3 de março de 2016

Padres abusaram de centenas de crianças na Pensilvânia, EUA


Padres abusaram de centenas de crianças na Pensilvânia, EUA

Bispos esconderam crimes “horríveis” que datam de 4 décadas atrás

(PENN LIVE) Centenas de crianças foram abusadas sexualmente por um período de pelo menos quatro décadas por padres ou líderes religiosos na diocese católica romana de Altoona-Johnstown, concluiu uma investigação do júri principal que abrangeu o estado inteiro da Pensilvânia.
As descobertas feitas pelo júri principal, divulgadas na terça-feira pelo gabinete da procuradora Kathleen Kane, detalham abuso generalizado envolvendo pelo menos 50 padres ou líderes religiosos. As descobertas revelam um histórico preocupante de superiores diocesanos ocultando abuso de crianças como parte de uma campanha para proteger a imagem da Igreja Católica.
O relatório de 147 páginas destaca — às vezes de modo vívido — relatos de abuso sexual de crianças nas mãos de padres e líderes católicos. O falecido monsenhor Francis B. McCaa, comenta o relatório, era “um monstro” que apalpou e acariciou os órgãos sexuais de pelo menos 15 meninos, muitos deles coroinhas. McCaa havia sido designado para a Igreja do Sagrado Nome em Ebensburg por mais de 20 anos.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês do WND (WorldNetDaily): Grand jury: Priests abused hundreds of kids in Pennsylvania
Leitura recomendada:

22 comentários :

Anônimo disse...

Religioes nao passam de religioes e nao podem transformar verdadeiramente os homens, por mais sabios e nobres que pareçam, como ocorre, por exemplo, com os judeus ritualistas, que ainda estao amarrados aos rituais e promessas do VT.

A unica fonte de mudança verdadeira é uma conversao genuina a Cristo, pois é o unico meio do ser humano receber o Espirito Santo (At 2:38), disse o judeus Pedro, apostolo do Senhor Jesus.

Quem sabe esta materia sirva para centenas de catolicos e ritualistas acordarem e pararem de por suas confianças nos homens e em suas teorias diabolicas.

Ass. Rodrigues

Anônimo disse...

Enquanto isso, a Disney revelou sua verdadeira fonte de inspiraçao e aproveitou para zombar das autoridades, vestindo dois sodmitas com fardas: http://exateus.com/2016/03/03/disney-mostra-desenho-de-seu-primeiro-casal-gay/comment-page-1/#comment-306

Mataram dois coelhos com uma cajadada...sao demonios a serviço da destruiçao total, assim como esses padrecos sem vergonha!!!

marcelo victor disse...

Algum catolico pode querer argumentar que se tratam de casos isolados e nao de algo proprio da instituiçao. Porem, o problema parece estar, sim, na instituiçao, a qual, visivelmente, nao leva as pessoas a Cristo (ao novo nascimento); por isso que os sacedotes e os fieis continuam sendo escravos dos prazeres da carne e praticando esses crimes terriveis.

Quem ja parou um pouco pra obervar as barbaridades que essa instituiçao tem realizado ao longo dos seculos, logo percebe que a causa principal é que nao exuste Deus nesse lugar, pois, se houvesse, tais pessoas jamais haviam cometido tais crimes.

Lembrei de uma passagem da Biblia que diz que os lideres do judaismo enchiam o peito e diziam publicamente: "Se nòs fossemos vivos quando nossos pais apedrejaram e mataram os profetas, nòs jamais teriamos feito o que eles fizeram!".

Que baita mentira!!!

Anônimo disse...

Os muçulmanos legalizaram a pedofilia, permitindo casamentos com crianças, quero ver o que o Chicao e sua legiao de demonios vai fazer pra descriminalizar essas barbaridades...

Anônimo disse...

O Papa deve estar correndo atras de uma Lei da Anistia, como ocorreu aqui no Brasil, onde centenas de terroristas foram anistiados de crimes barbaros contra a humanidade, semelhantes aos que Hitler implantou na alemanha nazista, do tipo: execuçoes sumarias, justiçamentos, atos terroristas, estupros e carcere privado.

Quem sabe esse demonio ira apelar pro perdao das familias, citando a frase de Jesus Cristo: "setenta vezes sete, perdoa o teu irmao!", exatamente o contrario do que fizeram com os judeus rebeldes, na "santa inquisiçao", por terem entregado Jesus para ser crucificado.

Julio Severo disse...

Taí um assunto importantíssimo para os que apaixonados pela Inquisição. Se querem militar por uma causa importante, militem contra a pedofilia e o homossexualismo que predominam nas dioceses católicas. Eu sou contra a Inquisição, do jeito que é defendida por alguns radicais, porque ela torturava e matava judeus e evangélicos por suas convicções religiosas diferentes da ditadura católica. Mas eu não seria contra uma Inquisição que lidasse com padres e outros que estupram crianças. É uma vergonha que, em vez de lutarem contra a pedofilia, extremistas católicos gastem seu tempo e energia lutando por um revisionismo histórico da Inquisição:

Por que Olavo de Carvalho defende a Inquisição?

marcelo victor disse...

