15 de maio de 2016

Prefeito muçulmano de Londres apoia Hillary Clinton


Prefeito muçulmano de Londres apoia Hillary Clinton

Em contraste, Rússia apoia Donald Trump

Julio Severo
Sadiq Khan, o primeiro prefeito de Londres eleito recentemente, está numa ofensiva ideológica contra o candidato presidencial republicano Donald Trump.
Sadiq Khan
Recentemente, ele declarou: “O modo ignorante como Donald Trump vê o islamismo pode deixar os EUA e a Inglaterra menos seguros — arriscando alienar a maioria dos muçulmanos do mundo, numa desvantagem que será usada por extremistas.”
Críticos acusam que isso é uma ameaça velada.
Pamela Geller, autora do livro “Stop the Islamization of America” (Pare a Islamização dos EUA) e colunista do WND (WorldNetDaily), disse: “Ele está dizendo que se Trump não mudar sua postura sobre imigração islâmica, haverá ataques terroristas. É claro que se os muçulmanos imigrarem em larga escala para o Ocidente, haverá terroristas entre eles e haverá ataques terroristas. Daí, perdemos dos dois jeitos.”
De acordo reportagem do WND, o prefeito muçulmano de Londres declarou que ele está torcendo pela vitória de Hillary Clinton nos Estados Unidos.
Contrastando com o prefeito islâmico de Londres, o serviço noticioso internacional Reuters, com sede em Londres, disse numa reportagem recente: “Trump vem ganhando amigos no governo da Rússia com declarações que louvam Putin como um líder forte com quem ele poderá provavelmente se dar bem.”
De acordo com a Reuters, a Rússia vê a eleição dos EUA da seguinte forma: “Donald Trump é um corajoso político independente pró-Putin que acabará com as guerras externas dos EUA e talvez cesse as sanções americanas a Moscou. No entanto, Hillary Clinton é uma instigadora de guerras com conexões com o complexo industrial militar.”
A reportagem da Reuters finalizou dizendo: “Hillary Clinton, que é bem conhecida no governo russo por causa de seu período de 2009 a 2013 como secretária de Estado, claramente não é o que a Rússia quer.”
Por que o prefeito islâmico de Londres quer Hillary, não Trump?
Por que Putin e os russos querem Trump, não Hillary?
Com informações do WND (WorldNetDaily) e Reuters.
Leitura recomendada:

4 comentários :

marcelo victor disse...

Claro que todos aqueles que não entendem o que realmente significa a palavra caridade ou propositadamente desvirtuaram o sentido da expressão "DEUS É AMOR" buscarão guarida no humanismo e em seus discípulos.

Deus é a expressão máxima do amor por ter dado a sua própria vida em regate da humanidade, uma vez que, como diz a Bíblia, não há amor maior do que esse, de alguém dar sua vida por causa dos seus amigos (João 15:13).

Biblicamente falando, o humanismo é reconhecidamente diabólico, pois, em ultima análise, nega a verdade divina e afasta o homem do Criador, a medida que faz, do homem, o centro do universo.

A concepção do "amor ao próximo", partindo do humanismo, faz a expressão perder suas raízes bíblicas, de tal forma sorte que a disposição em ajudar os necessitados acaba virando a missão central da igreja.

Em consequência, as missões da Cruz Vermelha ou das organizações da ONU, por exemplo, que são contrárias ao compromisso caritativo da Igreja (cuja finalidade é a vida eterna), acabam desvirtuando e reduzindo a credibilidade da mensagem cristã, ao ponto da "caridade" deixar de ter sua raiz em Deus e ser reduzida a mera filantropia.

Por certo, os muçulmanos já perceberam isso e continuarão se aproveitando da ignorância de muitos.

marcelo victor disse...

Primeiro foi o herético Chicão das Couves que disse que Trump "não é cristão por sua opinião sobre a imigração", numa clara tentativa de influenciar as eleições norte-americanas, favorecendo a turma do muçulmano Obama.

Estando fortemente protegido no Vaticano, esse vigarista explorou a fé alheia pra desmerecer alguém que defende medidas radicais para evitar o aporto, em seu país, de fanáticos religiosos e para por fim à imigração ilegal:
http://g1.globo.com/mundo/eleicoes-nos-eua/2016/noticia/2016/02/papa-diz-que-trump-nao-e-cristao-por-sua-opiniao-sobre-imigracao.html

Desta vez, aparece esse sujeito muçulmano, membro do partido trabalhista (de vertente comunista), dizendo baboseiras sobre o governo de uma nação que se localiza do outro lado do pacífico, numa tentativa de manipular a opinião pública inglesa e mundial.

Como podemos concluir, o anticristo de Roma, na sanha de construir a moderna torre de babel (centrada no homem), acabou dizendo uma verdade quando afirmou que "todos os homens são filhos de deus" (o deus deste século), uma vez que pudemos ver duas pessoas de diferente crenças falando praticamente "o mesmo idioma".
https://noticias.gospelprime.com.br/papa-religioes-filhos-de-deus/

Helio Bandeira disse...

Esse papa, essa Hilary, esse prefeito... pensem em três desgraças contemporâneas.

Helio Bandeira disse...

Ops.. esqueci a desgraça das desgraças Obama!!!