9 de fevereiro de 2016

Papa Francisco ordena que corpo de monge morto Padre Pio seja transferido para o Vaticano para ser adorado


Papa Francisco ordena que corpo de monge morto Padre Pio seja transferido para o Vaticano para ser adorado

Seu corpo foi parcialmente reconstruído com uma máscara de silicone que parece carne humana, preservado num grande relicário de vidro com temperatura controlada de modo que os católicos possam vê-lo

Geoffrey Grider
Comentário de Julio Severo: Grandes sites esquerdistas, como o Huffington Post, noticiaram sobre o cadáver do Padre Pio em exibição no Vaticano sem atacar ou zombar, como fazem tipicamente com seguidores de Jesus. A esquerda noticiou de forma imparcial pelo grande respeito a Francisco, um papa notoriamente esquerdista? Ou o tipo de “espiritualidade” do monge morto não incomoda a esquerda?
 “Que entre o teu povo não se encontre alguém que… faça presságio, oráculo, adivinhação ou qualquer tipo de magia, ou que pratique encantamentos; nem que seja médium, consulte os espíritos ou invoque os mortos.” (Deuteronômio 18:10-11 King James Atualizada)
O nome dele era Padre Pio. Ele era um monge católico que morreu em 1968, e milhões de católicos no mundo inteiro rezam hoje para ele. A Igreja Católica diz que Pio teve os “estigmas” — as feridas sangrentas de Jesus em suas mãos e pés. Em 2008, em estilo necromântico, o corpo morto dele foi desenterrado e colocado dentro de um caixão de vidro, que se tornou um lugar sagrado. Seu corpo foi parcialmente reconstruído com uma máscara de silicone que parece carne humana, preservado num grande relicário de vidro com temperatura controlada de modo que os católicos possam vê-lo.
Agora o Papa Francisco ordenou que o cadáver do Padre Pio seja exibido na Basílica de São Pedro durante o atual Ano Santo da Igreja Católica sob o tema de misericórdia. O corpo, junto com o corpo de outro santo menos famoso, está sendo transportado para Roma do norte da Itália, e será exibido numa igreja de Roma antes que ambos cadáveres sejam conduzidos em procissão para a Basílica de São Pedro na sexta-feira.
Isso é parte da obsessão profana e demoníaca da Igreja Católica de adorar esses “santos” artificiais, rezar pelos mortos e tirar os olhos de Jesus Cristo para colocá-los em outras coisas. Olhe para a mulher com as mãos e face encostadas no caixão de vidro do Padre Pio na foto em cima. Ela está chorando como se ele tivesse perdido um parente, e ela está rezando para ele em busca de direção e ajuda para sua vida. Tudo isso está sendo estimulado, sancionado e incentivado pelo Papa Francisco e todos os níveis de autoridade no Vaticano. Essa atividade é claramente proibida na Bíblia, e tem muito em comum com rituais mórmons e cerimônias pelos mortos.
Muitas pessoas diziam que o Padre Pio, de veste marrom, tinha a capacidade de predizer eventos em suas vidas e sabia o que elas estavam para confessar. Há milhares de “Grupos de Oração do Padre Pio” no mundo inteiro.
Padre Pio foi seguido durante sua vida e mesmo depois de sua morte por alegações de que ele era uma fraude, mas investigadores católicos sempre o absolveram.
Começando hoje, o cadáver do xamã católico Padre Pio ficará deitado num caixão de vidro, e mais de 1 milhão farão fila para olhar para o caixão, rezar por ele e venerá-lo, que é outro jeito de dizer adorá-lo.
Traduzido por Julio Severo do original em inglês Now the End Begins: Pope Francis Orders Body Of Dead Monk Padre Pio To Vatican To Be Worshipped
Leitura recomendada:

59 comentários :

Maria Estela disse...

Os comunistas têm Lênin preservado num relicário de vidro para a admiração comunista. Os católicos têm o Padre Pio, que levitava como um bruxo, num relicário de vidro para a admiração católica. Não existe diferença fundamental entre o cadáver de Lênin e Padre Pio: ambos são adorados por uma legião de mortos.

Tonhão disse...

Hei, hei, hei, o místico Padre Pio é o santo predileto do mais místico ainda Olavo de Carvalho. O cão vai brigar!

Rodrigo disse...

Santo do Olavo? A única coisa que ele adora é aquilo mesmo que ele olha no espelho.

Dávio Zarzana Jr. disse...

É mandamento de Deus não mentir.. o demônio É o pai da mentira, e essa notícia está repleta de mentiras intencionais,a começar do silicone...

Ieda disse...

Dávio, pare de fazer macaquice. Vc usa a Bíblia para justificar a adoração ao cadáver siliconado, mas não usa a Bíblia para se desviar dessas adorações que não encontra NENHUM respaldo na Bíblia. Ou vc segue a Bíblia ou vc a joga fora. Ou vc adora cadáveres siliconados ou vc os joga fora.

ALEX disse...

Garota, em poucas palavras você falou com total profundidade e sabedoria. Bem lembrado!

Anônimo disse...

Os verdadeiros cristãos só se prostram diante daquele que morreu e ressuscitou. Os iludidos o fazem diante dos que morreram e continuam mortos, como eles próprios.

Anônimo disse...

Papa Chico dá outro passo importante pra unir, em torno de si, os dois chifres da besta que subiu da terra (EUA e Russia), que, segundo a Biblia, é semelhante a um cordeiro:
http://exateus.com/2016/02/09/a-falsa-paz-sendo-fomentada-papa-diz-que-a-russia-e-chave-para-a-paz/

Dávio Zarzana Jr. disse...

Como vc é burra hein?

Anônimo disse...

Julio Severo mostra como ele trabalha para judeus maçons!

O comentário do Julio prova mais uma vez como protestantes precisam da mídia esquerdista para atacar o catolicismo. O título do artigo já mostra isso:"...para ser adorado." (!?)

Todo mundo sabe que no Catolicismo Romano e no Catolicismo Oriental (ortodoxos) não existe "adoração" e sim veneração aos santos: homens e mulheres que através dos exemplos de amor a Deus honraram o Seu Nome.

Julio Severo já mostra que assim como o picareta Olavo de Carvalho, também trabalha para a disformação para os seus patrões judeus maçons.

ALCIDES disse...

É O SANTO DO SID MOHAMMED, VULGO, OLAVO DE CARVALHO........... O VELHO VAI FICAR FURIOSO COM O JÚLIO RSRSRSRS

Anônimo disse...

"É O SANTO DO SID MOHAMMED"

Alcides já sabe que Olavo de Carvalho não é católico e sim um muçulmano mistico.

Por que não diz isso aqui Alcides?

Thiago disse...

Ele pode ser um grande fd...p macom, mohamed dos quinto dos in... idólatra... Mas sem ele a direita brasileira não sairia da sepultura. O período pós redemocratizacao foi predominantemente de hegemonia da esquerda política.

Carlos disse...

Dá para dizer o mesmo de Hitler: sem ele, a luta antimarxista na Alemanha não seria nada. De fato, muitas das falas antimarxistas do Olavo são meras reciclagens de declarações anticomunistas de Hitler.

Thiago disse...

Nada a ver.

Ser de direita significa ser nazista?

Então o Putin é um grande Nazista, assim como grande parte da população brasileira, Bolsonaro... o Julio, eu, os evangélicos...

segundo a tua forma de raciocínio, deduzimos que todos são NA-ZIS-TAS ou FACISTAS. Uai sô!

É fácil demonizar o outro.

Aposto que é um esquerdista inrrustido, com o intuito de difamação.

https://m.youtube.com/watch?v=TnIw9354qEs

Anônimo disse...

O catolicismo é uma mistura de idolatria babilônica-greco-romana com legalismo judaico, coberto com uma finíssima camada de tinta de cristianismo.

Anônimo disse...

Depois da amizade do Papa com os muçulmanos, em 2013 surge uma terrivel novidade para os brasileiros: a islamizaçao das favelas do Brasil, pode?
Imaginem a mistura das facçoes criminosas com o fanatismo religioso...a quem interessa isso? Luta de classes?
https://www.youtube.com/watch?v=9IovlBHzjCg

Jamigo disse...

Não confundam veneração com adoração. Já no início do cristianismo os santos reuniam-se nas tumbas sobre o túmulo dos mártires para celebrar.
Quem não aceita a Igreja de Cristo rejeita o próprio Cristo.
Não julgueis para não ser julgado.
Pai, perdoai-lhes pois não sabem o que dizem.

António Costa disse...

Sem a mediação única de Cristo nenhuma outra tem poder
Em primeiro lugar, é preciso entender que Deus não nos proíbe de fazer imagens, mas sim imagens “de ídolos”, ou seja, de deuses falsos.
Já no Antigo Testamento, o próprio Deus prescreveu a confecção de imagens como querubins, serpentes de bronze, leões do palácio de Salomão etc. A Bíblia defende o uso de imagens como é possível verificar em muitas passagens: Ex 25,17-22; 37,7-9; 41,18; Nm 21,8-9; 1Rs 6,23-29.32; 7,26-29.36; 8,7; 1Cr 28,18-19; 2Cr 3,7.10-14; 5,8; 1Sm 4,4; 2Sm 6,2; Sb 16,5-8; Ez 41,17-21; Hb 9,5 e outras mais.

