28 de março de 2016

Spotlight: Expondo escândalos de pedofilia e escondendo escândalos homossexuais na Igreja Católica


Spotlight: Expondo escândalos de pedofilia e escondendo escândalos homossexuais na Igreja Católica

Julio Severo
Recentemente, assisti ao “Spotlight — Segredos Revelados,” um filme que expõe abundantes casos de pedofilia na arquidiocese de Boston, nos EUA. O perfil da maioria das vítimas, crianças do sexo masculino, indica casos abundantes de homossexualidade, mas a palavra homossexualidade foi usada de forma branda e rara no filme.
Spotlight
Qual é a razão para tal tratamento brando e frívolo? Você pode ver um trailer do filme aqui: http://spotlightthefilm.com/
Os escândalos na arquidiocese de Boston foram expostos quando o judeu americano Marty Baron, um novo editor do jornal americano Boston Globe, liderou uma equipe investigativa de jornalistas que começou, em 2001, a pesquisar e publicar sobre padres pedófilos acobertados por seus superiores. 
Baron descobriu que bispos na área de Boston mudavam os pedófilos de paróquia para paróquia em vez de exonerá-los ou deixar a polícia e os tribunais cuidarem desses casos. Desde então, escândalos semelhantes estão sendo descobertos no mundo inteiro.
De acordo com a Associated Press, o cardeal australiano George Pell, a autoridade mais elevada do Vaticano a testificar sobre o abuso sexual sistemático de crianças por parte do clero na Igreja Católica Romana, disse que o clero mais elevado mentiu para ele para acobertar abusos na década de 1970. Ele disse que ele foi enganado quanto às razões por que padres eram mudados de paróquia para paróquia.
Spotlight, um filme baseado em acontecimentos reais, relata que “249 padres e monges foram publicamente acusados de abuso sexual dentro da Arquidiocese de Boston.”
“Estima-se que o número de sobreviventes em Boston seja bem acima de 1.000,” diz Spotlight.
O cardeal de Boston responsável por fiscalizar esses casos e por mudar os padres abusivos de paróquia para paróquia foi, de acordo com Spotlight, promovido para Roma em 2002, bem no meio do escândalo público, para conduzir uma das igrejas católicas mais importantes do mundo.
O filme cândido relata que grandes escândalos de abusos semelhantes têm sido descobertos em muitas outras cidades dos EUA.
Oficialmente, a Igreja Católica nunca disse que os escândalos expostos por Spotlight são mentiras.
Não há dúvida de que o modo como bispos e outros supervisores administraram os casos de padres pedófilos (especialmente pederastas) foi um desastre monumental.
Entretanto, é um desastre igualmente monumental acobertar a conexão homossexual. Já que o Boston Globe e seu editor judeu talentoso não tiveram interesse em investigar essa conexão, talvez o movimento pró-vida, que é uma força importante no catolicismo americano, pudesse pesquisar e publicar sobre isso, primeiramente no contexto católico.
O movimento pró-vida tem tido uma capacidade elevada de registrar e desmascarar escândalos de clínicas de aborto por meio de agentes secretos. Eles fazem isso porque eles amam as crianças e querem protegê-las.
Muitos grupos pró-vida católicos focam seus ataques contra a ideologia de gênero, que prejudica as crianças. Mas a pedofilia (especialmente a pederastia) na igreja prejudica igualmente as crianças, principalmente porque é cometida num lugar que deveria oferecer proteção e elevada autoridade espiritual e moral.
Grupos e líderes pró-vida, não a mídia secular como o Boston Globe, deveriam ser os primeiros a expor crimes contra as crianças. Não só o aborto e a ideologia de gênero são uma ameaça às crianças, mas também a pedofilia (especialmente a pederastia).
Hollywood, clínicas de aborto e grupos homossexuais são lugares de depravação desenfreada. A depravação e o acobertamento são o que se espera deles. Mas instituições cristãs deveriam ter um padrão mais elevado e transparência, que é luz, de acordo com a ética cristã.
O Boston Globe fez um trabalho necessário ao expor padres pedófilos e superiores que os acobertam. Mas o elo faltante foi tratado de modo frívolo. A pedofilia é o termo amplo para estupro de crianças do sexo feminino e masculino. O termo apropriado para estupradores de crianças do sexo masculino, pederasta, nunca foi mencionado em Spotlight. Essa omissão é preocupante.
O Dicionário Merriam-Webster’s (versão Kindle de 2009) define “pederasta” como “alguém que pratica relação sexual anal, principalmente com um menino,” explicando que o termo original grego, paiderastēs, significa literalmente “amante de meninos.”
O Dicionário de Oxford (edição Kindle de 2010) define “pederastia” como “atividade sexual envolvendo um homem e um menino.”
O Dicionário Completo Webster’s de 1913 define “pederastia” como sodomia e “pederasta” como sodomita, um termo tradicionalmente usado para designar homossexuais.
Por isso, onde há pederastia, sempre há homossexualidade, e onde há homossexualidade a pederastia é inevitável. Está incluída no pacote.
Entretanto, as audiências teriam a impressão, assistindo Spotlight, que meninos são geralmente estuprados por padres, não por homossexuais.
O filme Spotlight deveria ter incluído o elo faltante. No entanto, o que esperar de liberais? Eles querem promover a agenda de gênero para as crianças e protegê-las não do homossexualismo, mas do Cristianismo, ao qual, graças à negligência de lideranças católicas, eles estão emparelhando com a pederastia, termo que está sendo divorciado de seu único parceiro natural e tradicional: a homossexualidade.
Por que a Igreja Católica tem sido tão negligente nesse assunto, eu não sei. Por que durante décadas ou mais ela não deu nenhum tratamento duro para homossexuais e seus escândalos no clero, protegendo-os de processos legais e cadeia, eu não sei.
O movimento pró-vida, um protetor das crianças, deveria ter seus holofotes não só no aborto e na agenda de gênero, mas também no escândalo enorme de padres homossexuais pederastas. Isso lhes daria autoridade moral para expor escândalos de pederastia acobertados de líderes e grupos que tratam os valores cristãos no mesmo esgoto de perversão sexual em que eles vivem ou toleram em seu meio. Eles teriam autoridade para dizer o óbvio: a pederastia e a homossexualidade andam juntas onde quer que estão, quer numa igreja, numa escola ou outro lugar.
Padres pervertidos precisam ser denunciados e presos, embora só cadeia seja um castigo muito pequeno para estupradores de crianças. Se católicos pró-vida não agirem rápido para proteger as crianças de pervertidos em seu próprio meio católico, Hollywood e outras forças esquerdistas continuarão a usar os escândalos homossexuais da Igreja Católica para desacreditar todos os cristãos conservadores e seus valores.
Leitura recomendada:

