31 de agosto de 2016

Wikileaks delineia como Hillary Clinton obedeceu às ordens de seus mestres sauditas e transformou a Líbia num buraco infernal do ISIS


Wikileaks delineia como Hillary Clinton obedeceu às ordens de seus mestres sauditas e transformou a Líbia num buraco infernal do ISIS

DCWhispers
Chama-se email tiquetaque, recentemente divulgado pelo Wikileaks. O email mostra o gabinete de Hillary Clinton delineando como ela deveria receber crédito total pelo que aconteceu na Líbia antes e depois da queda do regime de Kadafi — uma queda que resultou no sumiço de 1,5 bilhão de dólares enviados à Líbia por Hillary, a morte subsequente de quatro americanos, inclusive o primeiro embaixador americano a morrer em serviço em mais de trinta anos, e milhares de mortes enquanto a Líbia caia na anarquia.
E foi tudo feito depois que a Casa Saudita desejou que assim fosse feito — a mesma Casa Saudita que “doou” milhões para a Fundação Clinton e para a Campanha de Hillary Clinton.
Esses dois acima levaram à seguinte tragédia na Líbia:
E eis o email tiquetaque mostrando que Hillary queria muitíssimo crédito pela Líbia.
Desde que a Líbia caiu no caos e se tornou uma fortaleza do ISIS, a sra. Hillary e sua campanha não desejam mais discutir esse assunto…

Agora, eis um pouco da história sobre a qual a grande mídia não está dizendo quase nada. A razão para seu apagamento é simples — liga diretamente Barack Obama e Hillary Clinton e o que aconteceu com a queda da Líbia em 2011.
Durante anos, Kadafi e a Casa Saudita estavam envolvidos numa disputa antiga sobre quem era o representante verdadeiro e legítimo do poder islâmico no Oriente Médio — embora a disputa tivesse mais a ver com a influência crescente da Líbia na produção de petróleo. O petróleo líbio está entre os melhores do mundo, liderando um preço alto de dólar, um fato que não passou despercebido pela família real saudita que não apreciava a competição nessa questão.
Kadafi, diferente de outros líderes muçulmanos, estava disposto a desafiar abertamente a Casa Saudita, que estava muito unida com o governo dos EUA, um desafio que nesse vídeo foi recebido com a seguinte resposta do rei saudita:
“A mentira está diante de você, e o túmulo está na sua frente.”

Uns dois anos depois dessa altercação, Kadafi foi assassinado por meio de um esforço coordenado e financiado pelo governo de Obama e pelo Departamento de Estado de Hillary Clinton. O túmulo foi realmente colocado na frente dele — por Hillary.
A Casa Saudita tem desde então doado entre 10 e 25 milhões de dólares para a Fundação Clinton e continua a doar para a campanha de Hillary. Um artigo do Zero Hedge de semanas atrás indicou que os sauditas estão neste momento financiando aproximadamente 20% da campanha inteiro de Hillary para presidente.
A Casa Saudita queria eliminar Kadafi.
Hillary Clinton, como secretária de Estado, fez isso acontecer, criando o inferno do ISIS que agora é a Líbia.
Dezenas de milhões de dólares jorram na Fundação Clinton, e dezenas de milhões mais estão agora jorrando na campanha de Hillary — vindos da Casa Saudita.
Leitura recomendada:

2 comentários :

Marcelo Victor disse...

Parece a Dilma e o partido dos trabalhadores norte-americano...

Dom Rafael disse...

CARA!
Parece que esses "ditadores" do Norte da África e Oriente Médio não eram tão maus assim quanto se parece! vejam Bashir Al-Asad, por exemplo: apesar dos pesares, ele, para os cristãos, é muito melhor do que os mulçumanos, apesar dele ser um "moderado".
Shalom ve-Chachmah