Os profetas condenavam a confecção de imagens “de ídolos”: “Os que modelam ídolos nada são, as suas obras preciosas não lhes trazem nenhum proveito. Quem fabrica um deus e funde um ídolo que de nada lhe pode valer?” (Isaías 44,9-17).
O que é um ídolo?
1 – substitui o único e verdadeiro Deus;
2 – são-lhes atribuídos poderes exclusivamente divinos, e
3 – são-lhe oferecidos sacrifícios devidos ao verdadeiro Deus. É o que os judeus antigos, no deserto, fizeram com o bezerro de ouro (cf. Ex 32).
Não é o que os católicos fazem. A Igreja Católica nunca afirmou que devemos “adorar” as imagens dos santos; mas as venerar, o que é muito diferente.

A imagem é um objeto que apenas lembra a pessoa ali representada; o ídolo, por outro lado, “é o ser em si mesmo”. A quebra de uma imagem não destrói o ser que representa; já a destruição de um ídolo implica a destruição da falsa divindade.
Para Deus, e somente para Ele, a Igreja presta um culto de adoração (“latria”), no qual reconhecemos Deus como Todo-Poderoso e Senhor do universo. Aos santos e anjos, a Igreja presta um culto de veneração (“dulia”), homenagem.
A Nossa Senhora, por ser a Mãe de Deus, a Igreja presta um culto de “hiper-dulia”, que não é adoração, mas hiper-veneração. A São José “proto-dulia”, primeira veneração.
A palavra “dulia” vem do grego “doulos”, que significa “servidor”. Dulia, em português, quer dizer reverência, veneração. “Latria” é adoração, vem do grego “latreia”, que significa serviço ou culto prestado a um soberano senhor. Em outras palavras, significa adoração. Então, não há como confundir o culto prestado a Deus com o culto prestado aos santos.
Rogando aos santos, não os olhamos nem os consideramos senão nossos intercessores para com Jesus Cristo, que é o único Medianeiro (cf. 1Tm 2,4), que nos remiu com Seu Sangue e por quem podemos alcançar a salvação. A mediação e intercessão dos santos não substituem a única e essencial mediação de Cristo, o único Sacerdote, mas é uma mediação “por meio de” Cristo, não paralela nem substitutiva. Sem a mediação única de Cristo nenhuma outra tem poder.

Significado da imagem de um santo

A imagem de um santo tem um significado profundo. Quando se olha para ela, a imagem nos lembra que a pessoa, ali representada, é santa, viveu conforme a vontade de Deus. Então, é um “modelo de vida” para todos.
A imagem lembra também que aquela pessoa está no céu, isto é, na comunhão plena com o Senhor; ela goza da chamada “visão beatífica de Deus” e intercede por nós sem cessar,

António Costa disse...

(..)Todo o quadro na carta Hebreus 12 é uma grande corrida e quem está na multidão? Todos os santos. E o que eles compõem? Versiculo 1, "uma nuvem de testemunhas". O que se quer dizer com nuvem? Bem, se você fizer um pouquinho de estudo de fundo biblico, esta nuvem é a mesma nuvem que se pode rastrear de volta ao Antigo Testamento. É a a nuvem de glória em que Moisés subiu no Monte Sinai. É a mesma nuvem que cobriu Jesus quando ele ascendeu aos céus diante dos olhos dos discípulos. Esta nuvem de uma certa forma é uma manifestação portátil daquilo que é como estar "movido pelo Espírito" como João no livro do Apocalipse: "No dia do Senhor fui movido pelo Espírito", e esta nuvem de glória agora está repleta de nossos irmãos e irmãs mais velhos. E eles constituem uma nuvem de testemunhas, não é apenas uma nuvem que vai e vem conforme sopra o vento. É uma nuvem que é uma multidão com o objetivo de nos animar.
E o maior e mais melhor animador de todos é o próprio Jesus, o pioneiro e o aperfeiçoador de nossa fé, o primogênito entre muitos irmãos e irmãs, conforme nos conta Romanos 8.
Agora se os santos não sabem o que nós estamos fazendo, e nós não temos idéia do que eles estão fazendo, ou seja, se não temos nenhum contato, nenhuma comunicação, este tipo de descrição é apenas uma metáfora simplesmente fraca e estranha. Mas não é este o caso. Esta é a realidade espiritual compreendida com os olhos da fé, os olhos que estão abertos para as verdades espirituais desta grande declaração do Credo: "Creio na comunhão dos Santos".
Agora não é só porque todos nós acreditamos na mesma coisa que temos este sentimento bom e real mas sobrenatural de que todos estamos unidos por este laço de confissão doutrinária e culto litúrgico. É muito mais do que isso. É mais do que somente ser um companheirismo de pessoas que pensam da mesma forma. Nós dizemos, "Eu creio no Espirito Santo", e é por isso que cremos na santa Igreja Católica, porque sem o Espirito Santo, nós só seríamos mais uma organização humana. Mas o Espirito Santo - ensina a Igreja - é a alma da Igreja. O Corpo Mistico de Cristo é animado e obtém vida sobrenatural do Espírito Santo. Assim dizemos, "Eu creio no Espirito Santo, na santa Igreja Católica - e o quê mais? - na comunhão dos Santos".
Agora como é que se pode ter comunhão com pessoas com as quais não se tem nenhuma comunicação? Como se pode possivelmente estar em comunhão com pessoas com as quais não partilhamos nada em comum juntos em termos de experiência diária? Eu não estou dizenho que Nosso Senhor nos tenha dito para termos conversações diárias. Certo, algumas pessoas são dotadas de revelações místicas. Mas sempre que alguém disser: "Bem, você está se comunicando com os mortos e isto é pecado julgado pelo Antigo e pelo Novo Testamento porque isto é divinização, isto é feitiçaria ou sei lá o quê", você responde: "Eles não estão mortos. Eles estão mais vivos do que nós. Benditos aqueles que morreram no Senhor". Por quê? Porque suas obras os acompanham ao céu. Os santos do Antigo Testamento tiveram que esperar pelo Messias, mas esta espera já passou. Aqueles santos martirizados estão com Nosso Senhor e com uma multidão, e eles torcem por nós. Nós não precisamos só olhar com fé, mas ouvir com fé.(..)

Dávio Zarzana Jr. disse...

A notícia é quase inteiramente mentirosa, na cara dura.... como é que pode uma pessoa que se diz evangélica (o autor do texto original em inglês) violar tão diretamente o mandamento de não mentir, dado por Deus? A Igreja Católica não adora santos, até os maiores inimigos da Igreja sabem disso. O amor aos santos é justamente porque eles nos levam a Cristo, o único que recebe adoração. Jesus tenha misericórdia do ódio e da má-fé dos evangélicos que deliberadamente deturpam a verdade, não são verdadeiros seguidores de Jesus. Nunca foi feita "reconstrução com silicone" no corpo incorruptível do santo, para muitos evangélicos é um horror que a doutrina católica dada por Deus e pelo Espírito Santo seja confirmada na vida dos santos. Ao invés de eles refletirem sobre fatos como o do Padre Pio, eles preferem atacar os fatos, como se não existissem. O Julio Severo critica a Igreja Católica quando o assunto é inquisição, por haver pessoas que deturpariam a verdade sobre ela. Mas não vê problemas em aceitar artigos que deturpam a verdade contra a Igreja Católica. Há verdades espirituais poderosas que não estão na Bíblia. O Júlio Severo é homem, isso não está na Bíblia, mas continua sendo verdade. Vamos pensar, minha gente. Deus ordenou a construção de imagens na arca da aliança (querubins), e ao mesmo tempo ordenou que não se adorassem imagens (a imagem por si só não tem poder nenhum mesmo). Mas a veneração não é o mesmo que adoração. Os querubins foram construídos à ordem de Deus, não para serem adorados, mas foram construídos com amor, para lembrar o que Deus fez repousar na arca, eles apontam para Deus, assim como todos os santos e sua vida, e suas representações artísticas, que não têm poder por si mesmas, mas através das quais Deus indica o caminho que se deve seguir, ou seja, o reconhecimento do senhorio de Jesus Cristo, ao qual o Padre Pio devotou toda a sua vida. Mais respeito com os santos da Igreja que amaram Jesus acima de todas as coisas.

Julio Severo disse...


Alguns católicos que comentaram aqui fizeram mau uso da Bíblia para justificar veneração a cadáver como se fosse a um santo. As religiões orientais pagãs, como o budismo tibetano, têm também cadáveres muito bem conservados. Portanto, usar de exemplos de cadáveres bem conservados não é sinal de Deus, mas de paganismo.

Sobre idolatria, como muitos católicos gostam de tradição, a tradição judaico-cristã é mais antiga, como já diz no próprio nome, judaica. Os judeus receberam ordens de Deus de fazer imagens de querubins, mas não de Moisés, Elias, Abraão, Isaías, etc. A tradição mais importante é a judaica, que vai contra imagens de santos.

