29 de outubro de 2016

Janaína Paschoal: a Rússia vai invadir o Brasil em breve


Janaína Paschoal: a Rússia vai invadir o Brasil em breve

Julio Severo
Toda a mídia esquerdista brasileira está fazendo publicidade de declarações controversas da advogada Janaína Paschoal, uma das autoras do processo de impeachment de Dilma Rousseff.
Segundo a revista Exame, ligada à revista Veja, Janaína “está convicta de que a Rússia tem planos de atacar o Brasil em breve.”
Em seu Twitter, Janaina explicou seus motivos: “Com uma base militar na Venezuela, Putin está a um passo de atacar o Brasil.”
Leitores brasileiros se mostraram divertidos com o comentário da Janaína. Um leitor chamado Eder, debaixo de uma foto de Putin montado num urso, disse: “Parece que a Janaína Paschoal estava correta. Já vazou foto do Putin invadindo a Amazônia.”

O leitor Carlos, debaixo de uma foto de Putin montado numa água sobrevoando montanhas, disse: “A Janaina Paschoal estava certa, acabaram de avistar Putin sobrevoando as montanhas geladas de Teresina.”

Colocando de lado o tsunami de piadas que o comentário da Janaína provocou, o que aconteceria se de fato Putin invadisse o Brasil? Se fosse nos tempos da União Soviética, ele imporia o ateísmo comunista no Brasil. Todas as igrejas evangélicas seriam fechadas. Para imensa alegria de uns, não haveria mais uma Rede Record cheia da religiosidade pró-aborto do Edir Macedo. Os que não gostam do Agenor Duque explodiriam de felicidade e festejos. A União Soviética transformaria a Catedral da Aparecida em Museu Ateísta da Desaparecida, mostrando como a principal estátua de idolatria brasileira “sumiu,” sem explicar que ela foi simplesmente jogada no lixo.
Mas nem Macedo e muito menos os bispos da CNBB ficariam desempregados nem seriam enviados para campos de concentração, por seus relevantes serviços prestados ao socialismo no Brasil.
E antes que os calvinistas venham rir de Macedo perdendo a Record para comunistas, a Universidade Presbiteriana Mackenzie seria transformada em Universidade Soviética Mackenzie. Mas se um Putin comunista tentasse substituir professores mackenzistas cristãos por professores marxistas e pró-aborto, ele teria muito pouco trabalho: O Macenzie já está cheio deles! O mesmo se diga das universidades católicas.
Contudo, a atual Rússia de Putin é tudo, menos ateísta, como confirmou o líder conservador americano William J. Murray em entrevista exclusiva ao Blog Julio Severo. Moscou está hoje repleta de templos da Igreja Cristã Ortodoxa. As igrejas que haviam sido destruídas pelos comunistas foram reconstruídas. As que haviam sido transformadas em museus voltaram a ser igrejas. E muitas novas foram construídas.
Se Putin invadisse o Brasil, a Igreja Cristã Ortodoxa se tornaria a igreja oficial. Os templos católicos deixariam de ter estátuas, com padres casados e, pela primeira vez na História do Brasil, não haveria um Vaticano interferindo nos assuntos nacionais.
Para a Igreja Católica, seria um ganho enorme, pois ídolos e estátuas seriam abolidos, e os padres, bispos e cardeais poderiam finalmente casar. Mas para os pentecostais, seria grande perda, pois a espiritualidade ortodoxa não tem a vitalidade e liberdade do Espírito Santo existentes em muitas igrejas pentecostais e neopentecostais.
Um lado positivo de uma invasão de Putin seria que o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu visitaria o Brasil mais vezes. Só no ano passado, ele visitou a Rússia três vezes e Putin visitou Israel. O presidente de Israel aclamou Putin como “amigo de Israel.”
O lado mais positivo para os líderes pró-família é que Putin proibiria no Brasil a ideologia de gênero, a ditatura homossexual e mandaria de foguete o Jean Wyllys, o Luiz Mott e toda a sua turma para Marte.
Mesmo assim, eu não apoiaria tal invasão. Só uma Janaína Paschoal, que já se declarou publicamente como esquerdista, para fazer tal comentário sensacionalista e bizarro. Seja como for, ela tem motivos de sobra para temer uma invasão russa: As políticas anti-homossexualistas de Putin deixam todos os esquerdistas apavorados.
De acordo com a revista Exame, Janaína também disse: “Putin tem pouco mais de 60 anos, pode ser idoso, pela lei brasileira. Para fins políticos, é um adolescente. Imperialista, ninguém nega.”
Como exemplo de que Putin é imperialista, ela cita o caso da Ucrânia. Para ela, a Ucrânia é prova de que Putin deseja dominar o mundo. Mas para conservadores americanos, o caso da Ucrânia é exemplo de como os neocons americanos, especialmente George Soros, fizeram intervenções e intromissões para remover a Ucrânia, que por quase mil anos foi território russo, da esfera da Rússia e colocá-la na esfera ocidental, de modo que a Ucrânia, que ontem não tinha agenda gay, hoje tem.
Esquerdistas como Hillary Clinton têm a mesma visão da Janaína: eles estão do lado da atual Ucrânia controlada por neocons. O candidato presidencial americano Donald Trump, que tem batido de frente com os neocons, está cercado de assessores que ajudaram a Rússia a combater Soros na Ucrânia.
Para que Putin fosse minimamente imperialista, a Rússia teria de ter bases militares em pelo menos 20 países. Não tem. E uma das bases militares russas mais necessárias é na Armênia, o primeiro país cristão do mundo. Se a Rússia não oferecesse tal proteção militar aos armênios, que são cristãos ortodoxos como os russos, a Armênia seria destruída por vizinhos islâmicos como a Turquia, que tem em seu histórico o massacre de centenas de milhares de cristãos armênios.
Em contraste, o pastor americano Chuck Baldwin, em seu artigo “Os EUA são o Império Romano revivido?,” lamentou: “As tropas americanas estão presentes em 100 países estrangeiros. Com acerto, Charley Reese comentou que os EUA têm ‘um governo nacional que tem gradualmente se desenvolvido num império em permanente estado de guerra.’”
O comentário de Janaína dizendo que Putin vai invadir o Brasil se assemelha ao comentário de Olavo de Carvalho, que tempos atrás disse que Trump quer bombardear a Rússia, quando é exatamente o contrário: a esquerdista Hillary quer bombardear a Rússia, enquanto Trump denuncia que a Hillary não cessa de demonizar Putin.
Mas, neste mundo caído, o sensacionalismo e a mentira fazem muito mais sucesso do que a verdade.
Se Trump estivesse no Brasil, ele diria que não só a Hillary, mas também a Janaína e o Olavo não cessam de demonizar Putin. Para Trump, a maior ameaça é o terrorismo islâmico, não a Rússia.
Entretanto, para os propagandistas de demonizações sensacionalistas, a Rússia vai invadir o Brasil e Trump vai bombardear a Rússia. Agora, os olavetes e os adeptos da esquerdista Janaína podem se abraçar e proclamar: “Janaína e Olavo têm razão” — de serem chamados de lunáticos!
Leitura recomendada:

11 comentários :

equipepro disse...

Putin foi eleito pela maioria cristã na Rússia, que é conservadora. Como ele enfrentou os oligopolistas ligados aos Illuminati, hoje tentam de toda e qualquer forma desconstruir a imagem do líder. Obviamente que não podemos confiar em político algum, porém, Putin aparenta uma corrente ideológica completamente oposta ao globalismo imposto pelos Bieldberg e companhia. Parabéns pelo post!

Alexandre Nascimento Bezerra disse...

A sombra de Olavo paira como uma nuvem negra sobre as cabeças de muita gente. Fiquei espantado com o comentário de Janaína, alguém que até hoje tinha admiração pelo papel que desempenhou para a renuncia de Dilma. Mas tal comentário me parece realmente ter um dedo do Olavo, que vê conservadorismo russo como falso. Sabemos que surgiu na Rússia o chamado conservadorismo de esquerda que pretendia mesclar o marxismo com as tradições nacionais e tal ideologia e seguida por muitos do partido Rússia Unida, de Vladmir Putin. Eis aí a grande preocupação do Olavo e dos olavetes. Entretanto, seja de esquerda ou de direita, o conservadorismo russo esta fazendo aquilo que o ocidente, imbuído do mais radical esquerdismo, tem deixado a muito tempo de fazer, defender a família e a vida. O pretenso esauerdismo russo não deve ser objeto principal de preocupação, mas o radicalismo islâmico. Trump esta no caminho certo ao passo que Olavo de Carvalho e os Olavetes insistem em demonizar a Rússia estando assim em,plena harmonia com Hillary e Obama.

"Política sem medo" disse...

Por que Putin tentaria invadir o Brasil se Dil-ma ja entregou 28 BILHOES de dolares so para participar do seu grupo BRICS, dinheiro a fundo perdido e que nunca mais veremos a cor dele? O governo chines e o proprio Putin estao empenhados a tomar conta do Brasil mas por vias da amizade que tem aos esquerdopatas governantes brasileiros. Sua intencao e usar o pais para a manutencao do seu exercito vermelho, a KGB que esta mais viva do que nunca e atuante, para isso ele usa ate das ideias de Gramsci, ao inves das de Stalin e Lenin, que e a conquista atraves de ideias democraticas ate a conquista total. A unica vantagem que temos e que ele combate o EI que e um tormento para todo o mundo pois esta caminhando a passos largos na conquista do territorio no Ocidente indolente e Politicamente Correto. Vamos esperar para ver no que vai dar. Para o povo norte Anmericano, por favor, joguem a Hillary no lixo nao sem que antes devolva todas as doacoes que tomou para si e que pertencem aos pobrezinhos das Ditaduras Africanas. Forca Trump!!!