21 comentários :

Paulo Pereira disse...

Júlio, porque não colocar em voga também os abusos cometidos por pastores protestantes? Seria interessante ressaltar que porcentualmente existem mais pastores abusadores que padres. Além disso, não só de sua parte, mas também dos autores do filme, porque negligenciaram as medidas tomadas pela Igreja após os escândalos estourarem? Porque não evidenciam também aquilo que a Igreja fez para amenizar o trauma causado por seus piores membros?

Elisangela Lemos disse...

Onde encontro essa estatística de que existem mais pastores pedófilos do que padres? Se for verdade isso em nada diminui a gravidade dos fatos seja no catolicismo ou no protestantismo. É de conhecimento de todos que por anos o casos de pedofilia foram escondidos pelas autoridades católicas por isso a temática do filme. Mas tomara que seja verdade que agora esses casos estejam sendo devidamente tratados.

Jeferson disse...

O editor do Boston Globe era judeu, movido por um ódio irracional e assassino contra o Catolicismo. O filme não passa de conspiração judaica anticatólica. A verdade precisa ser dita: Para cada padre pedófilo, há mil rabinos pedófilos. Passou da hora de fazerem um filme Spotlight sobre o judaísmo.

Danilo disse...

Spotlight é uma porca peça de propaganda sionista contra nós católicos. O Professor Olavo de Carvalho acertou, e muito, quando xingou Severo, agente pago para fazer propaganda dos interesses da elite sionista mundial.