Sobre tradição cristã, a Igreja Ortodoxa Russa, que é a herdeira da Igreja Oriental, não tem estátua. A Igreja Ortodoxa Russa é tão antiga quanto a Igreja Católica, cujo nome completo é: Igreja Católica Apostólica Romana. Jesus é judeu. Todos os apóstolos de Jesus eram judeus. A igreja verdadeira, se tivesse de ter algum nome étnico, deveria ser: Igreja Católica Apostólica Judaica. É bem claro que a Igreja Católica é herdeira de Roma, mas não de Jesus. É herdeira do paganismo romano, e busca justificar seu paganismo fazendo uso distorcido da Bíblia.

Uma igreja romana nada tem a ver com um Jesus judeu e seus apóstolos judeus.

Voltando ao assunto de cadáveres, se Deus quisesse preservar cadáveres de santos, haveria hoje os cadáveres de Mateus, Marcos, Lucas, etc. Seriam cadáveres judeus, não romanos.

Mas Deus não quis isso. Quem quis foi o diabo, que mantém cadáveres “santos” em várias religiões ocultistas. Cadáver preservado nunca foi privilégio nem monopólio do catolicismo romano.

A Bíblia é contra isso. Os judeus são contra isso. Os evangélicos são contra isso. Mas católicos que seguem o paganismo romano são a favor. Nisso eles têm o total apoio de pagãos tibetanos e seus cadáveres santos.

António Costa disse...

As Relíquias e a Sagrada Escritura
A Sagrada Escritura oferece fundamento à prática cristã da veneração das relíquias.
No Antigo Testamento, vemos grande respeito notável no sepultamento dos homens de Deus, como Abraão (cf. Gn 25,9s), Jacó (cf. Gn 50, 12s), José (cf. Gn 50, 24-26; Ex. 14, 19), Davi (cf. 1Rs 2,10)… Ora, isto mostra um respeito profundo pelos restos mortais das pessoas. Era considerado grande caridade sepultar os mortos. Tobit os sepultava até correndo risco de morte:
“Quando o rei Senaquerib, fugindo da Judéia ao castigo com que Deus o ferira por suas blasfêmias, mandou assassinar, na sua ira, um grande número de israelitas, Tobit sepultou os seus cadáveres. (Tb 1, 21)
“Quando o sol se pôs, ele foi e o sepultou. Seus vizinhos criticavam-no unanimemente. Já uma vez ordenaram que te matassem, precisamente por isso, e mal escapaste dessa sentença de morte, recomeças a enterrar os cadáveres! Mas Tobit temia mais a Deus que ao rei, e continuava a levar para a sua casa os corpos daqueles que eram assassinados, onde os escondia e os sepultava durante a noite. (Tb 2,3-9)
A Bíblia mostra também como Deus, mediante o manto de Elias, se dignou realizar um milagre: Eliseu, ferindo as águas do Jordão com essa relíquia do grande profeta, conseguiu separá-las em duas bandas:
“Apanhou o manto que Elias deixara cair, e voltando até o Jordão, parou à beira do rio. Tomou o manto que Elias deixara cair, feriu com ele as águas, dizendo: Onde está o Senhor, o Deus de Elias? Onde está ele? Tendo ferido as águas, estas separaram-se para um e outro lado, e Eliseu passou.” (2Rs 2,14)
Lemos também que os ossos de Eliseu, postos em contato com um cadáver, tornaram-se instrumentos para a ressurreição do mesmo:
“Eliseu morreu e foi sepultado. Guerrilheiros moabitas faziam cada ano incursões na terra. Ora, aconteceu que um grupo de pessoas, estando a enterrar um homem, viu uma turma desses guerrilheiros e jogou o cadáver no túmulo de Eliseu. O morto, ao tocar os ossos de Eliseu, voltou à vida, e pôs-se de pé.” ( 2Rs 13,21).
Os judeus não usavam as relíquias porque as leis rituais do Antigo Testamento consideravam o cadáver um objeto legalmente impuro, cujo contato tornava a pessoa impura e impedida do culto sagrado. A importância do corpo e a crença na glorificação final dos corpos só foi amadurecendo aos poucos em Israel e só foi firmada com toda a clareza depois que Jesus Cristo se mostrou aos homens como novo Adão ressuscitado. Isto mostra que o corpo do cadáver, como a Igreja ensina, não tem nada de impuro.
No Novo Testamento há também muitas passagens que dão base sólida à veneração das relíquias.
Nos Atos dos Apóstolos São Lucas narra milagres e exorcismos ocorridos com relíquias de São Paulo ainda em vida:
“Deus realizava milagres extraordinários por intermédio de Paulo, de modo que lenços e outros panos que haviam tocado o seu corpo, eram aplicados aos doentes; então afastavam-se destes as moléstias e eram expulsos os espíritos malignos”. (At 19,11s)
Os fiéis estimavam e guardavam tais objetos com profunda veneração. Mas depois do episódio acima, São Lucas faz questão de dissipar a impressão de que os milagres efetuados por intermédio de Paulo tenham tido algo de comum com as artes mágicas de judeus ou pagãos:
“Muitos dos que haviam acreditado (em Cristo), iam confessar e declarar as suas obras. Muitos também, que tinham exercido artes mágicas, ajuntaram os seus livros e queimaram-nos em presença de todos. Calculou-se o seu valor, e achou-se que montava a cinquenta mil moedas de prata.” (At 19, 18-20).~

fonte:

Julio Severo disse...

Antonio, não insista. Você está usando a Bíblia para justificar a religiosidade romana. Quando você compara a Igreja Romana (que sempre foi antissemita, portanto, contra Jesus e seus apóstolos) com a Bíblia, você não vê quase nada de igual. Quer defender a Igreja Romana (que é dos romanos, não de Jesus), use qualquer livro, menos a Bíblia.

A Igreja Romana pertence à Roma e é herdeira de Roma, não de Cristo.

António Costa disse...

Obrigado, meu bom irmão, eu conto com as suas orações, para um pobre pecador catolico que sou! Não duvide que o Julio está sempre nas minhas intenções...

Não precisa publicar.

A fonte do comentário anterior é http://cleofas.com.br/

Anônimo disse...

Se o problema do catolicismo fosse somente a adoraçao de estatuas...

Aprendiz disse...

Caro Antônio.
Percebo um argumento equivocado em defesa do uso de imagens em cultos (que os intelectuais católicos diferenciam em veneração, que, afirmam não é adoração, mas para o povão católico é tudo a mesma coisa):
"A imagem é um objeto que apenas lembra a pessoa ali representada; o ídolo, por outro lado, “é o ser em si mesmo”. A quebra de uma imagem não destrói o ser que representa; já a destruição de um ídolo implica a destruição da falsa divindade."
Ora, isso não procede. Muitos povos, os gregos por exemplo, consideravam que seus deuses estavam num lugar elevado e longínquo (no caso, no Olimpo) e as imagens seriam apenas representações. É evidente que o povo tende a ver o deus de forma cada vez mais concreta, ao ponto de, depois de séculos, considerar a imagem como o próprio deus. Mas as doutrinas pagãs diferenciam imagem do ente que esta representa. E sabemos que muitos desse deuses eram antigos patriarcas desses povos, mas nem por isso eles deixaram de receber a censura, tanto dos profetas quanto dos apóstolos. O prezado amigo não terá atentado cuidadosamente a estes aspectos.

Outro argumento falho:
"A palavra “dulia” vem do grego “doulos”, que significa “servidor”. Dulia, em português, quer dizer reverência, veneração."
Mas isso vai contra a Bíblia. A ordem de Deus incluia não SERVIR os deuses, leia o AT, a ordem é clara.

Aprendiz disse...

Prezado Antonio, continuo:

Mais um argumento errado:
"Já no Antigo Testamento, o próprio Deus prescreveu a confecção de imagens como querubins, serpentes de bronze, leões do palácio de Salomão etc. A Bíblia defende o uso de imagens como é possível verificar em muitas passagens: Ex 25,17-22; 37,7-9; 41,18; Nm 21,8-9; 1Rs 6,23-29.32; 7,26-29.36; 8,7; 1Cr 28,18-19; 2Cr 3,7.10-14; 5,8; 1Sm 4,4; 2Sm 6,2; Sb 16,5-8; Ez 41,17-21; Hb 9,5 e outras mais."
Não procede. Vejamos: também nós, evangélicos, usamos imagens: fotos, esculturas, vídeos, etc, com objetivos educativos, artísticos, memorativos, ilustrativos, etc. Note que as imagens que você citou não eram objeto de adoração, e nem mesmo de veneração. Sua função era educativa, decorativa, simbólica. Quando a serpente de bronze passou a ser objeto de uso indevido, um rei muito piedoso (Deus o atesta na Bíblia) mandou destruí-la. Parece que você não deu a devida atenção a este ponto.
Observe também que, se houvesse objetivo venerativo, muito mais razão haveria para fazer imagens dos santos homens de Deus. Enoque e Elias foram tão agradáveis a Deus, que o Altíssimo decidiu preserva-los mesmo de passar pela morte. Moisés tinha um relacionamento tão próximo com o Criador, que este lhe permitiu ver sua Glória. Mas não se fazia imagem nenhuma desses homens. Esta tradição de evitar imagens de homens santos (exceto em alguns casos de caráter ilustrativo ou educativo) se manteve por um bom tempo na Igreja primitiva. Os pagãos chamavam os cristãos de ateus, pelo fato de não encontrarem imagens em seus locais de culto. Em algumas sepulturas de cristãos, chegaram a ser encontradas gravuras mostrando Daniel, ou um pastor carregando um cordeiro, ou outras ilustrações bíblicas, mas essas imagens tinham como objetivo transmitir uma mensagem àqueles que viessem prestar homenagem aos mortos. Lembrariam por exemplo a perseguição sofrida por Daniel, sua fidelidade, e o livramento do Senhor. Lembrariam a cuidado de Cristo com o seu rebanho. O objetivo era transmitir uma mensagem, e não prostração perante uma imagem.

