25 de outubro de 2016

De cada quatro mortes de câncer nos EUA, uma está ligada ao fumo


De cada quatro mortes de câncer nos EUA, uma está ligada ao fumo

Lindsey Tanner
CHICAGO (Associated Press) — Os cigarros contribuem em uma de cada 4 mortes de câncer nos EUA. O índice é mais elevado nos estados do Sul onde o fumo é mais comum e as leis contra o fumo não são rigorosas.
Ex-fumante que parou de fumar apenas quando ficou enferma
O estudo da Sociedade Americana do Câncer revelou o índice mais elevado entre homens do Arkansas, onde 40 por cento das mortes de câncer estavam ligadas ao fumo de cigarros. O Kentucky tem o índice mais elevado entre as mulheres — 29 por cento.
Os índices mais baixos estavam em Utah, onde 22 por cento das mortes de homens e 11 por cento das mortes de mulheres estavam ligadas ao fumo.
“Os custos humanos de fumar cigarros são elevados em todos os estados dos Estados Unidos, independente da classificação,” os autores disseram.
Eles analisaram pesquisas de saúde de 2014 e dados governamentais sobre índices de fumo e mortes de cerca de uma dúzia de cânceres ligados ao fumo. Cânceres do pulmão, garganta, estomago, fígado, intestino grosso, pâncreas e rins estavam entre os cânceres incluídos, junto com a leucemia. Os pesquisadores avaliaram quantas mortes de câncer tinham probabilidade de serem atribuíveis ao fumo, e compararam isso com as mortes de todos os cânceres.
Os resultados foram publicados na segunda-feira na revista de medicina interna da Associação Médica Americana.
Enquanto os índices de fumo nos EUA estão caindo, 40 milhões de adultos americanos são fumantes de cigarro e o fumo é a maior causa de mortes evitáveis, de acordo com a entidade federal americana Centro de Controle e Prevenção de Doenças.
NÚMEROS
O estudo revelou que pelo menos 167.000 mortes de câncer em 2014 — cerca de 29 por cento de todas as mortes de câncer — foram atribuíveis ao fumo. Uma estimativa governamental baseada em métodos diferentes diz que de cada 3 mortes de câncer nos EUA, 1 está ligada ao fumo, e os autores do estudo reconhecem que eles podem ter subestimado o verdadeiro custo que os cigarros representam.
A maioria dos 10 estados com os índices mais elevados de mortes de câncer atribuíveis ao fumo estavam no Sul, enquanto a maioria dos 10 estados com os índices mais baixos estavam no Norte ou Oeste.
Entre os homens, onde o fumo é geralmente mais comum, o índice de mortes de câncer ligados ao cigarro era mais elevado entre negros em 35 por cento, em comparação com 30 por cento entre brancos e 27 por cento entre hispânicos. Entre as mulheres, as brancas tinham o índice mais elevado de mortes de câncer ligadas ao cigarro — 21 por cento, em comparação com 19 por cento entre negros e 12 por cento entre hispânicos.
EXPLICAÇÕES
Os pesquisadores dizem que nove dos 14 estados com as leis menos abrangentes de proibição do fumo em recintos fechados estão no Sul. O imposto médio de consumo de cigarro nos grandes estados tabagistas, a maior parte no Sul, é 49 centavos, em comparação com $1,80 em outros lugares. A indústria do tabaco influencia fortemente essas leis e a maior parte da safra de tabaco é feita no Sul, disseram os pesquisadores. A região também tem níveis relativamente elevados de pobreza, que tem também ligação com o fumo.
REAÇÃO
A Dra. Hilary Tindle da Universidade Vanderbilt em Nashville, Tennessee, disse que os resultados refletem o que ela vê como uma pesquisadora de tabaco e especialista de medicina interna no Sul. Ela não estava envolvida no estudo.
O fumo é uma norma social no Sul, e embora o centro médico dela tenha normas que proíbem fumo no recinto, ela disse que é comum atravessar fumaças de cigarro do lado de fora da entrada.
Tindle disse que os resultados do estudo salientam a necessidade de leis mais fortes de restrição do cigarro e mostram por que os médicos deveriam discutir o fumo nas consultas de todos os pacientes, incentivar os fumantes a parar e informá-los acerca de maneiras eficazes de parar.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês da Associated Press: One-fourth of US cancer deaths linked with 1 thing: smoking
Leitura recomendada sobre o fumo:

2 comentários :

Jorge Santos disse...

O cigarro todos sabem. Pior é a bebida, porque já existem estudos afirmando que cerveja faz bem. O problema é que a esmagadora maioria não se contenta com pouco. Então o risco de doenças, mortes e acidentes é muito maior.

Eduardo Pydd disse...

Nos anos 1950, o médico austríaco Ernst Wynder, judeu fugitivo do holocausto e radicado nos EUA, conduziu o primeiro estudo elaborado sob rigorosas condições científicas a fim de determinar os efeitos do fumo sobre os seres vivos. Ele depilou o dorso de 86 cobaias e as pincelou com um extrato da fumaça do cigarro Lucky Strike, Semanalmente, cada cobaia recebeu cerca de 40 gramas de alcatrão extraído do cigarro, aproximadamente a mesma quantidade que existe em um maço. Ao final do experimento, mais de 90% delas havia morrido. Cerca de 70% delas, vítimas de câncer(sim, o câncer não é exclusividade do ser humano, qualquer organismo que tenha mais de uma célula pode desenvolver a doença). Em outro grupo de cobaias que não foram submetidas às pinceladas, praticamente todas sobreviveram e continuaram saudáveis.

Foi a primeira vez que um experimento comprovou cientificamente que o fumo está diretamente relacionado a diversas espécies de câncer. O resultado foi que a indústria tabagista americana acabou condenada a pagar indenizações de cerca de 250 milhões de dólares aos hospitais, para compensar os gastos com saúde pública gerados pelos pacientes cancerosos fumantes.

E hoje, vemos um bando de alucinados que prefere dar ouvidos a pessoas sem qualquer qualificação para esse tipo de pesquisa e se submeter às idéias de defensores do tabaco. Tudo bem, a vida é deles. Mas que não se queixem depois, porque os vendedores de ilusões não vão pagar seu tratamento e muito menos suportar suas dores em seu lugar.