1 de junho de 2016

Não seja um facilitador do mal! Lições de Lausanne


Não seja um facilitador do mal! Lições de Lausanne

Julio Severo
No primeiro Congresso Lausanne de Evangelização Mundial em 1974, idealizado e sustendo por Billy Graham, os teólogos esquerdistas da América Latina, especialmente René Padilla, aproveitaram para trazer a Teologia da Missão Integral (TMI), que é a versão protestante da Teologia da Libertação.
Em seu papel de moderador de Lausanne, John Stott, que é louvado de forma apaixonada pelos promotores latino-americanos da TMI, embonecou essa teologia marxista, passando-lhe pó de arroz, batom e brilho. Foi assim, toda bonitinha e transformada, que a TMI se lançou internacionalmente, usando Lausanne como plataforma, embora sob resistência conservadora feroz liderada por Peter Wagner.
Wagner, que é o principal líder mundial do movimento apostólico, combateu a TMI não só em Lausanne, mas também nos primeiros congressos de Padilla na América Latina, muito antes de Lausanne. Wagner foi o primeiro teólogo a fazer resistência à TMI na América Latina.
Apesar de toda essa resistência décadas atrás, a TMI cresceu internacionalmente. Hoje, graças a Stott e seu incrível trabalho de maquiagem e facilitação, a TMI domina Lausanne como uma teologia social elegante. O trabalho de resistência de Wagner foi esquecido e os teólogos latino-americanos da TMI prevaleceram.
Em 2014, Lausanne deu o troco vingativo em Wagner, realizando no Brasil uma reunião de líderes de Lausanne contra Wagner e seu movimento apostólico. A reunião foi dirigida por líderes da TMI, especialmente o Rev. Valdir Steuernagel.
Depois do primeiro e segundo congresso de Lausanne, Billy Graham percebeu que os promotores latino-americanos da TMI usaram Lausanne como plataforma. Ele então parou de financiar o evento. Mas já era tarde demais. O estrago estava feito.
Querendo ou não, ao embonecar a TMI em Lausanne, John Stott facilitou a expansão desse mal na Igreja Evangélica Mundial.
Versão em inglês deste artigo: Do Not Be an Enabler of Evil! Lessons from Lausanne
Leitura recomendada:

4 comentários :

R. Cunha disse...

Admira-me que Graham, sendo um homem tão prudente, deixou-se enganar. Nem consultou ao Senhor? Segundo lugar, admira-me que um homem que fez tanto mal à igreja de Cristo, como Stott, seja incensado com todas as honras até os dias de hoje. Além do mal pelo estabelecimento da TMI, foi um dos patrocinadores do liberalismo teológico na Inglaterra e fez ostensiva oposição contra Martyn Lloyd-Jones que conclamava a um rompimento imediato com os liberais.

Unknown disse...

TMI - Teologia da Mistura Inimiga.

Osmar Neves disse...

John Stott parece que padeceu da "Síndrome de Salomão": começar bem e terminar mal... Ao final da vida ele estava defendendo o "Aniquilacionismo", pois lhe parecia muito cruel o sofrimento eterno "só porque o coitadinho do pecador não obedeceu e nem deu glória ao Criador".

Danilo Fernandes disse...

Foi nossa conversa... hehe
Temos que continuar e ponderar o Wagner