nicodemus e teólogos semelhantes.
Essa percepção contraria frontalmente a realidade, muito bem mostrada por uma reportagem recente do jornal britânico Financial Times, que disse: “Evangélicos do Brasil estão empurrando a política para a Direita.”
O Financial Times destacou que o enorme crescimento evangélico no Brasil está produzindo uma guinada à Direita. A vitória de Marcelo Crivella para prefeito do Rio é efeito disso. A guinada está beneficiando candidatos evangélicos como Crivella, que não eram muito conservadores, mas a guinada está produzindo milagres.
Essa guinada tem tudo a ver com os neopentecostais. A revista americana “Christian Century” (Século Cristão) disse: “Os neopentecostais estão liderando esse crescimento acelerado e estão contribuindo de modo incomparável para o desenvolvimento de uma ideologia política evangélica.”
E agora? O que a VINACC irá fazer? Vai continuar unindo preletores calvinistas com alguns preletores assembleianos numa cruzada antineopentecostal? Ou vai fingir que não está vendo o impacto neopentecostal na política, adotando um “Olavo tem razão na política” que equivale a um Solo Olavus, que equivale a um Solo Astrologus?
A VINACC vai sugerir que a guinada conservadora foi produzida pelo Solo Olavus e Nicodemus?
O nojo da VINACC ao neopentecostalismo é tão intenso que, se o bruxo parar de criticar o protestantismo, a VINACC vai adotar o Solo Olavus, mostrando muito mais reverência às “previsões” políticas dele do que o autor da VINACC conseguiu mostrar? Em matéria de política neocon, o olavete da VINACC deixou muito claro que todos precisam devorar todas as oferendas no altar político do Solo Olavus. Em essência, todos devem dobrar os joelhos e a mente diante do Solo Olavus.
Uma seguidora da VINACC chegou a afirmar sobre o Olavo: “Não sei como o ego dele ainda cabe neste planeta. Tem uma necessidade de autoafirmação fora do normal.” Um homem assim não aceita críticas e discordâncias.
A maior prova de que o texto do olavete da VINACC foi muito mais reverência do que “crítica” é a reação calada dos olavetes. Silêncio é uma conduta que os olavetes jamais praticam quando a suprema sabedoria e os palavrões e insanidades de seu supremo mestre são questionados.
Mesmo quando um blog muito pequeno faz críticas, a ira do Olavo se manifesta imediatamente: os olavetes aparecem em poucos minutos, como um enxame de zumbis enlouquecidos, inundando com palavrões e vulgaridades a seção de comentários do texto. Nada disso aconteceu com o olavete da VINACC, cujo texto ficou intacto da ira do Olavo, pelo menos durante os três primeiros dias da publicação.
O Facebook do Olavo, que não perdoa nem blogueiros desconhecidos, silenciou diante das “críticas” do texto da VINACC. Nem a divulgação do texto no Facebook e no portal da VINACC sofreu qualquer das habituais chuvaradas de palavrões e fezes de olavetes, confirmando que acima de tudo houve uma prestação de reverência ao “mestre dos mestres.”
Não existe nenhum sinal de que o Olavo tenha se sentido incomodado com o texto reverente da VINACC. Se ele mostrar reação agora, vai ser apenas porque meu alerta o incomodou.
A total ausência de olavetes zumbis bocas sujas é evidência de que o texto da VINACC passou pelo teste da reverência olaviana.
Fico pensando se há um dilema nessa questão. Se a VINACC reconhecer o óbvio, que o neopentecostalismo está liderando a guinada conservadora no Brasil, será uma traição à sua missão apologética antineopentecostal? Se esse for o caso, não é muito pior tirar esse reconhecimento de quem de fato merece e entregar aos pés de um Solo Astrologus ou Solo Bruxus?
Coam neopentecostais e engolem Olavus. Ou, como disse Jesus, coam mosquitos e engolem camelos.
O Vento sopra onde quer, ainda que uma apologética da letra que mata nada sinta e nada veja e isente bruxos, astrólogos e magos.
Contudo, só um verdadeiro ativismo profético faz a derrubada de ídolos e altares esotéricos e ocultistas mascarados de ativismo antimarxista. Esse ativismo está (por meio da política, não da teologia) tirando muitos evangélicos dos pés de Cristo para colocá-los nos pés de outro mestre.
A missão da verdadeira apologética é denunciar isso, não isentá-lo.
Leitura recomendada:

3 comentários :

Arne Krogdahl disse...

Já estou ficando cheio dessa galera, de Olavo e cia.
Um sujeito lúcido não aguenta seguir essa gente 'New Age' por muito tempo. Eu não aguentei.
E quem anda com porcos, farelo come.
Desculpe-me.

RobsonMYTC disse...

Eu parei a logo no inicio, vi que nem tudo tinha razão mesmo. Kkkkkk

Deive Oliveira disse...

Gosto de ler e ver esses embates críticos. Estou lendo sobre geopolítica e começando a entender algumas coisas, sou novato ainda. Estou acompanhado o cenário Brasileiro e no exterior por meio da internet e alguns livros. Bom... Para compreendermos as coisas devemos fazer com olhar crítico em todas as questões. Parabéns pelo trabalho! julio.