Apoiado!
Eu também sou contra a IMPUNIDADE, ainda mais de pessoas que usam o nome de Deus para cometer crimes.
Muitos criticam o Deus do VT, dizendo que Ele não tinha misericórdia e era cruel, pois mandava punir severamente os rebeldes. Tal pensamento é tão terrível e diabólico que fez com que surgisse uma seita que tem como solgan: "Jeová falso Deus" (http://jeovanaoeopai.blogspot.com.br/p/contradicoes-nos-4-evangelhos-porque.html).
Confesso que nem sempre compreendemos com perfeição as atitudes de Deus, porém isso não deve nos preocupar, pois a Bíblia faz uma pergunta: “Não agirá com justiça o Juiz de toda a Terra?” (Gênesis 18:25).
Assim sendo, embora pareça que Deus tenha sido excessivamente rigoroso no VT, tenho certeza de que Ele agiu com justiça em todos os seus atos.
O Deus das Escrituras é um Deus de misericórdia, cujo amor é eterno. A ira não é um atributo divino, mas Sua reação ao pecado e à rebelião humana, enquanto busca salvar os pecadores (veja Êxodo 34:6-7).
Há um bom número de casos, principalmente no Pentateuco (os cinco livros de Moisés), em que a ira divina parece ser implacável, e algumas punições à violação de certas leis parecem muito severas (por exemplo, Êxodo 21:15 e 17).
Mas, com um exame cuidadoso, podemos encontrar uma lógica moral adequada para a ação ou legislação divina.
Se compararmos a legislação bíblica com as práticas do antigo Oriente Médio, concluiremos que as leis bíblicas eram muito mais humanas. Isso indica que Deus desejava elevar os valores morais de Seu povo, servindo de exemplo aos demais povos.
Deus abordava Seu povo dentro do contexto cultural e jurídico em que viviam, a fim de elevá-los a um novo padrão moral e espiritual (um processo lento e, muitas vezes, doloroso, por meio do qual Deus Se aproximava o máximo possível da condição humana sem comprometer Sua integridade moral).
Ele não escolheu uma das nações da terra para ser Seu povo; Ele decidiu criar uma para Si; para tanto, chamou Abrão e dele surgiram doze tribos.
A união dessas tribos em uma nação não foi uma tarefa fácil, mesmo para o Senhor. As leis das tribos eram sancionadas e modificadas pelo Senhor, que era também quem cobrava sua execução.
Nas mãos d'Ele, a intenção da lei era proteger os interesses não de uma tribo ou clã, mas da nação como um todo, de tal sorte que a punição pela violação era rapidamente executada.
Deus era o responsável pela preservação e restauração da ordem dentro da comunidade. Insubordinação e rebelião, que colocavam em risco a própria existência da comunidade, não eram toleradas, com razão, dentro da teocracia (o governo de Deus).
A severidade da punição revelava a seriedade com a qual Deus tratava tanto o pecado quanto a rebelião, e servia como um exemplo social.
Injusto é quem não pune!!!

Anônimo disse...

O Anônimo acima incomodou-se com a zombaria contra as "autoridades". E eu pergunto: qual o problema? Elas não zombam de nós o tempo todo? Chumbo trocado não dói!

Anônimo disse...

De fato, muitas autoridades zombam do povo, principalmente as autoridades brasileiras, mas, observando a materia sobre a Disney, me perguntei: por que a Disney nao escolheu dois sacerdotes, um catolico e outro protestante (como Trump, por exemplo)? Por que nao escolheu um politico, ou um arabe, ou um russo?

Escolher duas pessoas de farda é uma forma de atacar a doutrina militar, a qual é alicerçada na ordem e na disciplina.

Confesso que nao estou ofendido nem um pouco com isso, mas triste com a realidade deploravel que o mundo esta atravessando. E, se eu estou triste, muito mais Deus que criou o homem reto.

Alex disse...

A grande pergunta é se houve ou não exageros nos número da inquisição, se protestantes foram vítimas pois tenho certeza que evangélicos não existiam. Revisionar pode ser preciso se for restabelecer verdades.

Anônimo disse...

Esses sao os casos que vieram à tona, mas deve haver mais de centenas de casos semelhantes que foram colocados debaixo do tapete...

Anônimo disse...

Incrivel como a maior parte das personalidades e dos governantes dos nossos dias estao mais preocupados com as suas imagens do que com a verdade.

Sao capazes de tudo pra passar uma boa imagem ao publico, inclusive mudando leis e conceitos consagrados em nossa cultura.

