4 de outubro de 2016

Conferência mundial de educação em casa na Rússia


Conferência mundial de educação em casa na Rússia

Mike Donnelly
Comentário de Julio Severo: A Associação de Defesa Legal da Educação em Casa, a maior organização de educação em casa do mundo, estará realizando uma conferência mundial de educação em casa na Rússia em 2018. Nos tempos soviéticos, a educação escolar em casa era não só impossível na Rússia, mas cruelmente punida. A educação em casa continua banida em nações comunistas. De fato, está sob perseguição até mesmo na Europa não-comunista. Mas na Rússia de hoje a educação em casa é permitida. Aliás, a CBN, rede de televisão presidida por Pat Robertson, disse que a Rússia é agora um refúgio de homeschooling! A liberdade de educar em casa é um indicador poderoso de fortes valores pró-família. Leia a seguinte reportagem escrita pelo Dr. Donnelly, que está ajudando a organizar o maior evento de homeschooling do mundo na Rússia:
Em 1984 a Guerra Fria — como conflito entre as forças globais da democracia, representada pelos Estados Unidos e a OTAN, e do comunismo, representado pela União Soviética e o Pacto de Varsóvia — era uma compreensão fundamental da política global. Como jovem soldado na época e então mais tarde um oficial, fui treinado para fazer face à imensa força militar da União Soviética no campo de batalha da Europa. Durante a Operação Tempestade do Deserto, comandei um pelotão com tanques contra o Exército do Iraque que estava equipado com armamento soviético e operava sob táticas soviéticas de batalha.

Controle Estatal

Durante sua longa história, a URSS parecia uma força de domínio mundial para o comunismo — um sistema que era baseado em controle estatal total da maioria das áreas da vida comum. Trinta anos atrás ninguém teria imaginado que a educação em casa chegaria a ser possível um dia, sem mencionar legalizada, na URSS. O sistema educacional sob o comunismo era baseado numa ideologia totalitária.
Em 1919 Nikolai Bukharin, um os revolucionários bolcheviques, disse que a “missão das novas escolas comunistas era impor uma mentalidade proletária nas crianças da classe média… é a missão da nova escola treinar uma geração de crianças cuja ideologia será profundamente enraizada no solo da nova sociedade comunista.”
Em 1955 Nicholas DeWitt da Fundação Nacional de Ciência escreveu: “O sistema educacional não é construído em torno do indivíduo, mas em torno do Estado, ao se identificar com a busca do bem comum, tentativas de submissão implacável do indivíduo — seus direitos, gostos, escolhas, privilégios e seu treinamento — às próprias necessidades do Estado.”

Mudanças Bem-Vindas

A histórica e cultura russa tradicional colocam um valor elevado na família e educação. É emocionante ver que 70 anos de comunismo não puderam apagar totalmente esses valores culturais. Depois da queda da União Soviética em 1991, alguns russos criticaram que as mudanças feitas no seu sistema educacional o tornaram ocidental demais. Contudo, a legalização da educação em casa na Rússia é um acontecimento positivo. A educação da família, como é conhecida a educação em casa na Federação Russa, está crescendo. Como muitos países com movimentos nascentes de educação em casa, a comunidade de educação em casa na Rússia se parece com o pequeno movimento que começou nos Estados Unidos cerca de 40 anos atrás.
Os defensores da educação em casa na Rússia são encorajados pelo interesse crescente, e a Rússia foi escolhida como próximo país para uma Conferência Mundial de Educação em Casa. A GHEC2018 será realizada em Moscou e São Petersburgo durante a semana de 21-25 de maio de 2018. A conferência reunirá pesquisadores, especialistas de políticas públicas, pais e organizações com o propósito de apoiar a comunidade russa de educação em casa e fornecer uma plataforma para avançar os direitos das famílias escolherem a educação em casa.

Assumindo a Liderança

A política da Rússia em favor da educação em casa é um exemplo positivo no continente eurasiano onde muitas comunidades de educação em casa estão apenas começando. A política russa está em contraste forte com a política de outros países da Europa Ocidental, como Alemanha e Suécia, que não toleram a educação em casa.
A GHEC2018 oferecerá uma experiência exclusiva aos participantes de visitar as cidades históricas de Moscou e São Petersburgo, para interagir com líderes mundiais, para incentivar e apoiar uma comunidade crescente de educação em casa na Rússia e para continuar nossa defesa dos direitos dos pais e crianças escolherem o tipo de educação que eles querem experimentar. Os organizadores continuam a apoiar a visão original das conferências mundiais de que a educação em casa tem de ser uma escolha para todas as famílias em todos os lugares — independente de sua motivação ou metodologia.
Para se manter informado da conferência, convidamos você para fazer sua assinatura de atualizações de email especificamente sobre a GHEC 2018 em: www.ghec2018.org
Traduzido por Julio Severo do original em inglês da Associação de Defesa Legal da Educação em Casa: GHEC 2018—Russia
Leitura recomendada:

Um comentário :

Ralf Yuri disse...

Os globalistas lutam para convencê-lo de que você não sabe educar seu filho e que isto é tarefa do GRANDE ESTADO.
Eu tento convencê-lo de que o GRANDE ESTADO é controlado pelos servos de Satanás.
O poder do G E só aumenta na medida em que as pessoas se deixam doutrinar por suas escolas marxistas e seus meios de distração ( tv) que levam a IDOLATRIA e portanto a BURRICE.
Sou a favor do ENSINO EM CASA, mas tem outra coisa muito importante a ser dita;
Por quê um País de maioria Cristã aceita que seus filhos sejam ensinados por professores ATEUS DROGADOS E VIADOS??
E ainda por cima, com o nosso dinheiro.
Por quê sua igreja não fala sobre isso?
É o nosso dinheiro pagando PROFESSORES PODRES para estragar nossas crianças com a cartilha da maldita ONU-ROCKEFELER.
Cobrem isto de seus pastores e padres, pressionem os políticos para que nosso dinheiro pague PROFESSORES CRISTÃOS para ensinar nossas crianças.
Antes que algum pessimista diga que o congresso não aceitaria isto, eu pergunto;
Qual congresso é louco de dizer NÃO para 10 milhões de FIÉIS, 50 milhões de FIÉIS?