Anônimo disse...

Enquanto isso, o Papa fica se metendo onde não é chamado...não me lembro de ter visto um sacerdote católico ser preso pelos crimes que esses demônios cometem, aproveitando-se da fé das pessoas.

Julio Severo disse...

A mentalidade religiosa católica, que coloca a fé religiosa numa instituição humana acima da razão em questões como pedofilia e direitos humanos, é cansativa. Se um evangélico ou judeu diz sobre casos de pedofilia de padres acobertados por bispos, o católico que despreza a razão dirá que evangélicos e judeus têm problemas piores. Se falamos que a Inquisição torturou e matou judeus e evangélicos, esse católico dirá, por puro instinto religioso, que judeus e evangélicos mataram muito mais católicos…

abbygirl08 disse...

Quando se proibe o que é natural (o casamento), se promove o que é contra a natureza. A Igreja Católica está gastando BILHÕES de dólares para manter os pedófilos fora da cadeia. Isto também promove esta conduta. Há alguns casos em igrejas protestantes, mas pelo menos elas entregam os culpados para serem tratados pela lei. Imagine como esta conduta ficaria desenfreada se fosse permitida pela lei, e alguns grupos estão fazendo campanha para isto. O futuro da segurança das crianças não parece ser agradável, até mesmo para os que conseguem sair do útero intactos sem serem vítimas do aborto. Somos verdadeiramente uma era pós-cristã.

anarchyst disse...

...a homossexualidade e a pedofilia são inextricavelmente ligadas. Porém, a tão chamada grande mídia odeia fazer a conexão entre as duas perversões, por medo de ofender a comunidade homossexual.
É por isto que a pedofilia homossexual no clero católico foi redefinida como “abuso sexual infantil” em vez de sua verdadeira definição...pedofilia homossexual.
Tento imaginar quantos bispos e cardeais são pedófilos homossexuais.
Para fazer o papel de advogado do diabo, tento imaginar quantos “acusações falsas” foram feitas. Seria fácil para um adulto hoje que, quando criança, era paroquiano na paróquia de um padre criminoso fazer uma acusação falsa. Siga o dinheiro...
Não desculpo a conduta pedofílica homossexual. Só estou trazendo um ponto de interesse.
Quanto ao celibato, não tem raízes no dogma católico, mas foi instituído como meio de impedir que as propriedades da Igreja Católica fossem deixadas em herança para os descendentes de padres e bispos. O celibato foi instituído por motivos puramente econômicos. Padres episcopais que se convertem ao catolicismo têm permissão de trazer suas famílias consigo. Os padres católicos merecem o mesmo direito de criar famílias. O celibato deveria ser abolido, ou pelo menos opcional. Os homossexuais deveriam ser banidos do clero católico...os que já estão no clero deveriam ser sumariamente despedidos.

Anônimo disse...

Agora entendo o motivo de determinadas personalidades optarem por um discurso de tolerância, usando inclusive a Bíblia nessa empreitada maligna: "rabo preso".

Segundo notícias, Macedão e Chicão possuem interesse direto nessa história de tolerância, o primeiro parece ter um filho sodomita e o segundo dirige uma entidade forrada de pedófilos, sodomitas e pedófilo-sodomitas (impunes).

Enquanto isso, na Alemanha, as autoridades se alinharam com a tendencia mundial da tolerância, distribuindo preservativos pra imigrantes, de forma que eles possam abusar sexualmente das alemãs com segurança:
http://exateus.com/2016/03/28/alemanha-distribui-150-000-preservativos-para-refugiados-2/

Assim sendo, eles evitam ter filhos e transmitir doenças para as alemãs estupradas. Mas que governo bonzinho!!!

Anônimo disse...

Coisas que o Papa não fala:
Estupro brutal, no mês passado, de um garoto de 10 anos de idade por um migrante iraquiano em uma piscina em Viena.
http://www.breitbart.com/london/2016/02/05/ten-year-old-boy-brutally-raped-by-iraqi-migrant-at-pool-in-vienna/

marcelo victor disse...