Outro argumento falho:
"No Novo Testamento há também muitas passagens que dão base sólida à veneração das relíquias.
Nos Atos dos Apóstolos São Lucas narra milagres e exorcismos ocorridos com relíquias de São Paulo ainda em vida:
“Deus realizava milagres extraordinários por intermédio de Paulo, de modo que lenços e outros panos que haviam tocado o seu corpo, eram aplicados aos doentes; então afastavam-se destes as moléstias e eram expulsos os espíritos malignos”. (At 19,11s)
Os fiéis estimavam e guardavam tais objetos com profunda veneração. Mas depois do episódio acima, São Lucas faz questão de dissipar a impressão de que os milagres efetuados por intermédio de Paulo tenham tido algo de comum com as artes mágicas de judeus ou pagãos:
“Muitos dos que haviam acreditado (em Cristo), iam confessar e declarar as suas obras. Muitos também, que tinham exercido artes mágicas, ajuntaram os seus livros e queimaram-nos em presença de todos. Calculou-se o seu valor, e achou-se que montava a cinquenta mil moedas de prata.” (At 19, 18-20)."
Ora, não há registro de que tais lenços e aventais tenham se tornado objetos de veneração. Não foram guardados, não existem mais, não foram objeto de romarias. Eram testemunhos do dom de Deus sobre o apóstolo, e portanto, tiveram um valor temporário para aqueles especificamente que viram tais objetos tocarem o apóstolo, demonstrando a eles que deveriam crer no seu ensino. Da mesma forma, o milagre operado pelo Criador, quando um homem foi ressuscitado ao tocar incidentalmente os ossos de Eliseu, foram um testemunho específico, numa época de grande incredulidade, para que se levasse a sério OS ENSINOS E EXORTAÇÕES DE ELISEU. Você parece não ter notado que esse foi um fato tão isolado que nenhum outro episódio semelhante foi narrado, quer na Tanach (Lei, Escritos e Profetas) quer nos Escritos dos Apóstolos e de seus auxiliares (Novo Testamento).

Thiago disse...

Eu concordo com o Aprendiz

Muito bom e esclarecedor o teu comentário.

António Costa disse...

Bom dia, aqui em Portugal são 9.30h, obrigado meus caros irmãos, pelos vossos comentários bem intencionados. Se o Julio me permitir irei contra argumentar, mais tarde, agora tenho de trabalhar...


Não me parece justo, como voçê diz, que a Biblia não sirva para justificar a Igreja de Cristo, chamada Catolica Apostolica Romana. É lá que estão os seus fundamentos, "sustentáculo da verdade" como diz São Paulo. A Verdade liberta, lembram-se? Os senhores usam a vossa intrepretação da Biblia para a denegrir!!! Não estejam ao lado dos maçons, comunistas, ateus, e pseudo-investigadores com Dan Brown, que sabem que destruindo a Igreja ferem de morte todo o cristianismo.

Que Deus vos abençoe,


Anônimo disse...

Culto à personalidade, somente isso...e de uma pessoa morta.
Esse sujeito, pelo menos, algumas pessoas o conheceram, possuem foto dele, mas e os apostolos? Eles sao exatamente como a idotaria romana os pinta?
Quer dizer, alem de contrariar a determinaçao divina, ainda mentem para si proprios e para os fieis, pois ninguem sabe como os pesonagens biblicos eram...

Sérgio disse...

Antonio Costa...

Acreditar que homens mortos tem o poder de responder orações é totalmente anti-Bíblico. Onde existe na Bíblia, que algum servo do Senhor pediu em oração o socorro divino para um morto? Pedimos a Jesus Cristo e isso nos basta, qualquer coisa diferente a isto é uma caricatura do verdadeiros cristianismo, "é outro evangelho" como escreve Paulo em Gálatas. Não tenho a intenção de vencer qualquer discussão, isso é tolice, mas temos que ter compromisso com a verdade que salva e liberta!!!

Anônimo disse...

As estatuas sao fruto da imaginaçao humana e nada podem fazer por ninguem, nem por si proprias, pois precisam que alguem as faça.
A altura, a estatura e a forma das mesmas sao frutos da imaginaçao de quem as faz, sao, portanto, MENTIRA.


António Costa disse...

Boa noite caríssimo Julio, em virtude do meu pouco tempo de hoje, pedia-lhe a publicação dos meus dois primeiros comentários de ontem, não publicados, em que exponho o sifnificado de "santo", de acordo com o Apocalipse. Se não quiser eu compreendo e aceito e estimo-o na mesma. Penso contudo ser importante para dar continuidade a esta sã discussão, se o Julio assim o entender. Obrigado

Julio Severo disse...

Antonio, todos os seus comentários que foram aqui recebidos foram aqui publicados.

António Costa disse...

Oops, então fui eu que me enganei. Aqui vai (duas partes)
No Apocalipse existem três classes de santos que são destacados como tendo um papel especial no rito celestial. Primeiro de todos, os mártires com vestes brancas.Segundo, as virgens e terceiro, os confessores.Por exemplo, em Apocalipse 6, 11, começando no versículo 9:"Quando abriu o quinto selo, vi sob o altar as vidas dos que tinham sido imolados por causa da Palavra de Deus e do testemunho que dela tinham prestado. E eles clamaram em alta voz: 'Até quando, ó Senhor santo e verdadeiro, tardarás a fazer justiça, vingando nosso sangue contra os habitantes da terra?'".Eles estão pedindo por justiça. Eles têm comunhão com Deus. Eles estão defendendo a causa do Corpo Místico de Cristo.
"A cada um deles foi dada, então, uma veste branca e foi-lhes dito, também, que repousassem por mais um pouco de tempo, até que se completasse o número dos seus companheiros e irmãos, que iriam ser mortos como eles".Foi-lhes dito sobre o que estava acontecendo, na terra mesmo o que iria acontecer no futuro.Pelo menos eles tem algum tipo de consciência geral de que existe um pequeno período de tempo no qual mais mártires serão reunidos e então no fim desde pequeno período de tempo, a justificação virá.Eles têm conhecimento e preocupação.Eles têm a capacidade de interceder e eles também têm um conhecimento maior do que o povo na terra e este conhecimento vem de Deus.Por quê? Porque eles são benditos.Apocalipse 22, 14 nos conta isso.
No final do Apocalipse esta beatitude é pronunciado sobre eles:"Felizes os que lavam suas vestes". O que quer dizer "lavam suas vestes"? Em outras palavras, eles tiveram tempo para ir até a lavandaria antes que Deus os chamasse? Claro que não. "Felizes os que lavam suas vestes", se refere a Apocalipse 7, 13.:"Um dos Anciãos tomou a palavra e disse-me: 'Estes que estão trajados com vestes brancas, quem são e de onde vieram?' Eu lhe respondi: 'Meu Senhor, és tu quem o sabe!' Ele, então, me explicou: 'Estes são os que vêm da grande tribulação: lavaram suas vestes e alvejaram-nas no sangue do Cordeiro. É por isso que estão diante do trono de Deus, servindo-o dia e noite em seu templo". Por isso, nós sabemos que existe um serviço litúrgico no templo celestial. O nosso é apenas uma reflexão pálida que mal se compara com o serviço litúrgico que acontece lá e este pessoal todo serve dia e noite no templo celestial.
Mas eles não têm permissão para fazer orações por nós, certo? Dá um tempo! Deus vai ficar zangado? Vai ficar ofendido? Claro que eles fazem orações por nós! Veja no capítulo 8, 3: "Outro Anjo veio postar-se junto ao altar, com um turíbulo de ouro. Deram-lhe uma grande quantidade de incenso para que o oferecesse com as orações de todos os santos, sobre o altar de outro que está diante do trono".
Os santos de quem se fala aqui devem ser interpretados contextualmente como sendo os santos que foram martirizados e que agora servem no céu.Agora, nós podemos ter uma aplicação secundária que incluiria, é claro, também os santos terrestres; mas contextualmente aqui se fala dos anjos celestes.E o que eles estão fazendo? Rezando. E estas orações são oferecidas com incenso pelo anjo no altar de Deus, no altar de ouro que está diante do trono, que estava bem em frente ao Santo dos Santos no templo terrestre como no templo celeste. "E da mão do Anjo, a fumaça do incenso com as orações dos santos subiu diante de Deus".
E o que acontece? Deus em resposta às orações dos santos age.Ele chama os sacerdotes celestes para que peguem suas trombetas e se preparem para tocar.Isto desencadeia as sete trombetas que por sua vez desencadeiam todo tipo de atividade terrestre que justifica os santos e vinga seu sangue e derruba os orgulhos e presunçosos diante de Porque se você ler o Apocalipse e entender a mensagem, você vai ver que existe uma coisa acima de todas as outras que muda as más coisas.E é adorando a Deus com todo o seu coração, mente, alma e força

António Costa disse...