O governador de SP é um tipico exemplo disso, pois foi capaz de decretar sigilo de Boletins de Ocorrencias, impedindo, assim, que a midia divulgasse os numeros da violencia em seu estado.
https://catracalivre.com.br/geral/cidadania/indicacao/apos-criticas-governo-alckmin-anuncia-que-reavaliara-decretos-caso-a-caso/

Por certo, o Vaticano deve estar armando das suas pra que o jesuita comunista saia dessa por cima da carne seca. Quanto às verdades biblicas, isso, pra ele, parece ser o que menos importa.

Anônimo disse...

Anônimo, agora entendi seu comentário. O problema é que precisavam encaixar a dupla gay dentro da mitologia do desenho animado, portanto seria impossível escolher personagens com as características que você deu. Realmente eles são covardes e traiçoeiros, mas não estúpidos.

António Costa disse...

Como se terá sentido Jesus com a traição de Judas?

Anônimo disse...

Antonio Costa, se você é católico, você deve estar se sentido como centenas de católicos se sentiram quando souberam dessas barbaridades eclesiásticas criminosas.

Isso é um duro golpe no coração daqueles que vem depositando suas confianças nessa instituição, achando que são verdadeiros representantes de Deus na terra.

Claro que o Chicão vai aproveitar esses fatos para se sair bem nessa história, dando uma de moralista do diabo e dizendo que deus o levantou pra mudar a igreja católica.

Anônimo disse...

Sr Julio Severo, sou católico e sei que o pecado também acontece dentro da Igreja Católica. Mas infelizmente só se noticiam os maus exemplos. E os bons exemplos? Há milhares de padres que por onde passaram foram luz para as pessoas. Por exemplo: Dom Bosco, que recuperou muitos jovens italianos e impediu que eles entrassem ou permanecessem na criminalidade.
Eu pergunto: no meio evangélico não há pecadores? Não um mau exemplo sequer ou é porque não são tão noticiados pela mídia? Penso que não deveríamos perder tempo em trocar tapas entre nós cristãos, pois temos comunistas, islamitas e outros que querem nos destruir. Ao invés disso, vamos parar de nos agredir. E se a mídia resolvesse publicar só os maus exemplos dos evangélicos? O sr estaria satisfeito?

marcelo victor disse...

Querido anonimo, as boas obras de uma instituiçao religiosa nao sao merito, mas obrigaçao...no caso de uma instituiçao que se diz crista (que nao é o caso do catolicismo, pois nao anda nas pisadas de Cristo), o Mestre ensinou o seguinte: "O que a mao direita fizer a esquerda nao deve ficar sabendo".

Voce citou o caso de "Dom Bosco", pois eu lhe digo que, por esse seu comentario, o galardao das boas obras que ele praticou, ele acabou de receber das suas maos. Para os cristaos, meu caro, quem opera o quer e o efetuar é DEUS, cabendo-Lhe toda honra e toda gloria (e nao o homem).

No meio evangélico há centenas e centenas de casos como esse, os quais devem, sim, ser noticiados pela midia, culminando na prisao dos responsaveis (o que nao tenho visto no caso dos padres).

Voce disse que "nao deveríamos perder tempo em trocar tapas entre nós cristãos, pois temos comunistas, islamitas e outros que querem nos destruir". Essa sua fala, perdoe-me, mas me parece uma grande piada, pois o lider da sua seita fez acordo com os muçulmanos, tem desenvolvido açoes proprias de comunistas, declarou-se contra Israel e tem defendido ideias antibiblicas, sendo inimigo da cruz de Cristo (disse, inclusive, que a cruz foi uma derrota, uma blasfemia).

Ao contrario do que voce pensa, nobre anonimo, eu nao quero que a midia acoberte esta ou aquela instuituiçao religiosa ou lider religioso. Quero, sim, que sempre seja dita a verdade, doa a quem doer.

Anônimo disse...

Numa materia sobre a deputada federal Erika Kokay (PT-DF), uma das maiores opositoras do evangélicos na Câmara dos Deputados e defensora do movimento LGBT, foi relatado o seguinte fato: "Em junho de 2011, durante um evento em Brasília, (ela) afirmou que Deus foi o responsável pelo assassinato de mais de 100 mil mulheres no período da Inquisição.

Isso demonstra que o nome de Deus acaba sendo blasfemado pela mà conduta deste ou daquele lider religioso.

fonte: http://exateus.com/2016/03/05/petista-quer-responsabilizar-igrejas-por-atos-individuais-de-membros/

Anônimo disse...

Esses pedófilos estão presos? Alguém poderia me responder?

Anônimo disse...

Podem esperar, antes de qualquer ação da justiça, o Papa deve decretar perdão pra esses criminosos, discípulos do diabo....

Anônimo disse...

Esses padrecos são diabólicos, eles vão atrás dos inocentes como os sodomitas do MEC que querem atingir nossas crianças.

Fernando Costa disse...

A inquisição durou 4 séculos,e o número em torno de 5 milhões de mortos parece razoável.
Todo evangélico é protestante. Mesmo que os perseguidos na época tenham sido luteranos e anglicanos,se pentencostais já existissem,também seriam vítimas da inquisição.