5 de junho de 2016

Neto gay de membro fundador do Hamas ganha asilo nos EUA


Neto gay de membro fundador do Hamas ganha asilo nos EUA

Alexandra Genova
Comentário de Julio Severo: Esta reportagem do DailyMail conta como um palestino homossexual diz ter se convertido numa igreja americana, provavelmente liberal, pois parece ter aceitado sua condição homossexual numa boa. O fato é que ninguém que diz que se converteu para Cristo pode continuar numa identidade e vida de pecado, seja de ladrão, adúltero, estelionatário ou homossexual. Os EUA, que foram fundados por evangélicos perseguidos, hoje desprezam para asilo tais evangélicos e aceitam preferencialmente homossexuais. Deus pode converter um filho do Hamas? Sim, pode, e ele já fez isso anos atrás, convertendo o filho de um dos fundadores do Hamas, num caso que virou manchete no WND: “’Filho do Hamas’ que nasceu de novo hoje luta contra ‘o deus do islamismo.’” Eis a reportagem do DailyMail sobre o palestino gay “cristão”:
O neto cristão do membro fundador do grupo terrorista Hamas ganhou asilo nos Estados Unidos depois de anos de tortura e ameaças de morte de sua família.
John Calvin (João Calvino), cujo nome foi mudado para sua segurança, ganhou a oportunidade de permanecer nos EUA em março, depois de anos vivendo sob a ameaça de deportação do Canadá para a Cisjordânia.
Calvino, que tem 25 anos, disse: “Tenho literalmente estado no inferno. Vai levar um tempo para reconstruir minha vida.”
Ele fugiu da Cisjordânia com 14 anos para Israel onde ele foi preso por cruzar ilegalmente a fronteira.
Quando ele voltou para casa, Calvino disse que enfrentou violência quando sua família ficou sabendo que ele queria se converter ao Cristianismo.
De acordo com autoridades israelenses, os tios dele têm ligações com vários ataques suicidas de homens-bombas.
Numa entrevista de junho de 2015 Calvino disse a CNN que em 2011 ele fugiu para o Canadá, depois que ele ficou sabendo que seu pai estava planejando um assassinato de honra, e solicitou formalmente a condição de refugiado.
Enquanto estava vivendo em sua nova casa no Canadá, Calvino se converteu ao Cristianismo e também se assumiu publicamente como homossexual.
Mas o governo canadense rejeitou sua solicitação de asilo na véspera de Ano Novo de 2014, citando que ele era efetivamente membro do Hamas, que foi constatado apenas por causa das ligações da família dele, e ele foi condenado à deportação em 4 de novembro de 2015.
Em vez de aguardar ser deportado para o que ele descreveu como “morte certa,” ele decidiu fugir para os Estados Unidos.
Calvino disse que ele ainda crê no Sonho Americano, e um dia espera fazer faculdade de direito, ter um marido e dois filhos e viver “feliz para sempre.”
Leitura recomendada:

Um comentário :

fococristao disse...

Os EUA se tornam ingratos.
O ser humano é assim, na necessidade pede, na ambundância desvaloriza.