(...)Isto possibilita todas as coisas que o povo na terra necessita de Deus em resposta às orações dos santos. E o que nós rezamos? "Seja feita a vossa vontade assim na terra como no céu". A nossa intercessão é uma imitação da intercessão deles. Mas como podemos fazer isso se não temos nenhuma ideia do que eles estão fazendo e eles não têm nenhuma ideia do que nós estamos fazendo? Isto não é comunhão e isto também não é o que o Apocalipse descreve.
Você pode ver isso no Apocalipse 5, 8: "...os vinte e quatro Anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, cada um com uma cítara e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos, cantando um cântico novo". Eles não só tocam instrumentos, mas eles cantam cânticos e eles dão louvores ao Cordeiro. Depois eles fazem orações para as pessoas que estão em necessidade. E o que faz Cristo depois de suas orações? Ele por acaso diz: "Hei pessoal, as minhas orações não são o suficiente? O fato de eu ser o Sumo Sacerdote não é o suficiente para todas as necessidades do meu povo na terra como no céu? Acabem logo com isso e relaxem"?
Não, ele não disse isso. O que ele faz? Versículo 10: "Deles fizeste, para nosso Deus, uma Realeza e Sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra". O reinado deles se estende do céu para a terra. Cristo fez deles um reino de sacerdotes. Em outras palavras, o que Deus ofereceu no Monte Sinai, Êxodo 19, 6 e que eles se recusaram e que depois Deus continuamente oferece através de Davi e Salomão, e eles recusam; Deus oferece através de Jesus e dos Apóstolos e Jesus aceita e estabelece, portanto, uma nova aliança baseada nesta aceitação. E através de seu poder, ele faz o que Adão, Noé, Abraão, Moisés e Davi juntos multiplicado por 100, jamais puderam fazer - um reino de sacerdotes, se recebermos na fé e cooperarmos com esta graça.
Nós somos um reino de sacerdotes. Isto enfraquece nosso Rei? Isto tira a autoridade sacerdotal de Jesus? Não. Isto manifesta-a. Esta é a beleza de Cristo, refletida pelos seus santos e suas orações de intercessão. E eles cantam a canção sobre o Cordeiro e eles falam sobre como ele recebeu o poder e a riqueza e a sabedoria e a força e a honra e a glória e o louvor. Mas o que faz Cristo com tudo isso? Ele se volta e dá isto à nós.
Eles têm tronos e coroas e o que eles fazem? Eles as prostam suas coroas. Cristo as pega e as devolve a eles e diz: "Sentem-se nos tronos. Vocês são meus sacerdotes. Vocês são meus reis..." Pode-se ver isto no capítulo 4, 4: "vinte e quatro tronos, e neles assentavam-se vinte e quatro Anciãos, vestidos de branco e com coroas de ouro sobre a cabeça". Por que isso? Por que Cristo não é o suficiente? Não. Por que Cristo está longe? Claro que não. Pelo contrário, é porque estes santos confiam que a graça de Cristo é suficiente, a mesma graça que eles agora possuem como santos martirizados glorificados no céu.
Apocalipse 14, 13 diz tudo: "Ouvi então uma voz do céu, dizendo: 'Escreve: felizes os mortos, os que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, que descansem de suas fadigas, pois suas obras os acompanham.'". Agora, nós não adoramos os santos benditos que foram martirizados e elevados e glorificados no céu. Nós não os adoramos. Na verdade, Apocalipse 19, 10 nos diz para não os adorarmos - onde o anjo aparece para João e João se prostra e o que ele diz? "Caí então a seus pés para adorá-lo, mas ele me disse: 'Não! Não o faças! Sou servo como tu e como teus irmãos que têm o testemunho de Jesus.'" Preste atenção, ouça: "É a Deus que deves adorar!" Este é o único que adoramos. E então o que fazemos? Porque nós adoramos a Deus e porque nós tentamos imitá-Lo, nós louvamos aqueles que Ele louvou. Nós honramos aqueles que Ele honra. É assim que funciona a aliança. Esta foi sempre a forma da aliança

Saga Oliveira disse...

Uma vez eu vi um comentário de que no Novo Testamento se orienta aos cristãos (também chamados de escravos) a prestarem doulea ao Senhor Jesus (chamado de "nosso Senhor" e inclusive de "único Senhor"), nenhuma passagem atribuem que se preste latreo a Jesus (embora o termo seja usado com respeito a Deus e deuses, é o serviço sagrado oficial que se presta a uma deidade, em seu templo, por seus sacerdotes, sacrifícios, liturgias e oferendas.). O comentário continuava com a conclusão de que os servos do nosso Senhor Jesus lhe prestam dulia, se a prestarem HIPERDULIA a "Nossa Senhora", estarão a servindo mais do que a Cristo Jesus, que nunca foi referido com tal palavra para ser servido a tal nível no Novo Testamento.

Resumo: Dulia ao Senhor Jesus Cristo, Hiperdulia a "Nossa Senhora", sua mãe.


Eu me pergunto se prestarmos dulia e mais dulia a inumeráveis entes além de Jesus, se não estaremos multiplicando os nossos senhores, afinal, dulia era a fidelidade e obediência que um escravo tinha pelo seu amo, ou senhor, então quando eu presto dulia a outrem, estou fazendo dele meu senhor, ao me torna escravo dele.
-------------------------------------------------------------------
O Novo Testamento também faz uso de "proskyneo", palavra que era usada de forma diversa para deuses, reis, senhores e outras autoridades, é usada para Deus Pai e para o Senhor Jesus Cristo, mas Pedro nos Atos dos Apóstolos e o anjo de Jesus no Apocalipse de João, recusam receberem proskyneo, Pedro (o primeiro papa?) e este anjo (um santo) o fizeram logicamente por se considerarem servos em vez de senhores, escravos que colocam-se a serviço fiel de Deus e de seu Filho.
------------------------------------------------------
Concluindo, a divisão utilizada pela Igreja de Roma para diferenciar seus níveis de culto, demonstra ter uma base bíblica muito frágil, os dados não batem:

1- Maria nunca é referida como recebendo hiperdulia.
2- Embora se diga que dulia é para os santos, a Bíblia usa dulia para descrever a devoção a Jesus
3- Em vista de dulia ser uma atribuição do senhorio de Jesus não sei se tem alguma passagem neotestamentária que oriente que os cristãos prestem dulia a santos, sem dúvida que a anjos e santos mortos não tem nenhuma.
4- Se diz que LATRIA é o culto que se presta exclusivamente a Deus Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, mas as pessoas especificas de Cristo e o Espírito nunca são referidos individualmente como recebendo LATRIA, embora existam referências de latria para "Deus" (Termo genérico, o qual muitos crentes creem que possa se referir a Trindade em si, mas que em geral na maioria absoluta dos textos neotestamentários quer dizer apenas o Pai isolado).
5- O culto de dulia envolvendo imagens e orações inexiste totalmente.
6- A Igreja católica aceita adoração a hóstias e cruzes, dizendo que é o mesmo de adorar a Jesus, de fato, a adoração a uma imagem de Jesus é recomendada, não é? Dizendo que adorar a um estátua de Jesus é adorar ao próprio Jesus. Se vê que a LATRIA envolve também imagens, símbolos e objetos também, desde que se diga que os objetos representem pessoas da Santíssima Trindade. A "adoração relativa" não existe na Bíblia, não se sabe que alguém tenha adorado um objeto, como simbolo de Deus Pai, Cristo ou o Espírito Santo, e que Deus tenha aprovado ou se agradado de tal adoração, não se diz que a adoração vale, dependendo de qual é for pessoa desenhada na imagem.

Anônimo disse...

A coisa mais triste é ver uma pessoa querendo justificar o injustificavel; é como alguem que quer caminhar e nao sai do lugar (fica patinando), ou como alguem que se revolve sob suas proprias fezes.

Construir uma imagem de uma pessoa morta e a por num templo religioso, para alguns pode até nao significar idolatria, mas, se a imagem nao reflete exatamente o morto e é fruto da imaginaçao do autor, entao estamos diante de uma MENTIRA.

Anônimo disse...

Nem idolatras e nem mentirosos entrarao no reino dos ceus!!!

Anônimo disse...

Por que você esconde a verdade, Julio Severo? Publique as provas de que você está errado e de que a Igreja Católica Apostólica Romana é sim herdeira de Jesus.

Anônimo disse...

MAE DAS PROSTITUIçOES e ABOMINAçOES!!!
https://www.youtube.com/watch?v=xC_jjbXXinE

Dom Rafael disse...

Tá vendo irmão Julio, o que eu vinha te falado?
Católicos nunca foram e nem são cristãos! catolicismo é (mais) uma seita satânica, assim como a Maçonaria, hinduísmo, socialismo, ateísmo e o próprio satanismo aberto.

