13 de julho de 2016

Uma nova lei russa contra os cristãos?


Uma nova lei russa contra os cristãos?

Julio Severo
Uma nova lei anti-terrorismo na Rússia tem sido criticada em manchetes na mídia ocidental como feita especialmente para mirar cristãos, principalmente evangélicos e pentecostais. Outros denunciam que foi feita especificamente para proibir o evangelismo. Alguns rotularam essa lei como lei “comunista” para perseguir evangélicos e pentecostais.
O que precisamos saber sobre essa lei anti-terrorismo na Rússia? Fiz algumas perguntas a Alexey Komov, que é o diretor de assuntos internacionais da Comissão Patriarcal sobre família, proteção da maternidade e infância da Igreja Ortodoxa Russa. Ele me respondeu:
Só queria lhe dar minha perspectiva sobre o conjunto de emendas anti-terrorismo que se tornaram lei na Rússia recentemente. O principal propósito foi colocar emendas em várias leis de um jeito que permitisse melhor proteção e prevenção anti-terrorismo (que outros países, inclusive os EUA e a União Europeia, já têm). Agora as operadoras de celulares e provedores de internet terão de armazenar dados por algum tempo e torná-los disponíveis se necessários para investigação, etc. A principal ameaça real é as atividades de vários missionários islâmicos radicais que são um tanto ativos na Rússia. Temos em torno de 9% de muçulmanos na população russa que são historicamente pacíficos, mas nas décadas recentes estão sendo artificialmente radicalizados por seitas estrangeiras como o ISIS e outros imams patrocinados por wahhabistas e salafistas (hoje vi no noticiário que um imam radical que apoiava publicamente o terrorismo foi preso em Moscou). Os jovens são particularmente vulneráveis e são o alvo.
Novas regulamentações das atividades missionárias são apenas uma parte secundária dentro do conjunto das novas emendas em várias leis. Basicamente diz que os missionários estrangeiros precisam receber uma permissão/registro para fazer seu trabalho, e que eles deveriam pregar apenas em sua mesquita, igreja, etc. Mas isso afeta apenas os representantes oficiais de uma organização religiosa. Todas as pessoas comuns podem livremente expressar, pregar e promover suas convicções religiosas ou outras convicções sem limites (o que é um direito constitucional), e a lei não regula isso. A lei final teve sofreu sérias emendas e muitas coisas polêmicas foram eliminadas.
Então a conclusão é que muitas reportagens negativas sobre esse assunto na mídia de massa ocidental são:
1) Tendenciosas contra a Rússia.
2) Usam a versão preliminar do projeto de lei, não sua versão final.
3) Interpretam de modo incorreto o texto real da lei.
Pessoalmente, penso que essas emendas com relação à regulamentação do trabalho missionário poderiam ser mais suaves, mas mesmo na forma atual não há nada de dramático (eu li as emendas). Além disso, a implementação e prática real têm agora como alvo os islamistas radicais. Claro que há também um preconceito contra alguns grupos protestantes inovadores ocidentais e seitas orientais que pedem ações ilegais, drogas, violência, pregando suicídio ou terrorismo, etc. Além do mais, muitos grupos religiosos não ortodoxos desempenharam um papel importante no golpe de Estado anti-russo na Ucrânia. A Rússia tem também uma tradição de séculos de regulamentar excessivamente as coisas.
Então há alguns fatores preocupantes nessa nova lei, mas nada realmente dramático, como a imprensa está noticiando.
Essa é a opinião de Alexey Komov, o líder pró-vida mais proeminente da Rússia.
Quais são meus pensamentos?
A nova lei foi escrita, e acabou sendo sancionada, na Rússia depois que um avião russo de passageiros foi explodido por islâmicos no Egito. A lei atinge milhões de muçulmanos na Rússia, e afeta também cristãos de outras denominações (católicos e evangélicos), que não são tão numerosos quanto os muçulmanos na Rússia. O islamismo tem 10.000.000 de membros na Rússia.
A Igreja Católica tem 140.000 de membros, sendo apenas 0,1% do total da população russa.
As testemunhas-de-jeová têm 300.000 de membros, sendo apenas 0,2% do total.
O protestantismo em suas várias denominações, tanto históricas quanto evangélicas e pentecostais, somam também 300.000 de membros, sendo apenas 0,2% do total.
A Igreja Ortodoxa Russa tem 58.800.000 de membros na Rússia, compondo 41% do total.
Então, as duas únicas grandes religiões na Rússia são Igreja Cristã Ortodoxa e islamismo, e está bem claro que a lei anti-terrorismo afeta o islamismo em cheio.
Ao contrário dos EUA, onde as leis anti-terrorismo cada vez mais sufocam suas grandes religiões (principalmente o evangelicalismo) e dão mais poder para a religião islâmica e para o ativismo homossexual, e especialmente para um gigantesco Estado secular, a Rússia vem sufocando o ativismo homossexual e a expansão islâmica radical e dando mais poder para sua maior religião cristã, a Igreja Ortodoxa.