65 pessoas foram mortas e mais de 300 feridas em parque paquistanês neste domingo de Páscoa.
E o papa fala que devemos combater o terrorismo com as armas do amor…como será isso?
A mídia, por sua vez, sempre querendo disfarçar que o alvo eram vítimas cristãs!
Já entendi: a pregação da tolerância é o SILÊNCIO.

marcelo victor disse...

Cristãos são alvos de ataque no Paquistão: http://exateus.com/2016/03/28/cristaos-sao-alvo-de-ataque-no-paquistao/
E a tolerância continua!!!

Anônimo disse...

O espirito de suicídio e do sado-masoquismo está solto no mundo.
Isso é semelhante a uma arena gigantesca onde fetos, crianças, cristãos e (futuramente com mais intensidade) os judeus estão sendo lançados aos leões do inferno, sob aplausos acalorados e gritos de vitória dos seus capatazes, chamados orgulhosamente de tolerantes.

Anônimo disse...

Ninguém me tira da cabeça que esse sem-vergonha está usando a espada do islã contra judeus e cristãos legítimos...isso é estratégia diabólica pra desestabilizar as nações.

Ele deve estar recebendo milhões pra fazer esse servicinho pra elite globalista.

O objetivo deve ser sanar os problemas financeiros do Vaticano, tendo, como retorno, o compromisso da ONU de por panos quentes nos escândalos de pedofilia e sodomia dos padrecos, mantendo a impunidade.

Isso não passa de uma moderna inquisição.

Ass. Rodrigues

Anônimo disse...

Essa história de foro privilegiado é uma afronta ao cidadão comum que paga seus impostos e sustenta uma corja de vagabundos e criminosos.
Sou contra!!!

Anônimo disse...

Meu sonho era ver esses exploradores da fé alheia atrás das grades, mas tudo tem um tempo determinado e a destruição dessa corja de ladrões não dormita...e será uma destruição eterna!!!

Anônimo disse...

Os muçulmanos são tradicionalmente pedófilos, pois se casam com crianças e fica por isso mesmo.
O Papa tem um pepino nas mãos que são os casos de pedofilia dentro da sua seita.
Logo, essa encenação do padre Chico pode ser um golpe pra livrar a barra dos padrecos pedófilos.
Entendeu a jogada do padre Chico?

Mr. Galeto

Anônimo disse...

Quero ver quem tem peito pra por esses padrecos em cana...duvido que tenha homem pra isso!!!

Anônimo disse...

Bandidos de batina...filhos do diabo!!!

marcelo victor disse...

Abusar sexualmente de pessoas inocentes é um crime bárbaro que pode até ser perdoado por Deus, mas deve ser punido pelos homens com o maior rigor previsto em lei.
Aliás, para esse tipo de crime, na minha opinião, a pena de morte seria branda demais, pois suas consequências são trágicas para as vítimas, quando escapam com vida.
Os governantes deveriam defender as nossas crianças desses demônios de batina, exigindo a aplicação de todo o rigor da lei para esse tipo de caso, independentemente de quem seja o criminoso.
Ao permitir uma espécie de foro privilegiado para sacerdotes católicos nesses casos, os governantes acabam compactuando com os crimes praticados e responderão por isso diante de Deus.

Alex disse...

Caro abbygirl08, se celibato fosse de fato porta a pedofilia, Jesus seria um pedófilo em potencial, mesmo qualquer dos apostolos ou cristão celibatário poderia ser acusado de pedófilo em potencial simplesmente por optarem pelo celibato. De fato, o homosexualismo em determinados clérigos é o que provoca a pedofilia, mas fica a reflexão, esses padres são fruto da sociedade que perdeu seus valores, que adentram a Igreja e trazem consigo aquilo que suas comunidades lhe ofereceu, e muitas vezes não se convertem e saem do armario maculando a Igreja de Cristo. Roguemos a Jesus e a Santíssima Virgem pelo bem da Sua Igreja em sua missão.




http://jornalcelestial.portaldosanjos.net/2014/08/duas-criancas-de-nova-iorque-adquirem.html - A Igreja Católica