Irmãos, PAREM de lançar as coisas SANTAS AOS CÃES e as SUAS PÉROLAS AOS PORCOS: eles vão PISAR nas suas pérolas, e ainda podem vir pra cima de vocês!
Não gastem seus conhecimentos e sabedoria adquiridos e dados por Deus a esses idólatras obstinados: eles, muito provavelmente, não são de Deus e nem querem ser! por isso as Escrituras não surtem efeito neles! Mas Jesus sabe quem são os Seus!
Não adianta "discutir" com esses caras, pois eles não amam as Escrituras, as desconhecem, assim como o poder de Deus!
Que eles guiem outros para o Abismo!
Vamos prosseguir com o Evangelho! quanto a esses obstinados, Deus os julgará!
Quem tem ouvidos para ouvir, que ouça!
Paz

Thiago disse...

Todas as igrejas cristãs têm erros pois são formadas por pecadores e santos. Há sempre o Trigo e o Joio.

Se a Igreja Católica não é Cristã, nenhuma outra pode ser.
Todas saíram dela, todas receberam parte de sua doutrina e os evangelhos do catolicismo. Sem exceção de nenhuma, todas da mesma origem/árvore/tronco.

Doutrinas humanas sem base bíblica?

Há.

Mas no nosso meio Evangélico também há muita Heresia e Maçonaria.

FERMENTO... são doutrinas dos homens, já existiam no tempo de Jesus... quem lembra do fermento dos fariseus? Quem crucificou o Salvador? Eles deixaram de ser Judeus por isso?

Julio Severo disse...


Thiago, vc está fazendo uma baita confusão aí. Você disse: “Todas saíram dela, todas receberam parte de sua doutrina e os evangelhos do catolicismo. Sem exceção de nenhuma, todas da mesma origem/árvore/tronco.”

Em termos de tradição apenas, a Igreja Católica supostamente vem de uma congregação que nasceu em Roma. Essa congregação veio DEPOIS das igrejas da Ásia Menor, atual Turquia. As igrejas da Ásia Menor, as quais deram origem à Igreja Oriental ou Igreja Ortodoxa, têm total precedência, em tradição, à Igreja de Roma.

Quando o Imperador Constantino, com a ajuda de Bispo Eusébio (que criou o atual cânon do Novo Testamento), mudou oficialmente a sede da Igreja para Constantinopla, os romanos não gostaram, por um espírito de inveja. Mas Constantino apenas devolveu à Igreja, em termos de tradição, sua antiga sede majoritária na Ásia Menor.

Mil anos atrás, a Igreja Oriental se separou da Igreja de Roma. Separou-se, mas já tinha identidade própria. A Igreja Ortodoxa não é e nunca foi católica e existia antes da Igreja Católica. Ela é mais antiga do que a Igreja de Roma. Daí, falar que a Igreja de Roma criou todas as outras igrejas é uma das maiores ilusões e mentiras que já ouvi.

Por que você acha que alguns católicos têm ódio mortal da Igreja Ortodoxa Russa, que hoje é a representante máxima da Igreja Oriental ou Ortodoxa? Porque sabem que enquanto existir a Igreja Ortodoxa, a Igreja Católica jamais poderá arrogar para si o papel de igreja mais antiga.

Cuidado: você parece estar lendo livros católicos demais e dá para perceber que você está sendo afetado, Thiago.

Se você quer dizer apenas que os reformadores protestantes vieram da Igreja Católica, sim, isso está correto. Mas isso não está correto com relação à Igreja Ortodoxa. Mas se formos levar tudo apenas na base da tradição, então o melhor é ir direto para o judaísmo.

Agora, tirando a questão da tradição, a Igreja de Roma nada tem a ver com a Igreja de Jesus Cristo no Novo Testamento.

Outra coisa: já que você perguntou quem crucificou Jesus, a resposta oficial é os ROMANOS. A crucificação era a pena oficial de Roma contra quem não era romano. Somente os não romanos podiam ser crucificados. Jesus era judeu. E se você for atentar, a Igreja de Roma, herdeira de Roma, sempre perseguiu os judeus.

Anônimo disse...

A igreja primitiva foi morta pelo lobos crueis que, segundo Paulo, se infiltrariam entre os irmaos depois de sua partida, traindo-os e pervertendo a fé apostolica verdadeira.
De sorte que essa seita nao tem nada a ver com a igreja primitiva, a nao ser o fato de ter sido seu algoz (At: 20:29-31).

marcelo victor disse...

A igreja catolica é considerada a MAE DAS PROSTITUICOES nao porque saiu da igreja primitiva, mas porque foi a primeira que usou as Escrituras Sagradas para estabelecer rituais pagaos baseados na Palavra de Deus, prostituindo-A.
Isso se assemelha ao titulo de PAI DA MENTIRA, dado ao diabo pela propria Palavra de Deus; sera que alguem se atreveria a dizer (ou mesmo pensar) que Deus criou o diabo para mentir, transformando-O no verdadeiro idealizador, e, portanto, pai dela? Como alguem poderia imaginar que o Deus, tres vezes santo, seria capaz disso?
Por tanto, lavem suas bocas, enquanto é tempo, aqueles que blasfemaram dizendo que o catolicismo romano foi originariamente a igreja primitiva!!!

Anônimo disse...

Vejo diversos teologos e lideres religiosos atribuir o titulo de "pais da igreja" a alguns religiosos do passado, como que querendo dizer que os tais foram aqueles que "geraram" a IGREJA, no principio da fé crista.

Acho isso uma falacia e uma manobra diabolica para convencer os indoutos e a opiniao publica de que nao se pode negar que a idolatria romana é a igreja primitiva desviada (aquela que fugiu dos principios apostòlicos) e que precisa voltar às raizes.

Porem, se examinarmos as Escrituras, veremos que a igreja primitiva foi gerada pela Palavra de Deus na boca dos apòstolos, os quais, unicamente, poderiam receber o titulo de "pais da igreja" (o que passar disso tem procedencia maligna).

Essa manobra, propria de uma serpente, parece ser uma armadilha a ser usada pelo papa Chico para atrair, apos si, a "cristandade" de uma forma geral, sendo aquele que "apaziguou a tempestade" e conseguiu unificar os cristaos, um ser sublime preocupado com os pobres (uma verdadeira Madre Tereza de Calcutà de cueca).

António Costa disse...

O catolicismo é (mais) uma seita satânica?! Odio de morte entre alguns católicos e ortodoxos? Mãe das prostituições?! Nós cristão somos irmãos!!!Que ressentimento é este? O que nos une (Jesus Cristo) é muito mais que o que nos separa! Existiu e existe ainda ódio entre pessoas ditas cristãs, mas sejamos nós dignos representantes de Jesus.
Sim existiam congregações antigas, para além da romana, mas esta "Romama" é a Igreja de Cristo.
A primeira sede da Igreja foi em Jerusalém, depois Antioquia e, por fim, Roma, que foi o último local onde Pedro atuou como bispo. A necessidade de fidelidade de todos os cristãos à Roma está historicamente provada em diversos textos dos padres primitivos. A SUA ORIGEM nada tem a ver com Constantino, caríssimo Julio Severo

Apesar de lendas medievais, e que não possuem nenhuma base histórica, não existe a chamada autoridade patriarcal de Constantinopla. Bizâncio não tinha nenhuma ligação com André ou qualquer Apóstolo, mas na verdade era uma igreja menor sob a jurisdição da Sé metropolitana de Hercúlea, na Trácia, que por sua vez era diretamente submetida a Roma

Quanto à igreja de Antioquia, é verdade que a comunidade crista de Antioquia é mais antiga que a comunidade de Roma. Porém, a igreja de Roma em si (que começou como igreja judia) foi estabelecida por judeus peregrinos que se converteram ao Cristianismo no dia de Pentecostes (ver Atos 2:9-10), e tinha ministros judeus que lhe pertenciam e que se converteram muito antes de São Paulo (ver Romanos 16:7). Além disso, a primeira estadia de São Pedro em Roma teve lugar entre 42 d.C. (quando ele fugiu da Judeia – Atos 12:17) e 49 d.C., quando o Imperador Cláudio expulsou todos os judeus de Roma por causa de um tumulto acerca de alguém que o historiador romano Suetônio chama de “Chrestus” – claro mal-entendido de “Christus” (“Cristo”). Foi por isso que Pedro voltou a Jerusalém em Atos 15 para o Concílio de Jerusalém, que ocorreu em 49 d.C. Foi somente DEPOIS do Concílio de Jerusalém (ver Gálatas 2) que Pedro estabeleceu-se em Antioquia e tornou-se o primeiro Bispo de Antioquia. Porém, uma vez que os judeus são readmitidos em Roma, Pedro volta para lá, e é aqui que ele e São Paulo confrontam o arqui-herege Simão o Mago, e onde eles juntos constroem a Igreja de Roma, síntese da igreja judia com a igreja gentia, e onde eles terminaram suas vidas como mártires. No entanto, só Pedro era a autoridade primacial ali – isto é, o bispo de Roma de facto. Assim, seu episcopado em Roma foi mais longo do que (e anterior) ao seu episcopado em Antioquia.

António Costa disse...