Julio Severo disse...

Seu comentário é muito maluco, Política Sem Medo, pois Putin, na sua visão, é ameaça, então a conclusão é que Trump é uma ameaça igual. Como você, Hillary Clinton vê Putin como ameaça. Diferente de você, Trump vê e elogia Putin como parceiro. Seria muito mais coerente se você apoiasse a Hillary. Mas apoiar Trump, que quer parceria com Putin, não faz nenhum sentido, pois você, como a Hillary, adora demonizar o Putin! Você está bem distante do Trump!

Flávio Da Vitória disse...

Só errou em uma coisa. A igreja ortodoxa tbm é cheia de imagens, mas apenas ícones. Ela só rejeita estátua, ao contrário da católica que retirou o segundo mandamento do decálogo em seu catecismo. "Não farás imagem de escultura".

Alexandre Nascimento Bezerra disse...

Sabemos que a Rússia compete com os EUA. Nos tempos da guerra fria ambos disputavam a hegemonia através da,conquista de zonas de influência no terceiro mundo. Atualmente, os russos e chineses parecem ter retomado seu interesse na América do Sul, e os EUA por seu turno, voltaram a jogar suas cartas no antigo leste europeu. A questão e como essas ações geopolítica afetam o cristianismo? Muitos conservadores anti-Rússia no ocidente apoiam a intervenção americana na Ucrânia contra o que acreditam ser uma investida da União Soviética disfarçada. Mas se esquecem de que as influencias ocidentais na Ucrânia não representam nem de longe os valores judaicos -cristãos tradicionais, pois tratam-se de defensores do aborto, do casamento gay e do multiculturalismo. Na América do Sul, Rússia e china tem dado apoio logístico e financeiro as ditaduras de,esquerda como a Venezuela de Nicolas Maduro ea Bolívia de Evo Morales, este último, um politeísta declarado, tentou estabelecer um imposto para as igrejas, numa clara intenção de perseguição. Será que devemos louvar os EUA, a Rússia e a China por essas estratégias geopolíticas? Nos que defendemos os valores cristãos? Me parece não ser sensato. Vejo de forma positiva a intervenção russa no Oriente Médio pois tem protegido cristãos da diria islamita, mas não louvo sua decisão de apoiar as ditaduras esquerdistas anti-cristas sul-americanos. Admiro o protestantismo americano e as instituições politicas que ajudaram a moldar, mas não louvo as atuais posturas do governo americano que nada tem a haver com suas tradições cristas e conservadoras.

Julio Severo disse...

Alexandre Nascimento: Muito inteligente e equilibrado o seu comentário! Parabéns!

Eliseu Antonio Gomes disse...

O único modo que eu percebo a advogada Janaína Paschoal estar coberta de razão, é a invasão da produção russa, realizada pela Animaccord Studios, com a distribuição em alguns canais de televisão brasileira, canais abertos e fechados, da animação computadorizada Masha e o Urso. A série de desenho animado é muito bem elaborada, não faz feio quando comparada ao primor de acabamento final das coisas lançadas pela Pixar, e Disney, e Dreamworks, que são indústrias do entretenimento em solo americano.

Não sei em que fase está este projeto da base militar russa na Venezuela, confesso que nada sei sobre ele, mas penso que, se de fato existe, é uma estratégia político-militar para fazer frente ao poderio bélico dos Estados Unidos.

Jorge Santos disse...

Seva Russia pretende com bater algum país são os Eua e não o Brasil. Por outro lado será que foi pelo fato de estar cheio de esquerdistas que Augustus Nicodemus deixou o Mackenzie?

Unknown disse...

'É quase verdade absoluta lá que você tem que legalizar todas as drogas. Também acham que temos que legalizar o aborto e a exploração da prostituição. Eu não concordo com nada disso. Sou o que a gente pode chamar de liberal, no sentido inglês, e lá é um espaço muito marxista.'

'Com um perfil conservador, Janaína se define como uma "canceriana romântica" que espera poder "mudar o mundo". Diz ser politicamente liberal, mas contra a legalização do aborto e das drogas, e a favor das cotas para negros nas universidades.'

Depois aparece em um vídeo de movimento pelo impeachment dizendo ser de esquerda... Em que acreditar?

Guilherme disse...

Janaína já deu o que tinha que dar, assim como o Cunha.
A Rússia do Putin é outra Rússia. Putin ajudou a reconstruir igrejas cristãs.
Trump é tudo o que um esquerdista politicamente correto odeia: cristão, pró-Israel e contra os grupos amados islâmicos.