21 de maio de 2016

Ana Paula Valadão é atacada por se opor à ideologia de gênero


Ana Paula Valadão é atacada por se opor à ideologia de gênero

Jarbas Aragão
Comentário de Julio Severo: A reportagem a seguir, do portal evangélico GospelPrime, informa sobre os ataques que a cantora Ana Paula Valadão está sofrendo “por expor versículos bíblicos e se manifestar abertamente contra a homoafetividade.” Ora, “homoafetividade,” termo ideológico usado pelo ativismo homossexual para suavizar suas práticas, é incompatível para o vocabulário cristão, que deve refletir os valores da Bíblia, não da Esquerda. Usar “homoafetividade” é cair no jogo da Esquerda. Para entender o que é homoafetividade a partir de uma perspectiva realista, consulte meu artigo: “Sou homoafetivo.” Atualizei algumas informações do artigo do GospelPrime, mas deixei “homoafetividade” para o leitor estar ciente desse grave problema. Quanto ao resto, parabéns a Ana Paula Valadão por seu posicionamento correto e bíblico!
Ana Paula Valadão
Em pouco mais de 24 horas, a postagem da cantora e pastora Ana Paula Valadão pedindo o boicote à rede de lojas C&A teve mais de 500 mil “reações” – opções ao botão curtir do Facebook.
Ela postou uma foto com uma expressão de contrariedade, acompanhada de um texto onde expressava sua #santaindignação com a imposição da ideologia de gênero na campanha das lojas para o dia dos namorados. Somente no Facebook ela possui mais de três milhões e meio de seguidores, número que ultrapassa o de atores da Globo e ídolos do esporte.
O assunto logo saiu das redes sociais. Foi matéria de vários órgãos de imprensa, incluindo Veja, e Folha de São Paulo. Em pouco tempo estava na capa da maioria dos portais do país.
Horas depois da publicação de Ana Paula, a C&A publicou uma nota de esclarecimento na seção de comentários de sua página no Facebook. “A C&A reforça que o respeito à diversidade, inclusive de opiniões, sempre foi um dos princípios da marca”, afirmou a rede de lojas.
Como é comum no Brasil, a seção de comentários na página oficial da pastora virou um fórum de debates. Não faltaram ofensas a ela e todos os líderes evangélicos. Alguns fãs da cantora decidiram argumentar e defendê-la. Foram mais de 500 mil comentários, possivelmente um novo recorde para a internet brasileira.
A resposta oficial de Valadão veio com uma nova postagem. A mesma imagem do dia anterior, mas sobreposta com a passagem bíblica de 2 Timóteo 4:3-5. Nova polêmica, com mais de 25 mil comentários. Uma verdadeira campanha de ódio surgiu contra a cantora, acusada de fundamentalismo por expor versículos bíblicos e se manifestar abertamente contra a homoafetividade.
Postagens antigas de Ana Paula começaram a ser vítimas de um “vomitaço”, uma tática virtual que visa demonstrar o descontentamento diante de determinado conteúdo. O que está acontecendo com Ana Paula é só mais uma demonstração que essa guerra ideológica nas mídias sócias não deve acabar e só tende a se acirrar no futuro.
Fonte: GospelPrime
Divulgação: www.juliosevero.com
Leitura recomendada sobre Ana Paula Valadão:
Leitura recomendada sobre ideologia de gênero:

10 comentários :

Luana M. disse...

Ana Paula não pousou de isenta como os bispos da CNBB costumam fazer! A reportagem não diz (acho isso uma falha grave!), mas Ana pediu que os cristãos boicotem a C&A. Eu apoio o boicote e nunca mais comprarei nessa loja. No que depender de mim, a C&A fecha as portas. Quanto aos empregos que os cristãos perderão, uma loja que propaga o mal não serve para cristão nenhum trabalhar. Importa mais servir a DEUS!

Conselheiro Cristão disse...

Pois é Julio Severo, é sempre assim na maioria das vezes, eu postei um artigo no seu site Conselheiro Cristao, sobre o homossexualismo do ponto de vista bíblico, e por incrivel que pareça,até hoje é o assunto mais comentado no site, fui taxado de homofobico etc. Porem é a minha posição bíblica, e parabéns para a Ana Paula!

Unknown disse...

Parabéns irmão Júlio, esses seres homosexuais, dissimina o ódio contra os evangélicos em geral, e querem ser tratados como utras especiais, acima do bem e do mal, na realidade para eles não há uma opção entre o bem e mal, visto que estão completamente dominados por uma força oculta da maldade que os escraviza e os conduzem há se posicionarem em uma inquisição ideológica, deixo para meditação o texto em GL 6:7, Não erreis: Deus não se deixa escarnecer, porque tudo que o homem semear, isso também colherá!
Quem planta o ódio, colherá o ódio, quem planta Amor, colherá o Amor, irmã Ana, nada resistirá uma guerra de joelhos, se vc está orando ore mais um pouco, e todo poder oculto nos lugares celestiais cairão por terra, não batalha invencível para Deus, se estivermos em Deus prossigamos, pois certamente aquilo que seria para nós causar tristezas se transformarás em alegria!
Abraços fraternos no amor de Jesus!

Flávio disse...

Enquanto criticos do neopentecostalismo a chamam de herege e não tem a mesma influência da Ana para denunciar crueldades. Ela mostra ser fiel a Deus! E eu com varios cristãos dei apoio a ela.

Cepheus disse...

Apoiada. Que apareçam mais pessoas com a mesma coragem.

Unknown disse...



Alguém ainda duvida que "o mundo Jaz no malígno?"



Buck Williams disse...

Fico pensando se o manifesto dela foi sincero ou se estaria apenas buscando um modo de se redimir perante os evangélicos brasileiros pela auto-idolatria que ela e sua família sempre estimularam em seus pseudo-ministérios(e que, diga-se de passagem, provocou recentemente um pedido de desculpas do patriarca Valadão mediante uma carta aberta.); afinal de contas, é muito cômodo para ela assumir tal posição agora, que não somente o ativismo conservador está na moda no Brasil, como também por estar confortavelmente morando no EUA. Por que seus irmãos e pais, que ainda moram no Brasil, ainda não fizeram coro com ela?

Observador crítico disse...

C&A do diabo!

Leonardo Melanino disse...

Sempre direi a todos que "afetividades", sejam "heteroafetividades" ou "homoafetividades", não são sinônimos de "amores" pois elas não salvam ninguém. Elas mais constrangem os outros do que os simples amores puros. Elas podem ser assédios, hipocrisias, molestamentos ou traições. Evangelizações nem sequer são cristianizações, muito menos afetividades. Cumprimentos sempre devem ser bons-dias, boas-noites, pazes-do-senhor e assim sucessivamente, nunca com afagos, nem com amplexos, nem com cócegas, nem com euquímanos e nem com ósculos. Abusos afetivo-sexuais não começam com sexos, mas com afetividades. Então, deixemos nossas afetividades e nossas denominacionalidades de lado e evangelizemos nossos próximos sem proselitismos religiosos, solidarizemo-nos com eles, amemo-los e sejamos verdadeiros amigos deles, mesmo que desagrademos a alguns deles.

Helio Bandeira disse...

Mas minha gente... qual é a diferença entre um homossexual e um ladrão ou um traficante ou um adúltero ou um fornicador????? Eles serão salvos e um homossexual não???? O problema não são os homossexuais, mas o movimento LGBT. Que tem mais apoio dos héteros do que dos gays.