Pedro é a rocha!
Nos Evangelhos, numerosas passagens deixam evidente que Pedro era a maior autoridade entre os apóstolos. E essa responsabilidade especial foi dada pelo próprio Cristo.
Jesus disse: «(…) Por isso Eu te digo: tu és Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e o poder da morte nunca poderá vencê-la.Dar-te-ei as chaves do Reino do Céu, e o que ligares na Terra será ligado no Céu, e o que desligares na Terra será desligado no Céu».– Mateus 16, 17-19
Jesus disse que Sua Igreja seria construída sobre Simão, a Rocha (Pedro), e não sobre Tiago, João, André ou qualquer outro apóstolo. E foi só a ele – só a ele! – que Jesus deu as chaves do Reino do Céu. Assim, tudo o que Pedro aprovasse na Terra, seria aprovado nos Céus; e o que ele julgasse como mau e desaprovasse, seria também desligado no Céu, seria desaprovado.
Será que Jesus mudou o nome de Simão para “Pedra” (Cefas, em aramaico) à toa? Obviamente, a Pedra sobre a qual a Igreja se edifica, em última instância, é Cristo, a pedra angular. E isso não se choca com o fato de que o Senhor quis dar a um homem pecador a missão de ser a “pedra fundamental da Igreja”. Da mesma forma, sabemos que Cristo é o Bom Pastor; mas ele também fez de Pedro um bom pastor
Há muitas outras que comprovam a liderança de Pedro sobre os demais apóstolos… Jesus perguntou a Simão Pedro: «Simão, filho de João, amas-Me mais do que estes?» Pedro respondeu: «Sim, Senhor, Tu sabes que Te amo». Jesus disse: «Cuida dos meus cordeiros».– João 21, 15
Jesus sabia que Pedro O amava mais do que qualquer outro discípulo! E a nenhum outro Ele fez esse pedido: “Cuida das minhas ovelhas”. Cristo consagrou Pedro como o pastor maior, aquele que continuaria a conduzir o rebanho pelo caminho certo. Faria sentido que, depois da morte de Pedro, não houvesse ninguém mais para exercer a mesma missão? Teria lógica se essa liderança, que Cristo concentrou em um só homem, fosse partilhada igualmente por vários bispos?
Ora, o mais coerente seria que outro cristão – um único homem, e não vários – assumisse o lugar de Pedro após a sua morte, e assim sucessivamente. Pedro era o bispo de Roma; ali foi sua última cátedra (e não em ouro local); ali ele pregou e ali foi sofreu o martírio. Assim, era natural que o pastor soberano da Igreja continuasse a ser sempre o bispo de Roma (a quem hoje chamamos de Papa). E assim aconteceu. Por isso, os demais Patriarcas sempre tiveram grande autoridade, mas ao bispo de Roma cabia a última palavra.
Em uma de suas cartas, São Pedro diz que a igreja de Roma – que ele chama de igreja da Babilônia – era a “igreja escolhida” (1 Pedro 5, 13). Ou seja, a igreja de Roma fora escolhida para confirmar e fortalecer a fé das demais igrejas. De fato, Jesus já havia predito que seria Pedro quem fortaleceria a fé dos demais irmãos (Lc 22, 31-32).
Foi São Pedro, e não outro, que presidiu o primeiro Concílio da Cristandade (os Concílios são as reuniões das principais autoridades católicas para discutir e tomar decisões sobre a doutrina e a ação pastoral da Igreja).
Nesse Concílio, após os debates, Pedro foi o primeiro a levantar a voz para expor seu parecer, e deixou claro que era o escolhido de Deus para pregar a Boa Nova:
Então os Apóstolos e os anciãos reuniram-se para tratar desse assunto. Depois de longa discussão, Pedro levantou-se e disse: «Irmãos, sabeis que, desde os primeiros dias, Deus me escolheu entre vós, para que os pagãos ouvissem da minha boca a palavra da Boa Notícia e acreditassem.»– Atos 15, 6-7

marcelo victor disse...

Ninguem odeia ninguem, nobre Antonio Costa, ao contrario, por amor, alguns cristaos genuinos vem a este forum de debates para, atraves de argumentos escrituristicos, abrir os olhos daqueles que estao sendo enganados pelas falsas religioes.

Em primeiro lugar, os irmaos de Jesus Cristo sao aqueles que ouvem e obedecem a Palavra de Deus (Mt 12:50) e nao qualquer pessoa que diz acreditar n'Ele; lembre-se de que a fé sem obras é morta (Tg 2:20).

Em segundo lugar, uma igreja cristã necessariamente tem que seguir os ensinamentos de Jesus Cristo (a Palavra de Deus), o que, de longe, ocorre com o catolicismo romano, por uma serie de razoes, como, por exemplo, a inegavel pratica da idolatria.

Por ultimo, dizer que "Pedro é a rocha" nao passa de uma blasfemia, como confirmam as Escrituras Sagradas: Sl 18:2, Sl , Is 26:4, Is 28:16, Lc 6:48, 1 Co 3:11, 1 Co 10:4 e Ef 2:20. Como a Biblia nao pode contradizer-se, Jesus jamais atribuiria, a um apostolo, uma condiçao que era unicamente Sua, pois, se um homem fosse capaz de ser alicerce para a igreja, nao haveria qualquer necessidade de Seu sacrificio.

Termino assegurando que minhas palavras sao puras e sinceras, desejando que seus olhos espirituais sejam abertos, meu caro, mas nao espere e nem exija que os cristaos genuinos se associem espiritualmente aos catolicos, pois a Biblia nos determina que, se alguem vem a nos trazendo outra doutrina, nao devemos nem mesmo sentar à mesa para comer com tal pessoa.

"Entretanto, agora vos escrevo para que não vos associeis com qualquer pessoa que, afirmando-se irmão, for imoral ou ganancioso, idólatra ou caluniador, embriagado ou estelionatário. Com pessoas assim não deveis sequer sentar-se para uma refeição" (1 Coríntios 5:11).

Anônimo disse...

O catolicismo nao somente é uma seita pagã, como inimiga de Deus e de quem o ama.
https://www.youtube.com/watch?v=cmvuFQTe3f4

António Costa disse...

Caro Marcelo Victor, eu não me referia a ódio, mas sim um aparente ressentimento ou talvez bloqueio mental/emocional relativamente à Igreja Catolica, por parte de alguns irmãos. Por falta de tempo, só irei analisar todos os vossos argumentos mais tarde, espero que façam o mesmo em relação aos meus.Jesus sentava-se à mesa com os pecadores, você não se sentaria comigo, por causa das nossas diferenças? Quem são os cristãos genuinos? Aqueles que fazem parte de de milhares de diferentes congregações, a chamam ministérios? uns pregam que os dons espirituais ainda agem nos dias de hoje e outros os negam veementemente, baseados na mesma bíblia. Uns dizem que a trindade não é mais que invenção de alguns e outros sustentam sua veracidade com base bíblica. Uns ensinam que se deve dar o dízimo e outros dizem que não é mais necessário. Uns deixam mulheres ser ordenadas como pastoras, bispas e diaconisas e outros apenas os homens. Ou seja, isso não satisfaz o desejo de Paulo quando fala sobre a UNIDADE DA FÉ (Efésios 4,3-6), segundo a suplica expressa por na ultima ceia(Jo17, 21)

Deus proíbe a Idolatria que é colocar coisas, pessoas ou interesses acima de Deus. Leu os meus poosts acima? Deus permite a veneração de imagens, que o representam a Ele. Os seus pais ficarão ciumentos, com uma fotografia que traga deles com carinho?Deus proíbe fazer imagens de falsos deuses para adorar. A Igreja Católica não adora nenhuma de suas imagens, pois são imagens d’Ele (conforme desejo por Ele expresso a Santa Faustina, ou Margarida Maria-O Sagrado Coração- por exemplo) ou de pessoas que serviram a Nosso Senhor. Existindo apenas para serem veneradas e para estimular a fé do povo simples que não sabia ler as Escrituras, ao longo dos seculos,mas compreende a linguagem transmitida através daquelas imagens de que é possível seguir a Cristo, apesar de nossas fraquezas e limitações.
A Igreja Cristã não nasceu na Reforma Protestante em meados de 1500, com os conhecidos Reformadores Lutero, Calvino e outros. Mas nasceu realmente nos dias de Cristo, quando este andando aqui entre nós, chegou a afirmar para Pedro: “E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela.Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus.” (Mateus 16,18-19) E, mais ainda falou: “Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo.” (Mateus 28,20). Ora, meus amigos, como explicar que Jesus Cristo tivesse ensinado e doutrinado Sua Dileta Esposa, a Igreja Cristã através dos apóstolos e dos pais da Igreja durante mais de 15 séculos por meio de Seu Espírito Santo e então, chegando em 1500, inspirou Lutero e os demais a dizer que estava a Sua Igreja errada e ensinando doutrinas contraditorias?

António Costa disse...

A Igreja Católica é sim fundada por Cristo sobre a pedra/Pedro. Como referi antes Pedro foi Bispo de Antioquia e depois Bispo de Roma, onde foi martirizado. Seguiram-se os seus sucessores até ao ao dia de hoje. Mesmo quando  no ano 330 a capital do Império Romano foi transferida para Constantinopla, o Papa continuou a viver em Roma com exceção do período 1309 a 1377, em que  os Papas não residiam em Roma, mas em Avinhão, período geralmente chamado de Cativeiro. 