A diferença é que enquanto nos EUA as leis anti-terrorismo protegem um Estado secular anticristão, na Rússia protegem a Igreja Ortodoxa. Pelo menos na Rússia estão protegendo alguma forma de Cristianismo tradicional.
Minha preocupação é que leis e medidas anticristãs e antifamília nos Estados Unidos mirem não somente cidadãos americanos, mas também pessoas no mundo inteiro. Em 2011, o WND noticiou acerca da monitoração do Ministério de Segurança Nacional dos EUA em meu blog, ainda que eu não seja um cidadão americano. Sim, esse ministério vigia blogs conservadores.
Em 2013, Edward Snowden, ex-agente da CIA que criticou a lei russa, desmascarou para o mundo que o governo dos EUA estava, contrário à Constituição dos EUA, espionando os americanos e pessoas no mundo inteiro. “O escândalo de monitoração da NSA (National Security Agency, Agência de Segurança Nacional) é a maior história da sua vida,” disse Michael Savage numa reportagem do WND.
É muito preocupante que até mesmo sem leis e medidas que permitam monitoração e espionagem contra cristãos inocentes no mundo inteiro, o governo americano esteja envolvido nessa conduta em escala mundial. Se a lei russa é uma ameaça por causa do armazenamento de dados de suas operadoras de celular e provedores de internet, é uma ameaça só na Rússia. Mas e quanto ao escândalo de monitoração e espionagem em massa da NSA? É uma ameaça pairando ilegalmente não só sobre americanos, mas também sobre multidões de pessoas no mundo inteiro.
A nova lei russa não foi criada especificamente para mirar evangélicos e pentecostais. Mira milhões de muçulmanos. Pode afetar também outras religiões, inclusive muitas seitas americanas como as testemunhas-de-jeová e o mormonismo que estão atuando na Rússia, mas não afetará o poder e status da Igreja Ortodoxa.
De acordo com a revista Charisma, a Comissão sobre Liberdade Religiosa Internacional dos Estados Unidos, um órgão governamental presidido pelo padre jesuíta Thomas J. Reese, condenou a nova lei.
Charisma noticiou:
Organizações religiosas diretamente afetadas pelas novas leis são as que têm fortes programas de evangelização na Rússia — a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (mórmon), Sociedade Internacional da Consciência Krishna, testemunhas-de-jeová, adventistas do sétimo dia e organizações protestantes com raízes batistas, pentecostais e cristãos independentes.
 “A igreja Ortodoxa Russa é parte de uma fortaleza de nacionalismo russo estimulada por Vladimir Putin,” David Aikman, autor do livro “One Nation Without God” (Uma Nação Sem Deus), disse para a revista americana Christianity Today.
É uma pena que o evangelicalismo, que era parte do nacionalismo americano inicial, não seja mais essencial para o governo americano, que o descartou.
Charisma também disse: “Só cerca de 1 por cento da população russa é protestante; a religião da maioria é a Igreja Ortodoxa Cristã Russa.”
O que é interessante é que Charisma não mostrou nenhuma preocupação e não fez nenhuma menção de que em escala muito maior a lei atinge milhões de muçulmanos.
Ainda que os evangélicos sejam uma minoria minúscula na Rússia, a Igreja Ortodoxa tem feito parceria com eles em missões em comum. A Associação Evangelística Billy Graham e a Igreja Ortodoxa Russa estarão realizando uma cúpula sobre perseguição contra os cristãos em outubro próximo.
“Encontrei-me com o Patriarca Cirilo, o líder da Igreja Ortodoxa Russa, e líderes evangélicos, e discutimos em profundidade sobre a perseguição contra a Igreja no mundo inteiro,” disse o Rev. Franklin Graham, presidente da Associação Evangelística Billy Graham. Ele acrescentou: “A Cúpula Mundial em Defesa dos Cristãos Perseguidos colocará um holofote mundial nessa crise. Traremos delegados do mundo inteiro e poderemos juntar as mãos com pessoas de outras igrejas e denominações da fé cristã para orar por nossos irmãos e irmãs em Cristo e ouvir relatos de primeira mão acerca do sofrimento que está acontecendo.”
“Nos anos sob o governo comunista, virtualmente todos os padres da Igreja Ortodoxa, pastores e líderes eclesiásticos na Rússia foram presos ou executado pelos comunistas, e seus túmulos estão nos arredores de Moscou e em todo o país servindo como lembrança,” continuou Graham.
“Nenhuma igreja na história moderna sofreu mais do que a igreja na Rússia… Por isso, Moscou será o local apropriado e importante para essa cúpula muito necessária.”
Versão em inglês deste artigo: A New Russian Law Against Christians?
Leitura recomendada:

Um comentário :

Saga disse...

Sim. O evangelismo, aquilo que os seculares chamam de proselitismo acaba proibido na Rússia, em benefício da Igreja Ortodoxa.

Sob o pretexto de combater o terrorismo islâmico isto proibe a obra das Testemunhas de Jeová (cujo site foi proscrito assim como vários de seus livros também), mas os evangélicos não tem o que comemorar, pois acaba afetando também trabalhos missionários que queiram fazer naquele país, é como as propostas de ativistas GLBT de colocarem as pregações restritas apenas dentro dos guetos de igrejas em suas leis antihomofobia.