No Império Romano do Oriente, o poder civil procurou controlar a Igreja e o bispo de Constantinopla cresceu em importância, baseando o seu poder,no facto de ser bispo da capital do Império e por ser um homem de confiança do Imperador.

Santo Inácio bispo de Antioquia da Síria entre 68 e 100 ou 107, foi discípulo do apóstolo João, conheceu São Paulo e foi sucessor de São Pedro na igreja de Antioquia. Segundo Eusébio de Cesareia, Inácio foi o terceiro bispo de Antioquia da Síria e segundo Orígenes teria sido o segundo bispo da cidade. Santo Inácio foi detido pelas autoridades e transportado para Roma, onde  no Coliseu foi martirizado por leões. Na viagem para Roma, escreveu várias cartas a diferentes Igrejas a insistir na unidade com o Bispo de Roma, que segundo escrevia:"presidia na caridade a toda a Igreja".

Fruto do pecada das pessoas, através da História, tem havido heresias, separações e cortes dolorosos com a Igreja de Roma. Nos primeiros séculos era frequente as Igreja do Oriente consultarem os Papas sobre questões doutrinais e às vezes pedirem a sua intervenção pessoal nos diferendos existentes.

marcelo victor disse...

Filho, vejas, com atençao, o video que foi indicado pelo sr "Anonimo", sobre a Biblia e vejas a luta do diabo para impedir o conhecimento da verdade:
https://www.youtube.com/watch?v=cmvuFQTe3f4

Nao sei se prestaste a atençao no texto biblico que eu citei, mas ele é voltado estritamente ao lado espiritual, pois, como diz o texto biblico, se nao fosse espiritual, os cristãos genuinos teriam que sair do mundo (1 Co 5:10). Assim sendo, teria o imenso prazer de me sentar à mesa com voce, mas nunca em um culto pagão, pois, nesse particular, nao sou teu "irmao".

Quanto às diversas seitas e religioes que existem e que se espalham pela face da terra, digo-lhe, apenas, que assim como eu cheguei ao conhecimento da verdade (a doutrina apostolica verdeira), depois de muitas lagrimas, tenho certeza de que tu tambem podes fazê-lo (Pv 2:3-5).

Por isso, o primeiro passo é humilhar-te na presença de Deus e abandonar os rituais pagãos, para que Ele tenha misericordia da tua alma e te revele a Graça do Filho de Deus. Em seguida, sê batizado EM NOME DE JESUS CRISTO para o perdão dos teus pecados (Mc 16:16 e At 2:38).

Tu disseste que a idoltaria romana não adora imagens, pois bem, onde estão as fotos dos apostolos e pessoas que tu chamas de "santos", as quais têm suas imagens expostas nas diversas catedrais e templos espalhados pelo mundo? Nisto reside uma das maiores farsas que envolvem a seita que tu defendes, pois as esculturas, por ti veneradas, sao frutos da imaginaçao humana, ou seja, sao MENTIRA; de sorte que, nao somente tu, mas todos os fieis da tua seita vêm sendo ensinados a venerar uma MENTIRA.

Termino com as seguintes verdades biblicas, que descrevem o amor de Cristo pela Igreja, sob a figura de um relacionamento marital, conforme descrito em 2 Co 11.2; Ef 5.22, 23; Ap 19.7-9; 21.1,2,9:
"Sessenta são as rainhas, e oitenta, as concubinas, e as virgens, sem número. Mas uma é a minha pomba, a minha imaculada, a única de sua mãe e a mais querida daquela que a deu à luz; vendo-a, as filhas lhe chamarão bem-aventurada, as rainhas e as concubinas a louvarão" (Cantares de Salomão 6: 8-9).

Anônimo disse...

Caro Antonio Costa,
Jogue a sabedoria humana fora e te despojes de todo o conhecimento que os sacerdotes catolicos te ensinaram, ou mesmo os livros de historia, pois foram escritos por homens que enxergavam o mundo com os oculos das duas crenças pessoais e nao com a revelaçao do Espirito Santo (como os escritores biblicos).
Fora da Palavra de Deus tudo nao passa de vaidade, meu caro, por isso cuide em ler as Escrituras Sagradas, pois n'Elas está a verdade e a salvaçao para ti e para todos que crerem.
Pedro nunca foi "bispo de Roma", mas, segundo a Palavra de Deus, apostolo de nosso Senhor Jesus Cristo.
Creia na Palavra de Deus, meu velho, a unica e verdadeira PEDRA DE ESQUINA.
Deus te abençoe!!!

Anônimo disse...

Vejam um documentario bastante interessante, que expõe algumas verdades sobre a idolatria romana e sua historia de sangue contra judeus e protestantes:
https://www.youtube.com/watch?v=1zAQYtwiF8c

Creio que ninguem, em sã consciencia, apoiaria a inquisiçao como uma suposta forma de defender o mundo das heresias biblicas, justificativa dada pelos lideres religiosos da idolatria romana.

Espero que ninguem neste forum de debates acredite nessa falacia, pois Jesus Cristo nunca falou em salvaçao de almas atraves da destruiçao de vidas, ao contrario, Ele deu sua propria vida para nos salvar. Todo aquele que prega o contrario, nao possui o Espirito de Deus, mas constitui-se em um anticristo.

Ass. Rodrigues

António Costa disse...

Meu amigos, a vossa preocupação com a minha salvação, enche-me de alegria e prova que somos fraternos Irmãos em Cristo.Confesso que não preparo convenientemente as minhas respostas, perdoem-se por isso se pareço agressivo. A minha vida tem sido muito preenchida,tal como deve ser a vossa.
Aceito que o dono do blog queira encerrar este assunto a qualquer momento.

Procurando dar alguma coerência ao debate,sem pensar o dono da razão(esse é Jesus),digo que acredito haver cristãos genuínos como vós sois certamente, em muitas partes, e não reclamo a exclusividade do Espírito Santo para a minha Igreja. Ele sopra onde lhe apraz. Descobri isso em livros evangelicos (Don Gossett, que fala em Billy Graham e outros), sobre os atuais dons do E. Santo.Só depois encontrei os escritos do Pe Emiliano Tardiff, do português meu amigo Pe Alfredo Neres, etc.Claro que milhares de bons evangélicos, são santos no céu como foram na terra...
Mas apesar de bons cristãos faltou-lhes os sacramentos de Cristo, instituídos por Ele mesmo, e que a Sua Igreja administra. Por isso é que apesar de ser constituída por elementos pecadores (alguns muito), se diz que é Santa.
Por você Marcelo Victor ter falado sobre culto pagão, eu penso que se refere À Santa Eucaristia, que alguém aqui já insinuou ser uma cópia de um culto romano

“Então Jesus lhes disse: Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós mesmos. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia. Pois a minha carne é verdadeiramente uma comida e o meu sangue, verdadeiramente uma bebida.
Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele.” (João 6,53-56)
a “santa ceia” que algumas Igrejas Evangélica contêm não contêm a realidade da EUCARISTIA mencionada pela Bíblia. A EUCARISTIA CATÓLICA, é a meu ver a verdadeira “CARNE E SANGUE” de Jesus Cristo aqui na Terra, para alimento de todo aquele que nele vive e nele crê!
Em algumas das vossas denominações não existe a EUCARISTIA, mas apenas um mero simbolismo (com boa intenção de muitos), mas devo dizer que estão perdendo ao não comungar a verdadeira Hóstia Santa, nas santas missas!

E mais uma vez em relação À acusação de idolatria quero dizer àqueles que pensam que os católicos são idólatras por causa das imagens sagradas, resta-me apenas dizer que precisam estudar para compreender a diferença entre “ídolo” e “imagem” e saber que, no contexto bíblico, Deus proíbe fazer imagens de falsos deuses para adorar.

Sobre Inquisição, coloco meu último comentário neste blog
“Caro Julio, a Verdade liberta, mas qual verdade? Saberemos toda a Verdade, mesmo a ocorrida há muitos séculos, quando nos encontrarmos face a face com o Príncipe da Paz. Sim, alguns inquisidores e monarcas fizeram horrores, movidos pela ambição própria... Não, os objetivos da Inquisição não foram originalmente esses... Sim existiram graves heresias que puseram em causa a cristandade e a civilização... (…)Oro insistentemente para que encontre a Igreja de Cristo, e para que com sua tenacidade e diligencia ajude outros, fazendo assim a vontade de Jesus nosso Salvador (Jo 17, 21).



marcelo victor disse...

De uma coisa todos temos que concordar:
1 - A igreja catolica é o que é, mas nao ordena mulheres como pastoras e diaconisas, como ocorre com as igrejas evangelicas prostitutas (1 Co 14:34-35 e 1 Tm 2:11-12).

2 - A igreja catolica é o que é, mas nao empresta seus pulpitos pra politico ladrao, ateu-comunista e guerrilheiro fazer propaganda politica, como ocorre descaradamente com as prostitutas evangelicas.

Portanto, temos que admitir que muitas igrejas evangelicas se tornaram antro de idolatria e paganismo e ainda tem coragem de abrir a boca para criticar a igreja catolica. Seus HIPOCRITAS!!!

Postar um comentário.

Cancelar inscrição de comentários nesta postagem.

Postado por marcelo victor no blog Julio Severo em sábado, 27 fevereiro, 2016